A lei da palmada: entre tapas e beijos | Debora Carvalho | Digestivo Cultural

busca | avançada
71136 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
>>> Exposição coletiva 'Encorpadas - Grandes, largos, políticos: corpos gordos'
>>> Clássicos da Literatura Unesp ganha mais cinco títulos
>>> Bertolt Brecht inspira ÉPICO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
>>> Doutor Eugênio (1949-2020)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Itinerário de leituras on-line
>>> Sobre caramujos e Omolu
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Comum como uma tela perfeita
>>> Revista Meio Digital
>>> Do jornalismo como performance
>>> A Nova Revista da Cultura
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> A Teoria Hipodérmica da Mídia
>>> Os prédios mais feios de SP
Mais Recentes
>>> Dicionário Oxford Escolar Para Estudantes Brasileiros de Inglês de Oxford University pela Oxford (2009)
>>> Breve história de sete assassinatos de Marlon James pela Intrínseca (2017)
>>> Carmen Portinho - Coleção Perfis do Rio de Ana Luiz Nobre pela Relume Dumará (1999)
>>> Relações Humanas Interpessoais nas Convivências Grupais e Comunitárias de Silvino José Fritzen pela Vozes (1987)
>>> Perdas Necessárias de Judith Viorst pela Melhoramentos (1988)
>>> Acima de Qualquer Suspeita - Presumed Innocent de Scott Turow pela Record (1987)
>>> Para Gostar de Ler 27 - Histórias Sobre Ética de La Fontaine Machado de Assis e Outros pela Ática (2003)
>>> Dia dos Mortos de Marcelo Ferroni pela Globo (2004)
>>> Kota de Richar Forsithe pela Nova Cultural (1989)
>>> O que é Arte? A polemica visão do Autor de Guerra e Paz de Tolstoi pela Ediouro (2002)
>>> As Cinco Estações do Corpo de João Curvo e Walter Ms. Tuche pela Rocco (2001)
>>> Valsa Negra de Patrícia Melo pela Companhia das Letras (2003)
>>> Um Fio de Esperança de Nancy Guthrie pela Mundo Cristão (2008)
>>> Oblomov de Ivan Alexandrovitch Gotcharov pela Germinal (2001)
>>> O Apanhador no campo de centeio de Jorio Dauster; Antonio Rocha; Alvaro Alencar pela Do Autor (2012)
>>> Auto-sentimento de Norberto R. Keppe pela Proton (1977)
>>> A Nova Dieta Revolucionária do Dr. Atkins de Roberto Atkins pela Círculo do Livro (1972)
>>> Fé e Liberdade - O Pensamento Eco. da Escolástica de Alejandro A. Chafuen pela Lvm (2019)
>>> Serenidade e Paz pela Oração de Rafael Llano Cifuentes pela Do Autor (2002)
>>> Trilogia de Cinquenta tons de cinza. Vol.1 , Vol. 2 e Vol. 3 de E L James; E L James; Maria Carmelita Padua Dias pela Intrinseca (2012)
>>> Quando Tudo Não é o Bastante de Harold S. Kushner pela Nobel (1999)
>>> Febre de Enxofre de Bruno Ribeiro pela Penalux (2016)
>>> Grandes e novas Invenções de Não informado pela Knorr
>>> No Início - Contos de Adriana Griner pela Biblioteca Pública do Paraná (2014)
>>> Parâmetros Curriculares Nacionais - Vol 6 de Não informado pela Arte (1997)
>>> O Alquimista de Paulo Coelho pela Rocco (1988)
>>> Namoro blindado: O Seu Relacionamento à Prova De Coração Parido EAN: 9788578607654 de Renato & Cristiane Cardoso pela Thomas Nelson (2016)
>>> Navegar é preciso de Anaína Amado; Ledonias Franco Garcia pela Atual Didáticos (1989)
>>> Conte-me seus sonhos de Sidney Sheldon pela Record (2000)
>>> Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis pela Globo/Klick (1997)
>>> O poder das afirmações positivas - Coleção Autoestima EAN: 9788575421680 de Louise Hay pela Sextante (2005)
>>> As Melhores Histórias de Princesas de Monica Rodrigues da Costa e Lidia Chaib Adaptação pela Publifolha (2000)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 24. Crônicas 3º Volume (1871 - 1878) de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 23. Crônicas 2º Volume (1864 - 1867) de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> A Viola Enluarada De Zequinha Piriri EAN: 9788526231771 de Rosana Rios pela Scipione (1997)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 22. Crônicas 1º Volume (1859 - 1863) de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 21. Contos Fluminenses II de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 20. Contos Fluminenses I de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 19. Teatro de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 18. Poesias de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 17. Relíquias Da Casa Velha 2º Volume de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 16. Relíquias Da Casa Velha 1º Volume de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 15. Páginas Recolhidas de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> O melhor de Hagar o horrível – vol. 3: 441 EAN: 9788525412195 de Dik Browne pela L&PM Pocket (2007)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 14. Várias Histórias de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Dicionário Ilustrado da Língua Portuguesa 7 volumes de Antenor Nascentes pela Bloch (1972)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 13. Histórias sem Datas de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 12. Papeis avulsos de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 11. Histórias Românticas de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 10. Histórias da Meia Noite de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
COLUNAS

