Promessas | Bruno Garschagen | Digestivo Cultural

busca | avançada
70522 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Shopping Granja Vianna de portas abertas
>>> Teatro do Incêndio lança Ave, Bixiga! com chamamento público para grupos artistas e crianças
>>> Amantes do vinho celebram o Dia Mundial do Malbec
>>> Guerreiros e Guerreiras do Mundo pelas histórias narradas por Daniela Landin
>>> Conheça Incêndio no Museu. Nova obra infantil da autora Isa Colli fala sobre união e resgate cultura
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
>>> O zunido
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> Hells Angels
>>> Entre criaturas, amar?
>>> Chris Hedges não acredita nos ateus
>>> Semana de 22 e Modernismo: um fracasso nacional
>>> O cérebro criativo
>>> The Devil Put Dinosaurs Here, do Alice in Chains
>>> Da Teoria para a Práxis
>>> Quem ri por último, ri melhor?
>>> A princesa insípida e o caçador
Mais Recentes
>>> Dominando 3Ds Max 6 de Ted Boardman pela Ciencia Moderna (2004)
>>> Smashing Jquery de Jake Rutter pela Bookman (2012)
>>> Photoshop - Photoshop Para Quem Nao Sabe Nada De Photoshop Vol. 2 de Paula Budris pela Atica (2021)
>>> Vinte Anos e Um Dia de Jorge Semprún pela Companhia das Letras (2004)
>>> O longo amanhecer: reflexões sobre a formação do Brasil de Celso Furtado pela Paz e Terra (1999)
>>> O homem, que é ele? de Battista Mondin pela Paulus (2011)
>>> O Anjo Digital de Joubert Raphaelian pela Mensagem para todos (2004)
>>> Pânico no Pacífico de Pronto pela Autêntica (2014)
>>> História & Fotografia de Maria Eliza Linhares Borges pela Autêntica (2007)
>>> Alfabetizar Letrando na Eja de Telma Ferraz Leal, Artur Gomes de Morais pela Autêntica (2010)
>>> Cronistas Em Viagem e Educação Indígena de Nietta Lindenberg Monte pela Autêntica (2008)
>>> Mil Coisas Podem Acontecer de Jacobo Fernández Serrano pela Autêntica (2012)
>>> Passageiro Clandestino de Leonor Xavier pela Autêntica (2015)
>>> Rua do Odéon de Adrienne Monnier pela Autêntica (2017)
>>> Zz7--48--o ultimo tentaculo-2--394--perto da babilonia--11--os carrascos do vietna--162--operaçao impacto. de Lou carrigan pela Monterrey
>>> Para Todos os Amores Errados de Clarissa Corrêa pela Gutenberg (2012)
>>> A relíquia de Eça de Queirós pela Principis (2019)
>>> Antologia poetica de fernando pessoa de Walmir ayala pela Ediouro
>>> Sermões de Padre Antônio Vieira pela Principis (2019)
>>> Minha Paris de Gail Scott pela Autêntica (2014)
>>> Uma longa Jornada de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2013)
>>> O Ciclista de Walter Moreira Santos pela Autêntica (2008)
>>> Dark Eden de Patrick Carman pela Gutenberg (2012)
>>> A primeira vista de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> Querido John - de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2010)
COLUNAS

Segunda-feira, 22/10/2001
Promessas
Bruno Garschagen

+ de 2000 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Vou me tornar cristão; vou ler a Bíblia com regularidade e sem questionamentos; me tornarei leitor de Paulo Coelho; passarei a ouvir pagode; olharei o funcionário público com condolência; acreditarei piamente que o Poder Judiciário promove a justiça; deixarei de criticar os professores; nunca mais recusarei cafezinho ralo oferecido por entrevistados; nunca mais rogarei praga nas imensas filas do Banestes (Banco do Estado do Espírito Santo); evitarei comentários maldosos ao ler textos que contenham “o mesmo” ao se referir a algo que o antecede; conterei minha revolta com reportagens mal-escritas, mal-apuradas e notinhas com indiretas insidiosas e rasas.

Me esquivarei de debates com feministas (machos mal-acabados, para Nelson Rodrigues), machistas (machos muito mal-acabados) e crentes (os que acreditam na ocorrência do improvável); não mais condenarei a barbárie, já institucionalizada nas relações humanas; deixarei de acreditar que um bárbaro nasce bárbaro e não tem conserto; deixarei de rir daqueles que acham meu texto difícil; conterei a indignação com o racismo explícito de alguns negros e do disfarçado da maioria dos brancos (sic); conterei o riso ao ouvir político falar “pôbrema”; disfarçarei a decepção com jornalistas massacrando o “este é o objetivo...” e “essa questão é...”; não mais desejarei a morte por enforcamento de Bill Gates quando meu windows “travar”; deixarei de explicar a colegas que estereótipo é uma forma desafortunada de colocar sob as sombras o que se desconhece e ridicularizar o que não se compreende; não mais escolherei amigos com tanto rigor; forjarei meus textos como se fossem redações de primeiro dia de aula (contrariando Fabrício Campos); nunca mais farei citações, no intuito de dividir conhecimento com o leitor; disfarçarei meu desgosto com presentes que parecem ter sido feitos para causar esse tipo de reação; nunca mais darei minha opinião sincera quando pedirem minha avaliação sobre algum texto.

Sim, meus caros, prometo cumprir todos os itens da lista quando descobrirem cientifica e irrefutavelmente quem surgiu primeiro, o ovo ou a galinha.

