A preparação de um romance | Débora Costa e Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
33925 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Namíbia, Não! curtíssima temporada no Sesc Bom Retiro
>>> Ceumar no Sesc Bom Retiro
>>> Mestrinho no Sesc Bom Retiro
>>> Edições Sesc promove bate-papo com Willi Bolle sobre o livro Boca do Amazonas no Sesc Pinheiros
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> A moça do cachorro da casa ao lado
>>> A relação entre Barbie e Stanley Kubrick
>>> Um canhão? Ou é meu coração? Casablanca 80 anos
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
>>> Estrada do tempo
>>> A culpa é dele
>>> Nosotros
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 100 homens que mudaram a História do Mundo
>>> Entrevista com Ruy Castro
>>> Um conto-resenha anacrônico
>>> Um parque de diversões na cabeça
>>> Rindo de nossa própria miséria
>>> História da leitura (V): o livro na Era Digital
>>> Duas crises: a nossa e a deles
>>> As pessoas estão revoltadas
>>> Eu sou fiscal do Sarney
>>> Vamos sentir saudades
Mais Recentes
>>> Curso de Direito Natural de Luís Taparelli D'Azeglio, Sj;Nicolau Rosseti pela Anchieta (1945)
>>> Tiro no coração de Mikal Gilmore pela Companhia das Letras (1996)
>>> A Crise Do CapitalismoA de A Crise Do Capitalismo pela A Crise Do Capitalismo (1999)
>>> Histórias de Fadas de Oscar Wilde pela Saraiva (2015)
>>> Eu, Robô de Isaac Asimov pela Ediouro (2004)
>>> Gramatica de la lengua espantola de Emilio Alarcos Llorach pela Espasa (2015)
>>> A costureira de Dachau de Mary Chamberlain pela HarperCollins (2014)
>>> Grande Sertão. Veredas de Guimarães Rosa pela Nova Fronteira (2010)
>>> The India-Rubber Men de Edgar Wallace pela London hodder & stoughton limited (1940)
>>> Flash Mx Com Actionscript - Orientado A Objetos de Francisco Tarcizo B. Junior pela Érica (2002)
>>> Destros e canhotos de José Quadros Franca pela Melhoramentos (1969)
>>> História da riqueza do homem de Leo Huberman pela Zahar (1971)
>>> Sentimentos Modernos de Maria Angela D'incao pela Brasiliense (1996)
>>> A Criança Saudável de Wilhelm Zur Linden pela Brasiliense (1977)
>>> A Mae Do Freud de Luis Fernando Veríssimo pela L&pm (1987)
>>> Irritacao - O Fogo Destruidor de Torkom Saraydarian pela Aquariana (1991)
>>> Boa Noite Punpun de Inio Asano pela JBc (2019)
>>> Biblioteca Desafios Matemáticos - 7 volumes de Vários Autores pela RBA / Editec (2023)
>>> Mude a sua Mente e Transforme a sua Vida de Gerald G. Jampolsky e Diane V. Cirincione pela Cultrix (1999)
>>> Uns e Outros: Contos Espelhados - Tag de Helena Terra e Luiz Ruffato pela Tag / Dublinense (2017)
>>> A Metafísica do Cinema de Robert Bresson de Carlos Frederico Gurgel Calvet da Silveira pela Batel (2011)
>>> Violencia Política en el Siglo XXI de Adalberto C. Agozino pela Dosyuna (2011)
>>> Religiões e Homossexualidades de Maria das Dores Campos Machado; Fernanda Delvalhas Piccolo (Orgs.) pela Fgv (2010)
>>> Jerusalém de Gonçalo M. Tavares pela Companhia das Letras (2006)
>>> Cinema, Pipoca e Piruá de Sérgio Klein pela Fundamento (2009)
COLUNAS

Quinta-feira, 22/5/2008
A preparação de um romance
Débora Costa e Silva
+ de 8400 Acessos

"Escrever é enterrar fantasmas". Essa frase é a que melhor sintetiza as oficinas e seminários que os alunos do curso de Criação Literária da Academia Internacional de Cinema tiveram com a escritora e filósofa Márcia Tiburi. Entre discussões sobre o que inspira um escritor, origens e estruturas de um romance, metáforas, mitos e até gramática, as aulas trouxeram à tona o valor que tem a escrita para cada um ― o que é fundamental de se ter em mente antes de iniciar um romance, poema ou conto. Perfeito para dar início a um curso de criação literária. Os seminários sobre a preparação do romance dialogaram muito bem com as oficinas de romance, pois os alunos puderam testar na prática as dicas e os conceitos discutidos na aula teórica.

Porém, para Márcia, escrever não se resume a "enterrar fantasmas" apenas. "Todo romance carrega algo de anti-literário. O escritor absorve tanto o mito da própria existência quanto do mito da existência dos outros", afirma. Segundo ela, algo da sua própria história e vivência estará presente em sua escritura. Daí a importância de se entender o porquê se escreve. Para entender o próprio processo criativo, a filósofa sugere que se crie uma metáfora sobre seu próprio processo de escrita. Por exemplo: escrevo como fulano pinta quadros, escrever é como quebrar copos, e por aí vai.