Quarta-feira, 18/1/2012
A lei da palmada: entre tapas e beijos
Débora Carvalho

+ de 7000 Acessos

A recente lei da palmada, que visa coibir a agressão doméstica contra crianças, o espancamento e a violência, tem sido um tema amplamente discutido nas redes sociais. Me surpreendeu o número de pessoas que se manifestaram na internet agradecendo as "surras" que levaram de seus pais, alegando que foi melhor apanhar deles do que da polícia.

Eu realmente não consegui entender tais manifestações. Será que são sinceras, ou são simplesmente uma "desculpa" para que esses filhos que apanharam prossigam batendo em seus próprios filhos?

Eu não agradeço as palmadas, nem as chineladas, nem as cintadas, nem os cascudos, nem os castigos que recebi, tendo que ficar de joelhos à beira da cama até segunda ordem. Não me tornaram uma pessoa melhor. Não me deram nada de bom. Eu não teria apanhado da polícia se tivesse passado a infância sem apanhar.

Que pecados uma criança comete para ter que apanhar?

Deixar cair o copo de vidro no chão? Derramar comida? Não querer emprestar o brinquedo? Mexer no estojo de maquiagem da mãe? Rabiscar a parede? Rasgar a revista do papai? Quebrar a corda do violão? Fazer xixi na cama? Ficar nervosa e jogar o brinquedo longe? Não querer tomar banho na hora que a mamãe quer sair - naquele horário totalmente fora da rotina da criança? Não comer toda a comida do prato? Cuspir da boca um alimento que causou repulsa ao seu paladar e insistir em não querer comer aquilo? Não gostar da cara de certa comida e não experimentar nem apanhando? Derramar comida na roupa nova? Querer comer sozinha, e com as mãos ao invés da colher? Chorar de sono?

E precisa apanhar por causa disso?

Em meu universo, nunca vi criança apanhar por algo diferente. Quando criança apanha é por causa dessas picuinhas que irritam os adultos que se esquecem que também foram crianças, que esquecem que as crianças estão em fase de desenvolvimento e que eles devem ser o exemplo, que esquecem que eles também não gostavam de sentir dor. Sentiam-se injustiçados. Mas, com o tempo, passaram a não ligar mais para ela. "Vou apanhar mesmo, depois a dor passa!" - É o que acontece com muitas crianças. Um dos meus irmãos falava isso na cara de pau para meus pais. E quando descobriram que ele não ligava, inventaram de colocar de castigo ajoelhado ou sentado, e ele pedia para trocar: "me bate o quanto você quiser, mas não me põe de castigo!" suplicava ele.

Detalhe: hoje ele também bate, ameaça, grita... coloca seus filhos de castigo... mas ele sabe muito bem (já conversamos a respeito), que bater não educa e que ele precisa lutar contra esse impulso que o leva a castigar com dor quando é desobedecido.

Quando a pessoa tem boa índole, o diálogo resolve. Aprender a resolver as coisas conversando é a melhor e mais difícil dádiva que os pais podem oferecer aos filhos. Normalmente, quem cresceu apanhando, acha que é isso que educa.

Muitos religiosos recorrem à cultura bíblica, pois um dos versos de Salomão diz: "Fustiga a criança com a vara e ela te dará sossego." Claro que dará. Até seu vizinho barulhento te dará sossego se você der uma surra nele. Mas trata-se de uma dica muito egoísta. E não é porque Salomão pensava ou agia dessa maneira que também devemos agir. Mesmo para os seguidores da Bíblia é importante ter a coerência de saber que nem tudo o que está escrito ali é para ser seguido. Só porque algum personagem bíblico fez ou pensou de tal forma não significa que é pra todo crente fazer igual. Pelo contrário. Muita coisa é para não fazer. A Bíblia também apresenta mocinhos e vilões. E tem mais, seria impossível viver ao pé da letra tudo o que está escrito na Bíblia - quem tenta fazer isso leva uma vida muito incoerente e ridícula. "Fustigar com vara" foi um pensamento de Salomão, opinião do rei hebreu, filho de Davi, e não uma ordem divina - dentro do contexto bíblico adotado por muitos como filosofia de vida que foi incorporada à cultura popular.

Bater em criança é anti-bíblico

Em outro lugar, Paulo diz aos pais que eles não devem provocar a ira em seus filhos, mas discipliná-los conforme a admoestação de Deus. Tem coisa que provoque mais ira em alguém do que levar uma surra? E, juntando o quebra-cabeças desse contexto, bater em criança é algo totalmente anti-bíblico, pois Deus disciplina da seguinte maneira: "Não por força, nem por violência, mas pelo meu espírito!". E o espírito de Deus é amor. E o amor "não se conduz de maneira inconveniente, não se alegra com a injustiça, e tudo suporta!"

Então, caros pais que gostam de bater, e rei Salomão, no mundo de hoje não existe mais lugar para bater numa criança só para ter sossego, deixando-a acuada e com medo. Isso tornou-se crime e sinônimo de pai que tem preguiça de educar.

E quanto aos preguiçosos que dizem seguir a cultura bíblica, mas nem se dão ao trabalho de pesquisar direito o significado, que tal parar de usar a Bíblia para defender os próprios pecados e defeitos? Isso não cola. É mentira! E, segundo a Bíblia, mentir é pecado, lembra?

Não me admira que muita criança criada nesse ambiente preguiçoso fique com raiva de Deus depois que cresce, pois esses pais ignorantes apresentam a elas um estilo de vida totalmente incoerente. E o jovem fica traumatizado e passa a acreditar que aquele mau comportamento dos adultos da sua família foi culpa da religião, de Deus e da Bíblia. É por isso que eu acho que gente ignorante não deve ler a Bíblia. É um livro perigoso demais para quem leva uma vida incoerente, sem nexo, sem princípios sinceros, e ainda tem preguiça de estudar e se informar. Tem maluco que abre a Bíblia em uma passagem que conta a história de um suicida, vai lá e faz igual, achando que Deus quer que ele tire a própria vida.

Mas, pelo que pude aprender até agora, em minha curta vida, o que entendi é que Deus existindo ou não, e sendo a Bíblia um livro sagrado ou não, história ou conto-de-fadas, a Bíblia tem coerência dentro do seu universo, mesmo dentro de toda a fantasia que ela possa representar. Incoerentes são as pessoas que utilizam esse livro para seus próprios interesses. Seja para bater numa criança, para originar uma guerra ou para discriminar alguém. Assim como eu não posso colocar comida no tanque de gasolina do carro esperando que ele ande, nem beber gasolina esperando alimentar o meu corpo, não posso interpretar nenhum texto - seja da Bíblia ou seja o roteiro de um filme de ficção científica - fora do contexto do seu próprio universo.

