A preparação de um romance | Débora Costa e Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
31 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
>>> Dave Brubeck Quartet 1964
Últimos Posts
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Pedaço da Pizza: novidades depois de uma década
>>> Felipe Neto no Roda Viva
>>> Fabio Gomes
>>> O Menino que Morre, ou: Joe, o Bárbaro
>>> Sou da capital, sou sem-educação
>>> Uma vida bem sucedida?
>>> A morte da Capricho
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Bienal do Livro Bahia
>>> A primeira hq de aventura
Mais Recentes
>>> A interpretação do assassinato de Jed Rubenfeld pela Companhia das Letras (2007)
>>> Os Mistérios da Rosa-cruz de Christopher Mcintosh pela Ibrasa (1987)
>>> Las Glandulas Nuestros Guardianes Invisibles de M. W. Kapp pela Amorc (1958)
>>> Experiências Práticas de Ocultismo para Principiantes de J. H. Brennan pela Ediouro (1986)
>>> As Doutrinas Secretas de Jesus de H. Spencer Lewis pela Amorc (1988)
>>> Amigos Secretos de Anamaria Machado pela Ática (2021)
>>> A Vós Confio de Charles Vega Parucker pela Amorc (1990)
>>> O Segredo das Centúrias de Nostradamus pela Três (1973)
>>> Para Passar em Concursos Jurídicos - Questões Objetivas com Gabarito de Elpídio Donizetti pela Lumem Juris (2009)
>>> Dicionário espanhol + Bônus: vocabulário prático de viagem de Melhoramentos pela Melbooks (2007)
>>> Memorias De Um Sargento De Milicias de Manuel Antônio de Almeida pela Ática (2010)
>>> Turma da Mônica Jovem: Escolha Profissional de Maurício de souza pela Melhoramentos (2012)
>>> Xógum Volume 1 e 2 de James Clavell pela Círculo do Livro
>>> Viva à Sua Própria Maneira de Osho pela Academia
>>> Virtudes - Excelência Em Qualidade na Vida de Paulo Gilberto P. Costa pela Aliança
>>> Vida sem Meu Filho Querido de Vitor Henrique pela Vitor Henrique
>>> Vida Nossa Vida de Francisco Cândido Xavier pela Geem
>>> Vida Depois da Vida de Dr. Raymond e Moody Jr pela Circulo do Livro
>>> Vícios do Produto e do Serviço por Qualidade, Quantidade e Insegurança de Paulo Jorge Scartezzini Guimarães pela Revista dos Tribunais
>>> Viagem na Irrealidade Cotidiana de Umberto Eco pela Nova Fronteira
>>> Uma Só Vez na Vida de Danielle Steel pela Record (1982)
>>> Uma Família Feliz de Durval Ciamponi pela Feesp
>>> Um Roqueiro no Além de Nelson Moraes pela Speedart
>>> Um Relato para a História - Brasil: Nunca Mais de Prefácio de D. Paulo Evaristo pela Vozes
>>> Um Longo Amor de Pearl S Buck pela Circulo do Livro
COLUNAS

Quinta-feira, 22/5/2008
A preparação de um romance
Débora Costa e Silva

+ de 8000 Acessos

"Escrever é enterrar fantasmas". Essa frase é a que melhor sintetiza as oficinas e seminários que os alunos do curso de Criação Literária da Academia Internacional de Cinema tiveram com a escritora e filósofa Márcia Tiburi. Entre discussões sobre o que inspira um escritor, origens e estruturas de um romance, metáforas, mitos e até gramática, as aulas trouxeram à tona o valor que tem a escrita para cada um ― o que é fundamental de se ter em mente antes de iniciar um romance, poema ou conto. Perfeito para dar início a um curso de criação literária. Os seminários sobre a preparação do romance dialogaram muito bem com as oficinas de romance, pois os alunos puderam testar na prática as dicas e os conceitos discutidos na aula teórica.

Porém, para Márcia, escrever não se resume a "enterrar fantasmas" apenas. "Todo romance carrega algo de anti-literário. O escritor absorve tanto o mito da própria existência quanto do mito da existência dos outros", afirma. Segundo ela, algo da sua própria história e vivência estará presente em sua escritura. Daí a importância de se entender o porquê se escreve. Para entender o próprio processo criativo, a filósofa sugere que se crie uma metáfora sobre seu próprio processo de escrita. Por exemplo: escrevo como fulano pinta quadros, escrever é como quebrar copos, e por aí vai.

