Não quero ser Capitu | Cassionei Niches Petry | Digestivo Cultural

busca | avançada
104 mil/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Maíra Lour apresenta leitura dramática audiovisual “Insensatez'
>>> Exposição do MAB FAAP conta com novas obras
>>> Projeto Camerata Filarmônica Brasileira apresenta concerto comemorativo no dia 15 de maio em Indaiat
>>> Ação Urgente Contra a Fome - SescSP
>>> 3ª Mostra de Teatro de Heliópolis recebe inscrições até 31 de maio
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Escândalo na cidade cinzenta
>>> Only the paranoid survive
>>> O belo e o escalafobético
>>> Guia para escrever bem ou Manual de milagres
>>> Irredentismo
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> O assassinato de Herzog na arte
>>> Hitler, de Ian Kershaw, pela Companhia das Letras
>>> Livrarias em tempos modernos
>>> O que é a memética?
Mais Recentes
>>> Chefia - Sua Técnica, Seus Problemas de Wagner Estelita Campos pela Getulio Vargas (1981)
>>> Inovação - a Vantagem do Atacante de Richard Foster pela Best Seller (1988)
>>> Techno Trends 24 Tecnologias Que Irão Revolucionar Nossas Vidas de Daniel Burrus pela Record (1994)
>>> Gestao Efetiva e Privatizacao de Pedro Sabino de Farias Neto pela Qualitymark (1994)
>>> Le Vin de Bourgogne de Jean François Bazin pela Montalba (1976)
>>> O Fim da Qualidade - Autografado de J. L. Banet pela P & A (1997)
>>> Occidente Americano de Jose Ignacio Vasconcelos pela Ni (1977)
>>> Enciclopedia Pratica da Administracao de Empresa de Rogerio Pfaltzgraff pela Rideel
>>> Lasers in Industry de S S Charschan pela Wester Electric (1972)
>>> O Beneficio das Crises de Paulo C. da Costa Moura pela Ltc (1978)
>>> Atenção á Saude da Mulher de Fernando Porto e Outros pela Aguia Dourada (2011)
>>> Focus on Grammar - Teachers Manual de Jay Maurer pela Logman (1995)
>>> Livro do Ano 1990 de Estado de São Paulo pela Agencia Estado (1990)
>>> Administração da Produção de George W. Plossl pela Makron Books (1993)
>>> Palmtops para Iniciantes e Experts de Julio Trois pela Visual Books (2003)
>>> Essential Dictionary:helping Learners With Real English de Collins Cobuild pela Harper (1996)
>>> Macromedia Flashmx 2004 de Anielle Damasceno pela Visual Books (2004)
>>> Manual de Organização Administrativa de Ana Maria Giusti Barbosa pela Prefeitura do Município de Pi (1996)
>>> Filosofia del Lenguaje de Jerrold J Katz pela Martinez Roca (1971)
>>> Itap a Empresa Que Vi Crescer de Fortunato Orlandi pela Plásticos Em Revistas (1991)
>>> 101 Segredos de Sucesso para a Pequena Empresa de Jane Applegate pela Best Seller (1992)
>>> Safety of Water Disinfection:balancing Chemical & Microbial Risks de Gunther F Craun pela Ilsi (1993)
>>> Humanizando Meu Trabalho e Criando Meu Futuro de Selma Costa pela Stf (1997)
>>> Vocabulario Latim-portugues / Portugues-latim de Ana T Sieglar pela Saraiva (1944)
>>> Biblioteca de Secretariado Executivo 1 de Abel Ferraz Souza pela Iracema (1971)
COLUNAS

Quarta-feira, 8/8/2018
Não quero ser Capitu
Cassionei Niches Petry

+ de 3800 Acessos

Quando se relê um clássico depois de alguns anos e após falar tanto sobre ele em sala de aula, pode-se ter uma decepção, ainda mais para um sujeito como eu que tem uma memória muito ruim. Leio e esqueço o que leio. Reli Dom Casmurro, para muitos o melhor romance de Machado de Assis e, confesso, mudei um pouco minha percepção sobre a obra.

Sempre que se resume o enredo do romance, destaca-se a desconfiança de Bento Santiago, o narrador, de que Capitu o traiu com Escobar. A desconfiança se dá porque o amigo morre e, durante o velório, Bentinho nota que “Capitu olhou alguns instantes para o cadáver de forma tão fixa, tão apaixonadamente fixa, que não admira lhe saltasse algumas lágrimas poucas e caladas...” Foi um alerta. A partir disso, passou a notar semelhanças do seu filho com o finado. Tudo isso, no entanto, aparece apenas perto do final da narrativa, na verdade é o clímax. Boa parte das páginas do romance trata da infância, adolescência e o período em que o narrador passa no seminário. Para quem deseja chegar logo aos trechos mais conhecidos, deve percorrer longas e às vezes cansativas passagens em que o menino Bentinho tenta escapar da promessa de sua mãe de torná-lo padre, seu namoro pueril com Capitu, as tiradas de José Dias e um e outro momento de ciúmes do rapaz em relação à namorada. Fiquei, nessa releitura, com a impressão de que muita coisa do romance é dispensável, o mesmo não ocorrendo em Memórias póstumas de Brás Cubas, para mim o melhor romance de Machado, em que nada sobra.