Para Márcia, a matéria-prima de um bom romance é a neurose do escritor, algo que o incomoda, que causa um conflito. Só a partir disso é que se pode "pirar" o suficiente para criar histórias e narrativas interessantes e dar vida ao romance. "Um romance é uma vida considerada livro. Toda vida tem epígrafe, título, preâmbulo, prefácio, notas etc. Quer dizer: ou os têm ou pode tê-los", escreveu Martha Robert no livro Romance das origens, origem dos romances, que fez parte da bibliografia do curso.

Nas oficinas, a idéia era que cada aluno desenvolvesse um projeto de um micro-romance com seis capítulos de apenas uma página cada um. Foi um exercício árduo se limitar a escrever tão pouco para quem entrou no curso idealizando a realização de um romance logo de início. Mas o propósito deste trabalho foi justamente elaborar e digerir melhor as idéias, observar e analisar a linguagem e refletir no sentido do que se escreve. "[Um livro] não pode nascer prematuro. Livro ruim é desses que nascem antes da hora, prepotentes, ansiosos, publicados antes de ficarem um tempo no formol. As pessoas têm uma agonia para publicar e aí dá nisso", observou.

Além do micro-romance, Márcia orientou os alunos do curso a fazerem um diário do romance, ou seja, anotar em um caderninho observações, idéias, impressões e desabafos sobre o processo ― tudo que não entraria no projeto de livro. "Essa experiência de fazer um diário serviu para ajudar a passar a vontade de escrever quando não se sabe como continuar a história e, enquanto isso, ir pensando no que é e o que vai se tornar o romance", contou Fellipe Fernandes, aluno do curso. E o diário também foi útil aos que perderam a "inspiração" para continuar ou mesmo terminar o romance, para não se distanciarem do projeto. "Travar não é ruim, é muito comum, por sinal. O que é ruim é a indisciplina, porque se se vive o romance, pode travar, desviar, mas está ali", explicou Márcia.

Dos exercícios realizados com o foco na criação literária, ainda fizemos um mapa do romance. É um desafio transformar em figuras, símbolos e desenhos uma narrativa que se forma com palavras, algo muito abstrato. Mas a intenção era de fazer com que cada um pensasse em um fio condutor de seu romance para não se perder na criação da história e dos personagens. Márcia, porém, alertou a todos sobre a preocupação com a "moral da história". "Cada um tem seu método: uns preferem escrever com o começo, meio e fim já em mente, outros preferem ir descobrindo o que acontecerá com a história ao longo do processo, mas não se deve escrever pensando em qual será a moral da história que irá contar", opinou.

Muitos ainda não sabem se tendem mais para a prosa, para a poesia, se têm fôlego de romancista ― acho até que a idéia do curso é justamente cada um descobrir isso. Alguns já escrevem há tempos um gênero, outros escrevem um pouco de tudo, mas o que ficou das oficinas e seminário com a Márcia Tiburi foi toda a reflexão sobre a narrativa que se faz necessária para escrever uma história. Ela valoriza o próprio romance. E mais fundamental do que teorizar sobre literatura, é encontrar o seu próprio caminho e estilo para criá-la. Como diz Roland Barthes em A preparação do romance vol. I outro livro indicado por Márcia aos alunos, "(...)se quer escrever, eis, de fato, a própria matéria da escritura, portanto, somente obras literárias dão testemunho do Querer-Escrever ― e não os discursos científicos".


Débora Costa e Silva
São Paulo, 22/5/2008

Mais Débora Costa e Silva
Mais Acessadas de Débora Costa e Silva em 2008
01. Depois do sexo... - 11/9/2008
02. A crítica musical - 10/4/2008
03. Diário de uma desempregada - 1/5/2008
04. A preparação de um romance - 22/5/2008
05. Sex and the City - 19/6/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Livro - Réquiem Caribenho
Brigitte Aubert
Companhia das Letras
(2001)



Macaco
Jeff Stone
Pavio
(2009)



Col Truques & Maquiagem Maquiagem para Festas
Editora Gold
Gold
(2012)



Da "bela Velhice" às "velhinhas de Bengala"
Aline Ribeiro
Letramento



Para Comer Com os Olhos
Renata Santanna
Panda Books
(2011)



Evolução para o Terceirp Milênio
Carlos Toledo Rizzini
Edicel
(1978)



O Sonho das Pedras
Vanderlei Timoteo, Ferruccio
Rhj
(1993)



Catecumenato Crismal - Gente Em Busca de Algo Mais 6ªed(1990)
Lúcio Zorzi
Paulinas
(1990)



Seu Emprego no Futuro - Voce e Esperto, Ágil, Flexível?
Carmen Nascimento
Terceiro Nome
(2006)



Livro - Primeiro de Maio / Livro de Bolso
Carlos Vogt e Outros
Imprensa Oficial
(2009)





busca | avançada
33925 visitas/dia
1,4 milhão/mês