Um noir cubano | Luiz Rebinski Junior | Digestivo Cultural

busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 5/11/2008
Um noir cubano
Luiz Rebinski Junior

+ de 2800 Acessos

Depois de cinco livros publicados no Brasil, o escritor Pedro Juan Gutiérrez se distancia da literatura autobiográfica que, desde sua estréia por aqui, lhe valeu insistentes comparações com os escritores norte-americanos Henry Miller e Charles Bukowski. É o que fica claro em Nosso GG em Havana (Alfaguara, 2008, 128 págs.), livro em que o relato em primeira pessoa dá lugar a uma história de espionagem que remete, conforme sugere o título, à literatura do britânico Graham Greene, em especial a Nosso Homem em Havana, um dos clássicos de sua bibliografia.

Porém, apesar de se arriscar em um gênero até então inédito em sua trajetória, o escritor cubano não se desvencilha da fórmula literária que o tornou famoso, baseada numa escrita ligeira, que privilegia frases curtas, e que fala, essencialmente, de sexo e do difícil cotidiano dos habitantes de Cuba. E, por incrível que pareça, é exatamente aí que o escritor perde a mão. Ao optar por um gênero em que a engenhosidade narrativa é fundamental, Pedro Juan não consegue se descolar do tom jornalístico, com toques de crônica social, de livros como Trilogia suja de Havana e O Rei de Havana, seus melhores trabalhos.

No seu texto policial, Pedro Juan situa a história nos anos 1950, pré-Revolução Cubana. Apesar desse contexto histórico, o escritor naufraga na tentativa de recriar a atmosfera de uma Cuba que, infestada de cassinos e endinheirados, certamente se diferenciava da ilha de hoje. Misturando fatos reais da vida de Graham Greene ― que trabalhou para o serviço secreto inglês e foi jornalista ― a passagens de Nosso Homem em Havana ― alguns personagens são os mesmos ―, o escritor começa bem seu romance ao apresentar uma história que surpreende de início, mas que depois perde o fôlego.

Tudo se desenrola quando um homem chamado George Greene se faz passar, a princípio sem intenção, pelo escritor Graham Greene em um hotel de Havana. Ao se envolver em um assassinato, o farsante é preso, o que obriga o verdadeiro Greene a deixar sua casa na ilha de Capri, com o manuscrito de O americano tranqüilo debaixo do braço, e voar para Cuba. Ao tentar resolver o mal-entendido, GG é envolvido em uma trama internacional, que tem como personagens agentes do FBI, espiãs da KGB, gângsteres cubanos, caçadores de nazistas, prostitutas e travestis. Praticamente a mesma fauna contida na trama de Nosso Homem em Havana. O personagem Graham Greene é então assediado por esses diferentes grupos, todos interessados na visibilidade que suas causas podem alcançar por meio dos livros do escritor. Tal interesse colocará Greene em situações bastante delicadas. São as melhores passagens do livro, em que o autor consegue instigar o suspense, afastando-se do relato testemunhal e jornalístico de suas narrativas curtas.

"Nós temos a lista completa dos nazistas que moram em Havana e em toda a América. Bem, serei humilde: a lista quase completa. E começamos a executá-los. A senhora é a segunda. E não há apelação. Olho por olho, dente por dente. A mulher fechou os olhos com força porque o homem de guaiabeira levantou rapidamente a pistola, colocou-a a dez centímetros de sua têmpora e disparou. A cabeça estremeceu e se abateu. O golpe surdo do tiro. Uma pequena mancha de sangue cobriu o pescoço da mulher, escorreu e manchou seu roupão de renda. A bala não saiu do outro lado da cabeça. Ficou incrustrada no cérebro. GG ficou em silêncio", diz um dos trechos em que Graham é obrigado a presenciar um assassinato dos caçadores de nazistas.

O final em aberto, no entanto, esfria a trama, quando deveria ter efeito contrário. Se nos seus contos o final da história é apenas detalhe, neste caso não deveria ser. O fecho com GG simplesmente voltando para casa após escapar de mais uma situação perigosa evidencia a falta de fôlego do autor para um final mais condizente com uma novela noir. Se o livro começou com uma boa idéia, terminou com uma melancólica falta de criatividade, em que o autor não soube dar cabo ao argumento interessante que criou.

Visivelmente desconfortável com a nova empreitada, Pedro Juan Gutiérrez não conseguiu reproduzir em Nosso GG em Havana o mesmo tom seco, ferino e impiedoso de seus contos. O melhor de sua literatura reside na crônica crua do cotidiano de um lugar ao mesmo tempo fascinante e cruel. A forma sucinta e certeira de seus relatos, em que a simples aquisição de um sabonete em Cuba ganha contornos épicos, deu corpo a uma literatura vibrante, calcada no jornalismo, mas também inspirada na prosa de Hemingway. E foi assim que, mesmo fazendo questão de se mostrar apolítico com relação ao que se vive em Cuba, Pedro Juan Gutiérrez se tornou um cronista independente, que mostra as privações, tristezas e alegrias do povo cubano sem levantar bandeiras. É como se a literatura lhe fornecesse a isenção que o jornalismo sempre procura, mas quase nunca encontra, para falar, indiretamente, de um assunto que desperta amor e ódio. Seu objetivo é narrar e, o do leitor, interpretar da maneira que quiser. Assim, sutilmente, entre uma transa e outra, nas entrelinhas, o escritor passa o recado. A atmosfera cubana, com seus casarões em ruínas e mulatas esculturais, ganha forma, cores e cheiros na prosa cinematográfica do autor. É aí que o escritor revela o que tem de melhor. Em Nosso GG em Havana essa força literária se perde na tentativa frustrada de criar uma trama à altura dos melhores trabalhos de Graham Greene, um dos mestres do suspense policial.

O texto de orelha de Nosso GG em Havana diz que o livro representa uma nova fase na carreira do escritor. Prefiro acreditar que a novela é apenas um livro de transição, em que Pedro Juan Gutiérrez ganha fôlego para ser novamente o rei de Havana.

Para ir além






Luiz Rebinski Junior
Curitiba, 5/11/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Paris branca de neve de Renato Alessandro dos Santos
02. As Lavadeiras, duas pinturas de Elias Layon de Jardel Dias Cavalcanti
03. Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia de Renato Alessandro dos Santos
04. Apontamentos de inverno de Elisa Andrade Buzzo
05. Essas moças de mil bocas de Elisa Andrade Buzzo


Mais Luiz Rebinski Junior
Mais Acessadas de Luiz Rebinski Junior em 2008
01. O jornalismo cultural no Brasil - 2/1/2008
02. Bukowski e as boas histórias - 15/10/2008
03. Despindo o Sargento Pimenta - 16/7/2008
04. O óbvio ululante da crônica esportiva - 27/8/2008
05. Dobradinha pernambucana - 23/1/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ADORÁVEL HEROÍNA
MICHAEL HINGSON; SUSY FLORY; MAURICIO TAMBONI
UNIVERSO DOS LIVROS
(2012)
R$ 15,00



SOBRE A CHINA
HENRY KISSINGER
OBJETIVA
(2011)
R$ 50,00



AS ORIGENS DA CANÇÃO URBANA
JOSÉ RAMOS TINHORÃO
34
(2011)
R$ 41,90



O HOLANDÊS
ANA BANDEIRA DE CARVALHO
DO AUTOR (RJ)
(2008)
R$ 16,82



METAL SEM HÚMUS
DÉRCIO BRAÚNA
7 LETRAS
(2006)
R$ 9,80



CINCO CONVERSAS COM ALVARO CUNHAL
ALVARO CUNHAL
CAMPO DAS LETRAS
(1999)
R$ 43,70



PSICOFÁRMACOS: CONSULTA RÁPIDA
ARISTIDES VOLPATO CORDIOLI
ARTES MEDICAS
(1997)
R$ 35,00



DETALLES GRÁFICOS PARA ARQUITECTOS
CARL KEMMERICH
GUSTAVO GILLI
(1997)
R$ 45,00



UPPS, DIREITOS E JUSTIÇA
FABIANA LUCI
FGV
(2012)
R$ 24,90



RETRATO DE FAMÍLIA
ADELINA CLARA HESS DE SOUZA
NOVA LETRA
(2010)
R$ 10,00





busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês