Concurso literário, caminho para a publicação | Eugenia Zerbini | Digestivo Cultural

busca | avançada
41731 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
>>> Jack Ma e Elon Musk
>>> Marco Lisboa na Globonews
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Vendedor de Passados
>>> Entre a crise e o espectro do humor a favor
>>> Dicas para a criação de personagens na ficção
>>> Tiros, Pedras e Ocupação na USP
>>> Oficina de conto na AIC
>>> Crônica em sustenido
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> O julgamento do mensalão à sombra do caso Dreyfus
>>> Retomada do crescimento
>>> Drummond: o mundo como provocação
Mais Recentes
>>> O Espiritismo Aplicado de Eliseu Rigonatti pela Pensamento (2006)
>>> Luz no lar de Francisco Cândido Xavier pela Federação Espírita Brasileira (1968)
>>> O Evangelho segundo o espiritismo de Allan Kardec pela Federação Espírita Brasileira (1997)
>>> Sobrevivência E comunicabilidade dos Espíritos de Hermínio C. Miranda pela Federação Espírita Brasileira (1975)
>>> O Livro dos Espíritos de Allan Kardec pela Federação Espírita Brasileira (1944)
>>> História das Religiões de Ivan Ap. Manoel e Nainora M.B. de Freitas pela Paulinas (2006)
>>> O Brilho dos pássaros de Carlos Luz pela Nova Era (1996)
>>> Prosperidade fazendo amizade com o dinheiro de Lair Ribeiro pela Objetiva (1992)
>>> Sessões Prática e Doutrinárias do Espiritismo de Aurélio A. Valente pela Federação Espírita Brasileira (1990)
>>> 100 Impulsos positivos para viver melhor de Eduardo Criado pela Folio (1996)
>>> O Avesso de um Balzac Contemporâneo de Osmar Ramos Filho pela Lachârtre (1995)
>>> O Ser Integral o despertar de uma nova era de Orlando Santos Junior pela Royal Court (1996)
>>> A fé crista Normal de Watchman nee pela Living Stream Ministry
>>> Sementes de vida Eterna de Djalma Santos pela Novo Ser (2011)
>>> Vencendo os Limites de Elaine de Melo pela Qualitymark (2000)
>>> Ala Sombra de los Monasterios Tibetanos de Jean M. Riviére pela Kier (1986)
>>> A vida Normal da Igreja Crista de Watchman nee pela Living Stream Ministry
>>> Esclarecendo os Jovens de Umberto Ferreira pela Goiânia (1993)
>>> O Vôo mais Alto de Luiz Sérgio pela Edição do Autor (1983)
>>> Evolução Espiritual de Narcí Castro de Souza pela Madras
>>> Copos que Andam de Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho pela Petit (1994)
>>> O Mistério do Sobrado de Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho pela Petit (2001)
>>> Imagem do eterno de Carmen Cinira Macedo pela Moderna (1989)
>>> A Gêneses de Allan Kardec pela Federação Espírita Brasileira (2000)
>>> Manual de Boas Práticas em Ensaios Clínicos de Conceição Accetturi, David Salomão Lewi e Greyce Balthazar Lousana pela Usp (1997)
>>> Filho do Sol de Savitri Devi pela Renes (1981)
>>> Encontros com o Insólito de Raymond Bernard, F. R. C. pela Renes (1970)
>>> Introdução à Filosofia da Rosacruz Áurea de J. van Rijckenborgh pela Escola Espiritual da Rosacruz Áurea (1982)
>>> Biografias de Personalidades Célebres de Prof. Carolina Rennó Ribeiro de Oliveira pela do Mestre (1970)
>>> As Últimas Horas de Gibran de Kahlil Gibran pela Nova época (1980)
>>> El Misterio De Los Templarios de Louis Charpentier pela Bruguera (1970)
>>> Valongo Arte e Devoção de Ana Maria C. Silva De Biasi, Elias Jorge Tambur e Maria Rabello da Motta pela A Tribuna (1995)
>>> Eu, Detetive O Caso do Sumiço de Stella Carr e Laís Carr Ribeiro pela Moderna (2003)
>>> Dinheiro Público e Cidadania de Silvia Cintra Franco pela Moderna (1998)
>>> Quando o espiritual domina de Simone de Beauvoir pela Nova Fronteira (1980)
>>> Coração de Vidro de José Mauro de Vasconcelos pela Melhoramentos (1972)
>>> Transformadores de Alfonso Martignoni pela Globo (1981)
>>> Guia Técnico do Alumínio - Extrusão de Associação Brasileira do Alumínio pela Tecnica (1990)
>>> História da Literatura em Santo André de Tarso M. de Melo pela Fundo de cultura de santo andré (2000)
>>> Cinco Minutos - A Viuvinha de José de Alencar pela Ática (2001)
>>> O Mochileiro das Galáxias - Volume 4 de Douglas Adams pela Arqueiro (2010)
>>> Amo Poesia de J. Dellova pela Do escritor (1989)
>>> Folhas aos Ventos Maçônicos de Breno Trautwein pela A Trolha (2000)
>>> Os Segredos dos Construtores de Maurice Vieux pela Difel (1977)
>>> Antigos Manifestos Rosacruzes de Joel Disher pela Amorc (1982)
>>> Breve História da Maçonaria de Rubens Barbosa de Mattos pela A Trolha (1997)
>>> Por Mares há Muito Navegados de Álvaro Cardoso Gomes pela Ática (2002)
>>> Isso Ninguém me Tira de Ana Maria Machado pela Ática (1996)
>>> Um Dono para Buscapé de Giselda Laporta Nicolelis pela Moderna (1996)
>>> Encontro com os Deuses de Jaime Guedes pela Mandála (1978)
COLUNAS

Quinta-feira, 24/7/2014
Concurso literário, caminho para a publicação
Eugenia Zerbini

+ de 2900 Acessos


Georgy Kurasov (1958 -)

Na busca da publicação de seu primeiro livro, o escritor pode lançar mão de um atalho: o concurso literário. Vencer um deles, ou estar entre os finalistas, pode ser o caminho menos sofrido para o autor sair do anonimato e ter acesso a uma editora de porte. Há dez anos, tinha dois originais nas mãos: numa, minha tese de doutorado em Direito, defendida junto a Universidade de São Paulo (USP), e que recebeu da banca a menção para publicação. Na outra, meu primeiro romance finalizado, As netas da Ema, que inscrevi no Prêmio Sesc de Literatura, então em sua segunda edição.

Pela interferência de uma saudosa amiga (Ninon Machado de Faria Leme Franco, por que você teve que partir tão cedo da vida?), depois de dois meses de espera - e muita insistência -, consegui uma entrevista na editora Forense. Voltei para casa com o pedido de resumir o que havia escrito. Isso, segundo o editor, deixaria a obra mais leve e palatável. Com minha avó materna, aprendi que se amarra o burro segundo a vontade do dono. Assim, comecei a reescrever 200 páginas.

Percebi no caminho que, além de sintetizar meu trabalho acadêmico, precisava atualizá-lo. Pouco tempo tinha decorrido desde a sustentação oral. Porém, minha tese tratava de assuntos do momento, como, por exemplo, as medidas sobre investimento no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC), das quais o alargamento estava em processo de negociação. Tomava fôlego para encarar o desafio (mas será que eu teria mesmo que resumir os capítulos, que eu acreditava ter articulado tão bem?), quando recebi a notícia, em março de 2005, que meu romance As netas da Ema havia sido premiado pelo Sesc. Pelo regulamento, as obras vitoriosas são editadas pela Record, editora parceira no certame. Passada a primeira grande dúvida (como irei vestida na cerimônia de premiação?, igual a toda mulher) vieram outras questões. "E a capa? Que foto eu mando para a orelha do livro?"

Na Record, tudo correu sobre carretéis, nas mãos da Ana Paula Costa(atualmente em Barcelona). Perguntou se eu tinha alguma ideia para a capa. Pensei em algum quadro da minha amiga Isabelle Tuchband, uma vez que tive ao alcance dos olhos uma de suas telas, durante toda a composição das minhas "Emas". Nas orelhas, como marca d´água, pequenos perfis incompletos, desenhados pela minha filha (na época com dez anos). Eu não cabia em mim de alegria. Só mais tarde fiquei sabendo do conselho dado por Clarice Lispector (1920-1977), a uma aspirante a escritora: que quando ficasse contente, não ficasse contentona, mas contentinha.

Há vários concursos cuja premiação, além de um prêmio em dinheiro, inclui a publicação da obra premiada, tais como o Prêmio Saraiva, o Prêmio Governo do Estado de Minas de Literatura e o Prêmio Paraná de Literatura. Creio, entretanto, que nenhum deles dá projeção para os vencedores como o prêmio patrocinado pelo Sesc, cujo próximo edital será publicado em janeiro de 2015. Na Flip, com início em 30 de julho, em Paraty, os vencedores deste ano - Débora Ferraz (com o romance Enquanto Deus não está olhando) e Alexandre M. Rodrigues (com a livro de contos Parafilias) estarão presentes, juntando-se à programação que terá lugar no Centro Cultural Sesc de Paraty , e que contará com a presença dos contemplados nos anos anteriores (programação completa e horários disponível no site do Centro).

As coisas não param por aí. Os vencedores passam a ser convidados para não apenas eventos literários organizados pelas regionais do Sesc, como também feiras literárias espalhadas pelo país. Atendo-se aos acontecimentos mais recentes: nos últimos dois meses, Rafael Gallo e Marcos Peres (ganhadores nas categoria conto e romance, em 2011/2 e 2012/3, participaram de vários eventos literários no sul do pais (Festival Nacional do Conto, em Florianópolis, Feira do Livro em Bento Gonçalves, além de uma rodada literária pelo norte do Paraná). Isso significa que, mais do que editados, os premiados são colocados em contato direto com o público. Além disso, o Prêmio Sesc de Literatura prepara terreno para outras premiações. Santo Reis da Luz Divina, romance de Marco Aurélio Cremasco (que vem de lançar um belíssimo livro de poesia,As coisas do João Flores,SP, Patuá), vencedor da primeira edição (2003/4), foi finalista do Prêmio Jabuti, em 2005, da mesma forma que, no ano passado, Réveillon e outros dias e Quiçá de autoria respectivamente de Rafael Gallo e Luisa Geisler. Esta última, já havia figurado entre os finalista do Jabuti em 2012, com a coletânea de contos Contos de Mentira. Sim, Mlle. Geisler foi duplamente premiada pelo Prêmio Sesc de Literatura, nas categorias conto e romance, tendo sido incluída na antologia da revista Granta dos melhores jovens escritores brasileiros. Seu mais recente romance (Luzes de emergência se acenderão automaticamente) sairá pela Alfaguara, em breve.

Tudo isso equivaleria a um "abra-te Sésamo" na carreira literária dos vencedores? Daqui para frente, respondo só em meu nome. Ser premiada foi uma vitória. Realizei o desejo que mantinha inconfesso: o de ser uma escritora. Passado o êxtase, e caindo no mundo real: o prêmio transformou-se em um bom cartão de visita. Para abrir espaço para meu livro na mídia, procurava os jornais e revistas (inclusive o Digestivo Cultural, não é, Júlio?), apresentando-me como a vencedora do Prêmio Sesc. Ao menos, me atendiam ao telefone. Nas pesquisas para meu segundo romance (um romance biográfico, inacabado), a menção à premiação garantiu-me boa entrada onde pesquisei. Quando, em 2007, decidi escrever contos, a menção ao Prêmio Sesc de Literatura alavancou-me espaços (como no Rascunho, na Cult e no Prosa e Verso).

A história foi bem outra, com relação à edição do meu livro de contos, até agora inédito. Apesar de o Nobel de Literatura de 2013 ter sido concedido a Alice Munro (1931 -), que se dedicou com exclusividade ao gênero, corre a lenda que conto não vende, confirmada, erroneamente, pela afirmação de uma conhecida ex-editora, no sentido de considerar um erro o autor "começar a carreira com livros de contos, ou poesia, ou crônica, uma vez que esses gêneros não têm público e os livreiros começam a associar o nome do autor a fracasso de vendas". Com relação à vendagem (oh, Deus do mercado, suspiro), tenho o argumento de que a primeira edição de As netas da Ema esgotou na Record um mês depois do lançamento. Meu livro de estréia chegou à segunda edição.

Acredito ser bom receber algumas negativas da vida. Longe da política da raposa de La Fontaine (1621-1695) e da alegação de que as uvas estão verdes, elas nos tornam mais humanos. O consolo é lembrar que os volumes iniciais do magistral Em busca do tempo perdido, de Marcel Proust (1871-1922), foram rejeitados por vários editores. Se eu esperei meio século para me assumir escritora, disponho de outro tanto para encontrar meu editor. As mulheres da minha família são longevas.

Há o indizível: o fator sorte. Como nos alerta o narrador de Match Point (em portugês, Ponto final), filme de Woody Allen (1938 -), na cena do jogo de tênis (em que a bola fica congelada por algum tempo no ar, esperando cair de um lado ou de outro da rede), acredito que muito mais do que imaginamos depende de sorte. Assusta ter consciência que há coisas absolutamente fora do nosso controle. Antes de promover seus oficiais a general, Napoleão declinava o exame dos curricula que lhe eram apresentados. Perguntava qual deles tinha sorte. Fortuna Imperatrix Mundi. E o tempo da sorte é único, só dela.

Nunca concluí a revisão de minha tese de doutoramento. Em 2006, conheci Vinicius Vieira, o editor da Quartier Latin, voltada para publicações jurídicas. Ele insistiu que eu publicasse meu trabalho, do jeito em que se encontrava. Fiquei comovida com seu gesto. Porém, o acaso já havia me levado ao arrebatamento da literatura. Restou para o Direito o que acredito ser o melhor dos meus sorrisos.


Eugenia Zerbini
São Paulo, 24/7/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Cinzas e sombras de Vicente Escudero
02. É descansando que se vai longe de Verônica Mambrini
03. Os 40 anos de A Banda versus Disparada de Vitor Nuzzi


Mais Eugenia Zerbini
Mais Acessadas de Eugenia Zerbini em 2014
01. Bonecas russas, de Eliana Cardoso - 21/8/2014
02. Ossos, mulheres e lobos - 4/12/2014
03. O pródigo e o consumo - 11/9/2014
04. Jackie O., editora - 20/3/2014
05. Tons por detrás do rei de amarelo - 26/6/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO - 4ª EDIÇÃO
DIOGO DE FIGUEIREDO MOREIRA NETO
FORENSE
(1983)
R$ 49,00
+ frete grátis



GONZO! 30 ANOS DE REPORTAGENS
ARTHUR VERÍSSIMO
REALEJO
(2014)
R$ 39,90



CHILE 1973: DO FOGO À LUZ: UM ENCONTRO COM A TORTURA
PEDRO HIDALGO
SENGE
(2012)
R$ 10,50



GRANDES ARTISTAS BRASILEIROS VOLPI
MARCOS A MARCONDES
CIRCULO DO LIVRO
(1985)
R$ 5,00



O QUE FAZER?
V. I. LÉNINE
EDIÇÕES AVANTE
(1977)
R$ 46,82



ESPORTE E EDUCAÇÃO:
ERIKA KARLA DE FREITAS
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



ESTUDO DE TEMPOS PARA SUPERVISORES
GIUSEPPE MICHELINO
PUBLICAÇÕES EDUCACIONAIS
(1964)
R$ 4,90



METODOLOGIAS QUALITATIVAS NA SOCIOLOGIA
TEREZA MARIA FROTA HAGUETTE
VOZES
(2001)
R$ 20,00



A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO EM CURRÍCULOS DE UNIVERSIDADES PÚBLICAS
ELIMAR PONZZO DUTRA LEAL
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 454,00



JÚLIO A MURALHA- FERAS FUTEBOL CLUBE
JOACHIM MASANNEK &JAN BIRCK
VIDA & CONSCIÊNCIA
(2009)
R$ 17,50





busca | avançada
41731 visitas/dia
1,1 milhão/mês