Palácio dos sabores 4/5 | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
58188 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Unil oferece abordagem diferenciada da gramática a preparadores e revisores de texto
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
>>> Escola francesa de Design, Artes e Comunicação Visual inaugura campus em São Paulo
>>> TEATRO & PODCAST_'Acervo e Memória', do Célia Helena, relembra entrevista com Nydia Licia_
>>> Projeto Cultural Samba do Caxinha cria arrecadação virtual para gravação de seu primeiro EP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Delicado, vulnerável, sensível
>>> De Kooning em retrospectiva
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> Aquele apoio
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
>>> Pouca gente sabe
>>> O chilique do cabeleireiro diante da modelo
>>> Paradiso por Metheny
Mais Recentes
>>> Homens e cousas do Império de Visconde de Taunay pela Melhoramentos (1924)
>>> Servidores Illustres do Brasil de Visconde de Taunay pela Melhoramentos (1930)
>>> A Guerra do Pacífico de Visconde de Taunay pela Melhoramentos (1925)
>>> Mallet: o Patrono da Artilharia de Joaquim Victorino Portella Ferreira Alves pela Biblioteca do Exército (1979)
>>> Os Patronos das Forças Armadas de General Olyntho Pillar pela Biblioteca do Exército (1981)
>>> História Diplomática do Brasil de Hélio Vianna pela Biblioteca do Exército (1958)
>>> História Militar do Brasil de Leopoldo de Freitas pela Livraria Magalhães (1911)
>>> Presença de Alberto Torres (Sua vida e Pensamento) de Barbosa Lima Sobrinho pela Civilização Brasileira (1968)
>>> Alberto Torres e sua obra de A. Saboia Lima pela Companhia Ed. Nacional (1935)
>>> A Internacional do Dinheiro de Adolfo Coelho pela Livraria Clássica (1935)
>>> Anatomia Humana -tomo 3 [ idioma espanhol]Angiologia -Neurologia - Estesiologia de M.Prive N. Lisenkov V.Bushkovich pela Mir Moscou (1986)
>>> Servidão Humana de W. Somerset Maugham pela Círculo do Livro (1986)
>>> 4. A Ditadura Encurralada: O Sacerdote e o Feiticeiro de Elio Gaspari pela Intrínseca (2014)
>>> 1001 Filmes para Ver Antes de Morrer de Steven Jay Schneider pela Sextante (2010)
>>> Bush na Babilônia: A Recolonização do Iraque de Tariq Ali pela Record (2003)
>>> Espionologia: O Livro Completo da Espionagem de Ian Andrew; Anne Yvonne Gilbert; Outros pela Brinque Book (2010)
>>> Barão de Mauá: O Empreendedor de Gilberto Maringoni pela Aori (2007)
>>> El Mejor Medicamento Eres Tú: La Salud Está En Tus Manos de Frédéric Saldmann pela Aguilar (2014)
>>> O presidente Campos Salles na Europa de Tobias Monteiro pela F. Briguiet & Cia. (1928)
>>> As ideias de Alberto Torres de Alcides Gentil pela Companhia Ed. Nacional (1932)
>>> Recueil de discours prononcés au Parlement d'Angleterre de William Pitt & Charles James Fox pela Chez Le Normant (1819)
>>> Antidepresivos Naturales: Una Solución Alternativa al Gran Problema de Este Tiempo de Lucía Oliveira pela Ediciones Lea (2008)
>>> A Verdadeira Dieta Anticâncer de David Khayat pela Lua de Papel (2012)
>>> En Un Abrir y Cerrar de Boca: Historias de Problemas Gordos de Máximo Ravenna pela Ediciones B (2010)
>>> Grandes Católicos de Rev. Pe. Claude Williamson pela Globo (1943)
>>> Curso Básico de Teologia de Antônio Mesquita Galvão pela Pão e Vinho (2003)
>>> Guia politicamente incorreto da História do Mundo de Leandro Narloch pela Leya (2013)
>>> Síndrome do Estrangeiro de Málu Balona pela Editares (2006)
>>> Geographia Sentimental de Plínio Salgado pela José Olympio (1937)
>>> Chama Crística de Norberto Peixoto pela Do Conhecimento (2001)
>>> Obra Escolhida de Descartes pela Difusão Europeia do Livro (1962)
>>> O Lado Difícil Das Situações Difíceis de Ben Horowitz pela WMF Martins Fontes (2020)
>>> Medida provisória 1 6 1 de Ademir Antonio Bacca pela Toazza (1990)
>>> Autenticidade Consciencial de Tony Musskopf pela Editares (2012)
>>> Perdão: Opção Cosmoética de Seguir em Frente de Vera Tanuri pela Editares (2016)
>>> Criação de Delores Pires pela Do autor (1989)
>>> O castelo nos Pirineus de Jostein Gaarder pela Companhia das Letras (2010)
>>> Um Caso Muito Sujo de Shirley Souza pela Paulus (2011)
>>> Astronauta de Brinquedo de Marcelo Miguel pela Paulista (1995)
>>> A Vida Cética de Pirro de Gabriela G. Gazzinelli pela Loyola (2009)
>>> Karl Marx - Biografia de P. N. Fedosseiev (e outros) pela Avante (Lisboa) e Progresso (Moscou) (1983)
>>> Meus devaneios poéticos de Darcy Arruda Miranda pela Do Autor (1984)
>>> Poeta, mostra a tua cara de Berecil Garay pela Toazza (1992)
>>> Nós Nus de Ione França pela Do autor (1989)
>>> Evolução de Alejandro Roldán pela Editorial Atlântida S. A. (1958)
>>> O bom filho a casa torra de Leila Miccolis pela Edicon (1992)
>>> Grandes Frases (Pocket) de Zibia Gasparetto pela Evd/ Vida e Consciência (2017)
>>> Sexo das Flores de Pedro Jofre Marodin pela Ermitagem (1989)
>>> O Brazil em face do Prata de Gustavo Barroso pela Imprensa Nacional (1930)
>>> Coreto de papel de Noel Nascimento pela Vicentina (2003)
COLUNAS

Quinta-feira, 26/11/2009
Palácio dos sabores 4/5
Elisa Andrade Buzzo

+ de 2900 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Gilles discutia com Coralie o menu do dia seguinte. "Nada se perde, tudo se transforma" também poderia ser uma máxima da culinária francesa, já que os croissants artesanais do café da manhã se transformariam em prato principal, bastava acrescentar presunto, queijo, molho bechamel e uma generosa salade verte. Mas ele era "le chef" e preparava absolutamente tudo o que havia à venda no bistrot, dos pratos à sobremesa, dos chocolates até as frutas cristalizadas.

Coralie era a cabeça administrativa e propagandística do Palais de Saveurs. Fazia o tête-à-tête com os clientes: servindo-os, repetindo incansavelmente os ingredientes das tortas salgadas da vitrine, embrulhando os pedaços à emporter, agendando as encomendas; zelava pelas flores nas mesas, pelo guardanapo bem dobrado e enchia de elogios a comida do marido, "hum, c'est bon!" (hum, é bom), "c'est tout fait maison" (tudo é artesanal). Ela tinha uma excelente memória, sabendo de cor as preferências dos habitués ― desde o suco de pêssego que eu pedira em minha primeira visita ao restaurante, que sempre voltava a oferecer, até minha sobremesa predileta, o delicioso fondant au chocolat (tipo de bolo de chocolate) embebido em creme inglês.

Gilles era as mãos habilidosas, modeladoras da síntese gastronômica francesa ao unir acessibilidade, agilidade (não espere tanto assim dela) e flexibilidade aos iniciantes em apreciar esta arte e mesmo aos apressadinhos da hora do almoço. E, por outro lado, o pequeno restaurante mantinha os rígidos pilares elementares: a preocupação com a apresentação dos pratos, a escolha de ingredientes frescos e de qualidade, os pequenos rituais, a variedade na mesa como inimiga do tédio. Aliás, os franceses geralmente não repetem os mesmos pratos com frequência, antes se atêm aos pequenos prazeres das mudanças de estação, da espera pelos ingredientes frescos. Com um pouco de relutância aceitei o fato de que Gilles só faria torta de morango no verão. Queria comer sempre a sobremesa, sentir o sabor inigualável da fruta naturalmente doce no leito de creme (às vezes ele o fazia com pistache moído e, embora eu preferisse a outra receita, era divertido encontrar os morangos imersos naquele delicado creme verde claro). Mas a afobação não é um valor desejável para as "regras do estômago" (a gastronomia!). Como uma ciência, é necessário esperar pelos ingredientes e momento exatos para obter os melhores resultados, buscando a perfeição. De que serviria comer uma torta com morangos insípidos (longe de sua potencialidade de sabor) quando na plenitude do verão europeu podemos degustá-los naturalmente doces e tenros e ainda desfrutar de uma prazerosa espera por eles?

Já a torta de limão meringuée era uma das sobremesas mais disputadas do restaurante. Da rua já se podia adivinhá-la pelos pináculos levemente queimados da cobertura branca de merengue. Sua leveza e doçura compactuava com o azedinho do creme sem açúcar à base de limão. Quando percebia num jantar que a torta acabaria logo, pedia para Coralie separar uma fatia generosa, que ela deixava reservada em um canto da vitrine (para minha vergonha diante dos clientes que perguntavam por aquele pedaço). Embora eu tivesse minhas sobremesas preferidas, Gilles preparava diariamente uma incrível variedade de cores e formatos de pâtisseries e realmente ficava difícil escolher entre a torta "choco-orange", aquela recheada com uma bela e substancial mousse de framboesa ou sobremesas mais sazonais, como a torta de uva, ainda que estivéssemos numa cidade, por excelência, vinícula.

Os doces franceses revolucionaram minha própria ideia de "doce". Eles podem ser feitos sem um grão de açúcar, aproveitando o que as próprias frutas oferecem, ou ao menos com muito menos do que se costuma usar no Brasil, onde a oferta do produto é grande. Nada daqueles sacos de cinco quilos nos supermercados, apenas embalagens de 500 gramas ou, o mais comum, pequenos torrões para imergir nas bebidas quentes. Ainda assim, os doces são deliciosos e você pode sentir o sabor autêntico dos cremes e recheios, não somente o açúcar. Até mesmo uma torta de ruibarbo parece apetitosa pela bonita apresentação do legume furta-cor na massa. É claro que você sentirá diferença na quantidade de açúcar quando experimentar uma éclair au chocolat (bomba de chocolate): faltará alguma coisa na primeira mordida afoita, porque a cobertura é meio amarga, até o creme de chocolate dissolver-se na boca, lentamente.

Os franceses adoram chocolate, sobretudo os amargos. Até mesmo nas mousses industrializadas é preciso ler bem o rótulo e procurar pelo au lait se não quiser ter uma surpresa e se deparar com o amargor do chocolat noir. O fato é que a preferência pende para o noir, por uma questão de qualidade e quantidade de cacau, geralmente expressa nas embalagens. Apesar da grande variedade de chocolates suíços, italianos e franceses nos supermercados, a coqueluche são as tradicionais chocolateries. Bordeaux tem diversas casas centenárias como a Cadiot-Badie, fundada em 1826, e a Saunion, cujas vitrines ficam repletas de peixes de chocolates na Páscoa, uma fila de consumidores contornando a rua. Mas para quem teve o paladar aguçado desde cedo por muito açúcar e gordura, experimentar o chocolate europeu, tão elogiado, pode ser uma franca decepção.

Nota do Editor
Leia também "Palácio dos sabores 1/5", "Palácio dos sabores 2/5" e "Palácio dos sabores 3/5".


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 26/11/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Uma análise sociossemiótica do trabalho de Adriana Baggio


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2009
01. Inútil, o filme e a moda que ninguém vê - 22/1/2009
02. USP: 75 anos de histórias várias - 12/2/2009
03. A Mulher Invisível ou a literatura como salvação - 20/8/2009
04. A profundidade aparente do concreto - 30/4/2009
05. Polly - 28/5/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/11/2009
17h49min
Não sei se concordo... Depois que experimentei chocolate meio-amargo, o chocolate doce das Américas me dói nos dentes. E nem por isso quero ser acusado de francófilo!
[Leia outros Comentários de Felipe Pait]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CURAS ANGÉLICAS / TRABALHANDO COM SEUS ANJOS PARA CURAR SUA VIDA
EILEEN ELIAS FREEMAN
RECORD
(1995)
R$ 8,00



O NOVIÇO COLEÇÃO ESTADÃO
MARTINS PENA
KLICK
(1997)
R$ 8,00



CRIANDO MENINAS
GISELA PREUSCHOFF
FUNDAMENTO
(2003)
R$ 26,84



NATUREZA HUMANA E LEI NATURAL CONCILIUM
LISA SOWLE CAHILL E OUTROS
VOZES
(2008)
R$ 80,00



SERINGUEIRA COL. INSPIRADA NO PROGRMA DE TV DE REGINA CASÉ E ESTEVÃO C
FABIANA WERNECK BARCINSKI ADAPTAÇÃO E GUAZZELLI...
MARTINS FONTES
(2010)
R$ 15,40



CORAGEM E DETERMINAÇÃO - UM INFINITO AINDA POR FAZER
YEDA CRUSIUS
AGE
(2014)
R$ 32,00



PANDORA UM POEMA FESCENINO
MAGGIAR VILLAR
DO AUTOR
(1991)
R$ 12,00



LOBO LOBÃO LOBISOMEN
LUIZ ROBERTO GUEDES
SARAIVA
(1997)
R$ 5,90



NA DUVIDA,ULTRAPASSE-ORIENTAÇAO VOCACIONAL.
CAVO
CAVO
R$ 16,00



MAPS AND MAPMAKERS OF THE CIVIL WAR
EARL B. MCELFRESH (CAPA DURA)
HARRY N ABRAMS
(1999)
R$ 210,28





busca | avançada
58188 visitas/dia
2,0 milhões/mês