Ingmar Bergman | Maurício Dias | Digestivo Cultural

busca | avançada
71132 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 18/3/2003
Ingmar Bergman
Maurício Dias

+ de 3800 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Ernst Ingmar Bergman nasceu em em Uppsala em 14 de julho de 1918, filho de um pastor luterano. Começou sua carreira com um teatro de marionetes onde comandava uma trupe formada por sua irmã e amigos (ver a coluna sobre Coppola. Esse negócio de marionete deve ser uma baita escola).

Seu pai, homem excessivamente rígido, o trancava num quarto escuro por infrações cometidas na infância. O que nos faz lembrar que Hitchcock, quando criança, chegou a passar alguns instantes numa cela de prisão, por ordem de seu pai. Gente legal esses pais, hein?

A paixão por cinema começou ainda na infância, e Bergman economizou dinheiro para comprar um projetor. Mais tarde estudou na Escola Superior de Estocolmo, formando-se em 1940. Tornou-se diretor-assistente do Teatro Dramaten. Lembrar que a Guerra comia solta na Europa... Ao contrário da Noruega, a Suécia não foi invadida, podendo permanecer neutra.

Em 1941 foi produzida uma peça que ele havia escrito, chamada 'Kaspers död' (algo como "A Morte de Kasper"). Foi a sua porta de entrada na SF (Swedish Filmindustry). Seu primeiro trabalho era consertar e melhorar trabalhos de roteiristas mais famosos.

Em 1942 largou o emprego no Teatro. Então adaptou uma peça sua, "Hets", para roteiro. Em 1944 Hets foi filmado por Alf Sjöberg. Por aqui, o filme ganhou o título de "Tortura do Desejo" (ou, simplesmente, "Tormento"). Foi neste filme também que Bergman dirigiu pela primeira vez para cinema. Alf Sjöberg estava ocupado com alguma outra tarefa - era também diretor teatral - e Bergman, sem levar créditos, dirigiu a seqüência final.

Em 1996 o Circuito Estação - importante rede de cinemas do Rio de Janeiro - exibiu uma mostra com quase todos os filmes do diretor. Nos sete primeiros filmes de Bergman, pode-se contabilizar: quatro suicídios (mais duas tentativas fracassadas), dois abortos, um infanticídio, e um bebê natimorto.

Bergman é um indivíduo doente. Poético, sensível, e inegavelmente doente. Se na década de 40 os antidepressivos já estivessem tão desenvolvidos quanto hoje, creio que estes filmes não teriam sido feitos da mesma forma. A revelação ao mundo dos horrores então recentes do holocausto nazista, e o fato de anualmente na Suécia nevar por sete meses também devem contribuir para esta aura depressiva.

Inicialmente, Bergman era influenciado pelos filmes de Marcel Carné e pelo neo-realismo italiano. Seu apogeu como diretor começaria a se anunciar em 1953, com "Monika e o Desejo" (que algumas fontes listam como sendo de 52) e "Noites de Circo". Omitirei os títulos originais para poupar o meu sueco.

A consagração internacional veio através da obra-prima "O Sétimo Selo" (1957), um dos filmes mais importantes que já se fez, prêmio do Júri em Cannes.

A ele se seguiu o belo e mais levinho "Morangos Silvestres" (1958) - um dos seus poucos filmes que crianças poderiam ver sem se horrorizar. Urso de Ouro em Berlim. O veterano cineasta Victor Sjöstrom interpreta magnificamente o professor prestes a ser laureado.

Em "A Fonte Da Donzela" (1960), tem-se um filme belíssimo, que mostra toda a face do horror. E tem um dos finais mais violentos de todos os tempos, com uma carga dramática que a difere completamente daquela violência que Hollywood iria oferecer ao olhar cúmplice e sedento do espectador a partir da década seguinte.

Se Bergman tivesse ao longo da carreira mantido a qualidade destes últimos três filmes, seria inquestionavelmente o maior diretor de todos os tempos (O que também não diz muito, o cinema só tem cem anos de idade, não é nada perto dos milênios de pintura e teatro, as artes das quais ele é uma cria bastarda. Rembrandt ou Shakespeare, individualmente, são artisticamente mais importantes que qualquer realizador do século cinematográfico. Um cineasta só pode superá-los em influência comportamental.)

Mas de qualquer maneira, Bergman não manteve o padrão. Ainda em 1960, fez "O Olho do Diabo", um filme ordinário baseado numa peça radiofônica. O cara que interpreta o Don Juan devia ter desistido de ser ator, para ir trabalhar de garçom em algum lugar.

Ainda teríamos um momento de excelência com Persona (sabe-se lá porque, aqui chamado de "Quando duas mulheres pecam"). Uma relação esquisita entre duas mulheres de grande semelhança física, uma atriz que teve um ataque dos nervos e sua enfermeira, ambas confinadas num lugar isolado. Suas personalidades começam a se misturar à medida que relatam suas experiências. Antes de realizar este filme, Bergman contraiu uma pneumonia e teve que ficar internado num hospital. Por conta disso abandonou um projeto de um filme de quatro horas de duração, "Os Canibais" - o qual ele jamais realizaria.

Bergman ficou conhecido como um diretor de mulheres, quase sempre os personagens principais de suas histórias (em contrapartida poderíamos citar Kubrick como um diretor de homens). Na autobiografia de Liv Ullmann, atriz assídua de muitos de seus filmes e uma de suas muitas ex-esposas, ela revelou que Bergman batia nela. E mais recentemente, soube-se que ele se recusou a pagar os estudos de qualquer um de seus oito filhos. Custear a educação de tanta gente realmente é complicado, e a educação pública na Suécia deve ter o seu valor; mas o fato é que ele "se recusa". Estas informações nos falam algo sobre seu caráter. Curioso que alguém que pareça achar a vida um tormento tenha uma manada de filhos. Creio que Paulo Francis, com seu deboche destituído de piedade, diria que Liv Ullmann provavelmente merecia apanhar.

Em "Gritos e Sussurros" (1973), uma personagem mutila seu sexo com uma faca para não ter que comparecer perante o marido. Vemos outra personagem morrer sufocada, ao longo de quatro ou cinco minutos, enquanto somos obrigados a ouvir por todo este tempo a sua respiração ofegante, que evidentemente não está dando conta do ar à ela necessário. Agradável, não? O mundo certamente precisa de filmes como este, a dor que já existe não é o suficiente. E além disso não leva a nada, é a dor pela dor, totalmente diferente do já citado "A Fonte da Donzela", também chocante porém repleto de significado e razão, e que ainda nos dá direito à uma semi-redenção milagrosa ao final.

A angústia de Bergman passa a extrapolar o patológico. Mas ao invés de morrer, como se espera de um doente terminal, ele prefere ficar vivo para contagiar aos outros. Van Gogh, Maiakovski, Tchaikovsky, Charlie Parker e muitos outros, consciente ou inconscientemente, preferiram morrer. Embora não concorde com a saída, acho isto mais honesto. Quando lemos que Renoir e Matisse, em seus últimos anos de vida, confinados em cadeiras de rodas e sofrendo de inúmeros males, se esforçavam para tentar em pinturas ou pochoirs passar ao público algo de positivo sobre a vida, mais fica clara a fraqueza moral de Bergman.

"Da Vida das Marionetes" (1980) é um claustrofóbico e agoniante ensaio sobre a psicopatia. "Fanny e Alexander" (1982) foi o último filme para cinema do diretor, e ganhou o Oscar de filme estrangeiro. Saudado por muitos como uma obra-prima, o filme na verdade é um breve reencontro de Bergman com a vida, representada nas ornamentadas e fartas mesas da família burguesa, possuidoras de uma beleza pagã comparável às naturezas mortas de Chardin; nas relações sexuais ilícitas entre o patrão e a criada; nas brincadeiras das crianças; na embriaguez divertida dos mais velhos. Fora isso, o filme vale por uma cenografia bem estudada, com três cenários bem distintos: a alegre e colorida casa da avó, a austera capela do padrasto e o mágico e misterioso teatro de marionetes. No mais, é superestimado. O personagem do padrasto severo (visivelmente autobiográfico) parece vilão de novela mexicana, de tão exagerado. Até depois de morto vem assombrar as criancinhas. E como é um filme de Bergman, não há fada-madrinha para salvá-las.

De qualquer forma, para o melhor e o pior, Bergman é poderoso.


Maurício Dias
Rio de Janeiro, 18/3/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Meu Telefunken de Renato Alessandro dos Santos
02. Lançamentos de literatura fantástica (1) de Luís Fernando Amâncio
03. Literatura, quatro de julho e pertencimento de Guilherme Carvalhal
04. O Facebook e a Alta Cultura de Marta Barcellos
05. TV, cinema e quadrinhos em 2004 de Gian Danton


Mais Maurício Dias
Mais Acessadas de Maurício Dias em 2003
01. A obra-prima de Raymond Chandler - 21/1/2003
02. Picasso e Matisse: documentos - 10/6/2003
03. Uma teoria equivocada - 14/10/2003
04. Quentin Tarantino: violência e humor - 29/7/2003
05. Por onde anda a MPB atualmente? - 20/5/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/3/2003
14h44min
Caro Maurício, li seu texto sobre Bergman e o achei bem paradoxal: bom e ruim, engraçado e bobo, bom conteúdo e baboseira, fundamento e achismo. Mas não estou falando mal, é bem legal. Ou melhor, irritante... Ah, deixe estar. Abs, Rodrigo
[Leia outros Comentários de rodrigo sousa]
18/3/2003
22h58min
Contradições, oposições, Yin, Yang, Pelé, Garrincha, Verso decassílabo, Haicai, balão, aqui na minha mão, Tom & Jerry Adriani, nonada, tiros que o Senhor ouviu foram de briga de homem não, Deus esteja. Banana-maçã. Não tenho como responder se não entendo o que vc quer dizer. Há link para outros textos. Obrigado – eu acho – pelo comentário. Abraço,
[Leia outros Comentários de Mauricio Dias]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AS MIL E UMA NOITES VOL VI
EDUARDO DIAS
LIVRARIA CLASSICA
(1949)
R$ 6,90



DEIXA QUE EU TE AME
ALCIONE ARAÚJO
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(2011)
R$ 6,99



PHYSICAL ANTHROPOLOGY
PHILIP L. STEIN BRUCE M. ROWE
MCGRAW-HILL
R$ 63,25



PORTLAND - GATEWAY TO THE NORTHWEST
CARL ABBOTT
WINDSOR
(1985)
R$ 60,00



A MORTE DE D J EM PARIS
ROBERTO DRUMMOND
OBJETIVA
(2002)
R$ 5,00



PARANORMAL
GISETI MARQUES
CLARIM
(2015)
R$ 14,90



LIRICA
LUIS DE CAMÕES
CULTRIX
R$ 5,00



SUA SAÚDE NA NOVA ERA
CAMILLO MARASSI LEIJOTO
MADRAS
(2003)
R$ 12,00



BIODIREITO ALIMENTOS TRANSGÊNICOS
MARIA RAFAELA JUNQUEIRA BRUNO RODRIGUES
LEMOS & CRUZ
(2003)
R$ 12,00



FISICA PROJETO MULTIPLO VOLUME 1 BOX COMPLETO
WILSON CARRON
SCIPIONE
(2014)
R$ 99,90





busca | avançada
71132 visitas/dia
2,6 milhões/mês