Se a vida começasse agora | Luís Fernando Amâncio | Digestivo Cultural

busca | avançada
35929 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 6/10/2015
Se a vida começasse agora
Luís Fernando Amâncio

+ de 2100 Acessos

O Rock in Rio é, de longe, o maior festival de música do Brasil. É quando os grandes jornais, portais de internet e, sobretudo, a emissora de televisão de maior audiência no país, dão destaques a bandas de rock. É quando sua tia comenta com você sobre o vocalista que pulou nas grades de contenção ou o visual estranho de alguma banda.

A primeira edição do evento, em 1985, foi emblemática. O país vivia um momento de transição em sua história política, encerrando seu regime militar e reencontrando a democracia. Poucos músicos internacionais colocavam o Brasil em suas turnês e o Rock in Rio, idealizado pelo produtor Roberto Medina, os trouxe aos montes à Cidade do Rock.

Minha primeira experiência com o evento foi em 2001, na sua terceira edição. Eu tinha 14 anos e entrei de gaiato numa excursão que deixou Três Corações rumo ao dia do heavy metal daquela edição, com Sepultura, Rob Halford e Iron Maiden como atrações principais. Eu já começava a gostar de rock, mas, a bem da verdade, só fui ao Rock in Rio como condição para que minha irmã pudesse ir. Qual irmão caçula nunca cumpriu esse papel?

Dos shows, para ser sincero, ficaram poucos flashes, já um tanto embaçados. Lembro do Sepultura fazer o público "sair do chão" abrindo sua apresentação com "Roots Bloody Roots" - subiu também uma tonelada de poeira. O Queens of the Stone Age foi um tanto sabotado pelo público, que queria som mais pesado, mas seu repertório me deixou uma impressão positiva. E o Iron Maiden, é claro, deu ao público o espetáculo que todos queriam. Mas aquele Rock in Rio me marcou mais pela aventura que foi. Lembro de estar na fila para entrar três horas antes dos portões se abrirem, às 14h30. O sol não foi solidário e brincou de ser maçarico sobre nossas cabeças. Eu era muito novo e estar ali era uma grande diversão. Mas ao fim do dia, meu corpo sentiu um cansaço que eu desconhecia a existência.

14 anos e uns meses depois, agora com quase 30, voltei ao Rock in Rio, na sexta edição do evento no Brasil. Fui ver Mastodon, Faith No More e Slipknot. Fiquei impressionado com o tanto que o evento cresceu. Não no público, que até minguou, mas na estrutura: virou, literalmente, um parque de diversões. Inúmeras opções para alimentação, infelizmente mais inflacionadas do que o dólar, e lojas vendendo artigos diversos - inclusive a famigerada lama de 1985. Agora, inclusive, não há mais chance para poeira ou lama incomodarem o público, pois o chão foi revestido por grama sintética. Novos tempos. Sem falar nos banheiros, bem mais dignos do que aqueles que eu encontrei em 2001. Um ponto negativo é a caminhada a que a organização submete os fãs, uma vez que a estação de BRT mais próxima, por onde chega a maioria do público, está há mais de um quilômetro da Cidade do Rock. Em todo caso, o evento está se fixando na periodicidade bienal e, enquanto fã de música, eu louvo sua vitalidade.

A música tema do Rock in Rio, composta por Eduardo Souto Neto, diz: "Se a vida começasse agora/ E o mundo fosse nosso outra vez/ E a gente não parasse mais de cantar, de sonhar". Mas a vida não está começando agora para a maioria de nós. E é um desafio lidar com isso. A danada passa rápido demais. Avaliar o que mudou comigo entre um Rock in Rio e outro me assusta. Num momento, eu estava deslumbrado, não querendo perder um segundo do festival, vibrando com cada novidade. Agora, sou daquela parte do público que se poupa chegando mais tarde e que prefere afastar-se do palco quando a euforia juvenil transborda em moshes. Sem falar nas dores nas pernas, costas, a impaciência com pessoas falando durante o show, com os empurrões... 14 anos não são 14 dias.

Em uma entrevista para o New York Times, o cineasta Woody Allen respondeu da seguinte forma ao ser perguntado sobre o que sentia a respeito do processo de envelhecimento: "bem, sou contra". Parece-me uma observação bastante sensata sobre a questão. Envelhecer é quase indefensável. Entretanto, lembrando da sensação de ver as apresentações do Faith No More e do Slipknot, tendo a ser um pouco mais otimista: indo a bons shows de rock, envelhecer fica bem mais suportável.


Luís Fernando Amâncio
Belo Horizonte, 6/10/2015


Mais Luís Fernando Amâncio
Mais Acessadas de Luís Fernando Amâncio
01. O Brasil que eu quero - 22/6/2018
02. A barata na cozinha - 26/10/2018
03. Como eu escrevo - 23/11/2018
04. A Copa, o Mundo, é das mulheres - 14/6/2019
05. 7 de Setembro - 13/9/2019


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




BEST DETECTIVE STORIES OF AGATHA CHRISTIE
AGATHA CHRISTIE
LONGMAN
(1986)
R$ 9,90



CABUL NO INVERNO - VIDA SEM PAZ NO AFEGANISTÃO
ANN JONES
NOVO CONCEITO
(2006)
R$ 10,00



PROJETO DESIGN 306
VÁRIOS AUTORES
ARCO
R$ 20,00



JURISPRUDÊNCIA DA NOVA LEI DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS E FALÊNCIAS
MANOEL JUSTINO / BEZERRA FILHO
REVISTA DOS TRIBUNAIS
(2006)
R$ 25,00



O LIVRO DAS LÍNGUAS
ROCHA RUTH
MELHORAMENTOS
(2005)
R$ 11,00



ONTEM EU CHOREI - CELEBRANDO AS LIÇÕES DA VIDA E DO AMOR
IYANLA VANZANT
SEXTANTE
(2001)
R$ 18,00



POLÍTICAS PÚBLICAS SOCIAIS E OS DESAFIOS PARA O JORNALISMO
GUILHERME CANELA (ORG)
CORTEZ
(2008)
R$ 20,00



ORACULO DO REIKI - 1ª EDIÇÃO
JOHNNY DECARLI
NOVA SENDA
(2015)
R$ 148,95



O FUTURO SEIS DESAFIOS PARA MUDAR O MUNDO
AL GORE
HSM
(2013)
R$ 20,00



DOIS AMIGOS E UM CHATO
STANISLAW PONTE PRETA
MODERNA
(1988)
R$ 8,00





busca | avançada
35929 visitas/dia
1,3 milhão/mês