Regras de civilidade (ou de civilização) | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
22991 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Mostra Primeiros Passos
>>> José Patrício inaugura exposição inédita em Brasília
>>> Livro mostra a ambiguidade entre amor e desamor
>>> Red Bull Station estreia exposições de letrista e de coletivo feminino em julho
>>> Alaíde Costa e Toninho Horta mostram CD em parceria na CAIXA Cultural São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
>>> O Brasil que eu quero
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> O massacre da primavera
>>> Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> A luz da alma - Haifa Israel
>>> Tempo & Espaço
>>> Mão única
>>> A passos de peregrinos ll
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES IV
>>> Shomin-Geki, vidas comuns no cinema japonês
>>> Con(fusões)
>>> A passos de peregrinos l
>>> Ocaso
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES I
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A música clássica ensurdece a democracia caótica
>>> Dê-me liberdade e dê-me morte
>>> Telemarketing, o anti-marketing dos idiotas
>>> Memórias da revista Senhor
>>> É o Fim Do Caminho.
>>> Ao Abrigo, poemas de Ronald Polito
>>> O massacre da primavera
>>> Raio-X do imperialismo
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> O Brasil que eu quero
Mais Recentes
>>> Tomás de Aquino
>>> Minha limpeza corporal - Le grand Ménage
>>> Max Weber e a política alemã
>>> Isaiah Berlin
>>> La Magia en Acción
>>> Introdução à epistemologia
>>> As causas da grandeza do romanos e da sua decadência
>>> Hannah Arendt
>>> Paixão por vencer. A bíblia do sucesso
>>> O Livro Completo de Bruxaria do Buckland
>>> O Escaravelho do Diabo
>>> Llora Herraiz
>>> Festa no Covil
>>> O Fazedor de Velhos
>>> Mentes Tranquilas, Almas Felizes
>>> Contabilidade Pública: da Teoria à Prática
>>> Estudo de Movimentos e Tempos
>>> Cartas Comerciais em Espanhol
>>> Organização , Sistemas e Métodos e As Tecnologias de Gestão Organizacional
>>> Perdas & Ganhos
>>> Dom Casmurro
>>> História da Arte
>>> O sentido da realidade. Estudos das ideias e de sua história
>>> Práticas de Linguagem - Leitura & Produção de Textos
>>> Pássaros Feridos
>>> Geografia do Brasil - Espaço Natural, Territorial e Sócioeconômico brasileiro
>>> Contratos Internacionais do Comércio
>>> Marketing Social: Novos Paradigmas
>>> Gestão Financeira das Empresas: um Modelo Dinâmico
>>> Fundamentos de Economia
>>> Economia Brasileira Contemporânea: Para Cursos de Economia e Administração
>>> À Margem da Linha
>>> Conecte História - 3º Ano - Ensino Médio
>>> Biologia 3 - 3ª edição
>>> Culinária para Bem Estar
>>> A Ilíada e a Odisseia - Coleção Clássicos Em Quadrinhos
>>> Asas do Brasil - Uma História que Voa Pelo Mundo - Em Ótimo Estado
>>> Esquecer o natal
>>> O Mistério dos Sete Candelabros de Ouro
>>> Dom Quichote De La Mancha - Cervantes / Gustavo Doré - Raro
>>> Coleção Fernando Sabino 12 Volumes Editora Record 1984
>>> Livro Curso Prático De Imposto De Renda
>>> O Medo e a Ternura
>>> Liberdade Virtual
>>> A Colina dos Suspiros
>>> Pretinha, eu?
>>> Amor Não Tem Cor
>>> A Morte Tem Sete Herdeiros
>>> Contos Urbanos e Lendas Rurais
>>> Redes de Abuso
COLUNAS

Segunda-feira, 21/9/2015
Regras de civilidade (ou de civilização)
Julio Daio Borges

+ de 2700 Acessos

Regra Nº 1: "Não discuta religião com quem é fundamentalista."

Para o fundamentalista, a religião está acima de todas as coisas. Então, ele não vai discutir com você. No mínimo, vai tentar te converter. No máximo, vai querer te matar. Ganhar a discussão, nesse caso, não compensa. É perda total.

Regra Nº 2: "Não discuta futebol com um torcedor fanático."

Só não é pior que o fanático religioso, porque as religiões mataram mais gente. A discussão vale menos a pena (ainda) se você "não liga" para futebol. Aí, o torcedor pode se enfurecer de verdade. Pois pode achar que você está "fazendo pouco caso" de uma das razões da existência dele. Não discuta, porque, além de não conseguir convencê-lo, você arranjará um inimigo para sempre.

Regra Nº 3: "Não discuta política com quem é 'de esquerda'."

Na teoria, tudo mundo que é de esquerda se diz "aberto ao diálogo". Mas na prática - quando eles assumem o poder - tentam controlar a informação, silenciar as críticas e desmoralizar (perseguir ou até matar) quem pensa o contrário. Você acha que havia alguma discussão com Stalin, Mao ou Fidel no poder? Quantas vezes você já não ouviu falar que "Dilma não ouve"? Você acha que o Lula liga para a opinião alheia (além da sua, própria)? Como, então, discutir com "seguidores" desse pessoal?

Regra Nº 4: "Não discuta 'gosto' com quem tem mau gosto."

Gosto é uma questão de sensibilidade. Não adianta discutir com quem não tem sensibilidade. Não passa pela "razão". A pessoa pode até *desenvolver* sua sensibilidade, mas desde que ela tenha alguma. Quem não tem nenhuma, não vai dar esse "salto" (do zero ao infinito). E, tudo bem: não é para todo mundo... (Só não tente discutir com um ogro.)

Regra Nº 5: "Não discuta educadamente com quem não tem educação."

Encoste na traseira de um cavalo - ou de um burro - e veja se ele discute com você: ele te dá um coice. É isso que dá se aproximar demais de quadrúpedes. Mantenha distância. A discussão, com esses seres, se é que ela existe, é na base da agressão. E quando não têm como agredir fisicamente, o que é que eles fazem? Agridem verbalmente - através de insultos, ofensas e palavrões. Não discuta. A não ser que você seja chegado numa besta, e num coice...

Regra Nº 6: "Se você tem princípios, não discuta com quem não tem."

Você está lá, defendendo uma opinião ou um ponto de vista, mas o seu interlocutor pode não estar nem aí. Ele pode estar discutindo "por esporte". Amanhã ele muda de posição, conforme a conveniência dele (e, não, porque você argumentou). Na verdade, ele nem te escutou. Ele não tem consideração. Você parte do princípio de que ele tem, por você. Mas ele não tem nenhuma. É o famoso sobrevivente político. Ele tem mil caras - e não sabe mais qual é a dele...

Regra Nº 7: "Se você perdeu tempo se informando, não discuta com quem só 'ouviu falar' sobre o assunto."

É inútil. A pessoa vai ficar repetindo manchetes, enquanto você vai tentar "aprofundar" - mas a pessoa não vai aprofundar nada, porque ela não tem como. Então: para cada argumento seu, ela vai te devolver uma manchete - até que você se canse. Na era da informação, as pessoas são muito orgulhosas para confessar sua ignorância. Preferem continuar na discussão - e até passar recibo de desonestidade intelectual...

Regra Nº 8: "Tente discutir com alguém com quem você tem alguma base comum - e, não, com quem tem um outro referencial."

Acho inútil, por exemplo, essas discussões entre um cientista e um religioso. Acredito que a religião e a ciência atuam em campos diferentes. Uma pode fornecer princípios de investigação e a outra, bases de conduta. Mas, até em filosofia, você não tem como comparar "episteme" com ética ou moral. Para sobreviver, você, instintivamente, precisa conhecer as leis da física, OK, mas, para *viver em sociedade*, você precisa aprender a lidar com seres humanos. (Não acredito que tudo seja "equivalente" ou "comparável"...)

Regra Nº 9: "Não discuta com quem relativiza tudo."

Você fala em lei da gravidade, mas a pessoa fala: "Ah, mas, na Lua"... Você fala que "o céu é azul", mas a pessoa evoca o espectro de cores das abelhas, que pode ser outro... Você fala em Mensalão e Petrolão, e a pessoa retruca que "corrupção sempre houve"... Nós não temos como escapar de certos "absolutos". É o mínimo para raciocinar. Quando acreditamos na definição de "ponto", e dizemos que a reta é um "conjunto infinito de pontos", estamos *fixando* algumas coisas, pois, sem isso, não temos como estudar geometria (por exemplo)... Acredito que em *qualquer discussão* vale a mesma regra: se a pessoa só quer relativizar, redefinir as palavras, voltar às origens etc., não existe avanço - e a discussão girará em círculos...

Regra Nº 10: "Discuta com quem acredita na civilização - e, não, com quem acha que devemos voltar para a selva."

Se a pessoa quer voltar para a taba, não discuta com ela - deixe ela voltar, o quanto antes. Civilização é avanço. E quem não quer avançar, não deveria ficar na civilização. Se a pessoa não quer viver "conectada", com eletricidade e rede de esgoto, é problema dela. Agora, não atrapalhe o trabalho de quem está tentando evoluir - ou, pelo menos, tentando elevar a discussão a um novo patamar. Valores como família, democracia, economia de mercado... são valores da civilização. Quem não aceita isso, deveria procurar outra coisa. Só não encha a paciência quem quer viver no Ocidente, acredita na ciência e na livre iniciativa (entre outras coisas)...

Para ir além
Compartilhar


Julio Daio Borges
São Paulo, 21/9/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Livrarias de Ricardo de Mattos
02. Como Steve Jobs se tornou Steve Jobs de Julio Daio Borges
03. Mais uma crise no jornalismo brasileiro de Julio Daio Borges
04. Por que a discussão política tem de evoluir de Julio Daio Borges
05. Espírito e Cura de Ricardo de Mattos


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges em 2015
01. Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos - 25/5/2015
02. Regras de civilidade (ou de civilização) - 21/9/2015
03. Por que a discussão política tem de evoluir - 24/8/2015
04. 10 coisas que a Mamãe me ensinou - 10/5/2015
05. Mais uma crise no jornalismo brasileiro - 3/9/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ESPAÇO NACIONAL, FRONTEIRAS E DESLOCAMENTOS NA OBRA DE ANTÔNIO TORRES
CLÁUDIO CLEDSON NOVAES, ROBERTO H. SEIDEL (ORG.)
UEFS
(2010)
R$ 25,00



UM LIVRO FORJADO NO INFERNO- O TRATADO ESCANDALOSO DE ESPINOSA E O NASCIMENTO DA ERA SECULAR.
STEVEN NADLER
TRÊS ESTRELAS
(2013)
R$ 29,99



QUINCAS BERRO D'ÁGUA E O GATO MALHADO
JORGE AMADO
RECORD
(1983)
R$ 30,00
+ frete grátis



TUDO É POSSIVEL
ALLAN PERCY
SEXTANTE
(2013)
R$ 10,00



RANGERS: ORDEM DOS ARQUEIROS 1 - RUÍNAS DE GORLAN
JOHN FLANAGAN
FUNDAMENTO
(2009)
R$ 16,90



SCJP SUN CERTIFIED PROGRAMMER FOR JAVA 5 NEW EDITION (SEM CD)
KATHY SIERRA / BERT BATES
MCGRAW HILL
(2006)
R$ 29,00



UM AMOR PARA RECORDAR
NICHOLAS SPARKS
NOVO CONCEITO
(2013)
R$ 6,78



VIAGENS PSÍQUICAS
RUSSEL B. ADAMS
ABRIL LIVROS
(1993)
R$ 10,00



OS JOGOS TEATRAIS DE VIOLA SPOLIN: UMA PEDAGOGIA DA EXPERIÊNCIA
KARINE RAMALDES E ROBSON CORRÊA DE CAMARGO
KELPS
(2017)
R$ 35,00
+ frete grátis



JOSÉ E SEUS FILHOS VOL 8
GORDON LINDSAY
GRAÇA
(2001)
R$ 5,00





busca | avançada
22991 visitas/dia
1,1 milhão/mês