Meu cinema em 2010 ― 2/2 | Wellington Machado | Digestivo Cultural

busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Livro beneficente ensina concurseiros a superar desafios e conquistar sonhos
>>> Cia Triptal celebra a obra de Jorge Andrade no centenário do autor
>>> Sesc Santana apresenta SCinestesia com a Companhia de Danças de Diadema
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Queen na pandemia
>>> A história do Olist
>>> Kubrick, o iluminado
>>> Mr. Sandman
>>> Unchained by Sophie Burrell
>>> Reflexões na fila
>>> Papo com Alessandro Martins
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
Mais Recentes
>>> Oreficeria Moderna Tecnica-pratica de L Vitiello pela Hoepli (1963)
>>> A pretexto do combate e globalizaçao Renasce a luta de classes de Gregorio vivanco lopes pela Cruz de cristo (2002)
>>> Um Mergulho no Inferno das Drogas de Maria Célia Ribeiro Cesar pela Do Autor (2001)
>>> Um copo de cerveja de Affonso heliodoro pela brasilia (2001)
>>> Felicidade Roubada de Augusto Cury pela Benvira (2014)
>>> Actores, redes y desafíos : juventudes e infancias en América Latina de Alberto Hernandez Hernandez Amalia E. Campos Delgado pela Clacso (2015)
>>> Instituições Direito Público e Privado de Nelson Goday pela Nelpa
>>> Tom Jones de Henri Fielding pela Abril Cultural (1971)
>>> Stories of Mystery and Suspense (sem Cd) de Edgar Allan Poe pela Hub (2000)
>>> As Relações Perigosas - Biblioteca Folhas de Choderlos de Lacros pela Ediouro (1998)
>>> Contos do Rio - Filosofia do rio em sete dimensões de Saturnino Braga pela Record (1999)
>>> O Fator Decisivo da Lombalgia Prática e Teoria de Sadakazu Nakata pela Andemo (1982)
>>> Paddy Clarke Ha Ha Ha de Roddy Doyle; Lidia Cavalcante Luther pela Estação Liberdade (2002)
>>> Testa de Ferro de Carlos Bohn pela Livro Que Constroem (2010)
>>> A Imperfeição no Evangelho de Ricardo Peter pela Paulus (2000)
>>> Pcc a Facção de Fatima Souza pela Record (2007)
>>> Tom Jones de Henry Fielding pela Abril Cultural
>>> Diretrizes e Praticas da Gestaão Financeiras de Roberto Bohlen Selene pela Ibpex (2010)
>>> Essencialismo - a Disciplinada Busca por Menos de Greg Mckeown pela Sextante (2014)
>>> Deusa do Mar - Série Goodess de P. C Cast pela Novo Século (2011)
>>> Viver Melhor Em Família de Elizabeth Monteiro pela Mescla (2016)
>>> Discover the World Wide Web With Your Sportster de John December pela Sams Net (1995)
>>> A Vida Secreta Grandes Autores de Robert Schnakenberg pela Ediouro (2008)
>>> Assumindo A sua Personalidade de Leo Buscaglia pela Record (1978)
>>> Educação Superior - Expansão e Reformas Educativas - Sebo Tradicao de Deise Mancebo pela Uen (2012)
COLUNAS >>> Especial Melhores de 2010

Terça-feira, 4/1/2011
Meu cinema em 2010 ― 2/2
Wellington Machado

+ de 9000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Dando continuidade à minha coluna anterior, seguem os outros filmes:

O escritor fantasma (Roman Polanski, França/ Alemanha/ Reino Unido, 2010) ― Um roteiro ágil e engenhoso faz deste thriller um dos melhores filmes do gênero. O foco da história são as relações promíscuas de poder dentro do governo e entre esferas pública e privada. Um ghost-writer é contratado para escrever sobre um poderoso político britânico e acaba se envolvendo em uma trama na qual se torna investigador. Se ele tinha o papel de elogiar o biografado, a história toma outro rumo quando o escritor descobre que há muito de ruim nas relações de poder. Um filme inteligente, com um final surpreendente.

Tudo pode dar certo (Woody Allen, Estados Unidos/ França, 2009) ― Boris é um professor aposentado que, por invencionices "woodyalleanas", abandona um casamento estável e se envolve com uma garota de 20 anos (qualquer semelhança com a vida privada do diretor pode não ser mera coincidência). A trama ganha corpo quando a mãe e o pai da moça começam a entrar na vida do professor ranzinza. Ocorre uma sucessão de encontros e desencontros de casais em busca do par perfeito, não importando a idade ou o sexo. Só mesmo o Woody Allen para colocar tantas referências em 90 minutos. O filme aborda principalmente as várias possibilidades de as pessoas se envolverem afetivamente. Bem como a concessão do cético (Boris) ao místico (uma vidente picareta que desperta dúvidas no professor). Diversão inteligente, com diálogos impagáveis.

À prova de morte (Quentin Tarantino, EUA, 2007) ― Com dois anos de atraso, o filme só chegou ao Brasil em 2010. Os diálogos despretensiosos entre cinco garotas ao passear pela cidade de carro, a caminho de um pub, dão o tom do suspense: algo de grave acontecerá a qualquer momento com as inocentes viajantes. O surgimento de um excêntrico "maníaco das estradas", cujo fetiche é provocar violentos acidentes de carro em alta velocidade, dá um ritmo frenético ao filme até então despretensioso. Carregado de referências cinematográficas dos anos 70 (Dirty Harry, o cultuado Corrida contra o destino etc.), o filme mostra sequências implacáveis de perseguição e suspense. À prova de morte é o mais Tarantino dos Tarantinos.

Dois irmãos (Daniel Burman, Argentina, 2010) ― Um filme simples, mas sensível. Aborda a relação entre dois irmãos (solteirões) na terceira idade, após perderem a mãe. A irmã, uma corretora de imóveis, é possessiva e insiste em ditar o destino do irmão. Acaba alugando uma casa para ele em uma pequena e pacata cidade no Uruguai, onde há uma escola de teatro ministrada por um importante diretor. O que parecia ser um fim de vida depressivo naquela cidade, acaba sendo uma renovação quando o irmão entra para a escola, passa a atuar e fazer novos amigos. Daniel Burman é um jovem diretor com um currículo já de peso. Realizou Abraço partido (2004), As leis de família (2006) e Ninho vazio (2008), sempre com a temática voltada para os dramas familiares. Dois irmãos é mais um bom filme que concilia boas atuações com roteiro simples, alternando momentos dramáticos e engraçados.

José e Pilar (Miguel Gonçalves Mendes, Portugal/ Brasil/ Espanha, 2010) ― É um documentário com altos e baixos, mas que merece ser visto. O seu grande mérito é fazer jus ao nome: dar igual importância a Pilar e Saramago. O filme retrata um momento crítico do casal. Há dois ou três anos antes de morrer, o escritor foi acometido por uma doença respiratória gravíssima, que o debilitou bastante. Sua esposa, uma mulher de fibra e personalidade forte, assumiu literalmente a carreira do marido ― o que não era pouco, principalmente após Saramago ganhar o Nobel. Ela lia cuidadosamente e fazia uma triagem na correspondência que recebiam (cerca de 200 cartas/dia). O documentário também quebra o mito em torno do escritor: a de uma figura ranzinza e mal-humorada. O que poucos sabiam era que ele raramente recusava um convite para visitar um país quando era solicitado. Também ignorava o cansaço (e por isso adoeceu) no cumprimento da agenda de palestras e lançamentos de seus livros. Chegava a assinar, com inacreditável paciência, mais de mil exemplares em uma noite. O filme mostra como Saramago virou pop star.

Dos lançamentos, não consegui (ainda) ver A ilha do medo (Martin Scorsese), A fita branca (Michael Haneke) e Um homem sério (Joel e Ethan Coen), que certamente comporiam minha lista. Não vi, também, A suprema felicidade, do Arnaldo Jabor (tenho minhas dúvidas se o incluiria nesta lista). Valendo-me das locadoras, revi os sensacionais Cortina de fumaça (Wayne Wang), Cães de aluguel (Tarantino), Spider (David Cronenberg), e o melhor filme do Hector Babenco, Coração iluminado.

Além da lista anual, tenho mania de promover "mostras particulares", fazendo "cortes" por diretor. Em 2010 conheci, graças também às locadoras, os principais filmes de Luis Buñuel, Louis Malle e Daniel Burman. A decepção do ano foi o péssimo À procura de Eric, de Ken Loach ― que não é um mau diretor.

Como estamos "fechando uma década", fiz minha lista dos melhores filmes brasileiros da década (por ordem de preferência):

1. Amarelo Manga (Cláudio Assis, 2003)
2. Lavoura Arcaica (Luiz Fernando Carvalho, 2001)
3. Cinema, Aspirinas e Urubus (Marcelo Gomes, 2005)
4. Latitude Zero (Toni Venturi, 2001)
5. Bicho de Sete Cabeças (Laís Bodansky, 2000)
6. O invasor (Beto Brant, 2001)
7. O cheiro do Ralo (Heitor Dhalia, 2007)
8. Nina (Heitor Dhalia, 2004)
9. Árido Movie (Lírio Ferreira, 2006)
10. Cidade de Deus (Fernando Meirelles, 2002)

Não assisti, por opção, a Avatar, Chico Xavier, Nosso lar e O bem amado. E, depois de Drácula de Bram Stoker (Francis F. Coppola) e A dança dos vampiros (Roman Polanski), impossível contemplar algum outro "crepúsculo"...


Wellington Machado
Belo Horizonte, 4/1/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Casa, poemas de Mário Alex Rosa de Jardel Dias Cavalcanti
02. Os bigodes do senhor autor de Renato Alessandro dos Santos
03. 7 de Setembro de Luís Fernando Amâncio
04. As sobras completas, poesias de Jovino Machado de Jardel Dias Cavalcanti
05. Em noite de lua azul de Elisa Andrade Buzzo


Mais Wellington Machado
Mais Acessadas de Wellington Machado em 2011
01. Meu cinema em 2010 ― 2/2 - 4/1/2011
02. Ascensão e queda do cinema iraniano - 8/2/2011
03. O palhaço, de Selton Mello - 15/11/2011
04. Woody Allen quer ser Manoel de Oliveira - 19/7/2011
05. Steve Jobs e a individualidade criativa - 18/10/2011


Mais Especial Melhores de 2010
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
19/1/2011
09h50min
Achei o documentário "José e Pilar" maravilhoso, mas não acho que este filme coloque Pilar e Saramago no mesmo patamar. Achei a Pilar uma predadora. Uma mulher que forçava a barra para Saramago atender a todos. Ele gostava disso, sim, era vaidoso. Mas ela exigia dele uma rotina enlouquecedora. Durante o filme vemos várias vezes ele pedir para sair, para parar, para comer e ela sempre querendo que ele desse mais um pouco de sua energia para as pessoas. Fiquei bem mal impressionada com ela. Ele era conivente, mas por vaidade e amor a ela, e não porque queria efetivamente fazer as coisas. Ele adorava a casa onde morava e não conseguia parar lá. Ela estava sempre inventando uma viagem. Não deixava este homem parar para escrever... Para mim o documentário foi revelador...
[Leia outros Comentários de Ana Luísa Lacombe]
21/2/2011
22h31min
Gostei da sua lista dos melhores filmes brasileiros da década. A maioria deles também faria parte da minha lista. Filmes muito diferentes entre si, mostrando a diversidade e amplitude da produção nacional. Senti falta na lista de outro filme do Cláudio Assis - "Baixio das bestas", que mostra bem a hipocrisia de parte da sociedade e o comportamento dos políticos e seus filhos (explica até os passaportes diplomáticos para os filhos e netos do Lulla), com interpretação magistral da Dira Paes. A atuação do Matheus Nachtergaele nos dois filmes do Cláudio é surpreendente, convencendo tanto como homossexual quanto machão. Os dois filmes do Heitor Dhalia são surpreendentes, inovadores. Rodrigo Santoro mostrou o que sabe em "Bicho de sete cabeças". Outro que poderia fazer parte da lista é "Estômago", sem muita invenção formal, mas bem realizado. Lista é lista, cada um tem a sua!
[Leia outros Comentários de José Frid]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Conquista Divina
A. W. Tozer
Mundo Cristão
(1987)



Metrópole e Globalização - Conhecendo a Cidade de São Paulo
Maria Adélia Aparecida de Souza e Outros
Cedesp
(1999)



Um Pequeno Segredo
Linda Goodnight
Nova Cultural
(2003)



Shout! the True Story of the Beatles
Philip Norman
Pan
(2004)



O Nascimento da Imprensa Brasileira
Isabel Lustosa
Jorge Zahar
(2003)



Política Fiscal e Desenvolvimento no Brasil
Márcio Percival Alves Pinto e Geraldo Biasoto Jr
Unicamp
(2006)



As Origens da Globalização da Economia
Jacques Adda
Manole
(2004)



Histoire de Lart - L Art Moderne
Élie Faure
Libraire Plon
(1948)



Disciplina: Limite na Medida Certa 34ª Edição.
Içami Tiba
Gente
(1996)



Vida Com Esperança
Mark Finley; Peter Landlees
Do Autor
(2014)





busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês