Haverá sangue | David Donato | Digestivo Cultural

busca | avançada
37668 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 4/3/2008
Haverá sangue
David Donato

+ de 3300 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Uma das invenções mais legais da Web 2.0 (e um dos motivos do upgrade) é uma prática simples, mas impensável dois anos atrás, a folksonomia, ou as tags comunitárias. É só colocar "etiquetas" com todas as palavras-chave que fazem alguma referência ao objeto. Ficou famosa com o Gmail, o Flickr, o del.ici.ous e os blogs, mas funciona praticamente em qualquer coisa que se queira catalogar para busca futura. Um grupo de amigos meus usa tags de maneira um pouco diferente: costumamos mandar links de bobagens variadas da internet e, em vez de um título descritivo do tipo "ótimo site de design de interfaces", usamos palavras-chave do tipo "design, interface, referência, inovação". Assim, na hora de buscar aquele link de 4 meses atrás, fica fácil buscar pelas tags. Também é bom para quem vê os e-mails no trabalho e não sabe se vai poder abrir a qualquer hora.

Vou começar assim, falando das tags do novo filme de Paul Thomas Anderson, There Will Be Blood: Petróleo, religião, virada do século, Cidadão Kane, Kubrick, Oscar, Daniel Day-Lewis, melhor de 2007

Paul Thomas Anderson é um dos poucos diretores-autores que passeiam por Hollywood hoje em dia. Ele escreve, dirige e produz todos os seus filmes com uma desenvoltura impressionante desde 1997, com Boogie Nights, passando pelo altmaniano ame-o ou odeie-o Magnolia (sua obra prima, em suas próprias palavras), de 1999 e pelo híbrido estranho de humor e drama Punch-Drunk Love, de 2002. Quatro anos depois, PT Anderson (como é conhecido) lança um filme que segue a regra de não ser parecido com nenhum de seus filmes anteriores.

There Will Be Blood é inspirado (mais do que baseado) no livro Oil! de Upton Sinclair, que fala da Califórnia do início do século XX tomada por exploradores de ouro e petróleo. O diretor, que leu o livro por acaso quando estava em Londres, com saudades de casa e viu a capa do livro com uma fotografia da Califórnia, adaptou as primeiras 150 páginas e criou um dos personagens mais fascinantes dos últimos anos.

Daniel Plainview (interpretado pelo "já ganhou mais um Oscar" Daniel Day-Lewis) é um prospector de petróleo, trabalhador, eloqüente, manipulador, misantropo... a lista segue. Depois de suar muito procurando ouro e prata em minas empoeiradas, montou sua própria empresa de prospecção de petróleo e se tornou um homem poderoso. Poderoso como Charles Foster Kane de Orson Welles. Poderoso como o velho Michael Corleone. E solitário como só pessoas poderosas conseguem ser. "Às vezes, quando olho para as pessoas, não consigo ver nada que valha a pena gostar." ele diz, num momento raro de sinceridade. Posa de homem de família com seu "filho e sócio na empresa" a tiracolo, desde que isso o ajude a conseguir mais terras, mais óleo.

Da mesma maneira que Plainview vê pessoas como escada para o próprio sucesso, Eli Sunday, um jovem pastor pentecostal fundador da Igreja da Terceira Revelação vê a chegada do prospector e sua equipe à sua pequena cidade como a grande oportunidade de encher sua igreja de gente (e de dinheiro). Paul Dano, o irmão calado da Little Miss Sunshine, dá o sangue nos sermões alucinados do pastor. Os traços juvenis e gritos desafinados de adolescente do ator, criticados por deslocar o personagem, na verdade trazem uma certa aura demoníaca ao antagonista do prospector e sem dúvida contribuem para o clima de estranheza do filme inteiro.

Há quem diga que There Will Be Blood é um filme de horror, e indícios para isso não faltam. Daniel Plainview não é essencialmente mau, mas sua persona já foi comparada ao próprio Drácula, que usa as pessoas para sugar sua riqueza (a frase "I drink your milkshake!!" vai demorar para sair da cabeça). A trilha sonora é simplesmente aterrorizante. Jonny Greenwood, guitarrista do Radiohead e fã dos filmes de Anderson, criou uma série de anticlímax e dissonâncias que ficam com o espectador do mesmo modo que Beethoven ficou depois de A Clockwork Orange. E por falar em Kubrick, PT Anderson segue brilhantemente a cartilha do mestre em algumas cenas, como a da pista de boliche, tão simétrica e fria quanto as salas do hotel Overlook em The Shining.

There Will Be Blood não é um filme de sustos, mas ainda assim é um filme que assombra, da maneira que uma alma atormentada faria. Ele persegue o espectador muito depois de sair da sala de cinema, relembrando, naqueles momentos em que a mente está em branco, entre um raciocínio e outro, o rosto carismático e assustador de Daniel Plainview, um rosto que se confunde com o dos próprios Estados Unidos, que trocam sangue por óleo em nome do progresso e do próprio bolso gordo há tanto tempo.

There Will Be Blood é uma experiência rara. É menos uma ida ao cinema e mais a chance de participar de um poderoso conto de cobiça e poder, realizado por um mestre com domínio completo de sua arte. Chamá-lo de novo Kubrick, entretanto, além de exagerado é, acima de tudo, ingênuo. Basta saber que é gratificante poder esperar por um próximo projeto de um diretor que prova a cada filme que há infinitas histórias poderosas para serem contadas na tela grande, e que bons contadores de história não são privilégio do passado.


David Donato
São Paulo, 4/3/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Humor x Desamparo de Carla Ceres
02. Senna de Paulo Polzonoff Jr
03. Mamilos de Adriane Pasa
04. Solidão Moderna de Mentor Muniz Neto
05. Meu beijo gay de Paulo Polzonoff Jr


Mais David Donato
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
4/3/2008
09h31min
As tags que ficaram na minha mente, depois de ver o filme, foram "experiência" e "rara". Até hoje lembro do filme em embascadado estado de contemplação. A Sangue Negro, milkshakes em brinde!
[Leia outros Comentários de Montana]
4/3/2008
18h32min
"o rosto carismático e assustador de Daniel Plainview"; é exatamente isso que eu pensava a cada momento que a câmera focava aquele homem. Por mais que "Onde os fracos não têm vez" seja um bom filme, "Sangue Negro" é muito superior, é a saga de um homem como há muito não víamos. Há cenas inesquecíveis, além claro das batidas da trilha sonora. Uma das minhas preferidas é a volta de H.W., depois de toda aquela loucura que foi o acidente, a tomada em que ele retorna estamos meio distantes dos dois, assistindo de longe. Daniel Day-Lewis fez um personagem incrível, cheio de nuances, a relação com o filho, com o desconhecido que diz ser seu irmão, com Eli, com os concorrentes. Tudo é grandioso, as cenas são carregadíssimas de sentido. É realmente uma experiência única e rara, como bem disse Montana.
[Leia outros Comentários de Bia Cardoso]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MEDITAÇÃO A ARTE DO ÊXTASE
BHAGWAN SHREE RAJNEESH
CULTRIX
(1976)
R$ 9,90



CONVERSANDO SOBRE A SÍNDROME DO PANICO
GUGU KELLER
GLOBO
(1997)
R$ 27,00



100 CRÔNICAS
MARIO PRATA
ESTADÃO
(1997)
R$ 4,00



PALAVRAS PARA DESATAR NÓS
RUBEM ALVES
PAPIRUS
(2011)
R$ 30,00



PROJETO PROSA - HISTÓRIA 3º ANO
ALEXANDRE ALVES E OUTROS
SARAIVA
R$ 25,00



DEIXE OS HOMENS AOS SEUS PÉS
MARIE FORLEO
UNIVERSO DOS LIVROS
(2011)
R$ 10,00



HANS STADEN (LITERATURA INFANTO-JUVENIL)
MONTEIRO LOBATO
BRASILIENSE
(1978)
R$ 5,00



A FÚRIA DA BELEZA
ELISA LUCINDA
RECORD
(2006)
R$ 30,00



METODOLOGIA CIENTÍFICA NA ERA DA INFORMÁTICA
JOAO AUGUSTO MATTAR NETO
SARAIVA
(2008)
R$ 49,90



THE OXFORD DICTIONARY OF WORD HISTORIES
GLYNNIS CHANTRELL
OXFORD
(2004)
R$ 33,00





busca | avançada
37668 visitas/dia
1,1 milhão/mês