A rede contra as raposas analógicas | Carla Ceres | Digestivo Cultural

busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> Brandenburg Concertos (1 - 6)
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Christian Barbosa no MitA
>>> Obama e o oba-oba
>>> E se Amélia fosse feminista?
>>> O que é ser jornalista?
>>> Toda forma de amor
>>> O filósofo da contracultura
>>> Oderint Dum Metuant
>>> Beleza e barbárie, ou: Flores do Oriente
>>> A fragilidade dos laços humanos
>>> A fragilidade dos laços humanos
Mais Recentes
>>> Império do Café: a Grande Lavoura do Brasil (1850 a 1890) de Ana Luiza Martins pela Atual/ Sp. (1994)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Código da Vida - Fantástico Litígio Judicial de Uma Família de Saulo Ramos pela Planeta (2008)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1991)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1993)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1993)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Contabilidade introdutória de Sergio Iudicibus, Stephen e outros pela Atlas (1977)
>>> Language Its Nature - Development and Origini de Otto Jespersen, (Prof. Univ. Coppenhagen)./ pela George Allen & UnwinnLtd/London (1949)
>>> El Espejo y La Lámpara: Teoría Romántica y Tradición Clásica de M. H. Abrams pela Eitorial Nova/ Argentina (1962)
>>> Clause Sauf Encaissement de Casimir Pajot pela Librairie Nouvelle de Droit Et de Jurisprudence (1891)
>>> Catolicismo para Leigos de John Trigilio e Kenneth Brighenti pela Altabooks (2008)
>>> Estudos Sobre Sucessões Testamentária de Orosimbo Nonato pela Forense (1957)
>>> Los Caminos Actuales de La Critica (Encadernado) de René Girard/ G. W. Ireland/ Jacques Leenhardt... pela Planeta/ Barcelona (1969)
>>> Instituições de Direito Civil Portuguez de M.A. Coelho da Rocha pela Garnier Livreiro (1907)
>>> Régimen Argentino de la Propiedad Horizontal de José A. Negri pela Arayú (1953)
>>> Enciclopédia de Cultura de Joaquim Pimenta pela Freitas Bastos (1963)
>>> Direitos de Família de Lafayette Rodrigues Pereira pela Freitas Bastos (1945)
>>> Demarcação Divisão Tapumes de Alfredo de Araujo Lopes da Costa pela Bernardo Alves S.A. (1963)
>>> Consultor Civil de Carlos Antonio Gordeiro pela Garnier (1913)
>>> El Derecho de Familia en La Legislacion Comparada de Luis Fernandez Clerico pela Hispano Americana (1947)
>>> Estudos de Direito Civil de Manoel Martins Pacheco Prates pela São Paulo (1926)
>>> Direitos Reaes de Garantia de J.L. Ribeiro de SouSa pela C. Teixeira
>>> Obrigações de Pagamento em Dinheiro (Três Estudos) de Paulo Barbosa de Campos Filho pela Jurídica e Universitária (1971)
>>> Teoria e Pratica dos Testamentos de Manoel Ubaldino de Azevedo pela Saraiva (1965)
>>> Les Groupements D' Obligataires de Albert Buisson pela Librairie Générale de Droit et de Jurisprudence (1930)
>>> Novo Código Civil Anotado Volume II ( Direito das Obrigações) de J.M.Leoni Lopes de Oliveira pela Lumen Juris (2002)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 6 ) Direito das Sucessões de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1964)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 5 ) (Direto das Obrigações 2ª parte) de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1991)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 4 ) Direito das Obrigações de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (2019)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 3 ) Direito das Coisas de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1991)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 2 ) Direito Família de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1992)
>>> Curso de Direito Civil ( Parte Geral) Volume 1 de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1964)
>>> Usucapião de Imóveis de Lourenço Mario Prunes pela Sugestões Literárias S/A
>>> Instituições de processo Civil (Volume VI) de Caio Mário da Silva Pereira pela Forense (2007)
>>> Direito Civil Volume 6 de Silvio Rodrigues pela Saraiva (2004)
>>> O Pensamento Vivo de Einstein (Edição Ilustrada) de José Geraldo Simões Jr.: (Pesquisa e Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Direito Civil Volume 2 de Silvio Rodrigues pela Saraiva (2002)
>>> Posse o Direito e o Processo de Guido Arzua pela Revista dos Tribunais (1957)
>>> Estudo da Posse e das Acções Possessorias de Leopoldino Amaral Meira pela Livraria Academica (1928)
>>> Acção Possessória de J.M. de Azevedo Marques pela São Paulo (1923)
>>> O Direito de Ação e o Modo de Execê-lo de Ataliba Vianna pela Forense (1969)
>>> O Pensamento Vivo de Darwin (Edição Ilustrada) de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Contratos de Seguro de Vários pela Juruã (1990)
>>> O Pensamento Vivo de Darwin (Edição Ilustrada) de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Do Seguro Contra Fogo de J. Stoll Gonçalves pela Empreza Graphica (1926)
>>> O Pensamento Vivo de Darwin (Edição Ilustrada) de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> O Pensamento Vivo de Darwin (Edição Ilustrada) de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Seguros Legislação de Nilton Alberto Ribeiro pela Francisco Alves (1974)
COLUNAS >>> Especial Protestos

