Palácio dos sabores 4/5 | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
38320 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um Furto
>>> Nasi in blues no Bourbon
>>> De vinhos e oficinas literárias
>>> Michael Jackson: a lenda viva
>>> Gente que corre
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Reinaldo Azevedo no Fórum CLP
>>> Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim
>>> Companheiro dileto
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 26/11/2009
Palácio dos sabores 4/5
Elisa Andrade Buzzo

+ de 2600 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Gilles discutia com Coralie o menu do dia seguinte. "Nada se perde, tudo se transforma" também poderia ser uma máxima da culinária francesa, já que os croissants artesanais do café da manhã se transformariam em prato principal, bastava acrescentar presunto, queijo, molho bechamel e uma generosa salade verte. Mas ele era "le chef" e preparava absolutamente tudo o que havia à venda no bistrot, dos pratos à sobremesa, dos chocolates até as frutas cristalizadas.

Coralie era a cabeça administrativa e propagandística do Palais de Saveurs. Fazia o tête-à-tête com os clientes: servindo-os, repetindo incansavelmente os ingredientes das tortas salgadas da vitrine, embrulhando os pedaços à emporter, agendando as encomendas; zelava pelas flores nas mesas, pelo guardanapo bem dobrado e enchia de elogios a comida do marido, "hum, c'est bon!" (hum, é bom), "c'est tout fait maison" (tudo é artesanal). Ela tinha uma excelente memória, sabendo de cor as preferências dos habitués ― desde o suco de pêssego que eu pedira em minha primeira visita ao restaurante, que sempre voltava a oferecer, até minha sobremesa predileta, o delicioso fondant au chocolat (tipo de bolo de chocolate) embebido em creme inglês.

Gilles era as mãos habilidosas, modeladoras da síntese gastronômica francesa ao unir acessibilidade, agilidade (não espere tanto assim dela) e flexibilidade aos iniciantes em apreciar esta arte e mesmo aos apressadinhos da hora do almoço. E, por outro lado, o pequeno restaurante mantinha os rígidos pilares elementares: a preocupação com a apresentação dos pratos, a escolha de ingredientes frescos e de qualidade, os pequenos rituais, a variedade na mesa como inimiga do tédio. Aliás, os franceses geralmente não repetem os mesmos pratos com frequência, antes se atêm aos pequenos prazeres das mudanças de estação, da espera pelos ingredientes frescos. Com um pouco de relutância aceitei o fato de que Gilles só faria torta de morango no verão. Queria comer sempre a sobremesa, sentir o sabor inigualável da fruta naturalmente doce no leito de creme (às vezes ele o fazia com pistache moído e, embora eu preferisse a outra receita, era divertido encontrar os morangos imersos naquele delicado creme verde claro). Mas a afobação não é um valor desejável para as "regras do estômago" (a gastronomia!). Como uma ciência, é necessário esperar pelos ingredientes e momento exatos para obter os melhores resultados, buscando a perfeição. De que serviria comer uma torta com morangos insípidos (longe de sua potencialidade de sabor) quando na plenitude do verão europeu podemos degustá-los naturalmente doces e tenros e ainda desfrutar de uma prazerosa espera por eles?

Já a torta de limão meringuée era uma das sobremesas mais disputadas do restaurante. Da rua já se podia adivinhá-la pelos pináculos levemente queimados da cobertura branca de merengue. Sua leveza e doçura compactuava com o azedinho do creme sem açúcar à base de limão. Quando percebia num jantar que a torta acabaria logo, pedia para Coralie separar uma fatia generosa, que ela deixava reservada em um canto da vitrine (para minha vergonha diante dos clientes que perguntavam por aquele pedaço). Embora eu tivesse minhas sobremesas preferidas, Gilles preparava diariamente uma incrível variedade de cores e formatos de pâtisseries e realmente ficava difícil escolher entre a torta "choco-orange", aquela recheada com uma bela e substancial mousse de framboesa ou sobremesas mais sazonais, como a torta de uva, ainda que estivéssemos numa cidade, por excelência, vinícula.

Os doces franceses revolucionaram minha própria ideia de "doce". Eles podem ser feitos sem um grão de açúcar, aproveitando o que as próprias frutas oferecem, ou ao menos com muito menos do que se costuma usar no Brasil, onde a oferta do produto é grande. Nada daqueles sacos de cinco quilos nos supermercados, apenas embalagens de 500 gramas ou, o mais comum, pequenos torrões para imergir nas bebidas quentes. Ainda assim, os doces são deliciosos e você pode sentir o sabor autêntico dos cremes e recheios, não somente o açúcar. Até mesmo uma torta de ruibarbo parece apetitosa pela bonita apresentação do legume furta-cor na massa. É claro que você sentirá diferença na quantidade de açúcar quando experimentar uma éclair au chocolat (bomba de chocolate): faltará alguma coisa na primeira mordida afoita, porque a cobertura é meio amarga, até o creme de chocolate dissolver-se na boca, lentamente.

Os franceses adoram chocolate, sobretudo os amargos. Até mesmo nas mousses industrializadas é preciso ler bem o rótulo e procurar pelo au lait se não quiser ter uma surpresa e se deparar com o amargor do chocolat noir. O fato é que a preferência pende para o noir, por uma questão de qualidade e quantidade de cacau, geralmente expressa nas embalagens. Apesar da grande variedade de chocolates suíços, italianos e franceses nos supermercados, a coqueluche são as tradicionais chocolateries. Bordeaux tem diversas casas centenárias como a Cadiot-Badie, fundada em 1826, e a Saunion, cujas vitrines ficam repletas de peixes de chocolates na Páscoa, uma fila de consumidores contornando a rua. Mas para quem teve o paladar aguçado desde cedo por muito açúcar e gordura, experimentar o chocolate europeu, tão elogiado, pode ser uma franca decepção.

Nota do Editor
Leia também "Palácio dos sabores 1/5", "Palácio dos sabores 2/5" e "Palácio dos sabores 3/5".


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 26/11/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Algo de sublime numa cabeça pendida entre letras de Elisa Andrade Buzzo
02. Os Doze Trabalhos de Mónika. 12. Rumo ao Planalto de Heloisa Pait
03. Joana a Contragosto, Mirisola em queda livre de Jardel Dias Cavalcanti
04. A terra da bruma, de Arthur Conan Doyle de Ricardo de Mattos
05. A odisseia do homem tecnomediado de Guilherme Mendes Pereira


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2009
01. Inútil, o filme e a moda que ninguém vê - 22/1/2009
02. USP: 75 anos de histórias várias - 12/2/2009
03. A Mulher Invisível ou a literatura como salvação - 20/8/2009
04. Polly - 28/5/2009
05. A profundidade aparente do concreto - 30/4/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/11/2009
17h49min
Não sei se concordo... Depois que experimentei chocolate meio-amargo, o chocolate doce das Américas me dói nos dentes. E nem por isso quero ser acusado de francófilo!
[Leia outros Comentários de Felipe Pait]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




1822
LAURENTINO GOMES
NOVA FRONTEIRA
(2010)
R$ 35,00



O TRAJETO
BEN ABRAHAM
BNAI BRITH
(1973)
R$ 10,00



CORAÇAO DE ONÇA
OFELIA E NARBAL FONTES
ATICA
R$ 8,00



MUNDIM PERDIDO NO MUNDÃO
LUÍS PIMENTEL
MELHORAMENTOS
(2014)
R$ 8,70



ASSIM EU APRENDO 1 - INTEGRADO - ENSINO FUNDAMENTAL
JOANITA SOZUA
DO BRASIL
(2018)
R$ 90,00



UM LUGAR PARA TODOS
THRITY UMRIGAR
NOVA FRONTEIRA
(2008)
R$ 12,00



O MAIOR SUCESSO DO MUNDO
OG MANDINO
RECORD
(1981)
R$ 6,90



A ESCRAVA ISAURA
BERNARDO JOAQUIM DA SILVA GUIMARÃES
ESCALA
R$ 5,00



O ROMANCE DE PAULO EIRÓ
AFONSO SCHMIDT
CLUBE DO LIVRO
(1959)
R$ 6,00



O FUGITIVO
J. M. DILLARD
ESTADÃO
(1998)
R$ 6,00





busca | avançada
38320 visitas/dia
1,3 milhão/mês