Se o mundo fosse de Alice | Rennata Airoldi | Digestivo Cultural

busca | avançada
36466 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 14/8/2002
Se o mundo fosse de Alice
Rennata Airoldi

+ de 1700 Acessos

Enquanto o mundo gira, artistas repensam a humanidade. Entre ensaios, filmagens e pesquisas, pessoas se confinam em diversos lugares para dar asas à imaginação. Num mesmo espaço, cada mente constrói seu universo paralelo. Somando as personalidades, pode-se obter de uma caixa preta o caos do mundo ingênuo e mágico de Alice ou mesmo a realidade dura e concreta de uma telenovela. Não importa qual seja o resultado desde que seja feito com entusiasmo, sinceridade e verdade. A crença daquele que diz é fundamental para aquele que escuta, acredite.

Estava pensando no tamanho das possibilidades nos dias atuais. Podemos falar de tudo através da arte e existem pessoas que vão se identificar com qualquer assunto e maneira de apropriação. As opções são tantas que, às vezes, tenho a nítida sensação de que nem os artistas sabem mais o que querem dizer. Ou que precisa ser dito. Sentada, assistindo uma peça, muitas vezes não me convenço daquilo que o ator tenta "vender". Talvez porque ele não tenha entendido nada do que quer dizer aquelas ações e palavras ou, talvez, porque ele não saiba o que o impulsiona dentro de sua arte.

O que mais dificulta a vida do artista contemporâneo é o modelo de vida moderno além, é claro, da necessidade básica que todos os seres humanos têm de comer, beber, morar, comprar, pagar contas. O artista também carrega esse grande fardo. Enquanto atores eram seres marginalizados pela sociedade e viviam em guetos isolados, em carroças que percorriam o mundo, em companhias mambembes, não havia a preocupação com o lado material. Uma noite em cada hospedaria e uma apresentação por uma refeição! Tudo pelo amor à Arte.

Ingenuidade e desapego que quase não cabe mais nos dias de hoje. Os atores estudam, lêem, pesquisam e se questionam. (Ao menos espera-se isso deles.) Todos somos reféns do sistema. E quando digo isto, é porque não importa quem você seja ou qual a sua profissão. Você tem um celular, uma televisão, um computador, um carro, um aparelho de som, uma cama, um chuveiro quente e uma escova de dentes. Há como se desfazer de algumas destas coisas; no entanto, dificilmente viveríamos sem nada disso.

Desta forma, vai ficando cada vez mais difícil ser fiel aos próprios princípios. Cada um tem um preço e não existe espírito puro o suficiente para não se corromper diante de nada. Neste momento, faço um adendo: não estou incluindo nesse pensamento ações que prejudiquem uma terceira pessoa. Estou falando do artista diante de sua própria obra. O quanto ele determina o que deve ser feito e o quanto ele é comandado por forças circunstanciais.

Nós sabemos muito bem quais peças terão maior chance de sucesso junto ao grande público, qual o besteirol que precisa ser feito para lotar um teatro, qual o texto que incomoda, qual é o teatro que questiona. Agora, qual o impulso que me move? É difícil responder esta pergunta assim como é difícil negar um salário quando se está sem dinheiro para pagar as contas, por mais que o trabalho em questão não tenha a mínima qualidade artística. Infelizmente, a medida em que o ator deixou de ser o marginal mambembe e passou a ser um modelo de sucesso, caiu continuamente nessa emboscada. Optar muitas vezes entre arte e dinheiro. O difícil é conseguir conciliar um bom projeto com um bom retorno financeiro. Assim, nem sempre conseguimos manter toda a pureza necessária para que a fidelidade à nossa arte e aos princípios seja determinante.

Tirando aqueles que fazem qualquer coisa por não terem discernimento daquilo que realizam, por status, sempre nos deparamos com atores maravilhosos nas situações mais constrangedoras. Em novelas, peças, filmes. É difícil encontrar pessoas que conseguem se manter firmes diante de sua convicção sem olhar para os lados. Não conheço muitas. Aliás pouquíssimos artistas têm esse desprendimento diante de ofertas sedutoras.

Não condeno um lado, nem outro. O que não suporto é a ignorância. Se um amigo recebe uma proposta de trabalho pelo qual receberá dignamente, acho justo que ele aceite, mesmo que não seja a melhor obra do mundo. Mesmo que não seja algo que ele sempre desejou fazer. Não há mal nenhum em querer viver bem. Viver de teatro num país como o nosso, é luxo para poucos. O trabalho é escasso, o apoio a grupos e pesquisadores é mínimo. Por outro lado, acho louvável aqueles que se mantém puros. É raro. Talvez seja um sonho inocente de todos nós e uma bandeira que devemos levantar. Se tudo fosse fantasia, poderíamos trabalhar vinte e quatro horas dentro da caixa preta e nos alimentarmos apenas dos aplausos finais!

