10 coisas que a Mamãe me ensinou | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
74915 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Com 21 apresentações gratuitas, FLOW Literário aborda multi linguagens da literatura
>>> MASP, Osesp e B3 iniciam ciclo de concertos online e gratuitos
>>> Madeirite Rosa apresenta versão online de A Luta
>>> Zeca Camargo participa de webserie sobre produção sustentável de alimentos
>>> Valéria Chociai é uma das coautoras do novo livro Metamorfoses da Maturidade
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
>>> A vida é
>>> (...!)
>>> Notívagos
>>> Sou rosa do deserto
>>> Os Doidivanas: temporada começa com “O Protesto”
>>> Zé ninguém
>>> Também no Rio - Ao Pe. Júlio Lancellotti
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sobre escrever
>>> Os Axiomas de Zurique, de Max Gunther
>>> Sou diabético
>>> 3 de Maio #digestivo10anos
>>> O Joca me adora
>>> A volta das revistas eletrônicas
>>> As duas divas da moderna literatura romântica
>>> Entrevista com Rogério Pereira
>>> Bafana Bafana: very good futebol e só
>>> Suspense, Crimes ... e Livros!
Mais Recentes
>>> Manual para a Elaboração do Plano de Negócios - Tcc de Equipe Ulbra pela Ulbra (2011)
>>> O Mundo da Arte - Mundo Islâmico de Ernst J. Grube pela Encyclopaedia Britannica (1966)
>>> A Escola e Seu Entorno Como Ferramentas de Ensino da História Local de Aristides Leo Pardo pela Monstro dos Mares (2019)
>>> Descobrindo a gramática : nova proposta de Gilio Giacomozzi, Gildete Valério 50. ano pela Ftd (2006)
>>> O Mundo da Arte - Mundo Oriental de Jeannine Auboyer - Roger Goepper pela Encyclopaedia Britannica (1978)
>>> Luluzinha - Ano II - Nº 23 de Abril pela Abril (1976)
>>> Bolinha - Ano V - Nº 35 de Abril pela Abril (1979)
>>> Manual para a Elaboração do Plano de Negócios - Tcc de Equipe Ulbra pela Ulbra (2011)
>>> 52 Coisas Que Você Precisa Entender nos Homens de Clene Salles pela Melhoramentos (2011)
>>> Postais do Coração de Ella Griffin pela Novo Conceito
>>> Viva Mais Leve de Helnio J. Nogueira pela Cpb Didaticos (2014)
>>> Cinema Pirata de Cory Doctorow pela Galera (2012)
>>> Noções de Primeiros Socorros no Trânsito de Abramet pela Abramet (2005)
>>> 9788582121610 de Regiane Banzzatto Bergamo pela Regiane Banzzatto Bergamo
>>> Posso Conseguir o Que Desejo de Iyanla Vanzant pela Sextante (2005)
>>> Construindo a escrita Língua portuguesa, Textos, gramática e ortografia 50. ano de Carmen Silvia Carvalho et al 2008 pela Ática (2008)
>>> Minhas Esperanças de Raisa Gorbachev pela Globo (1992)
>>> A Juventude Vai ao Cinema de Inês de Castro Teixeira (org) pela Autênrica (2009)
>>> Da Hora, da Onda, da Vinci de Jon Scieszka; Sérgio Alcides; Adam Mccauley pela Companhia das Letras (2006)
>>> O Circo - Coleção Folha Charles Chaplin Nº 7 - Com Dvd de Charles Chaplin - Carlos Cassio Starling pela Folha de São Paulo (2012)
>>> Porno Política - Paixões e Taras na Vida Brasileira de Arnaldo Jabor pela Objetiva (2006)
>>> Contrapontos em Linguagem & Educação de Luciane de Lima - Márcia Letícia Gomes - Sérgio Nunes de Jesus pela Snj (2005)
>>> Titulo de Aut pela Abc (1999)
>>> Razão e Violência de R D Laing - D G Cooper pela Vozes (1976)
>>> Titulo de Aut pela Abc (1999)
COLUNAS

Domingo, 10/5/2015
10 coisas que a Mamãe me ensinou
Julio Daio Borges

+ de 2700 Acessos

* A Mamãe me ensinou a amar. Incondicionalmente. Todos os dias ou "todos os dias da vida", como ela dizia. Todas as horas. Em todos os momentos. Sempre. Amar acima de todas as coisas. Amar, como um mandamento.

* A Mamãe me ensinou a ter alegria. A Mamãe era o sol nas nossas vidas. A Mamãe iluminava tudo. Sempre tinha um sorriso. Era cordial com todo mundo. Claro que vi a Mamãe triste. Mas ela nunca deixou que isso afetasse sua disposição. Ou "dispossição", como ela dizia. "Tem de ter dispossição", ela dizia.

* A Mamãe me ensinou a importância de ter uma família, um núcleo. Mesmo tendo perdido o pai muito cedo, e vendo seu núcleo se desestruturar, a Mamãe perseguiu a família como um ideal. E encontrou no Papai a base, e a cumplicidade, para construir seu próprio núcleo. Nós. Mesmo não tendo quase família por perto - meus pais não são de São Paulo -, o nosso núcleo sempre se bastou. E foi a base de tudo. Tudo.

* A Mamãe me ensinou a importância de ter amigos. Até hoje, quando encontro as amigas dela, é um encontro feliz. Mesmo que a ausência dela paire sobre nós. Quando o encontro termina, eu sinto que é como se ela tivesse estado ali, entre nós. Como se ela tivesse feito parte da conversa. A Mamãe fazia amigos em todos os lugares. Mesmo nos mais improváveis. Não tratava ninguém mal. Era muito querida. Não era preconceituosa. Tratava todo mundo igual. A Mamãe era "amigueira", como ela mesma dizia.

* A Mamãe me ensinou a importância de estudar, de ter uma formação. Uma das grandes frustrações da vida dela foi não ter "estudado", no sentido de não ter tido uma formação, de não ter concluído o ensino superior. Frustração que ela compensou conosco. Ela vibrava conosco a cada conquista da nossa vida escolar - como se fosse dela. E era dela. Dela e do Papai, que estudou, e que nos passou a importância do estudo como alguém que estudou. "O saber não ocupa lugar", dizia a Mamãe. E, além da escola, ela nos acompanhou em cada curso, em cada atividade - às vezes até se matriculando junto. Além de me ensinar a estudar, a Mamãe me ensinou a importância da curiosidade intelectual, que ela não perdeu nunca.

* A Mamãe me ensinou a importância de cuidar da saúde. A Mamãe estava sempre preocupada com a alimentação. Era um assunto inesgotável para ela. Estava sempre lendo e pesquisando. Queria saber, queria se manter informada. E a Mamãe sempre cuidou do corpo como cuidou da alma. Era esportista. Ou "desportista", como ela dizia. Mesmo o Papai não sendo muito fã dos esportes, ela nos matriculou em tudo. Até no futebol, ela nos matriculou. Mesmo a gente não tendo engrenado, ela insistiu - e acabamos engrenando na natação. A Mamãe não sabia nadar e foi aprender conosco. Lembro do Papai admirado de vê-la nadando. E a Mamãe se consultava periodicamente. Fazia seus "controles". Não era um fardo para ela... Era apenas parte da sua rotina.

* A Mamãe me ensinou a importância de ter uma segunda língua. E uma segunda cultura. Antes das atuais discussões sobre "bilinguismo", a Mamãe nos fez bilíngues. E ela foi uma embaixadora da sua cultura, mesmo tendo se adaptado tão bem ao Brasil, e nunca ter reclamado, ou se sentido "dividida". Ela nunca perdeu o contato, nunca deixou para trás, e nos transmitiu sua bagagem de uma maneira sutil e delicada, sem ser xiita, nem fanática. Usou as diferenças para fazer delas algo interessante, e não para se fazer de vítima, como muitos "diferentes" fazem hoje em dia. A Mamãe me ensinou que a cultura é algo orgânico. Que a gente transpira. Não é uma pregação, nem um estandarte.

* A Mamãe me ensinou a ter vida espiritual. Como ela nos ensinou a cuidar da mente, e do corpo, a Mamãe nos ensinou a cuidar do espírito. Ela quis que nós tivéssemos formação religiosa. Independente de praticar ou não, hoje eu acho importante. Nem que seja como cultura geral. Mais alinhado com o meu pai, eu sempre fui cético, e tive vários embates com a minha mãe, sobre o assunto. Mas hoje dou razão a ela. Quando a Catarina veio, e quando a própria Mamãe se foi, eu fui convencido - pela experiência - de que existe, sim, "algo mais". De que não somos apenas matéria. De que a ciência não explica tudo. E de que devemos ser humildes e respeitar o mistério. Não vou voltar a frequentar a igreja (porque continuo não tendo paciência), mas voltei a rezar - até como um jeito de conversar com a minha mãe, e de agradecer, pelas bênçãos.

* A Mamãe me ensinou a celebrar a vida em todos os momentos. A comemorar todas as vitórias, as pequenas e as grandes, como dizem agora. "O Papai falou que vocês podem escolher um presente, porque vocês foram bem na escola", ela dizia a cada final de ano ou semestre. Os nossos aniversários então... eram inescapáveis. A Mamãe às vezes não se animava de comemorar o dela, mas sempre, sempre, queria comemorar o nosso. E o bolo, e os parabéns, eram, igualmente, inescapáveis. Fazer o bolo que a gente gostava, era uma questão de honra para ela. E não adiantava dizer que não queria cantar parabéns naquele ano: quando a gente menos esperava, lá vinha ela com o bolo, as velinhas acesas, puxando o coro, às vezes com a minha avó a tiracolo. A Mamãe me ensinou que sempre temos coisas a comemorar. Sempre.

* A Mamãe me ensinou que a vida continua. A Mamãe era capricorniana e eu nunca vi a Mamãe se abater com nada. Nem quando a Abuelita se foi. Ela logo transformou a dor da morte - o luto e a ausência - em novos rituais, inserindo-os na sua rotina, e encontrando conforto. Um deles era visitar minha avó no cemitério, que ela chamava de "cementério". "Vou lá ver a Abuelita", ela dizia. E ia. E voltava. E continuava sua vida. A Mamãe nunca perdeu a fé. Renovava a crença nos seus valores todos os dias. E sua crença em nós. A Mamãe nunca duvidou de cada um de nós. E estava sempre levantando o nosso moral. Sempre. Incansavelmente. E dava feedback para tudo o que a gente fazia. Se a gente achava que ninguém tinha visto, ou reparado, ela tinha. E ela falava. E elogiava. Tento aprender com a infinita generosidade da Mamãe. E com a sua grandeza de alma. Algumas pessoas nunca param de nos ensinar. Nunca.

Para ir além
Compartilhar


Julio Daio Borges
São Paulo, 10/5/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Um safra de documentários de poesia e poetas de Elisa Andrade Buzzo
02. Por uma lógica no estudo da ortografia de Marcelo Spalding
03. A História de Alice no País das Maravilhas de Marcelo Spalding
04. A vitrola de Jaime Prado Gouvêa de Rafael Rodrigues
05. A Arte da Entrevista de Verônica Mambrini


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges em 2015
01. Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos - 25/5/2015
02. Regras de civilidade (ou de civilização) - 21/9/2015
03. Man in the Arena 100 (e uma história do Gemp) - 30/11/2015
04. 10 coisas que a Mamãe me ensinou - 10/5/2015
05. Por que a discussão política tem de evoluir - 24/8/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Sobressalto!
Lilian Sypriano
Formato
(2000)
R$ 6,70



Tributação Efetiva Sobre Consumo e Renda do Trabalho e do Capital
Cadernos Direito Tributário Finanças, Nº 11
Revista dos Tribunais (sp)
(1995)
R$ 19,82



Porto Belo - Sua História Sua Gente
Dieter Hans Bruno Kohl
Outros
R$ 10,00



Qual É a Sua Cor? o Caminho para Saúde Através da Cor
Annie Wilson & Lilla Bek
Martins Fontes
(1985)
R$ 13,90



Inspector Logan - Level 1 - 4ª Ed.
Richard Macandrew
Cambridge University Press
(2004)
R$ 13,19



Primeiro Encontro Sobre o Ensino da História Comunicações
Diversos Autores
Fundação Calouste Gulbenkian
(1992)
R$ 23,45



Hollow Land: Israel's Architecture of Occupation
Eyal Weizman
Verso
(2012)
R$ 250,00
+ frete grátis



Vip Luize Altenhofen Nº 237
Vários Autores
Abril
(2005)
R$ 10,00



Crônicas Escolhidas Lima Barreto
Lima Barreto
Ática
(1995)
R$ 5,99



Iniciação à História da Ciência
David B. Kitts/ Duane H. D. e outros
Cultrix
(1966)
R$ 6,90





busca | avançada
74915 visitas/dia
2,3 milhões/mês