O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
32489 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> Estratégia Econômica Governo
>>> Brandenburg Concertos (1 - 6)
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Daniel Piza
>>> Aquarius, quebrando as expectativas
>>> Tin-tin!
>>> Cartas, de Antônio Vieira
>>> Malcolm, jornalismo em quadrinhos
>>> Cartas de Kafka a Felice Bauer, por Elias Canetti
>>> Outsiders, de Howard S. Becker
>>> A fila sempre anda
>>> Na praia
>>> O Frankenstein de Mary Shelley
Mais Recentes
>>> Criando Meninas de Gisela Preuschoff pela Fundamento (2003)
>>> Assistência Integrada ao Recém-Nascido de Cléa Rodrigues Leone e Daisy Maria Rizatto Tronchin pela Atheneu (1996)
>>> Centro Cirúrgico: Aspectos Fundamentais Para Enfermagem de Terezinha Ghellere pela Ufsc (1993)
>>> Técnicas de Pesquisa de Marina de Andrade Marconi e Eva Maria Lakatos pela Atlas (1999)
>>> O Pensamento Vivo de Maquiavel : Edição Ilustrada/ Inclui Poster de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> O Pensamento Vivo de Maquiavel : Edição Ilustrada/ Inclui Poster de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Imensa Asa Sobre o Dia de Antônio Mariano pela Dinâmica (2005)
>>> Este Padre Escapou das Garras do Papa!!! de Aníbal Pereira Reis pela Edições Caminho de Damasco (1976)
>>> O Pensamento Vivo de Marx : Edição Ilustrada de José Geraldo Simões Jr.: Pesquisa/ Tradução pela Martin Claret (1985)
>>> Programado Para Aprender de H. Ronald Pulliam e Christopher Dunford pela Zahar (1982)
>>> O Pensamento Vivo de Marx : Edição Ilustrada de José Geraldo Simões Jr.: Pesquisa/ Tradução pela Martin Claret (1985)
>>> O Pensamento Vivo de Marx : Edição Ilustrada/ Inclui Poster de José Geraldo Simões Jr.: Pesquisa/ Tradução pela Martin Claret (1986)
>>> Didática e Psicologia: Crítica ao Psicologismo na Educação de Maria Mercedes Capelo Alvite pela Edições Loyola
>>> O Pensamento Vivo de Gandhi: Edição Ilustrada de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1985)
>>> Da Sua Vida & dos Seus Negócios de Clóvis Mezzomo pela C. Mezzomo (1998)
>>> As Batalhas do Castelo de Domingos Pellegrini pela Moderna (1991)
>>> O Diário Roubado de Régine Deforges pela Klick (1998)
>>> James Dean por Ele Mesmo - Edição Ilustrada de James Dean/ Estudo: Edgar Morin (e Outros) pela Martin Claret (1994)
>>> Contato Imediato com Criação de Propaganda de Julieta de Godoy Ladeira pela Global (1997)
>>> Vida, Caminho & Destino - Missão Vórium de Edson Luiz Pocahi pela Novo Século (2016)
>>> Relaxe... e Viva Feliz de Núbia Maciel França e Haroldo J. Rahm pela Edições Loyola (1982)
>>> O Pensamento Vivo de Orson Welles : Edição Ilusttrada/ Inclui Poster de Rogério Sganzerla: Organização/ Notas pela Martin Claret (1986)
>>> O Pensamento Vivo de Orson Welles : Edição Ilusttrada/ Inclui Poster de Rogério Sganzerla: Organização/ Notas pela Martin Claret (1986)
>>> As Quatro Deusas da Babilônia de Maria Augusta F. Puhlmann pela Lake (1984)
>>> Socorro, Leitora!: O Primeiro Romance de Auto-Ajude-me de Gisela Rao pela Matrix (2006)
>>> O Pensamento Vivo de Rohden : Edição Ilustrada de Verdi Gonçalves dos Santos : Pesquisa- Tradução pela Martin Claret (1988)
>>> O Pensamento Vivo de Glauber Rocha : Edição Ilustrada de Cristina Fonseca : Pesquisa/ Org. Notas pela Martin Claret (1986)
>>> A Mensagem do Islam de Abdurrahman al-Shera pela Alsofara
>>> O Pensamento Vivo de Sartre : Edição Ilustrada (inclui Poster) de Pesquisa e Tradução: Marcelo Whately Paiva pela Martin Claret (1990)
>>> O Pensamento Vivo de Galileu : Edição Ilustrada (inclui Poster) de Pablo Rúben Maricon: Pesquisa e Organização/ Notas pela Martin Claret (1987)
>>> O Pensamento Vivo de John Lennon: Edição Ilustrada de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> O Pensamento Vivo de John Lennon: Edição Ilustrada de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret
>>> O Pensamento Vivo de Freud : Edição Ilustrada de José Geraldo Simões Jr.: Organização/ Pesquisa pela Martin Claret (1986)
>>> O Pensamento Vivo de Freud : Edição Ilustrada de José Geraldo Simões Jr.: Organização/ Pesquisa pela Martin Claret (1986)
>>> A Gangue e o 5s: a História de um Gangue de Pichadores ... de Wagner Matias de Andrade pela Soluções Criativas (1995)
>>> A Gangue e o 5s: a História de um Gangue de Pichadores ... de Wagner Matias de Andrade pela Soluções Criativas (1994)
>>> A Gangue e o 5s: a História de um Gangue de Pichadores ... de Wagner Matias de Andrade pela Soluções Criativas (1994)
>>> Wa: Equilíbrio Alegria e Sabedoria: o Sucesso Está em Cada um, a seu Modo de Romero Faria/ ilustr.: J. Luiz Inácio pela Ed.dp Autor/ Belo Horizonte (1996)
>>> O Mistério dos Assaltantes Mascarados de Lourenço Cazarré/ Editor: Bartolomeu C. de Queirós pela RHj/ Belo horizonte (1996)
>>> Os Sonhadores de Vila Rica : a Inconfidência Mineira de 1789 de Edgard Luiz de Barros pela Atual/ Sp. (1991)
>>> República Bossa- Nova : A Democracia Populista (1954-1964) de José Dantas Filho/ Francisco Fernando M. Doratioto pela Atual/ Sp. (1996)
>>> Reinventando a Liberdade: a Abolição da Escravatura no Brasil de Antonio Torres Montenegro pela Atual/ Sp. (1996)
>>> Doce Inferno - Açúcar - Guerra e Escravidão no Brasil Holandês (... de Elsa Gonçalves Avancini pela Atual/ Sp. (1993)
>>> Doce Inferno - Açúcar - Guerra e Escravidão no Brasil Holandês (... de Elsa Gonçalves Avancini pela Atual/ Sp. (1993)
>>> Estudos Feministas - v. 15, n. 1 (2007) de Vários pela Edufsc (2019)
>>> Estudos Feministas - v. 17, n. 3 (2009) de Vários pela Edufsc (2009)
>>> Mauá Empresário do Império de Jorge Caldeira pela Companhia das Letras (1995)
>>> Camilo - Señor de la Vanguardia de William Galvez pela Editorial de Ciencias Sociales (1979)
>>> Mutações Ensaios Sobre as Novas Configurações do Mundo de Adauto Novaes (Org.) pela Agir (2008)
>>> Síndrome da Violência de Hosmany Ramos pela Sequência Editorial (1984)
COLUNAS

Terça-feira, 11/6/2019
O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 2500 Acessos



O poeta Tito Leite acaba de publicar Aurora de Cedro, pela editora 7 Letras. O livro é dividido em cinco seções, com um total de 51 poemas. Há um desejo de equilíbrio entre as seções, pois, com exceção de uma com 11 poemas, todas as outras possuem exatamente 10.

Cada seção parece trazer uma preocupação específica, que vai das questões sócio-existenciais, com a denúncia de um real insuportável, ao desejo de uma transcendência do mundo ordinário, com devaneios espirituais – que buscam o silêncio - ou mesmo composições de versos com imagens mais radiantes, menos sombrias ou sob o peso da melancolia.

O livro nos transmite a sensação de que o poeta está a fazer uma via-crucis que vai do inferno do mundo concreto e intragável – que o esgota – ao mundo das sensações (ou das imagens) que podem produzir ainda algum prazer- que o liberta.

O fato do poeta ser monge, formado em filosofia, tem alguma coisa a ver com isso? Não, nenhuma. Esqueçamos isso. Quem se apresenta aqui é o poeta e é como poeta que ele pensa e repensa o mundo, pensa a vida e/ou a possibilidade de evadir-se dela. “O mundo foi feito para ser transformado em um livro”, como disse Mallarmé. E o poeta está, antes de tudo, interessado mais na operação da linguagem – a poesia - do que em produzir reflexões ordinárias a partir de suas ocupações mundanas (seja como monge ou estudioso da filosofia). O poeta pensa com a poesia. “A solidão transmuta-se/ em poema”, diz no poema denominado justamente “Poeta”.

Apesar dessa divisão meio estanque que eu apresento, que parte do peso do social dos versos ao prazer mais ligeiro das imagens “felizes”, creio que há um elemento insubordinado que atravessa todo o livro. É a inadequação do poeta a quase todos os fatores da existência. “É dilacerante escolher/ a pior parte”, vaticina no poema “Dilacerante”. Essa “pior parte” está em todo lugar, em cada poema, se observarmos bem. O poeta moderno é um ser dilacerado, como que carregando a lava vulcânica de sua inadequação, inclusive, como ferramenta para continuar escrevendo poesia. Não é incomum na poesia moderna e contemporânea o branco da página sulcada pelas sombras de uma desilusão em relação ao mundo: “o tempo dos homens ocos”, de T. S. Eliot, não se encerrou, como sabemos.

Em Aurora de Cedro Tito Leite consegue, por operações poéticas bem pensadas, catalisar oposições, tensões, que fazem todo o livro vibrar em dissonância, desmantelando qualquer crosta lírico-sentimental salvacionista. É bom prevenir – “abandonai todas as esperanças” quem vier a procurar no livro um espelho, alguma imagem de um estado de paz desejado ou de verdade assentada – Tito quebrou os espelhos, que se pisados no chão produzirão fortes cortes nos pés desprevenidos.

Desse modo, se o poeta se liga a um ou outro dado da realidade, ele procura ao mesmo tempo negar ou trilhar espaços de salvação possíveis. O que se apresenta nos versos do livro são incômodos, aversão ao mundo, é certo, mas proposições sacrificadas em nome da máquina da linguagem que é o poema. Este é um livro de poemas, livro de poeta, não um empastelamento de páginas de auto-ajuda.

O que Aurora de Cedro parece dizer é: somos filhos da queda, assim é o homem, assim sua natureza, assim seu destino. Diferente do que sugere o caquético pensamento cristão, não virá um salvador. Estamos em queda livre porque essa é nossa condição enquanto humanos. A mais poética revolução, em nome do bem-comum, gerou também milhares de cadáveres. O Capital, alma desse mundo, não para de abrir covas e se dirigir para o auto-esfacelamento. “Todo dia/ o mesmo esquartejamento”, diz em “Carteira de trabalho”. E continua “Adão, tu ganhas/ o pão com o suor/ da tua tarde, mas muitos dos teus/ filhos comem/ a nossa carne”.



O poeta é o único ser verdadeiramente marginal. À margem de tudo, tudo pode ver à distância. Não podendo nem gerar Capital (quem paga por poesia?), “ele se liberta do cativeiro servil face ao mundo, que aparece como patrão, cliente, consumidor, oponente, árbitro e desvirtuador de sua obra”, para usar os temos de Susan Sontag.

Falando dos demônios pessoais ou do vácuo da existência, todo bom poeta é também visceral, propõe Tito Leite em seu poema “Sondareza”. Faz das vísceras o coração. Então, o imbróglio que cada poema se propõe ser, sustentado na contradição de estar na lama e adorando o brilho das estrelas celestes, é o que o torna uma ferramenta não dogmática da leitura do mundo. O poeta aceita contradições, como podemos ver no poema “Stravinsky”: “Em cada ode, o poeta canta/ uma morte: como quem recria/ uma semente de alegria/ no recreio dos segregados.

Aurora de Cedro radicaliza a historicidade em uma poética da negatividade: o ritmo do mundo pessoal e cultural interiorizado pela força da consciência poética. Ao mesmo tempo, a linguagem do poeta é a tradução e a traição dessa consciência. “O poeta moderno é aquele que sabe o que há de instável na condição de encantamento de seu texto, sempre dependente de sua condição de enigma” (J. A. Barbosa). A linguagem (sempre em crise) da poesia, sua tensão corrosiva, procura converter o enigma em espaços onde o leitor pode decifrar as tensões do mundo, não como certeza do real, mas como impossibilidade de retê-lo como imagem símile refletida num espelho.

“Tenda dos Milagres”, poema da última parte do livro, parece um aviso do poeta aos leitores afeitos à tábuas de salvação: se o que Jorge Amado escreve é real, eu quero é o gosto do mar, como um pescador que leva flores para Iemanjá com o nome do seu amor, eu quero “em cada/ agrado, meu sonho/ sagrado”.

Ah, mas que contradição! Depois de nos lançar todo seu desespero o poeta quer fugir para o éden! Mas o poema “Infindo” vem para dissolver esse lugar especial que parece existir e se desvanecer tão rápido: “Vão-se pétalas/ e relicários/ e o que temos de sagrado/ se esgarça.” Sim, eis o espelho quebrado que ele vos oferece! Sou “Anômalo”, indica o poema com mesmo nome, “Não quero chão./ Quero nuvens, lua ou a queda.”

“A balança/ não pesa/ para o sol/ da virtude:// o escuro é frágil/ e desleal à vida/ se os sinos não/ dobram para os lírios/ do campo.” Precisa dizer mais do que diz o poema “Desrazão”?

Liberto do cativeiro do leitor que espera salvação, Aurora de Cedro é um livro insuportável, porque o mundo é insuportável.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 11/6/2019


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Paris branca de neve de Renato Alessandro dos Santos
02. A barata na cozinha de Luís Fernando Amâncio
03. Primavera para iniciantes de Elisa Andrade Buzzo
04. Como se me fumasse: Mirisola e a literatura do mal de Jardel Dias Cavalcanti
05. Precisamos falar sobre Kevin de Renato Alessandro dos Santos


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2019
01. Minimundos, exposição de Ronald Polito - 19/3/2019
02. A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto - 5/3/2019
03. As Lavadeiras, duas pinturas de Elias Layon - 22/1/2019
04. O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite - 11/6/2019
05. Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto - 7/5/2019


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MATEMÁTICA 1º GRAU 5º SÉRIE
CARLOS CATTONY
IBRASA
(1978)
R$ 100,00



TU COCINA
SAVARIN
DAIMON
R$ 35,00



HITLERS WAR ON RUSSIA
PAUL CARELL
CORGI BOOKS
(1967)
R$ 28,28



MINHA JORNADA INTERIOR
ODETE LARA
BEST SELLER
(1990)
R$ 26,91
+ frete grátis



CURSO DE DIREITO CIVIL - 6 DIREITO DAS SUCESSÕES
WASHINGTON DE BARROS MONTEIRO
SARAIVA
(1993)
R$ 29,00
+ frete grátis



D. QUIXOTE DAS CRIANÇAS
MONTEIRO LOBATO
BRASILIENSE
(1949)
R$ 7,50



PIRÂMIDES DO MUNDO: A VERDADE DEFINITIVA - VOLUME 1
MITCHUNG (DEDICATÓRIA DO AUTOR)
TEMPLO SAGRADO
(1983)
R$ 25,82



BLUES KEYBOARD BASICS THE ULTIMATE BEGINNER SERIES STEOS ONE & TWO
DEBBIE CAVALIER / HENRY BREWER 9501
MEDIA GROUP
(1996)
R$ 30,00



CRISÁLIDAS, FALENAS & AMERICANAS
MACHADO DE ASSIS
GLOBO
(1997)
R$ 25,90
+ frete grátis



OS PODERES DO JUIZ NO PROCESSO CIVIL MODERNO: VISÃO CRÍTICA;
REVISTA DE PROCESSO, Nº 32 - ANO 8
REVISTA DOS TRIBUNAIS
(1983)
R$ 16,28





busca | avançada
32489 visitas/dia
1,0 milhão/mês