Ânsia | Rennata Airoldi | Digestivo Cultural

busca | avançada
79919 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Renato Morcatti transita entre o público e o íntimo na nova exposição “Ilê da Mona”
>>> Site WebTV publica conto de Maurício Limeira
>>> Nó na Garganta narra histórias das rodas de choro brasileiras
>>> TODAS AS CRIANÇAS NA RODA: CONVERSAS SOBRE O BRINCAR
>>> Receitas com carne suína para o Dia dos Pais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Deep Purple em Nova York (1973)
>>> Blue Origin's First Human Flight
>>> As últimas do impeachment
>>> Uma Prévia de Get Back
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
Últimos Posts
>>> O cheiro da terra
>>> Vivendo o meu viver
>>> Secundário, derradeiro
>>> Caminhemos
>>> GIRASSÓIS
>>> Biombos
>>> Renda Extra - Invenção de Vigaristas ou Resultado
>>> Triste, cruel e real
>>> Urgências
>>> Ao meu neto 1 ano: Samuel "Seu Nome é Deus"
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Eles – os artistas medíocres
>>> Sultão & Bonifácio, parte IV
>>> Em 2016, pare de dizer que você tem problemas
>>> O Direito mediocrizado
>>> Carma & darma
>>> Carlos H Lopes de chapéu novo
>>> Três paredes e meia
>>> All That Jazz
>>> A proposta libertária
>>> It’s only rock’n’roll but I like it
Mais Recentes
>>> O Exu do Fogo de Marcílio Borges pela Madras (2013)
>>> Panorama da Literatura de Flávio Aguiar pela Nova Cultural (1988)
>>> Drácula: O vampiro da noite de Bram Stoker pela Martin Claret (2008)
>>> Arquiteto a Máscara e a Face de Paulo Bicca pela Projeto (1984)
>>> Jonas Assombro de Carlos Nejar pela Novo Século (2008)
>>> A Construção da Cidade Brasileira de Manuel C. Teixeira (Coord.) pela Livros Horizonte (2004)
>>> Ayurveda: A Ciência da Longa Vida de Dr. Edson Antônio D'angelo & Janner Rangel Côrtes pela Madras (2015)
>>> Macunaíma (o heróis sem nenhur caráter) de Mário de Andrade pela Círculo do Livro
>>> Cyrano de Bergerac de Edmond Rostand pela Nova Cultural (1993)
>>> Relações Sociais E Serviço Social No Brasil: Esboço de Uma Interpretação Histórico-metodológica - 41ª Edição (7ª Reimpressão) de Marilda Villela Iamamoto & Raul de Carvalho pela Cortez (2018)
>>> Lima Barreto: o rebelde imprescindível de Luiz Ricardo Leitão pela Expressão Popular (2006)
>>> A Batalha das Rainhas de Jean Plaidy pela Record (1978)
>>> Um Certo Capitão Rodrigo de Erico Verissimo pela Círculo do Livro
>>> O Livro de San Michele de Axel Munthe pela Círculo do Livro
>>> O Espião Que Morreu de Tédio de George Mikes pela Círculo do Livro
>>> O Santo Inquérito - Coleção Prestígio de Dias Gomes pela Ediouro (2004)
>>> Confissões Eróticas de Iris e Steven Finz pela Record (2001)
>>> Diários do Vampiro Vol 1 Origens Ddiários de Stepan de L. J. Smith - Kevin Williamson - Julie Plec pela Galera Record (2011)
>>> Peão da Rainha de Victor Canning pela Record (1969)
>>> Paris - uma Agenda de Bons Endereços de Elisabeth Vanzolini pela Ediouro (1998)
>>> Obras Incompletas - Coleção Os Pensadores - 2 Volumes de Friedrich Nietzsche pela Nova Cultural (1991)
>>> Ensaios Escolhidos - Coleção Os Pensadores de Bertrand Russell pela Nova Cultural (1992)
>>> Diálogos - Coleção Os Pensadores de Platão pela Nova Cultural (1991)
>>> Ensaio Acerca do Entendimento Humano de John Locke pela Nova Cultural (1991)
>>> Do Contrato Social e outros textos - Coleção Os Pensadores de Rousseau pela Nova Cultural (1991)
COLUNAS

Quarta-feira, 26/3/2003
Ânsia
Rennata Airoldi

+ de 4000 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Palavras, sons, pensamentos. A mente humana não pára. Nosso pensamento não pára. Nosso raciocínio não pára. Um vômito de palavras, um mal-estar constante. O diálogo já não existe mais. As pessoas conversam e não se escutam como se estivessem isoladas em um universo próprio. Ver, mas não enxergar. Escutar mas não ouvir, falar e não entender. O raciocínio excessivo do homem moderno não o permite viver, não o permite amar, não o permite ser feliz. Somos todos reféns de nossos próprios medos. E quem tem coragem de contestar?

Angustia? Ansiedade... essas e muitas outras sensações provocam de maneira direta e cruelmente o espectador que assiste à peça Ânsia, de Sarah Kane, com direção de Ruben Rusche. Sara Kane foi autora inglesa do fim da década de 90 que traduz em palavras, como poucos, toda a neurose do mundo interior do ser humano. A consciência que julga, que estimula e, ao mesmo tempo, massacra o próprio indivíduo. Em cena, quatro personagens sem nome, representam quatro arquétipos humanos. No cenário, verdadeiras catacumbas envolvem e isolam as "personas" que vivem intensamente os limites de cada situação colocada através de suas palavras.

A princípio discursos desconexos que vão se relacionando e se completando lentamente. A atuação é um limite extremo entre a contenção física do corpo e a explosão da ação vocal. Este estranhamento é perfeitamente coerente com todos os detalhes que compõe a unidade da peça. Tudo soma. Figurino, cenário, direção, atuação, trilha sonora, luz. A grande dificuldade fica por conta do trabalho dos atores que, em cena, despejam o texto tendo que, ao mesmo tempo, casar a velocidade da fala (muitas vezes não há pausa), as interferências mútuas nos discursos alheios, a dicção e o volume. Apesar de pequenas falhas neste mecanismo e alguns detalhes nas transições cênicas, tudo está direcionado para que se tenha uma execução milimétrica, como se existisse um maestro à frente desta grande orquestra.

Isso porque a estréia de qualquer peça contém, em si, milhares de elementos externos que interferem diretamente no seu andamento. Nada como uma boa temporada e a presença do público para acertar as arestas. Esta reflexão cabe, pois, sem dúvida, é uma árdua tarefa escrever sobre algo que naturalmente fala por si. Creio que é um trabalho não só ousado mas necessário, uma vez que reflete sem pudores o homem de hoje e as suas relações. Ousadia aqui não é no sentido de inovar ou chocar, mas no sentido de expor a realidade nua e crua. De todas as obsessões e neuroses que carregamos ao longo de nossas vidas. Na peça, os personagens são "vividos" respectivamente pelo atores (digo "vividos" pois a relação entre o ator e a ação que ele realiza é muito intensa): Laerte Mello, Nadia de Lion, Bruno Costa e Solânia Queiroz.

A peça é determinada o tempo todo: um pulso e uma respiração. Um momento de descanso, um momento de adrenalina. Uma quase "taquicardia" toma conta dos atores atingindo assim a platéia. Não importa entender cada palavra e ou até mesmo formar uma "historinha" lógica com um início, meio e fim. É um corte no pensamento, um momento de um diálogo. O que ocorre é que o arroubo todo da cena leva o espectador a nocaute no momento em que ele se reconhece numa das figuras patéticas, covardes e inertes presentes ali, no palco. Surge aquela indesejável constatação: "Este sou eu!"

Ânsia está em cartaz no Centro Cultural São Paulo, na sala Jardel Filho. Sextas e sábados às 21hrs., e Domingos às 20hrs. Até o dia 20 de abril. O Centro Cultural fica na R. Vergueiro, 1000 e o telefone para contato é: (11) 3277-3611.

Para maiores informações sobre a peça, visite o site:
www.geocities.com/ansia_sarahkane


Rennata Airoldi
São Paulo, 26/3/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. De Lobisomens e Faróis de Ricardo de Mattos
02. Wilson Simonal: o rei do Pa-tro-pi de Mônica Herculano


Mais Rennata Airoldi
Mais Acessadas de Rennata Airoldi em 2003
01. Temporada de Gripe - 17/11/2003
02. Zastrozzi - 2/7/2003
03. O Belo Indiferente - 24/9/2003
04. As Nuvens e/ou um deus chamado dinheiro - 4/6/2003
05. José Tonezzi: Arte e Pesquisa Sem Fronteiras - 12/2/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/3/2003
21h00min
Valeu Rennatinha, fico muito feliz em perceber que este texto tinha sim que ser montado por nós. Que há dois anos quando o li pela primeira vez e senti isto aí que vc sentiu tive a certeza de que não seria fácil, mas que tinha que ser dividido com e ouvido por MUITA GENTE. E é isso que queremos, portanto um muito obrigada por escrever sobre e nos ajudar a divulgar. Grande beijo, nos vemos na sexta. Paula.
[Leia outros Comentários de Paula Lopes]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Amor em S. Petersburgo
Heinz G. Konsalik
Klick
(1998)



Balanço da Bossa e Outras Bossas - 5ª Edição - 4ª Reimpressão
Augusto de Campos
Perspectiva
(2015)



Pollyanna
Eleanor H. Porter
Companhia Nacional



Clareando
Maria Rosa Teixeira
Ie
(2003)



Cinqüenta Tons de Liberdade
E. L. James
Intrínseca
(2012)



Caricatura dos Tempos
Belmonte
Melhoramentos/circulo do Livro
(1982)



Psicologia Econômica - Estudo do Comportamento Econômico
Vera Rita de Mello Ferreira
Campus
(2008)



A Filosofia da Arte Moderna
Herbert Read
Ulisseia



Prevenção a Uso de Drogas - uma Visão Espírita
Paulo Pio
Letras e Textos
(2012)



Mónica y Su Pandilla 5 La Sirena
Mauricio de Sousa
Panini Comics
(2010)





busca | avançada
79919 visitas/dia
2,6 milhões/mês