Meu eu escritora | Taís Kerche | Digestivo Cultural

busca | avançada
30196 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Como se escreve

Quinta-feira, 30/7/2009
Meu eu escritora
Taís Kerche

+ de 3900 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Eis aqui um exercício de metalinguagem. Escrever sobre o ato de escrever. O meu ato de escrever. Tão particular e tão íntimo. Pura introspecção cheia de prazer. O Word aberto, uma tela branca e os dedos no teclado. Tudo parece quieto, mas, na realidade, a mente está a mil por hora, procurando um começo, um meio e um fim. Coesões e coerências. De preferência em períodos curtos, leves, sonoros. Adjetivos, substantivos, vírgulas, sujeitos, conjugações verbais. Tudo isso pensado automaticamente, rapidamente, artisticamente.

Mas nada se inicia sem os fones de ouvido que reproduzam alguma música estimulante, que combine com o astral do dia ou com o tema do texto. Sem eles não há jeito de encontrar o ritmo da escrita. Da música clássica, passando pela bossa nova, chegando num chorinho e, uma vez ou outra, até um rock, para estimular algum lado meu um pouco mais agressivo. Só depois de colocados é que a mente se liberta para dedilhar no teclado as primeiras frases das primeiras ideias que vão surgindo aos poucos. Sinto que a música tem o poder de isolar a minha mente do mundo externo. E o mundo das ideias vai ganhando espaço no mundo das letras.

Mas, antes de colocar os fones, leio alguns textos. Na realidade, alguns trechos de textos. Principalmente dos meus. Este ato é uma forma de me reencontrar com o meu eu escritora. Afinal, desenvolvemos muitos "eus" nessa vida, e o escritora acaba perdido em algum canto, deixado de lado por alguns dias ou às vezes horas e, dependendo da fase, por meses. Ao reler meus textos, acabo o achando, o tiro do canto e o coloco na ativa, intensamente, mesmo que esteja em um dia preguiço ou em outro mais ansioso. O importante é tirá-lo da inércia.

Também procuro ler alguns trechos de outros escritores a fim de buscar inspiração. Ao observar outros tipos de escrita, outras maneiras de abordagem de temas, acabo me entusiasmando com as possibilidades criativas e tento colocar a minha em prática. Não tenho nenhum escritor obrigatório, prefiro os cronistas e colunistas. Simpatizo com textos que abordem temas do cotidiano com uma linguagem leve e despretensiosa. Que me inspirem a olhar para o meu dia a dia e ver nele prosa e poesia. E assim tentar colocar um pouco de literatura nos meus textos.

São tópicos de parágrafos, desenvolvimentos, releituras diversas. E o texto vai surgindo na tela do computador. Não me imagino escrevendo numa máquina, como faziam antigamente. E olha que esse antigamente não é tão antigamente assim. Num parágrafo só, são tantas as mudanças, tantos os períodos feitos e desfeitos, tantas as ideias rejeitadas, outras aceitas e lapidadas que eu gastaria algumas centenas de celulose para escrever os caracteres exigidos para uma coluna. O texto se desgastaria em minha mente de tanto relê-lo. Acúmulo de lixo, gasto de fitas, dedos cansados. Tudo isso e texto nenhum. Vitoriosos são os escritores que a tinham como único recurso.

Hoje, basta um backspace, uma mudança de cursor ou um selecionar e deletar que tudo pode ser rearranjado, reescrito, repensado. Parágrafos mudam de lugar sem problema algum. Adjetivos surgem e desaparecem num piscar de olhos. E ao mesmo tempo em que me encanto com as facilidades, penso em como serão as exposições literárias daqui a algum tempo. Que tipo de museu teremos? Vira e mexe vamos a lugares onde estão expostos manuscritos de Guimarães Rosa, Machado de Assis, Clarice Lispector e outros. Rasuras, recortes, rearranjos textuais são identificados e com eles a possibilidade de tentar imaginar como era o raciocínio daquele escritor. As ricas edições e apontamentos de cada um. Os escritores pós-Windows não terão isso, talvez só aqueles mais conservadores. Pelo pouco que sei de informática, os computadores não deixam resquícios e neles editamos o tempo todo e deletamos tudo se for preciso.

Dessa forma, sou editora de mim mesma. Um dos meus hábitos é deixar o texto descansar por um ou dois dias. Ele fica lá, quieto, guardado, supostamente pronto. Passado o vício da leitura, o retomo. Releio e acrescento aqui, apago dali, desenvolvo um pouco mais acolá. Até sentir que, sim, vale a pena soltá-lo no mundo. Mesmo que o resultado não tenha sido o que o meu eu escritora esperava. Talvez o meu eu assistente administrativo tenha gostado, mas o meu eu escritora é autocrítico demais para gostar completamente. Ele se lembra que há sempre algo a melhorar, mas que isso vem com o tempo e com o exercício da escrita.

No meio dessa confluência verbal, às vezes se faz necessário alguns goles de café com leite, minha bebida preferida. Gosto de tomá-la numa caneca, para mantê-la numa temperatura agradável. Se o texto for denso, trabalhoso, daí não há como não preparar algo para acompanhar. Torrada, pão francês, bisnaguinhas com requeijão, bolacha recheada, alguma fruta e, claro, chocolate. Afinal, sou mulher, e mulher adora chocolate. Já é um clichê. São opções alimentícias que variam conforme a despensa, o dia, o clima, o tema ou o prazo.

É nesse contexto que o texto se faz. Um computador, uma escritora com fones de ouvido, uma caneca de café com leite à sua esquerda, algumas janelas do Word abertas com outros textos de sua autoria, mais outras da internet com textos de outros. O som gostoso do teclado, algumas paradas para mudança de cursor, outras para o copie e cole de parágrafos que insistem em mudar de lugar. E, claro, como um amigo inseparável, como um bichinho de estimação, o dicionário.


Taís Kerche
São Paulo, 30/7/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. As palmeiras da Politécnica de Elisa Andrade Buzzo
02. Piada pronta de Luís Fernando Amâncio
03. Manchester à beira-mar, um filme para se guardar de Renato Alessandro dos Santos
04. Os Doze Trabalhos de Mónika. 6. Nas Asas da Panair de Heloisa Pait
05. Literatura, quatro de julho e pertencimento de Guilherme Carvalhal


Mais Taís Kerche
Mais Especial Como se escreve
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/7/2009
12h16min
Prezada Taís, da música estimulante às expressões musicalizadas: eis o mote da poética, a razão das harmonias correspondentes na composição poética. Assim, cabe ao poeta distribuir gratuitamente às águas (estado poético do poeta) que brotam da fonte da inspiração, formando, desse modo, leitores inspirados.
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
18/6/2010
12h58min
Cara Taís, te "ouvindo" descrever o processo de construção do teu eu escritora, parece fácil e reconfortante (principalmente a parte nutritiva e musical). Até inspirador. Casualmente fiquei colhendo várias impressões sobre o tema "escrever" aqui no Digestivo e fica claro que é um caminho muito pessoal, embora haja alguns toques comuns a todos os que descobrem esta paixão. Um abraço.
[Leia outros Comentários de Melinda]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MURILO MENDES: O POETA DAS METAMORFOSES
DANIELA NEVES
PUC MINAS
(2001)
R$ 18,00



O ELEFANTE ASSASSINO
PEDRO BANDEIRA
ATUAL
(1987)
R$ 10,00



SELEÇÕES DO READERS DIGEST DE FEVEREIRO DE 1965
TITO LEITE (REDATOR CHEFE)
YPIRANGA
(1965)
R$ 7,00



AURORA: THE NORTHERN LIGHTS IN MYTHOLOGY, HISTORY AND SCIENCE
HARALD FALCK-YTTER; TORBJORN LOVGREN (FOTOS)
FLORIS BOOKS
(1985)
R$ 52,28



MUNDO ESTRANHO 208 ERAM OS DEUSES ALIENÍGENAS? MAIO 2018
VÁRIOS
ABRIL
(2018)
R$ 15,00



PENSAMENTO COMUNICACIONAL BRASILEIRO
MARIA I. VASSALLO / JOSÉ M. DE MELO E OUTROS
INTERCON
(2005)
R$ 20,00



O QUE ATRAIU WARREN BUFFETT
BARNETT C. HELZBERG JR.
FUNDAMENTO
(2009)
R$ 15,00



ENERGIA DA PIRÂMIDE BENEFICIA O HOMEM
ABEILARD GONÇALVES DIAS
LCTE
R$ 10,00



COLEÇÃO PIADINHAS 7
ÂNGELA FINZETTO
BRASILEITURA
R$ 6,00



INSPIRAÇÕES DO AMOR ÚNICO DE DEUS VOL 2
ANTONIO DE AQUINO PAMPHIRO
EDIÇÕES LÉON DENIS
(2005)
R$ 10,00





busca | avançada
30196 visitas/dia
1,4 milhão/mês