Maffesoli, Redes Sociais e o Mundo Reencantado | Guilherme Mendes Pereira | Digestivo Cultural

busca | avançada
36499 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 24/5/2013
Maffesoli, Redes Sociais e o Mundo Reencantado
Guilherme Mendes Pereira

+ de 5900 Acessos

Michel Maffesoli, sociólogo francês, pupilo de Gilbert Durand, atualmente professor da Universidade Paris Descartes, é um dos pensadores expoentes do que muitos convencionaram como pós-modernidade, conceito guarda-chuva que tenta abranger nossa sociedade contemporânea, suas práticas, produções culturais e relações sociais.

Figura despojada e ao mesmo tempo formal, de olhar brando e também firme, - destaque para a gravata-borboleta e as meias coloridas - Maffesoli nos proporcionou momentos de animada e entusiasmante companhia em um seminário ministrado por ele na Faculdade de Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, entre os dias 21 e 23 de novembro de 2012.

Divertida surpresa, além da oportunidade de travar contato com ideias articuladas cara-a-cara pelo pensador aclamado mundialmente foi, em dado momento, presenciá-lo corrigindo o tradutor, (sim, ele compreende bem até demais o nosso português): - [...] colegas não. Amigos! (ele referia-se ao público presente no seminário). E foi essa espontaneidade (quase Facebookiana) calorosa e fraternal que permeou sua fala densa e plural, recheada de uma manancial de conceitos e ideias, durante todo o evento.

Tento nos poucos parágrafos seguintes trazer algumas das inúmeras ideias apresentadas por esse mais novo e simpático amigo do Facebook. Destaco em particular os conceitos que tentam iluminar o nosso presente cibermediado e a vida cotidiana conduzida através das redes.

As teses de Maffesoli, grosso modo, partem da tentativa de compreender as comunidades (que ele chama de tribos) e seus imaginários e práticas cotidianas, entendidos como elos (cimento social) que alicerçam e sustentam a vida nas sociedades contemporâneas.

Para entendermos algo precisamos desvelar seus paradoxos e estruturas ao longo do tempo. Assim, a todo momento, Maffesoli nos expôs a dicotomia modernidade versus pós-modernidade. A modernidade com seu monoteísmo de valores, fundada na tradição perene, nas verdades absolutas, na ciência, nas grandes narrativas, na utopia do progresso e na ideia da salvação futura do espírito individual versus a pós-modernidade, barroca, difusa, fragmentada, descrente e caótica, que dá lugar ao politeísmo de valores, as ambiguidades, conflitos e incertezas dos sujeitos.

O conceito politeísmo de valores tenta sinalizar que não acreditamos mais na salvação através do trabalho, por intermédio de uma divindade onisciente e onipotente ou até mesmo pelo auxílio de um super-herói filho da modernidade. Perdidos, confusos e inseguros, nós, agora pós-modernos, parecemos retornar aos anseios e instintos arcaicos mais intuitivos. O futuro é incerto, o ideal de progresso e as grandes ideologias foram descortinadas. O importante agora é o estar junto. É o viver o presente com seus próximos da forma mais prazerosa possível. Aos olhos de Maffesoli, a aparente superficialidade do estar junto começa a ser complexificada e revalorada.

Nesse momento pós-moderno germinam sujeitos duplos, ambíguos, que se expressam através da teatralidade do dia-a-dia, do sentimento trágico da existência. Nas redes sociais da internet, por exemplo, como nos mostrou Maffesoli, insurgem outras formas de estar junto, de copertencer e de se relacionar, baseadas não mais no contrato social, mas agora no que o pensador chama de o pacto emocional.

É a chamada horizontalidade pós-moderna (a lei dos irmãos ou imanação) maximizada pela evolução tecnológica que substitui a verticalidade moderna (a lei do pai), que durante muito tempo estratificou e institucionalizou ideologicamente a sociedade em fatias estanques, seguras. Através da lei dos irmãos, os sentidos agora são construídos e experenciados no momento presente, e, através de uma maximização do sensorial e das relações sociais, tudo passa a ter sentido. É o momento da viralidade nos meios de comunicação social digitais. Aliás, a metáfora do vírus revela um contraponto interessante a assepsia e sanidade obstinadamente galgadas na modernidade, como nos indicou Maffesoli. Na net se propaga a figura do fractal, do fragmentado, do barroco, e os indivíduos passam a buscar a realização através do online na vivência de pequenas utopias intersticiais. Pequenas utopias que preenchem os vazios, conectam pedaços de nossas vivências e nos ligam ao outro.

O pensador ilustrou a pós-modernidade através da figura de Dionísio, ambígua, errante, aventureira, em busca do gozo na vivência despreocupada do presente. É a imagem da criança eterna, que carece de apoio do elemento maternal. Sinaliza o regresso às entranhas, ao sensível, ao sensorial. Sintonizada com as cadências do devir. O ser humano é percebido em seu âmago, além do cérebro racionalizador, com seu corpo sensual pleno de ritmos e sentidos. Essa imagem se contrapõe a Apolíneo ou Prometeu, representante da época moderna, um adulto centrado em si, coerente, trabalhador e procriador, que influenciou a racionalização da vida social no esquema da linha de montagem, baseada no trabalho e no contrato social.

