O último estudante-soldado na rota Lisboa-Cabul | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Pousada e Recanto dos Pássaros – Sítio Vô Elias Maffei
>>> Coreógrafa carioca Esther Weitzman ministra oficina gratuita de dança no Sesc Santana
>>> Caleidos apresenta “Entrevista” para gestores e professores da rede pública de São Paulo
>>> É HOJE (30/9): Mostra Imaginários no Cine Bijou
>>> Etapa apresenta concerto gratuito da Camerata Fukuda com o violinista Ricardo Herz
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
Colunistas
Últimos Posts
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
Últimos Posts
>>> Cabelos brancos
>>> Liberdade
>>> Idênticos
>>> Bizarro ou sem noção
>>> Sete Belo
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
>>> Conforme o combinado
>>> Primavera, teremos flores
>>> Além dos olhos
>>> Marocas e Hermengardas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> 50 anos de Bossa Nova
>>> O humor da Belle Époque
>>> 24 de Março #digestivo10anos
>>> Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos
>>> Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim
>>> Kindle DX salvando os jornais?
>>> A Casa de Ramos
>>> Reconhecimento
>>> A hora exata em que me faltaram as palavras
Mais Recentes
>>> Santo Antonio das Grimpas de Marietta Telles Machado pela Atual (1987)
>>> Allan Kardec: o Grande Codificador de Martin Claret pela Martin Claret (1995)
>>> Letras 2 Lingüistica Aplicada de Ufsm pela Ufsm (1991)
>>> Dicionário do Inexplicado - Edições Planeta Nº 131 de Eduardo Araia Ed. pela Três
>>> Luz, Câmera, Gestão - a Arte do Cinema na Arte de Gerir Pessoas de Myrna Silveira Brandão pela Qualitymark (2006)
>>> Habeas Data de José Eduardo Nobre Matta pela Lumens Juris (2005)
>>> Fale Tudo Em Inglês nos Negócios - Com Cd de José Roberto A. Igreja pela Disal (2011)
>>> Como Llegar a Ser un Maestro de La Negociacion de Pierre Louis Criqui, Eric Matarasso pela Granica (1991)
>>> Biologia 6 - Ecologia, Origem da Vida e Evolução de Cqc - Sistema de Ensino pela Do Autor
>>> Curriculum Vitae e Memorial - Normas para Apresentação de Documentos de Universidade Federal do Paraná pela Ufpr (2001)
>>> Net Force Hidden Agendas de Tom Clancys pela Berkley Books (1999)
>>> Apostila de Direito Administrativo para Técnico do Mpu de Diversos Autores pela Do Autor
>>> Cândido Portinari a Vida dos Grandes Brasileiros de Marcos Moreira Afonso Arinos de Mello Franco pela Três (2003)
>>> A Fúria dos Reis - Livro 2 de George R. R. Martin pela Leya (2019)
>>> Memórias de Vida de D Tinoca Emerentina Amorim da Silva pela Lunardelli (2001)
>>> Mercador de Versos de Lêda Mirowinski pela Da Autora (1995)
>>> Enquanto Estamos Crescendo de Valéria Piassa Polizzi pela Ática (2006)
>>> Quando Tudo Falha de Rodolpho Belz pela Casa Publicadora Brasileira (1987)
>>> Topografia Usual de E Liger pela Gg Barcelona
>>> Stupid White Men uma Nação de Idiotas de Michael Moore pela Francis (2003)
>>> Minha Vida Daria um Filme de Simona Toma pela Fundamento (2014)
>>> Entre Parênteses de Tonho França pela Komedi (2002)
>>> Amor Conjugal de Seicho Taniguchi pela Seicho-no-ie (1991)
>>> Presença Nº 1 de Vários pela Caetés (1983)
>>> Como Vencer na Vida Sendo Professor de Hamilton Werneck pela Vozes (1998)
COLUNAS

Quinta-feira, 17/2/2022
O último estudante-soldado na rota Lisboa-Cabul
Elisa Andrade Buzzo

+ de 5400 Acessos

O último soldado norte-americano a abandonar o Afeganistão: Christopher Donahue é fotografado no aeroporto de Cabul, em agosto de 2021, após vinte anos de presença militar dos Estados Unidos no Afeganistão. Um último estudante a sair de uma biblioteca, num início de uma noite qualquer em 2021, depois de cerca de cinco anos de trabalhos pós-graduados. Mas algo fez o estudante relacionar a já histórica foto esverdeada, tirada com visão noturna, com a sua trivial situação momentânea, ainda que processual, em vias de andamento, mas também de retirada às escuras, em surdina. Esse algo talvez tenha a ver com guerras internas e externas, com tarefas e com escombros, com possibilidades de desistências diante da calculada derrota; e com ilusões de vitória, em frentes nas quais os discursos ressoam conforme os apelos ou os gritos dos importantes.

Pobre ou sortudo estudante; pois não há testemunhas desse momento, imagens não foram realizadas - a não ser, talvez, pelas câmeras de segurança. Estas, aliás, entrarão no limbo das imagens abandonadas, sem chance de publicidade, sem ineditismo pela banalidade total de seus argumentos parcos de sobrevivência necessária. As carteiras estão vazias e as fileiras foram já completamente abandonadas. As únicas armas visíveis talvez sejam a de policiais estrategicamente alojados na faculdade de ciências.

Assim como o último soldado a deixar Cabul, o último estudante a abandonar a biblioteca tem tanto a chance de encontrar personagens bastante desagradáveis como bastante agradáveis em sua saída. É nessa hora que aparece ou quem ele acha que não se parece com ele, e que, no entanto, mostra-se muito semelhante; ou então quem ele admira de uma forma profunda. Ou seja, alguém que ele ache que pode ter algo a ver com ele, porém a realidade demonstra entre eles algo como um abismo natural, uma trincheira superposta que necessita de tempos loucos de guerra e silêncios doidos de paz para ser transposta.

São esses personagens que também travam algum tipo de luta, e que no momento estão numa pausa, num compasso de espera. Abandonaram para, quem sabe depois, conquistar, quem sabe uma ideia, um poder, um conhecimento, ou mesmo uma ideia de poder que acariciam dobrando o corpo sobre si, e na saída a sustém com o corpo ereto, a fala dúbia, professoral, potencialmente opressora ou protetora dos pequenos. E se existisse uma fotografia desse último estudante abandonando o seu posto de trabalho? Como ela seria? Colorida? Refletida na noite? Apagada na noite ou com uma chama discreta alojada no crânio? De certeza, não seria ela capa ou primeira página de jornalismo algum, de coisa alguma de destaque; antes, um acontecimento totalmente imerso e obscurecido no tempo (escuro e qualquer). A ninguém interessa um estudante (e, ainda bem?) – que assim seja.

Olhos bem abertos, o soldado da fotografia porta um fardamento com acessórios pesados. E o estudante, quanto é ele carregado? Uma canga de livros e computadores, como um burro adejando fardos de boias de sustentação na água lodosa, na piscina incerta do conhecimento. A ponderar a estrutura aflitiva das coisas das quais não tem o devido controle. O estudante, afinal, inventa um incontrolável. Inventa qualquer coisa? Ou assim acha? Inventa, é certo, uma massa de manobra conveniente e necessária para continuar perseverando em sua manifestação ficcional documentada em análise dos fatos.

Na composição analítica, quem sabe inverdades sejam ditas, haja mais abuso utilizado do que uso útil acrescido, mas dobram os sinos das melhores intenções. Dobram, diariamente, às vezes com mais força eles são ouvidos, outras vezes com um ressonar menor, talvez mais brando, talvez mais diluído. Enquanto isso, em sua retirada, o soldado americano, fecha as porteiras invisíveis da ocupação. Desocupa para não mais voltar, ao menos disso não tem mais a intenção. O estudante, este, tem a esperança, e o dever, de sempre voltar, a este trabalho invisível que não cessa nem enseja término.

Há um sentimento interno de pertencimento, de se estar fazendo algo necessário e produtivo, para si, para a pátria ou para a humanidade, tanto neste estudante, tanto naquele soldado? O último estudante sai, e não encontra lugar onde pousar a sua mente no mundo. E então, fica em suspenso, tal como estaria o último soldado, que finalizou a sua missão, abandonou o seu posto, deixou para trás ruínas, toneladas de lixo militar a serem ainda considerados os seus efeitos? E o trabalho, afinal, foi pela metade ou a missão foi completada? Diz ele aos seus soldados, “Um trabalho bem-feito, estou orgulhoso de todos vocês”, quando entrou no último C-17 a partir. E ao estudante solitário, há mensagens de encorajamento e consideração?

Haveria dúvidas no soldado? Ou mais fácil obedecer a ordens superiores, tomar decisões em conjunto, e assim que tipos de adeuses advém de ordens, que tipos de adormecimento de consciências sobrevêm de decisões íntimas do livre-arbítrio? E a questão é: adiantou de algo ser o último? Adiantou a jornada? De que forma foram favorecidos na história os últimos, se o favorecimento implica em subcategorizar o outro? Talvez fosse melhor que o último fosse aquele com a oportunidade de observar as grandes ruínas, melhor podendo ver o todo? - mesmo, ser o escombro.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 17/2/2022


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O 4 (e os quatro) do Los Hermanos de Julio Daio Borges


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2022
01. O último estudante-soldado na rota Lisboa-Cabul - 17/2/2022
02. Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça... - 3/3/2022
03. Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara - 7/4/2022
04. Sexo, cinema-verdade e Pasolini - 2/6/2022
05. Retrato arredio de cavalo - 10/2/2022


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Mensagens para a Vida Diária
Norman Vincent Peale
cultrix
(1955)



Rainhas da Antiguidade
Dirce Lorimier Fernandes
Letraselvagem
(2014)



Livro - While My Eyes Were Closed - Dare You Close Your Eyes For Even a Few
Linda Green
Quercus
(2016)



Intercambio. Coisas Que Todo Jovem Precisa Saber
Joao Marcelo de Melo Teles
Melhoramentos
(2001)



O Rato da Sacristia
Cláudio Martins; Lêdo Ivo
Global
(2000)



Amor é Prosa Sexo é Poesia - Crônicas Afetivas
Arnaldo Jabor
objetiva
(2004)



O Livro dos Espíritos
Allan Kardec
Ide
(2009)



Don Quijote de La Mancha - Clasicos a Medida
Miguel de Cervantes Saavedra
Anaya
(2008)



Representação e Complexidade
Org Cândido Mendes
garamond
(2003)



Um Caldeirão Chamado 1964 - Depoimento de um Revolucionário
Aristóteles Drummond
Resistência Cultural
(2012)





busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês