Maffesoli, Redes Sociais e o Mundo Reencantado | Guilherme Mendes Pereira | Digestivo Cultural

busca | avançada
39185 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
>>> Jack Ma e Elon Musk
>>> Marco Lisboa na Globonews
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Dicas para a criação de personagens na ficção
>>> Tiros, Pedras e Ocupação na USP
>>> Oficina de conto na AIC
>>> Crônica em sustenido
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> O julgamento do mensalão à sombra do caso Dreyfus
>>> Retomada do crescimento
>>> Drummond: o mundo como provocação
>>> Cigarro, apenas um substituto da masturbação?
>>> De volta às férias I
Mais Recentes
>>> Tania Castelliano e J. Cabral de Entenda Seus Conflitos e Livre-se Deles pela Record (2002)
>>> 1ª Oficina de Desenho Urbano de Florianópolis de Silvia Ribeiro Lenzi (et..al): Organização pela Ipuf/ Pmf Arq./ Ufsc (1994)
>>> 1ª Oficina de Desenho Urbano de Florianópolis de Silvia Ribeiro Lenzi (et..al): Organização pela Ipuf/ Pmf Arq./ Ufsc (1994)
>>> Primeira Vez de Ivan Jaf pela Moderna (1997)
>>> Primeira Vez de Ivan Jaf pela Moderna (1998)
>>> Fe, Razon y Civilizacion: Ensayo de Análisis Historico de Harold J. Laski pela Editorial Abril/ Buenos Aires (1945)
>>> Bolofofos e Finifinos de Fernando Sabino pela Ediouro (2006)
>>> ...Quando Florescem os Ipês de Ganymédes José pela Brasiliense (1986)
>>> Robinson Crusoé A Conquista do Mundo numa Ilha de Daniel Defoe pela Scipione (1983)
>>> O Monstro do Morumbi de Stella Carr pela Moderna (1993)
>>> O Útimo Magnata de F. Scott Fizgerald / Introd.: Edmund Wilson pela Record
>>> Poesia e Prosa - (obras Completas- Avulso): Volume 3/ Encadernado de Edgar Allan Poe pela Ed. da Livr. do Globo (1944)
>>> Dama da Caridade de Antonio Cesar Perri de Carvalho pela Radhu (1987)
>>> O Castelo dos Horrores de Thomas Brezina pela Melhoramentos (1996)
>>> Rita Está Crescendo de Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual (1989)
>>> Feliz Ano Velho de Marcelo Rubens Paiva pela Círculo do livro (1989)
>>> Uma Escola para o Povo de María Teresa Nidelcoff pela Brasiliense (1980)
>>> O Mulato de Aluísio Azevedo pela Ática (1970)
>>> Uma Escola para o Povo de María Teresa Nidelcoff pela Brasiliense (1981)
>>> O Gato Sou Eu: Todos Têm o Direito de Sonhar... de Fernando Sabino pela Record (1983)
>>> O Navegador do Espaço de José Acleildo de Andrade pela Leal (2006)
>>> Os Raios Invisíveis O astral das Coisas de Acervo Papus pela Gnosis (2002)
>>> Passes e Radiações de Edgard Armond pela Aliança (1999)
>>> O Livro da Lua de Marcia Mattos pela Campus (2001)
>>> Yokaanam fala á Posteridade de Vários pela Edição do Autor (1970)
>>> Os Tecelões do Destino de Eurípedes Kühl pela Petit (2001)
>>> O Poder dos Anjos de Martin Claret pela Martin Claret
>>> Eliminando o Estresse de Brian L. Weiss M.D. pela Sextante (2006)
>>> Fenômenos Ocultos de Zsolt Aradi pela Ibrasa (1976)
>>> Los Rosacruces de Christopher Mc Intosh pela Edaf (1988)
>>> Bases Esenias ( Em 02 volumes ) de Oreb Raja Aari pela Organizacion Esenia Universal
>>> Mudando o seu destino de Mary Orser e Ricardo Zarro pela Summus (1991)
>>> Magia Organizada Planetária de Vicente Beltran Anglada pela Aquariana (1990)
>>> Muralhas do passado de Jaci Regis pela Dpl (2001)
>>> O séculos dos Cirugiões de Jürgen Thorwald pela Hemus
>>> Dicionarios de las artes adivinatorias de Gwen Le Scouézec pela Martínez Roca (1973)
>>> Há Solução Sim! de José Lázaro Boberg pela Chico Xavier (2012)
>>> A Outra Face da doença de Mokiti Okada pela Fundação Mokiti (1986)
>>> Como evitar as influências Negativas de Amadeus Volben pela Pensamento (1984)
>>> A Última Grande lição ( O Sentido da vida) de Mitch Albom pela Sextante (1997)
>>> Terceiro Milênio de Carlos E. Pesssione pela Z. Valentin gráfica (1992)
>>> Segurança Mediúnica de João Nunes Maia pela Espirita Cristã (1992)
>>> O Que é o Espiritismo de Allan Kardec pela Ide (2008)
>>> Os Novos Pagãos de Hans Holzer pela Record (1972)
>>> As propriedades curativas dos cristais e das pedras Preciosa de Katrina Raphael pela Pensamento (1995)
>>> Justça Além da Vida de José Carlos de Lucca pela Petit (2001)
>>> Vida Ativa de Parker J. palmer pela Cultrix (1990)
>>> Amor e Vida de René Pessa pela Seja (1996)
>>> Você já viveu outras Vidas de Kurt Allgeier pela Ediouro (1998)
>>> A Misericórdia Divina nos liberta do passado de Izoldino Resende pela Chico Xavier (2012)
COLUNAS

Sexta-feira, 24/5/2013
Maffesoli, Redes Sociais e o Mundo Reencantado
Guilherme Mendes Pereira

+ de 5800 Acessos

Michel Maffesoli, sociólogo francês, pupilo de Gilbert Durand, atualmente professor da Universidade Paris Descartes, é um dos pensadores expoentes do que muitos convencionaram como pós-modernidade, conceito guarda-chuva que tenta abranger nossa sociedade contemporânea, suas práticas, produções culturais e relações sociais.

Figura despojada e ao mesmo tempo formal, de olhar brando e também firme, - destaque para a gravata-borboleta e as meias coloridas - Maffesoli nos proporcionou momentos de animada e entusiasmante companhia em um seminário ministrado por ele na Faculdade de Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, entre os dias 21 e 23 de novembro de 2012.

Divertida surpresa, além da oportunidade de travar contato com ideias articuladas cara-a-cara pelo pensador aclamado mundialmente foi, em dado momento, presenciá-lo corrigindo o tradutor, (sim, ele compreende bem até demais o nosso português): - [...] colegas não. Amigos! (ele referia-se ao público presente no seminário). E foi essa espontaneidade (quase Facebookiana) calorosa e fraternal que permeou sua fala densa e plural, recheada de uma manancial de conceitos e ideias, durante todo o evento.

Tento nos poucos parágrafos seguintes trazer algumas das inúmeras ideias apresentadas por esse mais novo e simpático amigo do Facebook. Destaco em particular os conceitos que tentam iluminar o nosso presente cibermediado e a vida cotidiana conduzida através das redes.

As teses de Maffesoli, grosso modo, partem da tentativa de compreender as comunidades (que ele chama de tribos) e seus imaginários e práticas cotidianas, entendidos como elos (cimento social) que alicerçam e sustentam a vida nas sociedades contemporâneas.

Para entendermos algo precisamos desvelar seus paradoxos e estruturas ao longo do tempo. Assim, a todo momento, Maffesoli nos expôs a dicotomia modernidade versus pós-modernidade. A modernidade com seu monoteísmo de valores, fundada na tradição perene, nas verdades absolutas, na ciência, nas grandes narrativas, na utopia do progresso e na ideia da salvação futura do espírito individual versus a pós-modernidade, barroca, difusa, fragmentada, descrente e caótica, que dá lugar ao politeísmo de valores, as ambiguidades, conflitos e incertezas dos sujeitos.

O conceito politeísmo de valores tenta sinalizar que não acreditamos mais na salvação através do trabalho, por intermédio de uma divindade onisciente e onipotente ou até mesmo pelo auxílio de um super-herói filho da modernidade. Perdidos, confusos e inseguros, nós, agora pós-modernos, parecemos retornar aos anseios e instintos arcaicos mais intuitivos. O futuro é incerto, o ideal de progresso e as grandes ideologias foram descortinadas. O importante agora é o estar junto. É o viver o presente com seus próximos da forma mais prazerosa possível. Aos olhos de Maffesoli, a aparente superficialidade do estar junto começa a ser complexificada e revalorada.

Nesse momento pós-moderno germinam sujeitos duplos, ambíguos, que se expressam através da teatralidade do dia-a-dia, do sentimento trágico da existência. Nas redes sociais da internet, por exemplo, como nos mostrou Maffesoli, insurgem outras formas de estar junto, de copertencer e de se relacionar, baseadas não mais no contrato social, mas agora no que o pensador chama de o pacto emocional.

É a chamada horizontalidade pós-moderna (a lei dos irmãos ou imanação) maximizada pela evolução tecnológica que substitui a verticalidade moderna (a lei do pai), que durante muito tempo estratificou e institucionalizou ideologicamente a sociedade em fatias estanques, seguras. Através da lei dos irmãos, os sentidos agora são construídos e experenciados no momento presente, e, através de uma maximização do sensorial e das relações sociais, tudo passa a ter sentido. É o momento da viralidade nos meios de comunicação social digitais. Aliás, a metáfora do vírus revela um contraponto interessante a assepsia e sanidade obstinadamente galgadas na modernidade, como nos indicou Maffesoli. Na net se propaga a figura do fractal, do fragmentado, do barroco, e os indivíduos passam a buscar a realização através do online na vivência de pequenas utopias intersticiais. Pequenas utopias que preenchem os vazios, conectam pedaços de nossas vivências e nos ligam ao outro.

O pensador ilustrou a pós-modernidade através da figura de Dionísio, ambígua, errante, aventureira, em busca do gozo na vivência despreocupada do presente. É a imagem da criança eterna, que carece de apoio do elemento maternal. Sinaliza o regresso às entranhas, ao sensível, ao sensorial. Sintonizada com as cadências do devir. O ser humano é percebido em seu âmago, além do cérebro racionalizador, com seu corpo sensual pleno de ritmos e sentidos. Essa imagem se contrapõe a Apolíneo ou Prometeu, representante da época moderna, um adulto centrado em si, coerente, trabalhador e procriador, que influenciou a racionalização da vida social no esquema da linha de montagem, baseada no trabalho e no contrato social.

O sujeito pós-moderno, hedonista e narcisista, que se importa com o gozo presente acima de tudo, valoriza e usufrui do seu corpo, da sexualidade e suas ambivalências. Mas esse narcisismo, conforme destacou Maffesoli não se constitui a partir do mergulho no reflexo de si, e sim na imersão na profusão do ambiente aquífero que conforma esse reflexo. No narcisismo das redes online importa a comunhão com o outro através do mergulho nas redes informacionais que acomodam realidades. Busca-se maneiras alternativas de se viver. Na net, florescem ímpetos de generosidade e solidariedade em prol do estar junto. Compartilhar, colaborar, cooperar são as ideias da vez que demostram essa outra forma de fruição do sujeito que se dá através do (e pelo) outro. Só há eu, mundo e coisas sob o olhar e elaboração do outro, insistiu Maffesoli.

Para o sociólogo, existe uma agitação entre paradigmas diversos, numa espécie de processo que tende ao equilíbrio: a supremacia de um tende a estimular a sobreposição de outro. Assim, no embate modernidade versus pós-modernidade os arcaísmos parecem retornar neste segundo momento.

Assim sendo, por exemplo, com o avanço da técnica no ocidente, o desenvolvimento científico e a racionalização totalitária das coisas e da vida, aconteceu uma espécie de desencantamento do mundo. Mas com a tecnologia pós-moderna, que uniu o logos a techné, parece acontecer o contrário: o reencantamento do mundo. A maior expressão atual disso, a internet, revela como seu principal propósito hoje o estabelecimento de laços, o gozo real, o lúdico do momento.

Só se pode captar o real a partir do seu avesso: o irreal, advertiu Maffesoli. O irreal advém do imaginário. O irreal, o imaginário, o lírico e o onírico renascem sob a alcunha do realismo mágico. Realismo esse potencializado pelas tecnologias cibernéticas. A pandemia da comunicação digital viral pós-moderna traz consigo outras formas de solidariedade e o pacto emocional das tribos pós-modernas. Pacto através do qual a razão e o humano, o intelecto e o afeto voltam a se inter-relacionar. E aí se acontece outro renascimento, juvenil, sobre o qual temos ainda muito o que apreender e compreender.

Após três dias de muitas conversas e apreensão de ideias, Maffesoli se foi, deixando saudades em seus mais novos amigos. Mas continuamos mantendo contato pelo Facebook.

Para ir além:
MAFFESOLI, Michel. O conhecimento comum. Porto Alegre: Sulina, 2007.

MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1988.

MAFFESOLI, Michel. O tempo retorna: formas elementares do pós-modernidade. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.


Guilherme Mendes Pereira
Pelotas, 24/5/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Minimundos, exposição de Ronald Polito de Jardel Dias Cavalcanti
02. De volta à antiga roda rosa de Elisa Andrade Buzzo
03. Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin de Jardel Dias Cavalcanti
04. Dilúvio, de Gerald Thomas de Jardel Dias Cavalcanti
05. Viena expõe obra radical de Egon Schiele de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Guilherme Mendes Pereira
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MACHADO DE ASSIS TEATRO
JOEL PONTES
AGIR
(1960)
R$ 4,95



OITO OU NOVE ENSAIOS SOBRE O GRUPO CORPO
INÊS BOGÉA
COSAC & NAIFY
(2007)
R$ 30,00
+ frete grátis



REVELAÇÃO NO ALTAR
VALDEMIRO SANTIAGO
IMPD
(2009)
R$ 4,50



UM MUNDO TRANSPARENTE
MORRIS WEST
CÍRCULO DO LIVRO
(1983)
R$ 4,14



MINHA FORMAÇÃO
JOAQUIM NABUCO
PROGRESSO
(1947)
R$ 44,10
+ frete grátis



OS MARRANOS BRASILEIRA
ISAAC IZECKSOHN
FREITAS BASTOS
(1967)
R$ 175,00



IMPRENSA BRASILEIRA: PERSONAGENS QUE FIZERAM HISTÓRIA - VOL. 4
JOSE MARQUES DE MELO ORG. - NOVO
IMPRENSA OFICIAL
(2005)
R$ 30,00



AS CRÓNICAS DO TOBIAS
JOSÉ MURTA LOURENÇO
ESCRITOR
(2001)
R$ 5,22



ASPECTOS BIOLOGICOS DA FLORA BRASILEIRA
JOÃO S. DECKER
ROTERMUND & CO
(1960)
R$ 24,97



OS PRECURSORES DA ABOLIÇÃO
AMÉRICO PALHA
RECORD
(1965)
R$ 5,00





busca | avançada
39185 visitas/dia
1,1 milhão/mês