O sujeito pós-moderno, hedonista e narcisista, que se importa com o gozo presente acima de tudo, valoriza e usufrui do seu corpo, da sexualidade e suas ambivalências. Mas esse narcisismo, conforme destacou Maffesoli não se constitui a partir do mergulho no reflexo de si, e sim na imersão na profusão do ambiente aquífero que conforma esse reflexo. No narcisismo das redes online importa a comunhão com o outro através do mergulho nas redes informacionais que acomodam realidades. Busca-se maneiras alternativas de se viver. Na net, florescem ímpetos de generosidade e solidariedade em prol do estar junto. Compartilhar, colaborar, cooperar são as ideias da vez que demostram essa outra forma de fruição do sujeito que se dá através do (e pelo) outro. Só há eu, mundo e coisas sob o olhar e elaboração do outro, insistiu Maffesoli.

Para o sociólogo, existe uma agitação entre paradigmas diversos, numa espécie de processo que tende ao equilíbrio: a supremacia de um tende a estimular a sobreposição de outro. Assim, no embate modernidade versus pós-modernidade os arcaísmos parecem retornar neste segundo momento.

Assim sendo, por exemplo, com o avanço da técnica no ocidente, o desenvolvimento científico e a racionalização totalitária das coisas e da vida, aconteceu uma espécie de desencantamento do mundo. Mas com a tecnologia pós-moderna, que uniu o logos a techné, parece acontecer o contrário: o reencantamento do mundo. A maior expressão atual disso, a internet, revela como seu principal propósito hoje o estabelecimento de laços, o gozo real, o lúdico do momento.

Só se pode captar o real a partir do seu avesso: o irreal, advertiu Maffesoli. O irreal advém do imaginário. O irreal, o imaginário, o lírico e o onírico renascem sob a alcunha do realismo mágico. Realismo esse potencializado pelas tecnologias cibernéticas. A pandemia da comunicação digital viral pós-moderna traz consigo outras formas de solidariedade e o pacto emocional das tribos pós-modernas. Pacto através do qual a razão e o humano, o intelecto e o afeto voltam a se inter-relacionar. E aí se acontece outro renascimento, juvenil, sobre o qual temos ainda muito o que apreender e compreender.

Após três dias de muitas conversas e apreensão de ideias, Maffesoli se foi, deixando saudades em seus mais novos amigos. Mas continuamos mantendo contato pelo Facebook.

Para ir além:
MAFFESOLI, Michel. O conhecimento comum. Porto Alegre: Sulina, 2007.

MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1988.

MAFFESOLI, Michel. O tempo retorna: formas elementares do pós-modernidade. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.


Guilherme Mendes Pereira
Pelotas, 24/5/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A Vida dos Obscuros de Marilia Mota Silva
02. O papel aceita tudo de Jardel Dias Cavalcanti
03. Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração de Celso A. Uequed Pitol
04. Dilúvio, de Gerald Thomas de Jardel Dias Cavalcanti
05. Super Campeões, trocas culturais de Brasil e Japão de Luís Fernando Amâncio


Mais Guilherme Mendes Pereira
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TARZAN -GREYSTOKE A LENDA DE TARZAN O REI DA SELVA Nº01-COLORIDO 9057
EDGAR RICE BURROUGHS
EBAL
(1984)
R$ 29,00



DESNUTRIÇÃO E APRENDIZAGEM
JOVELINA BRAZIL DANTAS
ÁTICA
(1981)
R$ 4,90



UMA ESCOLA PARA O POVO
MARIA TERESA NIDELCOFF
BRASILIENSE
R$ 10,00



ÁRVORE DA VIDA - CABALA, CIENCIA OU MISTICISMO?
SIMHON MOUSSA
CAMILA SIMHON
(2015)
R$ 40,00



A CONSTRUÇÃO NO ESPELHO
NILDO CARLOS OLIVEIRA
PINI
(1998)
R$ 20,00



PSICOLOGIA SENSORIAL
CONRAD G.MUELLER
ZAHAR
(1966)
R$ 10,00



MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS - TEORIA E QUESTÕES
LEONARDO FACCINI
CAMPUS
R$ 34,80



GRAMÁTICA DO PORTUGUÊS CONTEMPORÂNEO
CELSO CUNHA
BERNARDO ÁLVARES
(1971)
R$ 15,00



EN ACCIÓN3 CUADERNO DE ACTIVIDADES + CD
MARISA LOMO; CAROLINA O; ROCÍO S;
EN CLAVE ELE
(2007)
R$ 30,00



BRILHO - VOLUME I DE EM BUSCA DE UM NOVO MUNDO
AMY KATHLEEN RYAN
GERAÇÃO JOVEM
(2012)
R$ 12,00





busca | avançada
36499 visitas/dia
1,2 milhão/mês