Doutor Eugênio (1949-2020) | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
51542 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
>>> Ibevar e Fia-Labfin.Provar realizam uma live sobre Oportunidades de Carreira no Mercado de Capitais
>>> PAULUS Editora promove a 6º edição do Simpósio de Catequese
>>> Victor Arruda, Marcus Lontra, Daniela Bousso e Francisco Hurtz em conversa na BELIZARIO Galeria
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Mais espetáculo que arte
>>> teu filho, teu brilho
>>> O Medium e o retorno do conteúdo
>>> A Poli... - 10 anos (e algumas reflexões) depois
>>> Web-based Finance Application
>>> Pensando sozinho
>>> Aventuras pelo discurso de Foucault
>>> Chega de Escola
>>> Hipermediocridade
>>> A luta mais vã
Mais Recentes
>>> O Destino De Perseu (Aventuras Mitológicas) de Luiz Galdino pela Ftd (2004)
>>> New Headway Beginner Workbook with Key de John and Liz Soares pela Oxford (2013)
>>> Ivy. Ensina-me a Sentir - Volume 1 de S. Quinn pela Fundamento (2014)
>>> Dossiê Peixotinho: Uma biografia do mais famoso médium de materializações do Brasil de Lamartine Palhano Jr.; Walace Fernando Neves pela Lachâtre (1997)
>>> Seu Corpo Fala no Trabalho de Sharon Sayler pela Vozes (2010)
>>> New Headway Beginner Students Book Third Edition de John and Liz Soares pela Oxford (2011)
>>> Comunicação Global - Aumentando Sua Inteligencia Interpessoal 8 Edição de Lair Ribeiro pela Rosa dos Tempos (1992)
>>> O homem que calculava de Malba Tahan pela Record (2016)
>>> A Aposta de Vanessa Bosso pela Novas Páginas (2015)
>>> O Dia de Ver Meu Pai de Vivina de Assis Viana pela Formato (2005)
>>> Practice Tests for First Certificate with Key de J. C. Templer pela Heinemann (2022)
>>> A Câmara Clara: Notas sobre a fotografia de Roland Barthes pela Nova Fronteira (1984)
>>> Um Amor Além do Tempo de Leila Renttroia Lannone pela Moderna (1991)
>>> Skyline 5 - Teachers Guide de Carol Lethaby pela Macmillan (2006)
>>> Memórias de um Sargento de Milícias de Manuel Antônio de Almeida pela Atica (2004)
>>> Homossexulidade de Fagner Brandão pela Fonte (2015)
>>> Ready for First Certificate Workbook de Roy Norris pela Macmillan (2005)
>>> The Hound of the Baskervilles & the Valley of Fear de Sir Arthur Conan Doyle pela Collectors Library (2011)
>>> Fim de Fernanda Torres pela Companhia das Letras (2013)
>>> Campo de Batalha da Mente de Joyce Meyer pela Bello (2009)
>>> Lenda azul Voluma 2 de GeneralWalter de Menezes Paes pela Bibliex (1992)
>>> Summit 2 Take Home de Joan Saslow + Allen Ascher pela Pearson (2006)
>>> Vantage Point 3 - Workbook + CD de Patricia McKay Aronis pela Cel Lep (2006)
>>> El Ahorcamiento Inesperado y Otros Entretenimientos Matematicos de Martin Gardner pela Alianza Editorial (2007)
>>> Marisa: a escolha sexual da menina de Rosine e Robert Lefort pela Jorge Zahar (1997)
COLUNAS

Segunda-feira, 7/12/2020
Doutor Eugênio (1949-2020)
Julio Daio Borges

+ de 2400 Acessos

“A morte é o único ato perfeito”, já dizia Gustav Mahler. “Porque não precisa ser refeito; não precisa ser remendado...”

Quem me falava isso era o Doutor Eugênio, no meio do enterro da minha avó, em meados da década passada. Mais adiante, começou a discorrer sobre estruturalismo - “porque somos todos estruturas”, completou.

“Era uma cabeça”, foi minha conclusão para o Fê - quando ele me contou da morte do Doutor Eugênio, que, parece, foi em Julho deste ano. Não foi de Covid-19 - mas, na internet, não consegui encontrar nenhum registro oficial.

No final de 2004, quando minha avó estava doente, literalmente desenganada pelos médicos, Mamãe ficou desalentada. Lembro que estávamos parando o carro na garagem do shopping Eldorado, quando me ocorreu ligar para o Doutor Eugênio.

Não havia muito o que fazer, minha avó sofria de uma diverticulite em estágio avançado, já havia tido uma trombose - e tudo o que ingeria, não descia mais... ela botava pra fora. O médico da UTI foi taxativo: “Agora, o que resta é rezar”. Mamãe não se conformou: “Ah, não! Como é que você me fala uma coisa dessas?”.

Mamãe tirou a Guelita do hospital e trouxe para casa (“Guelita” era como a Abuelita era chamada por nós). Chamei o Doutor Eugênio mais pela Mamãe do que pela Gueli (“Gueli” era como também a chamávamos) - realmente, não havia muito o que fazer.

O Doutor Eugênio percebeu a inevitabilidade da situação, mas, mesmo assim, vinha todas as noites e conversava com a família. Examinava a doente, que, em seus momentos de lucidez, sentia-se cuidada - e, para a Mamãe, passava algumas instruções, que, enquanto se ocupava, ia se acostumando com a ideia...

Doutor Eugênio gostava de conversar e esgotava o repertório de todos nós. Para mim, contava das origens do escritor Fernando Morais, que eu lia na época. “Baby” - era como Doutor Eugênio o chamava.

Fez questão de trazer uma poltrona Bergère de sua casa, para que a minha avó pudesse se acomodar melhor, se desejasse se sentar. E quando Abuelita se foi, Doutor Eugênio não quis aceitar a cadeira de volta. Também, quando Papai abordou a questão de seus honorários, ele resistiu em ser pago.

Continuou frequentando a nossa família durante um tempo. Se não me engano, no meu aniversário do ano seguinte, veio em nossa casa e o meu amigo Rodolfo Neder, que me apresentou ao Millôr, ficou encantado com ele. “Quero entrevistar o Eugênio para o Digestivo!”, proclamou.

Doutor Eugênio adorava política e contava que, muito criança, já lia três ou quatro jornais por dia. Tinha uma teoria “bipartidária” da História do Brasil, onde um partido - não importava qual nome tivesse - era sempre o “Partido da Igreja”. Na juventude, havia se filiado ao “Partidão”, como ele chamava o Partido Comunista. E isso o aproximou de Rudy, meu amigo Rodolfo.

Havia sido Secretário da Saúde em São Paulo e falava desse tempo de boca cheia. Encontrei uma página sua no Facebook, quando se candidatou a vereador em 2018 (não fiquei sabendo). Infelizmente, escrevendo, o Doutor Eugênio soava prolixo. Seu negócio era mesmo a oratória. Também me contava de quando Almino Afonso havia chegado do Amazonas e ganhara fama de bom orador.

Um dia, entre os corredores da escola da Catarina, encontrei a Bianca, filha do Doutor Eugênio. Ela me reconheceu e veio me cumprimentar. Na época do passamento da Abuelita, a Bianca era uma adolescente de uns treze anos, se tanto.

Mas, por uma dessas coincidências da vida, ela havia se tornado professora de Alemão - e tinha dado aulas para a Catarina, de quem se recordava (“Claro!”). Mandei lembranças ao Doutor Eugênio e à mãe dela, Sandra.

Doutor Eugênio tinha uma visão meio pessimista do futuro da humanidade, achava que os Estados Unidos só queriam saber dos países anglófonos e que as grandes potências haviam desistido de países em desenvolvimento, como o Brasil. Num exagero retórico, falava, inclusive, em “projeto genocídio”...

Por outro lado, se eu ligasse para ele dizendo que havia uma pessoa convalescente na família, ele viria tão logo pudesse. Era o médico da família por definição - aquele que não existe mais, como frequentemente se diz. Aquele que, na verdade, em sua época, já *não existia* mais...


Julio Daio Borges
São Paulo, 7/12/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Por que a discussão política tem de evoluir de Julio Daio Borges
02. Um mês depois de Julio Daio Borges
03. Meu encontro com o Millôr de Julio Daio Borges
04. Fui assaltado de Julio Daio Borges
05. Declínio e Queda do Império dos Comentários de Julio Daio Borges


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges em 2020
01. Doutor Eugênio (1949-2020) - 7/12/2020
02. Confissões pandêmicas - 13/12/2020
03. Minha biblioteca de sobrevivência - 30/3/2020
04. Eddie Van Halen (1955-2020) - 9/10/2020
05. Zuza Homem de Mello (1933-2020) - 12/10/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Roleta Chilena
Alfredo Sirkis
Record
(1981)



Fit For Growth: a Guide to Strategic Cost Cutting, Restructuring, And
John Plansky - Vinay Couto - Deniz Caglar
Wiley
(2017)



Massas & Molhos - Coleção Dona Benta
Gold Editorial
Nacional e Gold
(2009)



Getting Financial Aid 2012
The College Board
College Board
(2012)



Previdência Social é Cidadania
Álvaro Sólon de França
Anfip
(1997)



Diários do Vampiro O Despertar
L. J. Smith
Galera Record
(2009)



A Farsa
Christopher Reich; Fernanda Abreu
Arqueiro
(2008)



Aprender e Criar - Ciencias 3
Edson Maria Helena Katia
Escala Educacional
(2014)



Sonho de Bailarina - o Mundo de Sonhos
Marcelle Silveira e Silva
Vale das Letras



O estrangulador
Sidney Sheldon
Record
(2018)





busca | avançada
51542 visitas/dia
1,8 milhão/mês