Em minha aprendizagem, o fato é que eu não mudei nenhum comportamento por causa das palmadas. Não parei de fazer o que achavam que não devia quando achava que meus pais é que estavam errados. Não mudei de opinião. E fui uma boa garota. Até melhor do que deveria ter sido. Apanhei pouco. Dá pra contar nos dedos das mãos. Mas me lembro da cada uma das "surras" - as leves e as mais pesadas, e de todo o sentimento que espremia meu coração e me fazia ter vontade de devolver. Também me lembro que uma simples conversa e compreensão seriam suficientes. Eu estava em fase de desenvolvimento, aprendendo a viver. Era réu primário - se aquilo fosse crime.

Eu entendo que a Lei da Palmada, na verdade, tem o objetivo de coibir espancamentos que sempre começam com um tapa. Em poder de quem tem tendência à violência, o tapa pode dar origem a uma avalanche muito violenta. Quem pode ser corrigido com um tapa, também pode ser corrigido com uma conversa ou com o cantinho da disciplina "à lá reallity show Supernanny".

O tapa é totalmente desnecessário. E perigoso. Assim como gritos, berros, e outras coisas que só servem para deseducar. Prova disso é que a geração que cresceu apanhando não fez diminuir a criminalidade. O que educa é estudo, informação, bom exemplo.

Não adianta justificar dizendo que palmada é repreensão, pois vem acompanhada de agressão física. Repreensão, sim. Até os adultos precisam disso. Agressão, não. Nem bandido pode apanhar da polícia - é crime também.

A repreensão infantil jamais deve vir acompanhada da agressão, seja física, emocional ou moral. Isso desvirtua os relacionamentos afetivos. Confunde. faz achar que quando amamos e somos amados devemos aceitar a violência e a pessoa que amamos deve também aceitar nossos impulsos de fúria.

A palmada ensina que devemos temer quem é mais forte, o mais poderoso. Dá origem ao bullying infantil na escola, com certeza. O mais forte deve subjugar o mais fraco, que deve deixar-se subjugar. Tá bom. Os religiosos equivocados vão dizer que na Bíblia está escrito que "Deus repreende e castiga a quem ama", e acha que quem ama o filho, bate - alegando ainda que dói mais no coração do pai/mãe do que no filho. Mas quem sabe ler também sabe que repreender e castigar não é sinônimo de bater.

Apanhar também faz a criança perder o interesse pela atividade que estava fazendo no momento em que apanhou - e nem sempre aquilo é o motivo de ter apanhado. Às vezes o pai descobre a nota vermelha e vem soltando os cachorros enquanto a criança está tocando violão, por exemplo.

Apanhar ensina que agressão física é uma atitude normal quando o mais fraco nos desobedece - e isso soa meio psicopático, não é? Não te lembra algum filme ou episódio de CSI, Law & Order...

Bater também ensina que o que resolve as coisas é a força bruta, e não o diálogo. Bater é algo originado nas guerras, naquele tempo em que até mesmo Deus mostrava seu poder em favor dos Hebreus fazendo com que ganhassem as batalhas contra os povos inimigos. Esta era a única linguagem da época. O Deus forte era o que ganhava as batalhas. Hoje isso não é mais necessário. O contexto mundial mudou. Não é mais a lei da força física, e sim, da intelectual.

Quem apanha aprende que de quem se espera amor também se deve esperar agressão. É isso o que um pai deseja para sua filha? Que ela aceite apanhar do marido? É isso o que a mãe quer ensinar ao filho? Que ele bata na esposa? E vice-versa, todo mundo apanhando, vivendo entre "tapas e beijos?"

Então, vamos evoluir assim como Deus evoluiu e não se manifesta mais através de guerras. Não é o que dizem os doutores em teologia? Então. Vamos evoluir e fazer a coisa certa. Educar pelo exemplo. Educar com amor. "Ensinar a criança o caminho em que ela deve andar", e não o contrário disso.

Até hoje eu me pego fazendo coisas que não gostaria, mas que faço inconscientemente - por causa da reprodução do comportamento que vi a vida toda. E sei que meus pais fizeram o mesmo. E meus avós fizeram o mesmo. Muita coisa consegui mudar antes da maternidade, e foi por isso que resolvi engravidar somente depois que completei 30 anos, para conseguir ser um exemplo positivo. É muito ruim e difícil romper esse ciclo de mau exemplo. Mas não é impossível. Milagres acontecem quando a gente acredita. De algum maneira, a gente consegue superar todos os nos de mau exemplo.

É muito mais fácil e natural educar com palmada, cinta e berro - ou melhor, seria, se isso educasse. Educar dá trabalho. Exige preparo, conhecimento, leitura, informação, humildade e aprendizado constante. A gente se prepara a vida toda para ter uma profissão. Se informa, faz Ensino Médio, Vestibular, passa anos na faculdade, às vezes trabalha duro para pagar os estudos... e os filhos? Não merecem que nos preparemos também para a função? Com preparo, vamos saber exatamente como agir, e se errarmos, vamos conseguir corrigir da próxima vez... até porque, mais cedo ou mais tarde, as crianças deixam de ser crianças e descobrem que os adultos erram muito mais do que elas. E essa frustração dói muito. Então, faça seu filho ser uma pessoa humana, que erra e que acerta, assim como você.

E isso nada tem a ver com religião, nem com ordem divina, nem com superioridade ou autoridade de pai. Tem a ver com ser gente. Gente. Aliás, é o poder da palavra, é a comunicação que nos faz gente. Não a luta física. Macaco luta, cachorro luta, rinoceronte luta... e pessoas conversam.

Viva a lei da palmada! Se até a Bíblia apoia essa lei, como é que os religiosos podem se manifestar contra? Coerência, por favor!!!


Débora Carvalho
São Paulo, 18/1/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Proposta Decente? de Marilia Mota Silva
02. 2011: a queda do império? de Gian Danton
03. É hora de estudar fora de Carla Ceres
04. Perry Rhodan - 50 anos de aventuras espaciais de Gian Danton
05. Em busca da adrenalina perdida de Marta Barcellos


Mais Débora Carvalho
Mais Acessadas de Débora Carvalho
01. Choque de realidade no cinema - 23/2/2010
02. Por que comemorar o dia das mães? - 4/5/2010
03. Metade da laranja ou tampa da panela? - 13/7/2010
04. Como você aprende? - 24/2/2011
05. Orgasmo ao avesso - 22/6/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ANÁLISE MARXISTA - ARRAIGADOS E FIRMADOS NA CARIDADE - 2379
PEDRO ARRUPE
LOYOLA
(1980)
R$ 10,00



OUTRA AMAZÔNIA HISTÓRICA DA BIBLIOTECA NACIONAL - 9357
DIVERSOS
N/D
(2009)
R$ 10,00



RIR AINDA É O MELHOR REMÉDIO
ROBERT HOLDEN
BUTTERFLY
(2005)
R$ 10,00



PEDAÇOS DE VIDA
OTÁVIO BRAGA
BELO HORIZONTE
R$ 10,00



HISTÓRIAS E FRASES DE EFEITO (PARA APRESENTAÇÃO EM PÚBLICO) - 9660
ACÁCIO MORAES GARCIA (AUTOGRAFADO)
DO AUTOR
(2010)
R$ 10,00



CEM PEQUENAS POESIAS DO DIA A DIA
ANDRE KONDO
TELUCAZU EDIÇÕES
(2016)
R$ 10,00



XAVIERA - A RAINHA DAS ALICIADORAS
XAVIERA HOLLANDER
RECORD
(1973)
R$ 10,00



LENDAS E MITOS DO BRASIL
THEOBALDO MIRANDA SANTOS
CIA EDIT NACIONAL
(2004)
R$ 10,00



COMO TRABALHAR PARA UM IDIOTA
JOHN HOOVER
FUTURA
(2005)
R$ 10,00



O VALOR DA AMIZADE
ATILANO ALAIZ
PAULINAS
(1986)
R$ 10,00





busca | avançada
71136 visitas/dia
2,4 milhões/mês