O modess intelectual
A inteligência do homem reside mais no fato dele absorver criticamente o impacto de certas mudanças do que revidar cega e agressivamente um ataque às suas crenças mais infantis. Sartre, numa entrevista que assisti na Rede Brasil, admitiu que as manifestações em Paris, no “maio de 68”, fizeram-no questionar sua posição de professor (uma das reivindicações era a melhoria do ensino) e de pensador. “Se havia uma insatisfação era porque algo estava errado; que os professores haviam se distanciado de seus alunos”, disse o filósofo francês, mais ou menos com essas palavras. O fato ampliou o foco de observação de Sartre — apesar de seu olho de caranguejo — ao invés de podá-lo, como ocorre com grande parte dos nossos queridos jardineiros do conhecimento.

O homem médio, por exemplo, passa a maior parte do tempo falando bobagens sobre assuntos que desconhece e conhecendo bobagens que faz questão de nada dizer. É um mecanismo de defesa completamente lícito, para não cair no ridículo entre seus amigos não menos desafortunados intelectualmente.

Mas a ignorância não é privilégio dos ignorantes. Tenho lido muita gente boa ser sugada pelo buraco negro do lugar-comum ao analisar os atentados aos EUA. Por isso é que eu fujo sem o menor pudor toda vez que um conhecido vem pedir uma opinião sobre o assunto. Como vou falar alguma coisa sem conhecer a história dos povos do Oriente Médio, da relação dos EUA com aqueles países, do porquê desse ódio deslavado dos povos árabes pelos norte-americanos? Além do que, nada mais pode ser dito sobre o assunto depois do que disseram em entrevistas Noam Chomsky e Eric Hobsbawn. Só se fossem vivos os jornalistas H. L. Mencken (1880-1956) e Edmund Wilson (1895-1972). Daria o mundo para saber o que eles teriam a dizer.

Neste inicio de século, nós viramos peneira pela quantidade de bombardeio de diversos meios. O da informação é o mais assustador, segundo a reação mais comum. Mas a quantidade de informação atual só nos faz ter certeza de que ela nos é absolutamente dispensável. Aliás, para não ter um colapso nervoso, o melhor é se abster dessa avalanche encabeçada pela dona mass media. Senão, a absorção do impacto será tão eficaz quanto a das gêmeas do World Trade Center no episódio dos aviões desgovernados. E, acredite, meu caro: há vida inteligente fora das colunas sociais.

Lecture
Terminei de ler “Edmund Wilson, uma biografia” (Civilização Brasileira, 682 páginas), escrita pelo também jornalista Jeffrey Meyers. Wilson foi o mais destacado e erudito jornalista literário dos EUA (talvez do mundo) entre as décadas de 1920 e 1960. É o que podemos chamar de personalidade hiperbólica. Exagerou em tudo: escreveu maravilhosamente bem, bebeu como uma destilaria de álcool, fornicou à vontade, tornou-se poliglota e brigou com muita gente. Fascinante.

Quid est est
Não sei quanto a você leitor, mas sobre determinados assuntos prometi nada dizer após a morte que já não tenha dito em vida. Como Montaigne.


Bruno Garschagen
Cachoeiro de Itapemirim, 22/10/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Radiohead e sua piscina em forma de lua de Luís Fernando Amâncio
02. A literatura de Marcelo Mirisola não tem cura de Jardel Dias Cavalcanti
03. 'A Imaginação Liberal', de Lionel Trilling de Celso A. Uequed Pitol
04. Ruy Proença: poesia em zona de confronto de Jardel Dias Cavalcanti
05. A metade da vida de Guilherme Pontes Coelho


Mais Bruno Garschagen
Mais Acessadas de Bruno Garschagen
01. Curriculum vitae - 15/11/1975
02. O romance da desilusão - 6/8/2002
03. Eu quero é rosetar - 12/2/2002
04. Niilismo e iconoclastia em Thomas Bernhard - 26/2/2002
05. Anauê - 21/5/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
22/10/2001
00h00min
Depois de ser obrigado a ler porcarias como Veja,Isto é, Época,salvo Carta Capital seu texto é muilto bem vindo.Obrigado pela dica Edmund Wilson.Vou correndo comprar. Um abraço
[Leia outros Comentários de heraldo Vasconcellos]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Metodologia das Ciencias Naturais - 4ª Edição
Geraldo Sampaio de Souza
Conquista
(1961)



The Barftastic Life of Louie Burger
Jenny Meyerhoff
Do Autor
(2013)



Crônicas Científicas
Anna Veronica Mautner
Escuta
(1994)



The Ambassadors Story: the United States and the Vatican in Worl
Thomas Patrick Melady
Our Sunday Visitor
(1994)



El Espiritu En El átomo: una Discusión Sore los Misterios de La Física
P. C. W. Davies - J. R. Brown
Alianza
(1989)



Carlos Gardel para Todos
Augusto Fernandez Capa Dura
Ediciones Porteñas
(1996)



Loteamentos e Condomínios Tomo I (2ª Edição)
Wilson de Souza Batalha (capa Dura)
Freitas Bastos (rj)
(1959)



As Duas Guerreiras
Troisi
Rocco
(2009)



A Vida e o Sagrado - 9º Ano
Coleção a Vida e o Sagrado
A Vida é Mais
(2012)



Pediatria Volume 2 Crescimento e Desenvolvimento
Med Curso
Med Curso
(2012)





busca | avançada
70522 visitas/dia
2,6 milhões/mês