Confissões pandêmicas | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
84710 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Relacionamentos amorosos com homens em cárcere é tema do espetáculo teatral ‘Cartas da Prisão’, monó
>>> Curso da Unil examina aspectos da produção editorial
>>> “MEU QUINTAL É MAIOR DO QUE O MUNDO - ON LINE” TERÁ TEMPORADA ONLINE DE 10 A 25 DE ABRIL
>>> Sesc 24 de Maio apresenta Música Fora da Curva: bate-papos sobre música experimental
>>> Música instrumental e natureza selvagem conectadas em single de estreia de Doug Felício
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
>>> O zunido
>>> Exposição curiosa aborda sobrevivência na Amazônia
>>> Coral de Piracicaba apresenta produção virtual
>>> Autocombustão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O grito eletrônico do Overmundo
>>> Picasso versus Duchamp e a crise da arte atual
>>> Usina
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Web 2.0 reloaded
>>> Lendas e mitos da internet no Brasil
>>> A loucura das causas
>>> Queen na pandemia
>>> Nerd oriented news
Mais Recentes
>>> O Retorno À Origem de Lex Hixon pela Cultrix (1997)
>>> Emma - Edição Bilíngue - Português/ Inglês de Jane Austen pela Landmark (2012)
>>> O Vento Da Mudança de Julie Soskin pela Pensamento (2000)
>>> A Nave de Noé de Trigueirinho pela Pensamento (1999)
>>> Karma E Maturidade Um Guia Diferente para a Jornada de Eileen Connolly pela Cultrix (1999)
>>> Diálogos de Roman Jakobson e krystyna Pomorska pela Cultrix (1985)
>>> Receita da felicidades de Ken Keyes Jr. E Penny Keyes pela Pensamento (1995)
>>> História Caderno de Competências Conecte de M. Esther Nejm et al pela Saraiva (2014)
>>> A Viagem de Uma Alma de Peter Richelieu pela Pensamento (2006)
>>> Entre o Agora e o Sempre de J. A. Redmerski pela Suma de Letras (2014)
>>> Respostas da Vida de Francisco Cândido Xavier (Espírito André Luiz) pela Instituto André Luiz (1975)
>>> Entre o Agora e o Nunca de J. A. Redmerski pela Suma de Letras (2013)
>>> O Guardião de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2013)
>>> Viagem Atraves Da Luz de Lorna Todd pela Pensamento (1995)
>>> Curso Básico de Mecânica dos Solos de Carlos de Sousa Pinto pela Oficina de Textos (2002)
>>> Anjo da Morte de Pedro Bandeira pela Moderna (2009)
>>> História Volume Único Conecte Lidi de Ronaldo Vainfas et al pela Saraiva
>>> Vidas que nos Completam de Américo Simões pela Barbara (2011)
>>> Uma O Tau. Um Sinal Espiritualidade de Mariano Bigi pela Vozes (2004)
>>> Diálogo Com A Cidade de Cardeal Dom Cláudio Hummes pela Paulus (2005)
>>> Patologia das Fundações de Jarbas Milititsky, Nilo Cesar Consoli, Fernando Schnaid pela Oficina de Textos (2005)
>>> Escrita chinesa de Viviane Alleton pela L&Pm (2010)
>>> Caderno de revisão Química Conecte de M. Esther Nejm et al pela Saraiva (2014)
>>> A Igreja. 51 Catequeses do Papa Sobre a Igreja de Felipe Aquino pela Cleofas (2004)
>>> O Sono dos Hibiscos de Lygia Barbiere Amaral pela Lachatre (2005)
COLUNAS

Domingo, 13/12/2020
Confissões pandêmicas
Julio Daio Borges

+ de 1500 Acessos

Acabei não escrevendo sobre a pandemia. Achei que seria clichê.

Mas confesso a vocês que acordei algumas vezes, de madrugada, achando que estava com falta de ar.

Nas primeiras vezes, descia as escadas e lia o jornal do dia inteirinho. Depois, ficava com sono, deitava e dormia de novo.

Então, prometia a mim mesmo que iria correr na praça no dia seguinte - ou no mesmo dia -, para tirar a prova dos nove.

Até que, nas últimas vezes, fui correr de madrugada mesmo. Na verdade, nem era tão de madrugada assim. Quando eu ia ver, eram quatro horas da manhã. E, quando eu chegava na praça, já eram quatro e meia. De modo que - quando eu voltava, tomava banho etc. - coincidia, praticamente, com o meu horário de levantar, entre seis e meia e quinze para as sete.

Hoje, por exemplo, foi assim. Eram umas quatro horas da manhã e eu acordei como se fosse de um pesadelo. Me ocorreu a falta de ar, mas era só o calor do quarto mesmo, que - quando eu desci, eu percebi - estava uma sauna.