Esse é um tormento que circunda a vida dos atores nos dias de hoje. Não daqueles que não têm compromisso com a arte. Esses, vivem conforme sopra o vento. São capazes de qualquer coisa a qualquer preço e não merecem a credibilidade. É desconfortável achar verdade naquilo que não acreditamos. É triste saber que muitos artistas geniais passam fome. É esperado que trabalhos de baixa qualidade artística tenham uma procura enorme em função do salário fixo, pago a cada dia 10...

Vender-se ou não vender-se, eis a questão. Nua e crua, a realidade é uma onda que vai crescendo e inundando tudo em volta. De repente, salve-se quem puder! O importante para o artista é saber que sempre existe uma maneira de retomar suas verdades.

Boletim da Mostra
Esta é a semana dos encenadores na "II Mostra de Teatro 'Cemitério de Automóveis'", que acontece no Porão do Centro Cultural São Paulo. Dedicada a diretores que montaram peças de Mário Bortolotto. Aliás, o autor está concorrendo ao prêmio Shell de melhor texto pela peça: "Hotel Lancaster". Dentro de toda a programação da Mostra, só resta uma última estréia que é "Fábula Podre" dia 20, às 19hrs. E o melhor é que continua sendo um sucesso de público.

* "Hotel Lancaster" (dir. Marcos Loureiro): dia 14 às 19 e às 21 hrs.
* "Leila Baby" (dir. Jairo Mattos): dia 15 às 19 e às 21hrs.; dia 17 às 21 hrs.
* "Fica Frio" (dir. Marco Antonio Pâmio): dia 16 às 19 e às 21 hrs.; dia 17 às 19 hrs.
* "Gravidade Zero" (dir. Elias Andreatto): dia 18 às 18 e às 20 hrs.

Maiores informações sobre a "II Mostra de Teatro Cemitério de Automóveis" através do site: www.cemiteriodeautomoveis.hpg.ig.com.br


Rennata Airoldi
São Paulo, 14/8/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A que ponto chegamos, EUA! de Celso A. Uequed Pitol
02. A coerência de Mauricio Macri de Celso A. Uequed Pitol
03. A grande luta das pessoas comuns de Guilherme Carvalhal
04. Dando conta de Minas de Marta Barcellos
05. Miguel de Unamuno e Portugal de Celso A. Uequed Pitol


Mais Rennata Airoldi
Mais Acessadas de Rennata Airoldi em 2002
01. Cartas que mudaram a História! - 10/4/2002
02. Do primeiro dia ao dia D - 13/3/2002
03. Enfim: Mário Bortolotto! - 25/9/2002
04. A Nova Hora, A Hora da Estrela! - 6/3/2002
05. Uma conversa com Reinaldo Moraes - 18/9/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CRÔNICA DO SALÁRIO MÍNIMO - UMA JORNALISTA VIVE DURANTE 30 DIAS A DESV
ARCELINA HELENA PÚBLIO DIAS
RECORD
(1995)
R$ 6,00



OBRAS CIENTÍFICAS POLITICAS E SOCIAIS VOL 3 DE JOSÉ BONIFÁCIO DE A...
EDGARD DE CERQUEIRA FALCÃO - COLIGIDA
REVISTA DOS TRIBUNAIS
(1965)
R$ 69,00



O ICONE
NEIL OLSON
LANDSCAPE
(2005)
R$ 10,00



CONECTE HISTORIA 3 - PRIMEIRA PARTE
RONALDO VAINFAS
SARAIVA
(2011)
R$ 6,50



COMO FUNCIONA - SISTEMAS - UTENSÍLIOS - EQUIPAMENTOS ATUAIS
SCIENTIFIC AMERICAN
VISOR
(2000)
R$ 10,00



MANUAL DE SEGURANÇA DO TRABALHO
WELLINGTON TAVARES DE ARAÚJO
DIFUSÃO CULTURAL DO LIVRO
(2010)
R$ 21,49



O CRIME QUASE PERFEITO
PERCIVAL DE SOUZA
IDEA
(2010)
R$ 22,00



DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE HIPOCONDRÍACO
AIDAN MACFARLANE E ANN MCPHERSON
34
(1993)
R$ 20,00



MORADAS DE DEUS
DOM CIPRIANO CHAGAS O. S. B.
LOUVA-A-DEUS
(1995)
R$ 10,00



SOCIEDADES ANONIMAS DEPORTIVAS DERECHO COMPARADO
ANTONIO MANUEL MORAIS
HUGIN
(2001)
R$ 74,70





busca | avançada
36466 visitas/dia
1,2 milhão/mês