Sincretismo imprevisível | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
36819 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 3/9/2009
Sincretismo imprevisível
Elisa Andrade Buzzo

+ de 2800 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Da plataforma do trem já se vê a igreja, alta, acima das casas próximas à estação Sagrado Coração, na cidade paulista de Jandira. Aos poucos, subindo a íngreme avenida João Longo, a igreja vai se contornando amarela com arcos detalhados de tijolinho. Numa construção logo abaixo da escadaria que dá acesso à entrada da igreja, fica o ateliê de cerâmica ArtEVida. Vasos e pratos feitos com argila secam ao sol que cai em sua larga sacada. Lá está Davison da Silva, um dos cinco artesãos que fazem parte da cooperativa do ateliê. Sentado em um balcão de madeira, ele enfileira pacientemente folhas de argila colorida em ramos simétricos ― a decoração de um futuro tampo de mesa.

O ar dentro do ateliê está repleto de partículas minúsculas de pó branco, resultado de lixações constantes das peças de cerâmica. Dois artesãos trabalham frente a frente numa longa mesa ― Patrícia Leite separando pedacinhos de argila verde e Ângelo Aguiar moldando um prato, argila mole em suas mãos. Ao redor deles, há dezenas de vasos coloridos, luminárias, esferas, bustos e pratos, dispostos em longas prateleiras. O nome de algumas peças, como Busto Marajó e Vaso Belém, ao lado do Prato Roma, por exemplo, é indício de uma apropriação sincrética de estilos e culturas diversas.

O conceito de sincretismo ― voltado à cultura ― ainda em aberto devido à "incapacidade dele próprio se 'regular' ou de 'ser regulado'", como fala o antropólogo Massimo Canevacci no livro Sincretismos, caminha em direção a experiências de cruzamentos culturais, ainda que de forma aparentemente desordenada, como veremos.

"O Brasil e a sua gente é uma terra que fala de cores e transmite cores e sensações. Por isso, as nossas peças são todas muito coloridas, muitas vezes não precisam seguir um modelo padrão e se desenvolvem com mais liberdade", diz Cláudio Melioli, artista italiano que incentivou e orientou a abertura do ateliê em Jandira, em setembro de 2000.

Astrônomo de formação, Cláudio resolveu sair da Itália porque queria "fazer algo de novo, que não tivesse nada a ver com astronomia e também realizar algo em que acreditava". Exatamente o Brasil foi escolhido porque ele ouvia desde criança histórias da viagem que seu pai, o artista plástico Giuliano Melioli fizera até aqui, no final da década de 1960. Experiência que deixaria marcas na arte e vida de Giuliano, depois na de Cláudio e no próprio ateliê ArtEVida, em grande parte por causa do contato que tivera com a cerâmica marajoara.

As primeiras peças desenvolvidas pelos artesãos brasileiros foram a partir do catálogo do ateliê de Giuliano em Reggio Emilia, pequena cidade italiana próxima à Bolonha. Lá funciona o ateliê dos Melioli e de Cesare Ferrari, chamado Tarsíe, onde são produzidas peças artísticas de cerâmica. Como desdobramentos, ainda existem na cidade a Tarsíe Cooperativa, na qual "trabalham pessoas que têm problemas mentais ou depressões várias, coordenadas por meu pai", diz Cláudio; e "a sociedade Ars Vivendi, que produz o cocciopesto".

Os artesãos do ArtEVida aprenderam técnicas italianas ― a cerâmica embutida e o cocciopesto ― com Cláudio. "A maioria das peças hoje são criadas e pensadas por eles [os artesãos], eu só aconselho um pouco", conta Cláudio. A técnica da cerâmica embutida, patenteada por Giuliano Melioli, é uma espécie de marchetaria de argila colorida com uma fórmula de vários óxidos, que substitui o esmalte aplicado na cerâmica. A outra técnica italiana utilizada pelos artesãos brasileiros é o preparo da massa cocciopesto, que significa "caco de argila amassado ou moído". A massa é feita com "argila queimada e moída e uma espécie de cimento que serve para juntar a argila", explica Cláudio. É uma receita que tem origem na Roma Antiga, onde eram utilizados "cacos dos vasos e das ânforas quebradas e misturavam isso com cal para fazer pisos e revestimentos".

Como as primeiras peças feitas pelos artesãos do ArtEVida foram baseadas na cerâmica marajoara, que por sua vez fora apropriada e interpretada em peças italianas, "em seguida, o laboratório desenvolveu peças novas, com uma certa influência [marajoara], em algumas delas, mas mesmo sem saber exatamente se o que se está fazendo é um animal ou algo de abstrato", revela Cláudio. Desta forma, "os desenhos inspirados na arte marajoara são reproduzidos mais com um sentido abstrato e de harmonia de formas", completa.

Segundo a arqueóloga e pesquisadora do Museu Paraense Emílio Goeldi, Denise Schaan, "os motivos decorativos na cerâmica marajoara são em geral geométricos na forma e parecem abstratos para a maior parte dos observadores. No entanto, eles representam seres mitológicos, espelhados na fauna local." A cerâmica marajoara, segundo Denise, é um dos estilos mais sofisticados da Pré-História das Américas, com vasos que datam de 600 a 1200 depois de Cristo.

"Muitos objetos marajoara, principalmente os vasos, eram na verdade urnas para guardar as cinzas dos mortos, que depois eram enterrados. Hoje, muitas das nossas formas se inspiram nas formas dessas urnas", afirma Cláudio. Como essas peças foram criadas para ficar embaixo da terra, os artesãos tiveram que modificá-las a fim de que tivessem uma maior estabilidade. Assim, há uma reinterpretação tanto de formas, quanto de motivos dos desenhos na cerâmica sem uma "lamentação pela perda da origem", como define característica do sincretismo Canevacci. O elemento sincrético, no caso, se modula como um processo em formação, ainda não acabado e aberto a uma leitura contemporânea.

Já nas peças feitas na Itália, no ateliê Tarsíe, Cláudio acha que o que persiste hoje da cerâmica marajoara é "a filosofia que estava por trás da arte marajoara", ou seja, a representação do mundo "com traços muito simples e essenciais e do uso de vários pigmentos". O encanto de Giuliano pelo grafismo marajoara, que teve contato em viagem ao Brasil, se encontra nos significados de suas composições, "com um traço representa um animal, com uma forma representa uma mulher, com um ponto representa uma onça. Achei isso incrível e muito moderno. Foi aí que comecei a desenvolver meu novo estilo, misturando o clássico e os detalhes que sempre pintei, com formas e traços simples e sintéticos".

Denise afirma que "Há uma grande produção de cerâmica que utiliza o grafismo arqueológico assim como as formas dos vasos de maneira livre, descompromissada, mas sempre buscando a referência do significado arqueológico". Ainda segundo a arqueóloga, em texto do catálogo da exposição Brésil en France, há um processo atual da sociedade de apropriação de símbolos da cultura pré-colombiana. "Esta estética inspirada na arte nativa tem excelente aceitação, especialmente porque os motivos decorativos prestam-se a interpretações diversas, acomodação de desenhos a novas formas de suporte, e permite novas combinações de formas sem perder ritmo e simetria", explica. É o que pode ter acontecido nestas na formação das cerâmicas em questão.

Cláudio acredita que o "design [da ArtEVida] começou misturando a arte italiana com aquela marajoara, mas hoje a mistura, em algumas peças, é tão grande que não dá pra entender de onde vem o estilo". Como diz Canevacci, os sincretismos "brotam indisciplinados e incoerentes, de cada aspecto de nossa contemporaneidade; para subvertê-la ou, ao menos, surpreendê-la, às vezes também para confundi-la ou simplificá-la." As peças do ArtEVida, nesse mix de técnicas, formas e motivos, moldadas em mãos brasileiras, revelam um precioso sincretismo em formação.


(Matéria originalmente produzida para o Rumos Itaú Jornalismo Cultural, edição 2004/2005)


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 3/9/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Tecnologias e borboletas de Ana Elisa Ribeiro
02. Nobel, novo romance de Jacques Fux de Jardel Dias Cavalcanti
03. Por que HQ não é literatura? de Cassionei Niches Petry
04. O Wunderteam de Celso A. Uequed Pitol
05. O dia que nada prometia de Luís Fernando Amâncio


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2009
01. Inútil, o filme e a moda que ninguém vê - 22/1/2009
02. USP: 75 anos de histórias várias - 12/2/2009
03. A Mulher Invisível ou a literatura como salvação - 20/8/2009
04. A profundidade aparente do concreto - 30/4/2009
05. Polly - 28/5/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
3/9/2009
22h45min
Querida Elisa, obrigado por este passeio pelo ateliê ArtEVida: tudo é poético, até mesmo o nome da cidade! Consigo sentir os cheiros, os perfumes que impregnam o ateliê ArtEVida. Uma autêntica aula sobre o talento dos cinco artesãos, uma notável aula de história. Ótimo o fato de você não editar nenhuma foto do local, farei o possível pra chegar em Jandira e lá conhecer tudo ao vivo! Parabénsss pelo achado do tesouro + texto! abs e bjs do Sílvio. Campinas, é quase primavera de 2009.
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CONVERSANDO SOBRE A SÍNDROME DO PÂNICO
GUGU KELLER
GLOBO
(2000)
R$ 9,80



GRAMATICA REFLEXIVA 7 NOVA ORTOGRAFIA
WILLIAM ROBERTO CEREJA THEREZA COCHAR
ATUAL
(2008)
R$ 60,00



O APRENDIZADO DA MORTE
ASSIS BRASIL
NORDICA
(1976)
R$ 7,90



ASTUCIAS DA ENUNCIACAO:CATEGORIAS DE PESSOAS, ESPACO E TEMPO
JOSE LUIZ FIORIN
ATICA
(2002)
R$ 69,00



NOVO OLHAR - MATEMÁTICA 1
JOAMIR SOUZA
FTD
(2013)
R$ 33,00



DIREITO
REGIME JURÍDICO DAS CANDIDATURAS
COSMOS
(1997)
R$ 49,13



HISTÓRIAS QUE PODEM MUDAR SUA VIDA
ELLEN DASTRY
GENTE
(2009)
R$ 7,90



TIMOR LESTE ESTE PAÍS QUER SER LIVRE
SÍVIO L. SANTANNA
MARTINS CLARET
R$ 8,00



A PRÁTICA DE ASSESSORAMENTO EDUCACIONAL
CARLES MONEREO, JUAN IGNACIO POZO
ARTMED
(2007)
R$ 65,00



SARTRE A-T-IL UN STYLE?; REMARQUES SUR LANALYSE TEXTUELLE
CAHIERS DANALYSE TEXTUELLE, Nº4 DE 1962
LES BELLES LETRES
(1962)
R$ 18,82





busca | avançada
36819 visitas/dia
1,4 milhão/mês