Na dúvida, sempre pego um perfume da Tia Techy para cheirar. Se consigo, é porque não é Covid-19. E tem dado certo até agora. (Ah, e eu também fico em casa a maior parte do tempo.)

Minha prova dos nove é a corrida porque, se eu consigo dar uma volta correndo, significa que meus pulmões, obviamente, não foram atingidos.

Sou meio hipocondríaco, eu admito. Quando a Aids apareceu, no final dos anos 80, assisti a um Globo Repórter e já imaginei que estava contaminado.

Impossível; já que eu era um pré-adolescente imberbe, não era hemofílico e o mais perto que passei de uma transfusão de sague foi, aos dezoito anos, quando, dispensado do serviço militar (obrigado, Tio Ronaldo), fui obrigado a doar.

Fiquei maravilhado quando me entregaram um cartão vermelho com meu tipo de sangue (type O positive) e lá dizia, também, que eu era HIV negativo.

Guardei aquele cartão durante anos, como um amuleto. Funcionou.

Meus mal-estares (é assim que se escreve, acabo de conferir) estão relacionados à digestão. Fígado. Quando estou preocupado, alguma taquicardia. Pressão. Aí, paro de tomar café no dia seguinte. Depois, volto. E assim vamos indo.

Em teoria, eu tenho menos medo de morrer do que de deixar as coisas por fazer. Projetos que eu gostaria de terminar. (Um dia, quem sabe, falo sobre eles.)

E tem, naturalmente, a Catarina. Tem muita coisa que eu gostaria de fazer com ela ainda. Muita coisa.

As pessoas nunca falam sobre a própria morte numa rede social, talvez porque não combine com a ostentação digital da vida.

Mas duvido que, nestes últimos meses, nunca tenham parado para pensar nisso. Afinal: se ocorreu de maneira tão aleatória para algumas pessoas... poderia ter ocorrido para todas.

Não faço campanha para as pessoas ficarem em casa. Vai da cabeça de cada um.

Tenho sorte de poder trabalhar de casa, de poder fazer as minhas coisas de casa. Mas e quem não tem? Não sou eu quem vai julgar.

Sobre a vacina, não tenho opinião formada. No sentido de que não arriscaria uma data. Torço para que ela venha, porque acho que já estamos todos cansados e não imagino um outro ano assim. Mas não sou cientista; não tenho respostas.

Não posso reclamar, porque a pandemia foi boa para o meu negócio. Só acho ruim pela Catarina, que sofreu por não poder ir à escola. Os demais sobreviveram.

Não me arrisco a desejar um bom Ano Novo. Uma boa segunda onda? (Uma segunda quarentena?)

Estou soando clichê agora; então é melhor parar.

Fiquem bem - eis o que posso desejar.

Para ir além
Curtir, comentar, compartilhar


Julio Daio Borges
São Paulo, 13/12/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Nos porões da ditadura de Luís Fernando Amâncio
02. Casa Arrumada de Ricardo de Mattos
03. Lembrança de Plínio Zalewski de Celso A. Uequed Pitol
04. Gerald Thomas: cidadão do mundo (parte final) de Jardel Dias Cavalcanti
05. Amor, sublime Amor de Isabella Ypiranga Monteiro


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges em 2020
01. Doutor Eugênio (1949-2020) - 7/12/2020
02. Minha biblioteca de sobrevivência - 30/3/2020
03. Eddie Van Halen (1955-2020) - 9/10/2020
04. Zuza Homem de Mello (1933-2020) - 12/10/2020
05. Confissões pandêmicas - 13/12/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Tempos de Traição - Possuídos por Ambição
Joao Manoel da Costa
Barauna
(2011)



Os Dois Corpos do Presidente e Outros Ensaios
Luiz Eduardo Soares
Iser; Relume Dumara
(1993)



Seu Futuro Segundo os Tarôs
Giovanni Sciuto
Nordica
(1992)



Tábuas de Logaritimos
Irmãos Maristas
Ftd
(1973)



The Life You Want - Get Motivated, Lose Weight, and Be Happy
Bob Greene e Ann Kearney Cooke
Simon & Schuster
(2010)



Tocaia Grande - a Face Obscura - Coleção Grandes Escritores Brasileiro
Jorge Amado
Folha de S. Paulo
(2008)



O Sonho - Nova Concepção
José Maria Arantes
Fgv
(1993)



Lusco Fusco Vida E Morte De Um Desconhecido
Pablo La Noche
Bertrand
(1974)



Dicionário Enciclopédico Ilustrado Veja Larousse Volume 9
Abril
Abril
(2006)



God Is Dead
Ron Currie Jr
Penguin Paperbacks
(2008)





busca | avançada
84710 visitas/dia
2,6 milhões/mês