Quinta-feira, 4/7/2013
A rede contra as raposas analógicas
Carla Ceres

+ de 3400 Acessos

No princípio, era o caos nos transportes e um espírito de indignação pairava sobre as massas. Até aí, sem novidades. Sobreviver no Brasil implica driblar as várias faces do caos, que nossos políticos cultivam em benefício próprio e no dos empresários que os apoiam. Um espírito de indignação generalizada sempre pairou sobre os brasileiros. Então vinte centavos de aumento na passagem de ônibus levaram o povo às ruas da capital paulista. A manifestação liderada pelo Movimento Passe Livre terminou em violento confronto com a polícia. A grande imprensa e todas as esferas de governo se posicionaram contra os manifestantes.

Provavelmente os protestos não teriam se espalhado nem ido muito além das reivindicações por um transporte público que não trouxesse aos usuários pensamentos sobre vagões de gado e navios negreiros. Mas a polícia, na manifestação seguinte, cometeu um erro politicamente imperdoável: forneceu vítimas identificáveis à indignação popular. Até então, boa parte da opinião pública estava acomodada. O que via na televisão eram manifestantes genéricos, que a TV chamava de "vândalos arruaceiros", em confronto com policiais também genéricos, "em cumprimento do dever". Qualquer psicólogo sabe que as pessoas não conseguem ter fortes sentimentos de empatia e compaixão por multidões distantes. Podemos até sentir pena, mas não chegamos a nos mobilizar. A coisa muda de figura quando, no meio da multidão, surgem vítimas em particular. Policiais agrediram manifestantes, jornalistas e até transeuntes que nada tinham a ver com a questão. Fotos, vídeos, relatos e comentários sobre a violência injustificável chegaram às redes sociais, em tempo real. As velhas raposas analógicas da política, incapazes de compreender a internet, demoraram a reagir e ainda não o fizeram de forma adequada nem a seus interesses nem aos do povo. A grande imprensa foi mais rápida em mudar de ideia e apoiar o movimento. Mesmo assim seu erro inicial de avaliação lhe custou caro em termos de credibilidade, audiência e patrimônio.

Os protestos ganharam amplitude internacional e encamparam reivindicações das mais diversas áreas à medida que aumentava o número de participantes. Para desespero dos políticos - que ainda procuram uma liderança identificável que possam cooptar, intimidar ou usurpar - o movimento se articula de forma descentralizada e dinâmica, na velocidade da rede. Ainda assim, podemos identificar certos tipos de manifestantes:

Os sem partido

De acordo com várias pesquisas, a maioria dos manifestantes não tem filiação partidária e se mostra insatisfeita com a atuação dos políticos. Basta, no entanto, conversar com esses supostos apartidários para descobrir que alguns simpatizam fortemente com algum partido e oferecem argumentos - às vezes, estapafúrdios - para defender seus representantes. "Coitada da Dilma! Ela está presa no olho de um furacão, não pode fazer nada. Mas, se ela pudesse, eu tenho certeza que ela estaria aqui na rua, protestando com a gente. É só ver a história de vida dela", disse uma jovem, antes do pronunciamento da presidente Dilma.

Os oportunistas

Políticos e celebridades, que tentam pegar carona nos protestos para aparecer, têm se dado mal por excesso de concorrência ou desconfiança popular. Já os criminosos, que se infiltram nas passeatas para saquear estabelecimentos comerciais, têm lucrado bastante.

Os pseudoapartidários

Diante dos gritos de "Sem partido!", que pipocavam cada vez que um símbolo de partido político aparecia nas manifestações, os defensores dos partidos começaram a agir de forma dissimulada, não apenas nas ruas, mas, principalmente, nas redes sociais. A insatisfação do povo com os políticos atrapalha os sonhos de poder dos militantes. Procuram, portanto, focar o desagrado popular sobre os partidos adversários.

Os festivos

Nas grandes cidades, os pedestres costumam caminhar na defensiva, por medo da violência. No transporte coletivo, a proximidade forçada leva até o sujeito mais sociável a perder o bom humor. Durante as manifestações, no entanto, a aglomeração de pessoas ganha um tom festivo e fraternal graças ao objetivo em comum: protestar. O brasileiro não sabe ir às ruas sem fazer festa, cantar, batucar, namorar, levar a família, tirar foto, fazer vídeo, postar na rede. A maioria dos manifestantes acredita que suas reivindicações serão atendidas e que o país mudará pra melhor. Tamanho otimismo pode chegar às raias da inconsequência. Algumas mães saem pra protestar com seus bebês no colo.

Se continuarmos analisando, surgirão outras subdivisões como: os que protestam em causa própria; os que depredam o patrimônio público; os que apoiam o movimento do alto de seus prédios, piscando as luzes, jogando papel picado e estendendo panos brancos; os que representam determinadas comunidades; os que apoiam da internet. Mesmo levando em conta os proporcionalmente poucos, mas lamentáveis, casos de violência, o movimento tem sido pacífico e já obteve vitórias importantes como o arquivamento da PEC da Impunidade.

Nota do Editor
Carla Ceres mantém o blog Algo além dos Livros. http://carlaceres.blogspot.com/


Carla Ceres
Piracicaba, 4/7/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Eleições nos Estados Unidos de Marilia Mota Silva
02. Lina Chamie e sua cartografia sentimental de SP de Elisa Andrade Buzzo
03. Link-se: a mídia mudando a arte de Gian Danton
04. Anotações de um amante das artes de Márwio Câmara
05. O Palácio de Highclere de Ricardo de Mattos


Mais Carla Ceres
Mais Acessadas de Carla Ceres em 2013
01. Histórias de gatos - 4/4/2013
02. Um livro canibal - 9/5/2013
03. Autodidatas e os copistas da vez - 7/2/2013
04. Educando as velhas gerações - 28/2/2013
05. Brasileiros aprendendo em inglês - 17/1/2013


Mais Especial Protestos
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




HOTEL GARNI - A HISTÓRIA DA SENSIBILIDADE
HUBERT FICHTE
BRASILIENSE
(1989)
R$ 11,12



PLANTAS PARA CASA
JOAN COMPTON
MELHORAMENTOS
(1970)
R$ 5,00



ESTACAO CARANDIRU
DRAUZIO VARELLA
CIA DAS LETRAS
(2002)
R$ 15,00



EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA - 9859
JOSÉ PRADO MARTINS / ELISABETH CASTELLANO (ORG.)
EDUNICEP
(2003)
R$ 14,00



O PATINHO FEIO VAI TRABALHAR
METTE NORGAARD
DVS
(2007)
R$ 32,00



A FILOSOFIA NA ÉPOCA TRÁGICA DOS GREGOS
FRIEDRICH WILHELM NIETZSCHE
ESCALA
(2008)
R$ 29,90
+ frete grátis



SKYLINE 3 STUDENTS BOOK A
SIMON BREWSTER E OUTROS
MACMILLAN
(2005)
R$ 7,90



O CÔNSUL HONORÁRIO
GRAHAM GREENE
ARTENOVA
(1973)
R$ 25,90
+ frete grátis



INCLUSIVE EDUCATION: A GLOBAL AGENDA
SEAMUS HEGARTY, COR AND MEIJER, SIP JAN PIJL
ROUTLEDGE
(1996)
R$ 129,00



SAFARI EMCANTOS DE ÁFRICA ENCHANTED CORNERS OF AFRICA
LUÍS LOURO
BOOK TREE
(2013)
R$ 100,48





busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês