A Cura | Héber Sales | Digestivo Cultural

busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
>>> Quem é o autor de um filme?
>>> Cyrano de Bergerac
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Marco Lisboa na Globonews
Mais Recentes
>>> Psicanálise da maternidade: uma crítica a Freud a partir da mulher e de Nancy Chodorow pela Rosa dos Tempos (1999)
>>> O Preço de Uma Vida de Cristiane Krumenauer pela Novo Século (2018)
>>> Revista de História USP Nº 60 1964 de Diversos Autores pela Ffcl/USP (1964)
>>> Kerata O Colecionador de Cérebros de Juliana R. S. Duarte pela Novo Século (2017)
>>> Revista de História USP Nº 50 1962 de Diversos Autores pela Ffcl/USP (1962)
>>> Crepúsculo - Livro de Anotações da Diretora de Catherine Hardwicke pela Intrínseca Ltda (2019)
>>> Os Sertões de Euclides da Cunha pela Nova Cultural (2002)
>>> O Segredo e outras Histórias de Descoberta de Lygia Fagundes Tellles pela Companhia das Letras (2012)
>>> Uma Família Feliz de David Safier pela Planeta (2013)
>>> O Enigma da Pirâmide de Alan Arnold pela Circulo do Livro (1985)
>>> Adrienne Mesurat (prefáco Inédito) de Julien Green/ (Nota): Josué Montello pela Nova Fronteira (1983)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes) de Jonathan Swift/ Trad.: Octavio Mendes Cajado pela Globo/ RJ. (1987)
>>> O Mochileiro das Galáxias - Volume 5 - Praticamente Inofensiva de Douglas Adams pela Arqueiro (2010)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes)/ Encadernado de Jonathan Swift/ Prefácio: Almir Andrade pela W. M. Jackson (1970)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes)/ Encadernado de Jonathan Swift/ Prefácio: Almir Andrade pela W. M. Jackson (1970)
>>> Amigos de Todo Mundo: Romance de um Jardim Zoológico de Felix Salten/ Ilustrações: Philipp Arlen pela Edições Melhoramentos (1952)
>>> Lembranças Obscuras de um Judeu Polonês Nascido na França de Pierre Goldman pela Francisco Alves (1984)
>>> El Hombre de Annie Besant pela Glem (1957)
>>> Lo Spiritismo Nella Umanita de Casimiro Bonfiglioli pela Bologna (1888)
>>> Santo Tomas de Aquino de P.J. Weber pela Poblet (1949)
>>> Rumo a Consciência Cómica de Pagina de ouro de Ramasar pela Curitiba (1969)
>>> Reencarnação de J.H. Brennan pela O Hemus
>>> Rezando com o Evangelho de Pe. Lucas Caravina pela Paulus (1997)
>>> Resolução para o novo milênio de Jennifer Fox pela Ediouro (1999)
>>> Los Maestros sus Retratos Meditaciones y Graficos de David Anrias pela Horus (1973)
>>> La Doctrina Cosmica de Dion Fortune pela Luis Cárcamo (1981)
>>> Remotos Cânticos de Belém de Wallace Leal V. Rodrigues pela O Clarim (1986)
>>> Reencarnação e Imortalidade de Alexandra David Neel pela Ibrasa (1989)
>>> Raios de Luz Espiritual de Francisco Valdomiro Lorenz pela Pensamento
>>> Does God Exist? de A.E. Taylor pela The Macmillan Company (1947)
>>> Administração Básica de Adelphino Teixeira da Silva pela Atlas (2011)
>>> Como Resolver Conflitos no Trabalho de Jerry Wisinski pela Campus (1994)
>>> Administração de Investimentos de Peter L. Bernstein pela Bookman (2000)
>>> Sistemas Organização e Métodos de Tadeu Cruz pela Atlas (1998)
>>> Os 100 melhores livros de negócios de todos os Tempos de Todd Sattersten Jack Covert pela Campus (2010)
>>> Propaganda de Plínio Cabral pela Atlas (1980)
>>> Empresa Como Organizar e Dirigir de Antônio Carlos Ferreira pela Ouro
>>> Marketing Cultural ao Vivo de Vários pela Francisco Alves (1992)
>>> A Dose Certa de John C. Bogle pela Campus (2009)
>>> Já tenho idade para saber de Michael W. Smith pela BomPastor
>>> Sobreviver não é o Bastante de Seth Godin pela Campus (2002)
>>> Jesus, o maior psicólogo que já existiu de Mark W. Baker pela Sextante
>>> Aspectos Legais da Documentação em Meios Micrográficos Magnéticos e Ópticos de Ademar Stringher pela Cenadem (1996)
>>> Go Pro de Eric Worre pela Rumo (2019)
>>> Avaliação da aprendizagem - Componente do ato pedagógico de Cipriano Carlos Luckesi pela Cortez (2011)
>>> Pílulas do Bem-Estar de Daniel Martins de Barros pela Sextante (2019)
>>> Trilha de Diversos pela EuBlack
>>> Apostila de Vestibular Semi FGV 2 de Não Informado pela Cpv (2003)
>>> Documentos Maranhenses Pantheon Maranhense 2 Volumes de Antônio Henrique Leal pela Alhambra (1987)
>>> Economia de João Paulo de Almeida magalhães pela Não sei (2019)
COLUNAS

Segunda-feira, 6/1/2003
A Cura
Héber Sales

+ de 2200 Acessos

Neste palco,
sua cara vida
revela-se um script
na obra de autor
misterioso.

Seus desejos saracoteiam
intempestivos,
e mal arranham
a superfície do papel,
onde o ato
de duração imprevista
caminha para o fim certo -
para ele errado,
que não quer apear
deste tablado.

Ensaia tantas vezes
um jeito de ser feliz,
à espera do seu modo
de permanecer.


De nascença, sou cristão. Por muito tempo, de confissão em confissão, descansei o fardo de herança original: a culpa. Era condenado, errabundo num exílio vergonhoso. Deixara um éden onde nunca tinha estado, mas que reconhecia quando no peito túmido uma dor subia a garganta num rebojo: "vou-me embora pra Pasárgada!" Rezava assim, por vida melhor, muitas vezes; outras tantas, pedia é perdão - depois que em miragens o paraíso roçava meus sentidos todos, confundindo-os com visões que cheiravam a tato de gosto bom. Numa e noutra, a agonia trocada, a flagelos, por um fio de esperança; eu renovava as promessas, e então tudo podia dar certo.

Por um descuido, formei-me profano, no culto à razão e à ciência positiva. Cresci na outra metade dum século sem fim, de datação inverossímil para a gigantesca obra da época. As evidências acumulavam-se, e a ordem das coisas não poderia mais se esconder no não-ser. O iluminado momento moderno expulsava espantos, e eu, aluno aplicado, esperava o elixir da vida eterna, o qual surgiria, embalado e bem marcado, no final de uma linha de montagem qualquer.

Mas os anos de luzes se foram, e, mesmo com os muro derribados, a desgraça foi tanta miséria afogando a minha fé, que um pânico tomou-me e aos outros. À muita sombra de coisas que não vieram, nossos fantasmas dançaram o horror. De nada adiantou que homens famanazes fossem defender a nossa liberdade. Cada inimigo abatido fazia explodir a angústia do fim do mundo, porque a dor do outro era sentida dentro, como se fôssemos em cada um toda a humanidade canibalizando-se. Nenhum discurso soava certo, e toda força justificava-se tão somente na luta desesperada pelos restolhos da terra agonizante. Dançávamos todos um imenso ritual suicida... É que a vida tornara-se vã e sem sentido depois que a natureza, aparentemente dominada, conspirou seguidas vezes contra ela. O progresso havia nos lançado numa grande separação (tantas conquistas democratizaram a cobiça; o medo do outro espalhou o ódio até o parente mais próximo; e eu detestava a mim mesmo na busca da eficiência improvável), e não podíamos tocar nenhum consolo. A luz no fim do túnel revelara-se um filme monótono, e a realidade, tropeços na escuridão.

Desesperançado, assumi uma ordem alternativa na comunidade remota. A senha era o voto de silêncio - tomado por um superior que parecia falar as regras mínimas a contragosto. No dia a dia, para aprender, eu apenas seguia os passos dos mais destros naquele desafio de viver sem comprar ou vender. E cuidávamos de tudo, do algodão e do seu tecido, do milho e da sua farinha, da cabra e do seu queijo, da cana e do seu açúcar, do rio salobro e do seu tempero, com instrumentos mínimos, inocentes, que não perturbavam a terra em seu equilíbrio antigo. Custava, este imenso trabalho, todas as horas claras do dia, desde quando o passaredo as surpreendia até depois das galinhas se empoleirarem - o sol despedia-se esquecido por nós que pisávamos o desjejum na ânsia do sono revigorante. Os dias, contados pelas estações, ignoravam os acontecimentos históricos de todas as eras. O isolamento era completo, e vivíamos sem notícias das terras civilizadas.

Havia ali no entanto, a tradição de certos volumes vetustos, os únicos vocábulos permitidos, dispostos em aforismos de sentido fugidio, mas cultuados. Eu desafiava seus segredos em noites mal dormidas à luz de lamparinas. Fui entendendo mais com o tempo - provavelmente de um modo bastante peculiar, porque teimava no íntimo com aquela vida sisuda. Nos códigos do guia da comunidade, eu lia uma outra idéia; e nos dias seguintes, quando me iniciava numa nova arte, ouvi um outro dizer "não!" Era tarde todavia. Eu fora tomado pela ânsia de um outro olhar, o meu único; e a beleza do artefato que fiz verem, em muitos deles despertou atrevimento, e saíram pelo mundo em espetáculos.

Malbaratada aventura aquela vida de ermitão. Rendera-me contudo uma boa história - era o que imaginava... Pus-me a escrever a epopéia. Ordenava as palavras tentando fazer sentido da minha experiência nas franjas da humanidade, muito além do vocabulário socializador, entre o silêncio e a expressão extravagante. Não tinha muito sucesso porém. Meus leitores recitavam com embargo crescente na voz, espantados. Para mim, um som perseguia as linhas forjando versos numa batida boa de juntar imagens grávidas de significado novo; para eles, atrapalhava-lhes o cálculo soando como prova mental. Não funcionou. Fui tomado por esnobe ou maluco - ao ponto de eu mesmo duvidar de minha sanidade. Terminei por desistir daquela obra: minha aventura não podia ser devidamente esclarecida, mas apenas traduzida num barulhinho gostoso provocando sugestões mentais que exauriam toda a minha ansiedade.

Passei dias entre a frustração e mais uma esperança...

Por fim decidi, ainda acossado por dúvidas, tratar meus assombros assim, escrevendo sinestesias, e larguei a explicação nas mãos de um homem mais bem aparelhado que um dia talvez surgirá.

Foi deste modo, quase incomunicável, que a vida me surpreendeu no alfabeto com as próprias armas da confusão, balaios de nomes com que apontar os desejos. Agora viro noites sem fome nem dor nem sono, refinando, num transe incontável, as frases de dentro dos sedimentos das convenções: torno-me o caos na faina sagrada do Criador, e então toco a eternidade.


Héber Sales
Salvador, 6/1/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Solidão Moderna de Mentor Muniz Neto
02. Journey de André Graciotti
03. 2011 e meus álbuns de Rafael Fernandes
04. Trem na Espanha de Eduardo Mineo
05. Uma defesa de Juno de Giovana Breitschaft


Mais Héber Sales
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AJUDA-TE PELA NOVA AUTO-HIPNOSE
PAUL ADAMS
IBRASA
(1978)
R$ 20,00



ADULTOS SEM FILTRO E OUTRAS CRONICAS
THALITA REBOUCAS
ROCCO
(2012)
R$ 21,87



POR QUE OS HOMENS MENTEM E AS MULHERES CHORAM?
ALLAN E BARBARA PEASE
SEXTANTE
(2003)
R$ 6,00



JUAZEIRO DO PADRE CÍCERO
M. B. LOURENÇO FILHO

R$ 44,00



VAMPIROS EM DALLAS
CHARLAINE HARRIS
ARX
(2010)
R$ 10,00



A MÁSCARA DA MORTE VERMELHA
EDGAR ALLAN POE
MELHORAMENTOS
(2013)
R$ 8,00



O JOVEM FUTEBOLISTA
GARY LINEKER
CIVILIZAÇÃO
(1994)
R$ 11,70



DEVOCIONÁRIO NOSSA SENHORA DA PAZ
MARIA DAS NEVES
SANTA MARIA
(1999)
R$ 3,00



PASSADO E FUTURO DA ERA DA INFORMAÇÃO
RICARDO RANGEL
NOVA FRONTEIRA
(1999)
R$ 7,60



PARADOXO GLOBAL
JOHN NAISBITT
CAMPUS
(1998)
R$ 7,00





busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês