O último estudante-soldado na rota Lisboa-Cabul | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
51627 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> PAULUS Editora promove a 6º edição do Simpósio de Catequese
>>> Victor Arruda, Marcus Lontra, Daniela Bousso e Francisco Hurtz em conversa na BELIZARIO Galeria
>>> Ana Cañas e Raíces de América abrem a programação musical de junho, no Sesc Santo André
>>> Sesc Santo André recebe Cia. Vagalum Tum Tum, em junho
>>> 3º K-Pop Joinville Festival já está com inscrições abertas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
>>> G.A.L.A. no coquetel molotov de Gerald Thomas
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> La Cena
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Uma história da Sambatech
>>> The Shallows chegou
>>> Ceifadores
>>> É hoje (de novo)!
>>> Trump e adjacências
>>> Entrevista com Pollyana Ferrari
>>> O novo sempre vem
>>> O estilo de Freddie Hubbard
Mais Recentes
>>> A Arte da Guerra - Os Documentos perdidos de Sun Tzu II pela Record (1996)
>>> Competindo pelo Futuro de Gary Hamel e C K Prahald pela Campus (1995)
>>> 80 Mágicas com cartas de 80 Mágicas com cartas pela COPAg (1985)
>>> Idade do Zero de Zeh Gustavo pela Escrituras (2005)
>>> Os Três Ratos Cegos e Outras Histórias de Agatha Christie pela Nova Fronteira (1979)
>>> Outra Independência o Federalismo Pernambucano de 1817 a 1824 de Evaldo Cabral de Mello pela 34 (2004)
>>> A Décima Profecia de James Redfield pela Objetiva (1996)
>>> Condutas no Paciente Grave Nº 1 e 2 de Elias Knobel pela Atheneu (1998)
>>> Na Palma da Minha Mão de Leilah Assumpção pela Globo (1998)
>>> Missão no Oriente de Luiz Puntel pela Atica (1999)
>>> Previsão e controle das fundações de Urbano Rodriguez Alonso pela Edgard Blucher (1995)
>>> A Riqueza das Nações 1 e 2 de Adam Smith pela Nova Cultural (1985)
>>> Moreninha de Joaquim Manuel de Machado pela Moderna (1993)
>>> Diário de um cucaracha de Henfil pela Record (1984)
>>> Sinais de Esperança: uma Leitura Surpreendente dos Acontecimentos Atua de Alejandro Bullón pela Casa Publicadora (2008)
>>> Manual de Bioquimica de Conn Stumpf pela Edgar Blucher (1972)
>>> O Senhor March de Geraldine Brooks; Marcos Malvezzi Leal pela Ediouro (2009)
>>> Devezenquandario de Leita Rosa Cangucu de Lourenço Cazarre pela Lge (2003)
>>> Clássicos Literatura Juvenil 12 - Aventuras de Huck de Mark Twain pela Abril (1972)
>>> Naruto 58 de Masashi Kishimoto pela Panini Comics
>>> Super Seek and Find Students Book & Digital Pack (volume 2) de Lucy Crichton pela Macmilian Education (2018)
>>> O jovem Torless de Robert Musil pela O globo (2009)
>>> Triste Fim de Policarpo Quaresma - Série Bom Livro de Lima Barreto pela Ática (1989)
>>> Naruto 57 de Masashi Kishimoto pela Panini Comics
>>> O Veneno da Madrugada de Gabriel García Márquez pela Sabiá (1970)
COLUNAS

Quinta-feira, 17/2/2022
O último estudante-soldado na rota Lisboa-Cabul
Elisa Andrade Buzzo

+ de 3300 Acessos

O último soldado norte-americano a abandonar o Afeganistão: Christopher Donahue é fotografado no aeroporto de Cabul, em agosto de 2021, após vinte anos de presença militar dos Estados Unidos no Afeganistão. Um último estudante a sair de uma biblioteca, num início de uma noite qualquer em 2021, depois de cerca de cinco anos de trabalhos pós-graduados. Mas algo fez o estudante relacionar a já histórica foto esverdeada, tirada com visão noturna, com a sua trivial situação momentânea, ainda que processual, em vias de andamento, mas também de retirada às escuras, em surdina. Esse algo talvez tenha a ver com guerras internas e externas, com tarefas e com escombros, com possibilidades de desistências diante da calculada derrota; e com ilusões de vitória, em frentes nas quais os discursos ressoam conforme os apelos ou os gritos dos importantes.

Pobre ou sortudo estudante; pois não há testemunhas desse momento, imagens não foram realizadas - a não ser, talvez, pelas câmeras de segurança. Estas, aliás, entrarão no limbo das imagens abandonadas, sem chance de publicidade, sem ineditismo pela banalidade total de seus argumentos parcos de sobrevivência necessária. As carteiras estão vazias e as fileiras foram já completamente abandonadas. As únicas armas visíveis talvez sejam a de policiais estrategicamente alojados na faculdade de ciências.

Assim como o último soldado a deixar Cabul, o último estudante a abandonar a biblioteca tem tanto a chance de encontrar personagens bastante desagradáveis como bastante agradáveis em sua saída. É nessa hora que aparece ou quem ele acha que não se parece com ele, e que, no entanto, mostra-se muito semelhante; ou então quem ele admira de uma forma profunda. Ou seja, alguém que ele ache que pode ter algo a ver com ele, porém a realidade demonstra entre eles algo como um abismo natural, uma trincheira superposta que necessita de tempos loucos de guerra e silêncios doidos de paz para ser transposta.

São esses personagens que também travam algum tipo de luta, e que no momento estão numa pausa, num compasso de espera. Abandonaram para, quem sabe depois, conquistar, quem sabe uma ideia, um poder, um conhecimento, ou mesmo uma ideia de poder que acariciam dobrando o corpo sobre si, e na saída a sustém com o corpo ereto, a fala dúbia, professoral, potencialmente opressora ou protetora dos pequenos. E se existisse uma fotografia desse último estudante abandonando o seu posto de trabalho? Como ela seria? Colorida? Refletida na noite? Apagada na noite ou com uma chama discreta alojada no crânio? De certeza, não seria ela capa ou primeira página de jornalismo algum, de coisa alguma de destaque; antes, um acontecimento totalmente imerso e obscurecido no tempo (escuro e qualquer). A ninguém interessa um estudante (e, ainda bem?) – que assim seja.

Olhos bem abertos, o soldado da fotografia porta um fardamento com acessórios pesados. E o estudante, quanto é ele carregado? Uma canga de livros e computadores, como um burro adejando fardos de boias de sustentação na água lodosa, na piscina incerta do conhecimento. A ponderar a estrutura aflitiva das coisas das quais não tem o devido controle. O estudante, afinal, inventa um incontrolável. Inventa qualquer coisa? Ou assim acha? Inventa, é certo, uma massa de manobra conveniente e necessária para continuar perseverando em sua manifestação ficcional documentada em análise dos fatos.

Na composição analítica, quem sabe inverdades sejam ditas, haja mais abuso utilizado do que uso útil acrescido, mas dobram os sinos das melhores intenções. Dobram, diariamente, às vezes com mais força eles são ouvidos, outras vezes com um ressonar menor, talvez mais brando, talvez mais diluído. Enquanto isso, em sua retirada, o soldado americano, fecha as porteiras invisíveis da ocupação. Desocupa para não mais voltar, ao menos disso não tem mais a intenção. O estudante, este, tem a esperança, e o dever, de sempre voltar, a este trabalho invisível que não cessa nem enseja término.

Há um sentimento interno de pertencimento, de se estar fazendo algo necessário e produtivo, para si, para a pátria ou para a humanidade, tanto neste estudante, tanto naquele soldado? O último estudante sai, e não encontra lugar onde pousar a sua mente no mundo. E então, fica em suspenso, tal como estaria o último soldado, que finalizou a sua missão, abandonou o seu posto, deixou para trás ruínas, toneladas de lixo militar a serem ainda considerados os seus efeitos? E o trabalho, afinal, foi pela metade ou a missão foi completada? Diz ele aos seus soldados, “Um trabalho bem-feito, estou orgulhoso de todos vocês”, quando entrou no último C-17 a partir. E ao estudante solitário, há mensagens de encorajamento e consideração?

Haveria dúvidas no soldado? Ou mais fácil obedecer a ordens superiores, tomar decisões em conjunto, e assim que tipos de adeuses advém de ordens, que tipos de adormecimento de consciências sobrevêm de decisões íntimas do livre-arbítrio? E a questão é: adiantou de algo ser o último? Adiantou a jornada? De que forma foram favorecidos na história os últimos, se o favorecimento implica em subcategorizar o outro? Talvez fosse melhor que o último fosse aquele com a oportunidade de observar as grandes ruínas, melhor podendo ver o todo? - mesmo, ser o escombro.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 17/2/2022


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Alice e a História do Cinema de Marcelo Spalding
02. Reflexões boêmias sobre música de Milton Ribeiro
03. O taikonauta, o astrônomo e o espaço de Elisa Andrade Buzzo
04. O homem que não gostava de beijos de Rafael Rodrigues
05. A idolatria do século XXI de Marcelo Barbão


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo
01. Mia Couto revisitado - 14/9/2006
02. Novos autores na poesia brasileira - 18/5/2006
03. Mais outro cais - 7/6/2018
04. Ecos digitais: poema-em-música - 4/1/2007
05. O dia em que não conheci Chico Buarque - 21/6/2018


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Mistério 1 - Veneno
Alan Scholefield
Abril
(1981)



Dossiê Super Interessante Nº 386 a - Gravidez, o Antes o Durante
Editora Abril
Abril
(2018)



Da Figura do Mestre
Marlene de Souza Dozol
Autores Associados
(2003)



Análise da Estrutura dos Vertebrados
Milton Hildebrand
Atheneu
(1995)



Tdah Inclusão na Escola
Chary A. Alba Castro
Moderna
(2009)



O Livro dos nomes
Regina Obata
Nobel
(1994)



O Dom do Amor
Viviane Claudia Florencio
Panorama
(2002)



As Aventuras do Sr. Pickwick Volume 1 e 2
Charles Dickens
Abril Cultural
(1982)



O Túnel de Pombos
John Le Carré
Record
(2018)



Aprendendo Sobre los Juegos Olímpicos
Roberta Amendola
Santillana
(2014)





busca | avançada
51627 visitas/dia
1,8 milhão/mês