Se a estrutura é falha, o mesmo não se pode dizer da proposta de esconder do leitor o que realmente aconteceu, gerando o famoso e ainda não superado “enigma de Capitu”, que provocou inclusive uma simulação de julgamento em 1999 sobre o suposto adultério, com a participação de advogados e juízes, além de escritores e críticos. Mesmo que várias pistas sejam oferecidas, o leitor desconfia delas porque tudo é apresentado pelo ponto de vista de Bentinho. Capitu deixou escapar um sentimento desproporcional no velório de Escobar? Isso é o marido quem nos afirma. Ezequiel, seu filho, é parecidíssimo com o finado? É Bentinho quem diz. Mas Capitu também mencionou as semelhanças! Ora, pode ser o próprio narrador que imaginou isso. Escobar não foi algumas vezes à casa de Bentinho na ausência deste, quando somente Capitu estava? Sim, pode ser, no entanto sempre houve explicações plausíveis para as visitas.

Em princípio, penso que Machado insere a peça Otelo, de Shakespeare, para nos dizer que Bentinho é como o Mouro de Veneza, sujeito que, pressionado pelo manipulador Iago, se convence que a inocente Desdêmona o traiu. Ao batizar seu narrador de Bento Santiago (Santo+Iago, como demonstrou a ensaísta americana Helen Caldwell), podemos inferir que ele também manipulou a si mesmo para se convencer do adultério da inocente (?) Capitu. Aliás, o agregado José Dias também representa Iago em muitas passagens e o próprio narrador aponta isso no capítulo LXII.

Por outro lado, há quem afirme que o romance é um confissão de culpa do próprio escritor. Dizem as línguas ferinas que Mário de Alencar, filho de José de Alencar, na verdade era filho de Machado de Assis. Mário era um escritor mediano que se tornou protegido por Machado, primeiro presidente da ABL, que inclusive mexeu os pauzinhos para conseguir para o filho do amigo uma cadeira na Academia.

O romance é tão aberto a interpretações que há até a possibilidade de Betinho não ter ciúmes de Capitu, mas sim de Escobar. Há muitas passagens que sugerem isso, como esta: “Apalpei-lhe os braços (...): achei-os mais grossos e fortes que os meus, e tive-lhe inveja; acresce que sabiam nadar”. Note-se que os braços são objetos de atração para várias personagens de Machado, notadamente no conto que se chama, justamente, “Uns braços”.

Se vale a leitura de Dom Casmurro? É lógico que sim, em que pese sua falta de equilíbrio estrutural, que me incomodou nessa releitura. Machado, no entanto, é Machado. É nosso maior escritor. No conjunto de sua obra, e nesse romance não é diferente, há sempre passagens brilhantes, frases que ficam ressoando na nossa mente, os não-ditos que instigam e a análise sempre peculiar do indivíduo que somente o Bruxo do Cosme Velho sabe fazer. Não serei eu uma espécie de Capitu para trair (ops!) Machado. Ele está no meu panteão pessoal e jamais sairá desse altar.


Cassionei Niches Petry
Santa Cruz do Sul, 8/8/2018


Mais Cassionei Niches Petry
Mais Acessadas de Cassionei Niches Petry
01. Notas confessionais de um angustiado (VII) - 4/9/2019
02. Do canto ao silêncio das sereias - 14/11/2018
03. Do inferno ao céu - 3/7/2019
04. O suicídio na literatura - 13/4/2016
05. Por que HQ não é literatura? - 6/12/2017


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Espacio Público y Privatización del Conocimiento: Estudios Sobre
Pablo Gentili e Bettina Levy (compiladores)
Clacso
(2005)



No Terceiro Dia
Piers Paul Read
Siciliano
(1992)



Holy Scruptures: a Symposium on the Great Scriptures of the World
Sri Ramakrishna Math
Sri Ramakrishna Math
(1989)



A Educação Escolar Em Perspectiva Histórica
Maria Elisabeth Blanck Miguel e Outro
Autores Associados
(2005)



Guia Capricho Familia Enfim, um Lar Doce Lar
Adriana Teixeira
Marco Zero
(2009)



Avaliando o Desempenho da Universidade
Adriane Cavalieri
Loyola
(2004)



Grammaire: Difficultés Usages 4000 Exemples
Rene Lagane (introdução) Larousse (capa Dura)
Larousse (paris)
(1989)



Men, Women and Relationships: Making Peace With the Opposite Sex
John Gray
Beyond Words Pub Co
(1993)



The Jews of the United States 1790-1840: a Documentary History
Joseph L. Blau e Salo W. Baron (três Volumes)
Columbia University
(1969)



Um Conto de Natal
Charles Dickens
L&pm Pocket
(2007)





busca | avançada
104 mil/dia
2,5 milhões/mês