Para Márcia, a matéria-prima de um bom romance é a neurose do escritor, algo que o incomoda, que causa um conflito. Só a partir disso é que se pode "pirar" o suficiente para criar histórias e narrativas interessantes e dar vida ao romance. "Um romance é uma vida considerada livro. Toda vida tem epígrafe, título, preâmbulo, prefácio, notas etc. Quer dizer: ou os têm ou pode tê-los", escreveu Martha Robert no livro Romance das origens, origem dos romances, que fez parte da bibliografia do curso.

Nas oficinas, a idéia era que cada aluno desenvolvesse um projeto de um micro-romance com seis capítulos de apenas uma página cada um. Foi um exercício árduo se limitar a escrever tão pouco para quem entrou no curso idealizando a realização de um romance logo de início. Mas o propósito deste trabalho foi justamente elaborar e digerir melhor as idéias, observar e analisar a linguagem e refletir no sentido do que se escreve. "[Um livro] não pode nascer prematuro. Livro ruim é desses que nascem antes da hora, prepotentes, ansiosos, publicados antes de ficarem um tempo no formol. As pessoas têm uma agonia para publicar e aí dá nisso", observou.

Além do micro-romance, Márcia orientou os alunos do curso a fazerem um diário do romance, ou seja, anotar em um caderninho observações, idéias, impressões e desabafos sobre o processo ― tudo que não entraria no projeto de livro. "Essa experiência de fazer um diário serviu para ajudar a passar a vontade de escrever quando não se sabe como continuar a história e, enquanto isso, ir pensando no que é e o que vai se tornar o romance", contou Fellipe Fernandes, aluno do curso. E o diário também foi útil aos que perderam a "inspiração" para continuar ou mesmo terminar o romance, para não se distanciarem do projeto. "Travar não é ruim, é muito comum, por sinal. O que é ruim é a indisciplina, porque se se vive o romance, pode travar, desviar, mas está ali", explicou Márcia.

Dos exercícios realizados com o foco na criação literária, ainda fizemos um mapa do romance. É um desafio transformar em figuras, símbolos e desenhos uma narrativa que se forma com palavras, algo muito abstrato. Mas a intenção era de fazer com que cada um pensasse em um fio condutor de seu romance para não se perder na criação da história e dos personagens. Márcia, porém, alertou a todos sobre a preocupação com a "moral da história". "Cada um tem seu método: uns preferem escrever com o começo, meio e fim já em mente, outros preferem ir descobrindo o que acontecerá com a história ao longo do processo, mas não se deve escrever pensando em qual será a moral da história que irá contar", opinou.

Muitos ainda não sabem se tendem mais para a prosa, para a poesia, se têm fôlego de romancista ― acho até que a idéia do curso é justamente cada um descobrir isso. Alguns já escrevem há tempos um gênero, outros escrevem um pouco de tudo, mas o que ficou das oficinas e seminário com a Márcia Tiburi foi toda a reflexão sobre a narrativa que se faz necessária para escrever uma história. Ela valoriza o próprio romance. E mais fundamental do que teorizar sobre literatura, é encontrar o seu próprio caminho e estilo para criá-la. Como diz Roland Barthes em A preparação do romance vol. I outro livro indicado por Márcia aos alunos, "(...)se quer escrever, eis, de fato, a própria matéria da escritura, portanto, somente obras literárias dão testemunho do Querer-Escrever ― e não os discursos científicos".


Débora Costa e Silva
São Paulo, 22/5/2008


Mais Débora Costa e Silva
Mais Acessadas de Débora Costa e Silva em 2008
01. Depois do sexo... - 11/9/2008
02. A crítica musical - 10/4/2008
03. Diário de uma desempregada - 1/5/2008
04. A preparação de um romance - 22/5/2008
05. Sex and the City - 19/6/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Escutando Sentimentos - 1ª Edição
Wanderley Oliveira & Ermance Dufaux
Dufaux
(2006)



Ricardo iii
William Shakespeare; Luiz Antônio Aguiar
L&pm Editores
(2007)



Pecados Sagrados
Nora Roberts
Bertrand Brasil
(2009)



A Horripilante História da Morte
Clive Gifford
Matrix
(2013)



Prólogos - Com um Prólogo dos Prólogos
Jorge Luis Borges
Rocco
(1985)



79 Park Avenue
Harold Robbins
Record
(1955)



Ainda Existe Esperança. a Solução para os Problemas da Vida
Enrique Chaij
Casa
(2010)



Sistema Gastroenterologico
Guia Didatico
Peprazol



Manual de Fisica
Dcl
Dcl
(2007)



Reparando Erros de Vidas Passadas
Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho
Petit
(2004)





busca | avançada
31 visitas/dia
2,2 milhões/mês