Estação Esperança | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
77579 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Mestres da dança de MG, Marlene Silva e Henry Netto são homenageados em 17 e 18 de março
>>> Projeto “Sala de Visita” recebe Mauricio Virgulino para falar sobre Educomunicação e arte
>>> ZapMusic, primeiro streaming de músicos brasileiros, abre inscrições para violonistas
>>> Espetáculo de dança em homenagem à Villa-Lobos estreia nesta sexta
>>> Filó Machado comemora 70 anos de vida e 60 de carreira em show inédito com sexteto
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Tiro ao alvo
>>> A TETRALOGIA BUARQUEANA
>>> Bom de bico
>>> Diário oxigenado
>>> Canção corações separados
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O menino e o Homem Aranha
>>> À beira do caminho
>>> William Faulkner e a aposta de Pascal
>>> Modernismo e Modernidade
>>> O último a sair que apague a luz
>>> Entretenimento dá dinheiro, sim!
>>> Teatro para todos
>>> Creating a profitable startup
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> Itaúnas não será esquecida e nem Bento
Mais Recentes
>>> O Patinho Feio Clássicos Ilustrados de Mauricio de Sousa pela Girassol (2016)
>>> O Que São Multinacionais de Bernardo Kucinski pela Brasiliense
>>> Razão e Sensibilidade de Jane Austin pela Lafonte (2020)
>>> Alice no País das Maravilhas de Lewis Caroll pela Scipione
>>> O Ouro de Midas de Adriana Bernardino pela Ftd
>>> Dom Quixote (capa Verde) de Miguel de Cervantes pela Abril Cultural
>>> Siga Seu Coração de Andrew Matthews pela Sextante (2007)
>>> Desabrochar de Emoções- Poemas de Esther Sterenberg pela Esther Sterenberg
>>> O Verde Que Vale Ouro de Daniel C. Esty; Andrew Winston pela Campus (2008)
>>> Os Sonhos Que Alimentam a Vida de José Gregori pela Jaboticaba
>>> Conexão de Maria Aparecida Martins pela Vida e Consciência (2001)
>>> Sem Pecado de Ana Miranda pela Companhia das Letras (1993)
>>> Que Saudade, Snoopy! de Charles M. Schulz pela Conrad
>>> A Rebelião da Pontuação de William Tucci pela Scipione (2008)
>>> Histórias do Pooh de Disney pela Publications International (2009)
>>> Quem Mexeu no Meu Queijo? de Spencer Johnson pela Record (1998)
>>> A Farsa de Christopher Reich; Fernanda Abreu pela Arqueiro (2008)
>>> A Galeria da Fama dos Cientistas Malucos de Daniel H. Wilson pela Cultrix (2011)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1980)
>>> A Most Wanted Man de John Le Carré pela Hodder and Stoughton
>>> Noite na Taverna de álvares de Azevedo pela Ediouro
>>> The 17 Day Diet de Dr. Mike Moreno pela Free Press (2010)
>>> Lava Jato de Vladimir Netto pela Primeira Pessoa (2016)
>>> The Phantom of the Opera de Jennifer Bassett pela Oxford
>>> Necessidades Humanas Subsídios À Crítica dos Mínimos Sociais de Potyara a P Pereira pela Cortez (2000)
COLUNAS

Quinta-feira, 3/1/2013
Estação Esperança
Elisa Andrade Buzzo

+ de 2800 Acessos


ilustra: Renato Lima

Eis que a primavera é chegada em cada escapamento desabrochando. Ai que linda a dança dos carburadores alimentando a vida que finalmente dá seu salto esperançoso de continuidade. Essa transição promíscua entre a morte e a vida mexe com os cidadãos da urbe pouco afeita às maravilhas vegetais. No Centro Velho, os rosas e azuis da arquitetura de Artacho Jurado estão mais vivos e os cachecóis dos passantes imprimem estampas étnicas coloridas. A circulação de gente nada mais é que sombras oscilantes na claridade suspensa do retomar. A cidade é um camaleão que cria suas próprias cores, a depender da luminosidade, aprendeu a verter o cinza em cor de beleza e flor para a chegada da estação.

Do alto do Minhocão o dia amanheceu em tons de pêssego e nêspera, e eles vão se sucedendo numa luminosidade baça e entediante, não fosse a esperança da mudança atmosférica, da vida movendo-se ao pico do meio-dia. As fachadas dos prédios adquirem tonalidades fortes, sob o látego deste sol que adquire intensidade. As grandes vidraças resplandecem o sentimento da primavera nas poucas samambaias entregues ao vento, e é na velocidade dos autos que o recorte do skyline e da pista se desfaz em um todo contínuo, sucessão de imagens como um raciocínio que se autocompletasse.

Um trânsito descomunal toma conta das avenidas, pois a primavera é chegada, é tempo de se estar ao ar livre, contemplando a poluição, sentindo no rosto a baforada quente do eterno terral que não vence os contornos serranos. Cada antena alojada num prédio é um pico de alegria. Cada sombrinha uma flor bem-aberta e triste. Esta primavera tem mais termômetros palpitando do que botões abrindo. Ainda assim, do ipê contempla-se a singeleza do espetáculo de sua chuva rosada. E em meio à população em polvorosa, os gringos a trabalho na cidade querida encantam-se com o bom clima, a beleza discreta das mulheres paulistanas.

E pelos túneis da Estação Esperança as gentes perpassam e saem renovadas da terra sem frescor. Não importa se lhe falta profusão, a primavera chega deslizando em abismos. Pelas escadarias, elas são levadas pela tarde que se diz gostosa, quente e fresca com um céu de nuvens macias e brancas. Fim de tarde em tempo de primavera na cidade é assim, sem flores, dentro de apartamento, com taça de vinho e música lenta, que a vida pode não ter pétalas, nem ser poética, mas tem caule e a força do desfalecimento dos sentidos. E no início de noite primaveril, o céu carregado se desvai em chuva, em beijo duro e distante, em aspereza de espinho e incerteza.

Em outras casas, palmeiras artificiais dão a essa estação um ar de médio-oriente, é a planta que cresce e oferece sua sombra rastejante como dádiva aos seres errantes. E as amoreiras perdidas pelos bairros oferecem ao chão asfaltado sua tintura rubra de fruta madura, enquanto seus galhos altos ostentam o inalcançável. Que não se engane quem deixa o que se pode fazer hoje para depois, que posterga o amor para mais tarde − a certeza do desabrochar é esta: a vida é no aqui e no agora.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 3/1/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Notas confessionais de um angustiado (VII) de Cassionei Niches Petry
02. Vinicius de Julio Daio Borges
03. Uma lição de solfejo de Carina Destempero
04. Autoajuda e Poesia de Mariana Portela
05. Dark (k)night rises de Marilia Mota Silva


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2013
01. Reflexões de um desempregado - 11/4/2013
02. A Casa de Ramos - 31/1/2013
03. Tempo de nebulosas - 31/10/2013
04. A cidade do improvável - 16/5/2013
05. De tinta e fio é feito o homem - 14/3/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Perdoem Nossos Prazeres
Sandra Russo
V e R
(2006)
R$ 8,38



Caixa Especial Estilo de Vida - 5 Vol.
Fernando A. Lucchese
L&pm
(2010)
R$ 73,00



Força Interior
Carlos França
Círculo do Livro
(1988)
R$ 5,00



Técnicas Operantes na Sala de Aula
Lloyd Homme e Outros Autores
De Brasília
(1971)
R$ 5,00



Mulher Aranha de Volta à Batalha
Universo do Renascimento
Panini Comics
R$ 6,00



Brilhe a Tua Luz
S. João Bosco
Pallotti
(1988)
R$ 15,00



A Sociologia de Anthony Giddens
Jean Nizet
Vozes
(2016)
R$ 38,95



Mitos e Verdades Perguntas e Respostas Radiações 9047
Luiz A. M. Scaff
Barcarola
(2002)
R$ 12,00



Globo rural--116--rainhas do mel.
Editora globo
Globo
(1995)
R$ 16,00



Gratuita 2 Volumes
Maria Carolina Fenati (org)
Chão da Feira
(2015)
R$ 30,00





busca | avançada
77579 visitas/dia
2,1 milhões/mês