Paixão e sucata | Daniela Kahn | Digestivo Cultural

busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar
>>> Entrevista com Jacques Fux, escritor e acadêmico
>>> Nuno Ramos, poesia... pois é
>>> Literatura e interatividade: os ciberpoemas
>>> O Valhalla em São Paulo
>>> Por dentro do Joost: o suco da internet com a TV
Mais Recentes
>>> Sociedade e Ambiente: território, desigualdade e vulnerabilidade de Zoraide Souza Pessoa (Org.) pela Livraria da Física (2014)
>>> Elementos de Direito Administrativo de Celso Antonio Bandeira de Mello pela Revista dos Tribunais (1987)
>>> Odisséia de Homero - adaptação: Roberto Lacerda pela Scipione (1997)
>>> Constituição e Hermenêutica Constitucional de Márcio Augusto Vasconcelos Diniz pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2002)
>>> A Outra Face do Poder Judiciário: Decisões Inovadoras ...(Encadernado) de Giselda Maria Fernandes Novaes Hironaka pela Del Rey/ Bhz.: Esc. P. Direito (2005)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Globo (2008)
>>> Administração do Tempo: Um Programa de Autodesenvolvimento de Luiz Augusto Costacurta Junqueira pela Cop Ed. (1992)
>>> O Enigma de Rama de Arthur C. Clarke pela Nova Fronteira (1991)
>>> Do Socialismo Utópico ao Socialismo Científico de Friedrich Engels pela Moraes Editores
>>> Sonhos de Robô de Isaac Asimov pela Record (1991)
>>> Verdadeiras Profecias de A.w. tozer pela Clássicos (2001)
>>> O Homem Eterno de G. K. Chesterton pela Mundo Cristão (2010)
>>> O Observador no Escritório de Carlos Drummond de Andrade pela Record (1985)
>>> Verde e Branco Ano 1 Número 1 Abril de 2004 de Eduardo Del Claro Jornalista pela Sulminas (2004)
>>> Verde e Branco Ano 1 Número 1 Abril de 2004 de Eduardo Del Claro Jornalista pela Sulminas (2019)
>>> Nada a perder volume 3 de Edir Macedo pela Planeta (2014)
>>> Campinas no início do século 20: percursos do olhar de Suzana Barretto Ribeiro pela Annablume (2006)
>>> A privataria tucana de Amaury Ribeiro Júnior pela Geração Editorial (2012)
>>> Campinas: visões de sua história de Lília Inés Zanotti de Medrano pela Átomo (2006)
>>> Direito Romano - Vol. II de José Carlos Moreira Alves pela Forense (2003)
>>> Divinas Desventuras: Outras Histórias da Mitologia Grega de Heloisa Prieto pela Companhia das Letrinhas (2011)
>>> Le Nouveau Sans Frontières 1 - Méthode de Français de Philippe Dominique e Jacky Girardet e Michele Verdelhan e Michel Verdelhan pela Clé International (1988)
>>> Sobrevivência de Gordon Korman pela Arx Jovem (2001)
>>> Ética Geral e Profissional de José Renato Nalini pela Revista dos Tribunais (2001)
>>> Mas Não se Mata Cavalos ? de Horace McCoy pela Abril (1982)
>>> O Menino no Espelho de Fernando Sabino pela Record (2016)
>>> Labirintos do Incesto: O Relato de uma Sobrevivente de Fabiana Peereira de Andrade pela Escrituras-Lacri (2004)
>>> Mas Não se Mata Cavalos ? de Horace McCoy pela Círculo do Livro (1975)
>>> Ponte para Terabítia de Katherine Patersin pela Salamandra (2006)
>>> O Desafio da Nova Era de José M. Vegas pela Ave-Maria (1997)
>>> Casa sem Dono Encadernado de Heinrich Boll pela Círculo do Livro (1970)
>>> Trabalho a Serviço da Humanidade de Escola Internacional da Rosa Cruz Áurea pela Rosacruz (2000)
>>> Casa sem Dono Encadernado de Heinrich Boll pela Círculo do Livro (1976)
>>> Ensinando a Cuidar da Criança de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Ensinando a Cuidar da Mulher, do Homem e do Recém-nascido de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Luxúria Encadernado de Judith Krantz pela Círculo do Livro (1978)
>>> Fundamentos, Conceitos, Situações e Exercícios de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Personality: How to Unleash your Hidden Strengths de Dr. Rob Yeung pela Pearson (2009)
>>> Um Mês Só de Domingos de John Updike pela Record (1975)
>>> Um Mês Só de Domingos Encadernado de John Updike pela Círculo do Livro (1980)
>>> Um Mês Só de Domingos Encadernado de John Updike pela Círculo do Livro (1980)
>>> Caravanas de James Michener pela Record (1976)
>>> A Terra Ainda é Jovem de J.M. Simmel pela Nova Fronteira (1981)
>>> A Terra Ainda é Jovem de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1981)
>>> Deus Protege os Que Amam de J.M. Simmel pela Nova Fronteira (1977)
>>> Um Ônibus do Tamanho do Mundo de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1976)
>>> Um Ônibus do Tamanho do Mundo de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1976)
>>> O Quarto das Senhoras de Jeanne Bourin pela Difel (1980)
>>> Beco sem Saída de John Wainwright pela José Olympio (1984)
>>> Casais Trocados de John Updike pela Abril (1982)
COLUNAS

Sexta-feira, 3/12/2010
Paixão e sucata
Daniela Kahn

+ de 3800 Acessos

Os bons títulos de livros costumam ser uma síntese das obras que encabeçam. O mesmo vale para as boas aberturas de novelas. Entre os exemplos mais recentes está a de Duas Caras, com a pista sobre a assassina da trama, e a de Cama de Gato mostrando pessoas equilibrando-se numa gigantesca versão da trama de barbante conhecida como cama de gato ao som da sugestiva trilha "Pelo avesso", dos Titãs.

Destas, a mais original é, sem dúvida, a que o artista Vik Muniz criou para a novela Passione. Nela vê-se um casal que se beija apaixonadamente, enquanto um músico toca o banjo. Essas imagens (inspirados na arte italiana?) se desmancham e se refazem continuamente, graças ao movimento deslizante de uma câmara que focaliza ora as figuras completas, ora os elementos de sucata que fazem parte da sua composição.

Convém lembrar que reaproveitamento e reciclagem são bandeiras atuais e ecologicamente corretas que fazem parte do projeto mais amplo de sustentabilidade do planeta.

Não é, pois, de estranhar a sua ampla divulgação na televisão. Enquanto os telejornais se dedicam à publicidade educativa, programas de auditório buscam aumentar a sua audiência investindo na recuperação de moradias, carros e outros bens usados.

Na teledramaturgia, o tema é recorrente desde A Rainha da Sucata (1990), assinada pelo mesmo Sílvio de Abreu de Passione. Num girar estonteante da roda da fortuna, próprio da eterna reversibilidade reinante no universo do folhetim, personagens transitam com desenvoltura entre a mansão e o lixão. Tanto em Caminho para as Índias como na já citada Cama de Gato, empresários decaídos se transformam instantaneamente em catadores de lixo. Em Passione, ao contrário, o empresário emergente Olavo enriquece graças à sua empresa de reciclagem de lixo.

A presença reiterada da sucata e do lixo nas obras de ficção televisiva aponta, no entanto, para questões que vão muito além do marketing ecológico.

Em primeiro lugar, o folhetim televisivo é, como se sabe, o mais descartável dos gêneros ficcionais, graças ao seu estreito compromisso com o ibope. É também aquele que mais recicla conteúdos recorrendo a outros gêneros, como a literatura, o teatro, o cinema, a reportagem e, sobretudo, ao seu próprio repertório. Nesse último caso, quando não se reproduz como remake explícito, recorre à repetição de fórmulas, enredos, cenas, ações ou personagens.

Todavia, a conjunção de paixão e sucata que a abertura de Vik Muniz propõe sugere ainda outro nível de leitura. Sem poder ignorar novos tempos, novos comportamentos e novas formas de relacionamento social, a novela é também o mais conservador dos gêneros ficcionais. Ela não nega a sua origem, o romance em formato de folhetim do século XIX, que esmiúça o quotidiano burguês, narrando a sua tragédia, sua comédia, suas mazelas e suas aspirações. O maior desafio da novela é (e sempre foi) articular valores consagrados como a união familiar, o amor eterno, a amizade fiel e, sobretudo, a ascensão social como coroamento do "bom mocismo", com uma realidade social cada vez mais marcada pelo sucateamento das instituições, dos valores e das relações pessoais mais próximas. E não é só isso: atendendo a outra convenção do gênero é imperativo que a trama seja conduzida, ainda que pelos caminhos mais tortuosos e inverossímeis, para o tão sonhado (e cada vez mais improvável) final feliz. Tudo isto numa embalagem sedutora que encante a audiência e alavanque o ibope.

Passione faz jus ao seu nome. É o cenário de paixões avassaladoras. Porém, na maior parte dos casos, elas estão muito distantes do amor. Ganância, ódio, sede de poder, desejo de vingança, uma competitividade quase mortal entre membros próximos da própria família tanto no plano amoroso como no plano profissional são algumas dessas paixões. A própria relação amorosa nem sempre é retratada de forma romântica: num momento de raro realismo, o ludibriado Totó (Tony Ramos) confessa à sua Clara (Mariana Ximenes) que, apesar de saber de todas (ou quase todas) suas falcatruas, ele não consegue mais viver sem ela.

A inovação desta novela está na corrosão intensa que contamina as relações das personagens, em todos os ambientes, tanto na mansão senhorial de Bete Gouveia (Fernanda Montenegro), quanto no sórdido prostíbulo que funciona sob a fachada de uma pensão ilegal. Ela é fruto dos segredos explosivos que quase todas as personagens da novela, independentemente de sua condição familiar ou social, carregam consigo e escondem das suas relações mais próximas. A começar pela revelação do segredo familiar da distinta Bete Gouveia, guardado por 55 anos, que dá início à ação. A revelação de cada um desses segredos cai como uma bomba nesse terreno social minado, onde a relação mais próxima pode se transformar, a qualquer momento, no pior dos inimigos.

Esse potencial destrutivo, que desloca com facilidade o acento da vilania, está presente em todos os níveis de relacionamento pessoal aflorando com violência nos confrontos desabridos. Espanta a facilidade com que as personagens em conflito chegam às vias de fato: hierarquia, posição social, idade, amizade, parentesco, amor... nada é capaz de deter seja lá quem for. A falta de limites reina absoluta. Pergunta-se: onde foi parar a cordialidade brasileira sempre tão ciosa em preservar (pelo menos) as aparências? Numa trama recheada pelas usuais situações forçadas e inverossímeis, a instabilidade e a degradação social que se revelam nesses enfrentamentos constituem a nota realista.

Voltando à abertura de Vik Muniz: o belo arranjo de sucata, compondo e decompondo o quadro da paixão romântica, remete de forma admirável não apenas ao enredo específico de Passione, mas ao próprio mecanismo do folhetim televisivo, com o seu compromisso básico de conciliar o ideário romântico com a realidade do seu referente. Assim como uma hábil câmara "ilumina" a obra do conhecido artista plástico, desvestindo a sucata de seus elementos repugnantes e desagradáveis, também o folhetim se especializou em atenuar e relativizar a crua realidade que teima em se insinuar nas frestas do enredo romanesco. Proporcionando momentos de sublime "passione", lacrimejantes encontros e reconciliações familiares, além do suspense, das cenas de humor e o sempre apaziguador final feliz o melodrama televisivo garantiu até agora a sua sobrevivência.

A pergunta é: até quando um gênero tão intimamente ligado às formas da sociabilidade burguesa conseguirá driblar uma realidade que aponta implacavelmente para o sucateamento das mesmas?

Nota do Editor
Daniela Kahn é autora do livro A via crucis do outro ― Identidade e alteridade em Clarice Lispector. Leia também "A discreta crise criativa das novelas brasileiras".


Daniela Kahn
São Paulo, 3/12/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Jagunço degolado de Wellington Machado
02. O petista relutante de Rafael Rodrigues
03. Rodrigo e a guerra de André Pires
04. Talvez... de André Pires
05. É Natal! de André Pires


Mais Daniela Kahn
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TIMOR, O NOSSO DEVER FALAR
VÁRIOS AUTORES
APEL
(1999)
R$ 22,11



OCIDENTE X ISLÃ
VOLTAIRE SCHLLING
L&PM
(2006)
R$ 10,00



ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DA ARGENTINA E DO BRASIL
JEFERSON LUÍS LOPES GOULARTE, JEFFERSON MARÇAL ROCHA UND ALZIRA ELAINE MELO LEAL
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 413,00



O LIVRO DE OURO DA MITOLOGIA - HISTÓRIAS DE DEUSES E HERÓIS
THOMAS BULFINCH
EDIOURO
(2006)
R$ 53,91



ROTA DOS VENCEDORES
CESAR ROMÃO
ACADEMIA DE INTELIGE
(2009)
R$ 13,90



SOCIOLOGIA SISTEMÁTICA
KARL MANNHEIM
LIVRARIA PIONEIRA
(1962)
R$ 6,00



EM DEFESA DA MEMÓRIA JURÍDICA BANDEIRANTE
ASSOCIAÇÃO DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO
AASP
(2003)
R$ 15,00



PRINCIPIOS DA COMPETICAO EMPRESARIAL
LUPPA,LUIS PAULO
LANDSCAPE EDITORA LTDA-EPP
(2017)
R$ 15,88



MARKETING EM AÇÃO - UMA ABORDAGEM PARA LUCRAR CRESCER E RENOVAR
PHILIP KOTLER - DIPAK C. JAIN - SUVIT MAESINCEE
CAMPUS
(2002)
R$ 9,90



PLURALISMO DE INFORMAÇÃO NOS PALOP
SOPHIE NICK
PRINCIPIA
(2000)
R$ 57,00





busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês