A pior crônica do mundo | Luís Fernando Amâncio | Digestivo Cultural

busca | avançada
42918 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Namíbia, Não! curtíssima temporada no Sesc Bom Retiro
>>> Ceumar no Sesc Bom Retiro
>>> Mestrinho no Sesc Bom Retiro
>>> Edições Sesc promove bate-papo com Willi Bolle sobre o livro Boca do Amazonas no Sesc Pinheiros
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Assim criamos os nossos dois filhos
>>> Compreender para entender
>>> Para meditar
>>> O que há de errado
>>> A moça do cachorro da casa ao lado
>>> A relação entre Barbie e Stanley Kubrick
>>> Um canhão? Ou é meu coração? Casablanca 80 anos
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 24 Horas: os medos e a fragilidade da América
>>> 18 de Março #digestivo10anos
>>> Entrevista a Juliana Dias
>>> Dez Coisas
>>> A Vida dos Obscuros
>>> Day after day, alone on the hill
>>> Um teatro que foge do óbvio
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Fantasmas do antigo Recife
>>> Luther King sobre os fracos
Mais Recentes
>>> O incrível Multiverso de Magic: The Gathering de Planeta De Agostini pela Planeta De Agostini (2019)
>>> Quem Disse Que Você Pode Liderar Pessoas? de Gareth Jones e Rob Goffee pela Elsevier (2006)
>>> Raizes e Asas 8 - Avaliação e aprendizagem de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 7 - A sala de aula de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 7 - A sala de aula de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 6 - Como ensinar um desafio de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 6 - Como ensinar um desafio de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 5 - Ensinar e aprender de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 5 - Ensinar e aprender de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 4 - Projeto de escola de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 4 - Projeto de escola de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 3 - Trabalho coletivo na escola de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 1 - A escola e sua função social de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 1 - A escola e sua função social de Vários autores pela Cenpec
>>> Revista paulista de educação fisica - Vol. 3 - Nº 5 de Usp pela Usp (1989)
>>> Revista paulista de educação fisica - Vol. 11 - Nº 2 de Usp pela Usp (1997)
>>> Revista paulista de educação fisica - Vol. 9 - Nº 1 de Usp pela Usp (1995)
>>> Revista paulista de educação fisica - Vol. 8 - Nº 1 de Usp pela Usp (1994)
>>> Revista paulista de educação fisica - Vol. 8 - Nº 2 de Usp pela Usp (1994)
>>> Revista paulista de educação fisica - Vol. 7 - Nº 1 de Usp pela Usp (1993)
>>> Os Grandes julgamentos - o processo Petain de Claude Bertin pela Otto pierre (1978)
>>> Os Grandes julgamentos - Eichmann - Toquio de Claude Bertin pela Otto pierre (1978)
>>> Os Grandes julgamentos - Sacco-Vanzetti - Lindbergh de Claude Bertin pela Otto pierre (1978)
>>> Os Grandes julgamentos - Os processos de Mosou de Claude Bertin pela Otto pierre (1978)
>>> Os Grandes julgamentos - Galileu Galilei de Franco Massara pela Otto pierre (1978)
COLUNAS

Sexta-feira, 23/9/2022
A pior crônica do mundo
Luís Fernando Amâncio
+ de 5200 Acessos

Cinco jovens, dois brasileiros e três gringos, se aventuram durante uma semana no Rio de Janeiro. A premissa não é ruim. Consigo imaginar histórias de diversos gêneros partindo desse ponto. Do erótico ao suspense. Do romance à ação. Filmes de baixo orçamento e até blockbusters.

O Rio de Janeiro, cidade exuberante por suas belezas, constituição social e história, é um excelente cenário. E jovens costumam ser os protagonistas prediletos de Hollywood. Não teria erro.

Mas teve. O texto de Washington Olivetto para O Globo sobre as férias do filho com os amigos (publicado em 04 de julho desse ano) talvez seja a pior crônica já escrita. E eu sei: a polêmica é antiga e provavelmente você a conhece. Muitos se escandalizaram com o fato de, em enfadonhas linhas, o publicitário dizer ao leitor que o Rio de Janeiro é maravilhoso para quem é rico.

Fica a sugestão: na próxima vez em que for humilhar o pobre que não é amigo do Jorge Ben Jor, ao menos o faça de forma sucinta.

Meu foco, porém, será textual. Uma defesa da crônica enquanto gênero literário. Afinal, estamos falando do patinho feio das formas literárias.

Algum leitor aí teria a audácia de dizer que a crônica é sua categoria literária predileta? Já houve lista de “melhores livros da história” contemplando uma antologia de crônicas em seu ranking?

Pois é.

E tudo bem. A crônica não almeja sumptuosidades. Dentre as formas literárias, é mesmo a mais modesta. Mas não se engane: ela possui virtudes. Por exemplo, sua natureza flexível: ela divide espaço com o jornalismo, finge trivialidade, arranca sorrisos de canto de boca e, no fim, derruba o queixo do leitor.

A crônica é o texto mais malabarista da literatura. Pode iniciar falando das dificuldades de se comprar parafusos e finalizar levantando questões existências.

Quando bem executada, evidentemente.

O texto do Washington Olivetto é uma catástrofe. Ele vai elencando eventos sucessivos e desinteressantes. O leitor que sobrevive aos parágrafos não desenvolve qualquer empatia pelos personagens. No fim, o autor tenta arrematar com uma conclusão piegas que só piora a experiência.

As crônicas não devem ter a presunção de ensinar algo a alguém. O que elas podem até fazer, é claro, mas por acidente. O verdadeiro compromisso da crônica deve ser com a leveza. Ela é um espaço de lazer para o escritor. O lugar em que surgimos em nossas roupas de banho, com os cabelos desalinhados e cantarolando uma música cafona. É onde mostramos o que realmente somos.

Se o leitor captar isso, parabéns, sua missão foi cumprida.

Ouso, inclusive, sentenciar: um bom romancista pode ser uma pessoa intragável. Um poeta talentoso pode ser de difícil convivência, por mais belos que seus versos sejam.

Já o bom cronista só pode ser gente boa. Pois escrever textos descontraídos e reflexivos na exata medida requer uma sutileza que as pessoas desagradáveis não dominam.

Dito de outra forma: se você admira um cronista, significa que ele poderia ser seu amigo. Pode convidá-lo para um churrasco.

O mau cronista, por sua vez, não necessariamente é uma pessoa ruim. Às vezes pode coincidir, é claro, mas generalizar seria injusto. Pode ocorrer de o cronista ruim ser, afinal, apenas um publicitário no lugar errado.

Nota do Editor
Leia também "As Cem Melhores Crônicas Brasileiras".


Luís Fernando Amâncio
Belo Horizonte, 23/9/2022

Quem leu este, também leu esse(s):
01. O segredo para não brigar por política de Luís Fernando Amâncio


Mais Luís Fernando Amâncio
Mais Acessadas de Luís Fernando Amâncio em 2022
01. Epitáfio do que não partiu - 8/4/2022
02. As fezes da esperança - 1/7/2022
03. Mamãe falhei - 11/3/2022
04. Uma alucinação chamada dezembro - 11/2/2022
05. A pior crônica do mundo - 23/9/2022


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Crescer Em Comunhao
Vários Autores
Vozes
(2011)



Novelas - Concursos Literários do Piauí
Sergio Batista e Outros
Publique
(2005)



Meu Pescoço É um Horror: e Outros Papos de Mulher
Nora Ephron, Lia Wyler
Rocco
(2007)



Um Ano para Enriquecer - 52 Mensagens de Otimismo e Motivação
Napoleon Hill
Record
(1998)



Time Out Film Guide, 3rd Edition
Tom Milne(editor)
Time Out
(1994)



Leonid Streliaev: Rio Grande do Sul - Edição Especial
Leonid (photography). Text By Luiz Antonio De
Porto Alegre
(2003)



Vila Nilo
Vários Autores
Prefeitura de São Paulo
(2011)



Museu Hermitage São Petersburgo (grandes Museus do Mundo) N16
Alessandra Fregolent
Folha de S Paulo
(2009)



O Mestre dos Mestres
Augusto Cury
Sextante
(2006)



Tudo Que a Gente Sempre Quis
Emily Giffin
Arqueiro
(2019)





busca | avançada
42918 visitas/dia
1,4 milhão/mês