Derradeiro comentário. | Fernando Raphael

busca | avançada
100 mil/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Camila Venturelli e Dani Lima falam sobre os nossos gestos na pandemia
>>> 36Linhas lança Metropolis segunda graphic novel da Coleção Graphic Films
>>> Acervo digital documenta a história da Cantina da Lua - símbolo de resistência cultural
>>> Maíra Lour apresenta leitura dramática audiovisual “Insensatez'
>>> Exposição do MAB FAAP conta com novas obras
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Max, Iggor e Gastão
>>> Mandic, por Pedro e Cora
>>> A Separação de Bill e Melinda Gates
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
Últimos Posts
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O mal no pensamento moderno
>>> Empreender é...
>>> A paisagem é o homem
>>> Kurt Cobain; ou: I Miss the Comfort in Being Sad
>>> Regras de civilidade (ou de civilização)
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> O segredo da Crise
>>> Os melhores do cinema brasileiro em 2003
>>> As deliciosas mulheres de Gustave Courbet
>>> Entrevista com Luis Eduardo Matta
Mais Recentes
>>> A Menina Que Roubava Livros de Markus Zusak pela Intrínseca (2007)
>>> 1889 Como um Imperador Cansado, um Marechal Vaidoso e um Professor Injustiçado contribuíram para o fim da Monarquia e a Proclamação da República no Brasil de Laurentino Gomes pela Globo (2013)
>>> Por Trás do Véu de Ísis de Marcel Souto Maior pela Planeta (2004)
>>> A Arte Cavalheiresca do Arqueiro Zen de Eugen Herrigel pela Pensamento
>>> Fragmentos de um Ensinamento Desconhecido Em Busca do Milagroso de P. D. Ouspensky pela Pensamento
>>> Projeto para o Destino de Edward Russell pela Pensamento
>>> Balaio Livros e Leituras de Ana Maria Machado pela Nova Fronteira (2007)
>>> A Casa da Paixão de Nélida Piñon pela Sabiá (1972)
>>> Os Meninos de Jo 4 de Louisa May Alcott pela Principis (2021)
>>> Gestão Contemporânea a Ciência e a Arte de Ser Dirigente de Paulo Roberto Motta pela Record (1996)
>>> Arsène Lupin e a Garota de Olhos Verdes de Maurice Leblanc pela Principis (2021)
>>> A Princesinha de Frances Hogson Burnett pela ciranda Cultural (2019)
>>> O Médico e o Monstro Em Quadrinhos de Robert Louis Stevenson pela Principis (2021)
>>> A Guerra dos Mundos de H. G. Wells pela Principis (2021)
>>> O Dorminhoco de H. G. Wells pela Principis (2021)
>>> O Sagrado de Nilton Bonder pela Rocco (2007)
>>> Uma Utopia Moderna de H. G. Wells pela Principis (2021)
>>> Sanditon de Jane Austin pela Principis (2021)
>>> Arsène Lupin e o Estilhaço de Obus de Maurice Leblanc pela Principis (2021)
>>> Relato da Vida de Frederick Douglass um Escravo Americano de Frederick D. pela Principis (2021)
>>> Úrsula de Maria Firmina dos Reis pela Principis (2020)
>>> Rapazinhos 3 de Louisa May Alcott pela 9786555521764 (2021)
>>> A Melhor Amiga de Anne de Kallie George pela Ciranda Cultural (2021)
>>> O Chamado Selvagem de Jack London pela Principis (2021)
>>> Robin Hood Em Quadrinhos de Howard Pyle pela Principis (2021)
COMENTÁRIOS

Domingo, 6/10/2002
Comentários
Leitores


Derradeiro comentário.
Sr. Helion: Desculpe-me se em algum momento cheguei a ofendé-lo com o o que apresentei. Estive um pouco ausente dos comentários já que , em vista do trabalho não pude seguir de perto a discussão. Agora porém tentarei ao menos elucidadar uma questão. Na Verdade nem mesmo sei se eu poderia dizer que há um grupo de liberais politicamente estruturados em nosso país: Os representantes maiores são o PFL e o PL, mas qualquer um pode perceber que o liberalismo clássico não é o forte deles. Quando me refiro ao liberalismo, estou me referindo ao termo que é usado por Von Misses em seu livro Liberalismo, no qual ele esclarece as diferenças entre o significado do palavra liberal na América do Norte e Grã-Bretanha durante o sec. XX. Também poderia chamar Hayek, em caminho da Servidão, no qual novamente ele chama a atenção ao problema semântico. Quanto ao Collor ser chamado liberal ou neoliberal, o mesmo título aplicando-se ao FHC, poderia fazer uma simples comparação. Sabemos que os Cristãos fazem, ou deveriam fazer, boas ações. Maomé fez boas ações, logo Maomé é Cristão. Isso é um erro. As privatizações por certo seriam uma das carcterísticas de um governo liberal mas não é a única característica. Delfim Neto, pelo que diz e escreve, não é um liberal no sentido clássico do termo. Ele é um simpatizante das idéias de Keynees, e parece gostar mais de um estado corporativista que de qualquer outra coisa. Sobre interpretar a realidade sob outros prismas que não o liberal, não afirmamos que o liberalismo seja a fonte de onde emana toda a verdade. Eu particularmente considero o liberalismo econômico e político como positivo por enquadrar-se melhor nos valores cristãos, que pregão que o índivíduo deve prestar contar a Deus diretamente, e que vc deve ser responsável por seus atos. Outras tantas poderiam ser as vantagens do liberalismo, como a liberdade de expressão, de culto, de ir e vir etc. A democracia liberal, deveria ser uma democracia limitada, o que difere muito dos nossos atuais regimes políticos (tantos os vigentes na américa como na europa.) O parlamento tem poderes quase ilimitados, e isso não está de acordo com o liberalismo político. Talvez um dos meios mais liberais que existem no mundo seja a internet, já que as pessoas expõe suas idéias livremente. Não há cotas, não há controles. Se por um lado é ruim (quando recebemos os ditos spans) por outro nos oferece a oportunidade de dialogar. Isso de certo modo é fruto de um pensamento libertário, que muito tem a ver com o liberalismo e sua evolução ao longo dos séculos. No Brasil de hoje os defensores do indivíduo, do contribuínte, são poucos, e isso vc pode comprovar. Nas palavras de Heitor, o que temos são raposas em torno do galinheiro. Nenhum pai tem o direito de definir como quer a educação de seus filhos, pois ou fica sujeito as escolas particulares, ou às escolas públicas. A educação domiciliar é rejeitada e até mesmo proíbida. Isso não é uma atitude de acordo com a liberdade. Por outro lado, ouvimos repetidamente pessoas clamando por justiça social, sem mesmo saber o que significa, e jovens militando em partidos de esquerda, como se conhessecem toda a história humana e fossem juízes supremos. Isso , eu considero perigoso, tanto para mim, quanto para eles. Que Brasil o 6 de outubro nos reservará? A onde nos leva essa eleição? Penso que devemos refletir sobre o caminho que escolhemos, já que este é (nas palavras de F. A. Hayek) " O Caminho da Servidão"

[Sobre "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse"]

por Fernando Raphael
6/10/2002 às
21h09 200.163.193.27
(+) Fernando Raphael no Digestivo...
 
E agora também retórica
Evandro, que tenhamos muitas outras polêmicas. Como a cada resposta você me manda estudar algo diferente, sairei delas ilustradíssimo. Espero que a sua sapiência seja suficiente para manter o ritmo de recomendações e sugestões de leitura. Continuarei aguardando avidamente novas instruções. Algum dia estarei à sua altura e aí quem sabe você se dignará a comentar minhas palavras.

[Sobre "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse"]

por Helion
6/10/2002 às
20h38 200.154.218.221
(+) Helion no Digestivo...
 
Obrigado a todos
Tá bom, tá bom: eu errei, seda é com "s". Já consertei! Calma... Quanto à "rasgação", confesso que tive dúvidas e mandei a expressão toda em itálico. Enfim, vocês entenderam.

Vamos às respostas: Fabiana (#1), obrigado pelo aviso do "s". Ainda não visitei seu blog, mas imagino que seja despretensioso, portanto, minhas críticas não se dirigem a ele. Sim, o ceticismo é importante sempre.

Obrigado, Matusalém (#2), meu banquinho completou dois anos no ar, registrando 3 mil visitas por dia. Obrigado por acreditar que eu "até posso ter alguma razão".

Andre (#3), não faço nenhuma confusão. Até porque os blogs tomaram o lugar das homepages de antes. Ninguém mais monta homepage hoje, monta blog. Quanto às "organizações" que usam o formato, está respondido no quarto parágrafo: "Os blogs dos veículos estabelecidos funcionam apenas como ferramenta, como adendo, nunca substituindo os periódicos de fato."

Alexandro (#4), a comparação do "velho" com o "novo" é válida, sim: até para saber se o "novo" é novo mesmo, ou se não passa do "velho" em nova embalagem. Quanto a poder estar na internet através de um blog, claro, é válido - mas isso não faz do blog uma "mídia".

Alice (#5), valeu pela rasgação de seda, agora corrigida. Um beijo e muito obrigado pelo apoio!

[Sobre "A internet e os blogs"]

por Julio
6/10/2002 às
14h18 200.183.95.77
(+) Julio no Digestivo...
 
Socorro...
Depois de ler o ótimo texto e todos os comentários, alguns fantásticos, e de refletir bastante, estou indo votar com o coração na mão. Que Deus (tadinho Dele, não?) tenha piedade deste país... Nada mais tenho a acrescentar, já que todos os comentários -- excluindo-se as bobagens do Helion -- já disseram TUDO.

[Sobre "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse"]

por Alice
6/10/2002 às
13h23 200.158.198.25
(+) Alice no Digestivo...
 
Ao Spiguel comentário 26
Você não deve desculpas a ninguém, considero que meu artigo foi muito bem comentado e sinto-me orgulhoso de ter despertado tantas polêmicas. Para isto serve um artigo e não para fechar a discussão, Sou grato a todos, mesmo ao Helion. Vou votar e depois mando mais brasa (êta coisa antiga, sô!). Só espero que continuemos com esta liberdade de discutir que depdne de um regime de liberdade de opinião e de editores como o Júlio. Abraços a todos, bom voto!

[Sobre "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse"]

por Heitor De Paola
6/10/2002 às
13h14 200.255.208.158
(+) Heitor De Paola no Digestivo...
 
Criticar é saudável
A ceda, no início do teu texto, realmente assusta, Julio. Mas você acerta no alvo já no primeiro parágrafo: os blogueiros estão te respondendo com virulência. Em vez disso deviam parar, refletir, analisar o que estão fazendo. Tenho visto blogs absurdos, sem qualquer consistência e sem entender os seus próprios e estreitos limites. Parabéns pela coragem: você, um apaixonado pela Net, está exercitando o saudável hábito de pensar o que está acontecendo, pensar para que servem os blogs, pensar se eles são úteis ou se poderão vir a ser.

[Sobre "A internet e os blogs"]

por Alice
6/10/2002 às
13h01 200.158.198.25
(+) Alice no Digestivo...
 
Sutilezas
Bem, Helion. Continuo achando que você precisa estudar lógica e, agora, também retórica. Assim, talvez aprenda que o "querido" foi uma ironia e que não te chamei de cínico, mas que disse que sua afirmação foi cínica. Minhas críticas não são à sua pessoa, mas às palavras que leio aqui neste site. É sutil, mas se você se esforçar acaba entendendo a diferença.

[Sobre "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse"]

por Evandro
6/10/2002 às
12h24 200.167.235.204
(+) Evandro no Digestivo...
 
resposta ao Claudio
Não, ainda não votei. Não poderia começar o meu dia eleitoral sem antes dar uma passadinha por aqui. Se eu considerei arrogância sair perguntando se já li as leituras sugeridas: achei mesmo. Minha resposta foi uma incursão à área pessoal em resposta a uma incursão idem. “Professoral”, imagino que seja o que você quis dizer, é quem assume essa postura frente ao outro, sem sequer saber se o outro está realmente na posição de aluno. Acho sim – já que estou sendo acusado de excessivamente sutil – que essa postura professoral está muitas vezes presente aqui. Todas as minhas respostas partem dos comentários já feitos, e procuro me ater a eles, sem prescrever estudos extras aos outros, e sem solicitar referências externas, salvo quando me vejo frente a argumentos que não se sustentam em pé. Acredito sinceramente ser possível travar um debate dentro dos limites desse espaço, desde que argumentemos com honestidade. Se alguma vez não o fiz, aceitem minhas desculpas. E me diga por favor, de qual assunto “fugi”. Não pretendo, como disse, mais que o prazer e a oportunidade de debater. E, se me permitem, é uma pena que eu seja tratado como o intruso a interromper a longa cadeia de congratulações mútuas entre articulistas e comentadores. Isso certamente depõe contra qualquer profissão de fé no livre debate e na democracia.

[Sobre "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse"]

por Helion
6/10/2002 às
12h00 200.154.218.17
(+) Helion no Digestivo...
 
Cínico estudando lógica
Evandro, você começa sua mensagem 17 me chamando de querido, e em seguida de cínico. No meio, me manda estudar lógica. Você diz também que eu nunca afirmo nada, pois agora afirmo: mandar os outros estudar isso ou aquilo, por causa de uma discordância, é ser arrogante. Que você não saiba quem eu sou e o que eu preciso estudar, é uma coisa. Que você não se enxergue, é bem mais grave. Quando peço dados sobre afirmações quanto à “excelência do nível de vida da Cuba pré-revolucionária”, ou o “massacre dos liberais no governo pós-64”, é uma maneira de afirmar que o autor ou está mal-informado ou está deturpando de forma leviana. Já vi que sutilezas não são o seu forte. Sobre a sorridente mensagem 25: sou prolixo sim, é um de meus muitos defeitos. Mas quem trouxe Collor a essa discussão não fui eu. Jesus Cristo, muito menos. Eu sei que há opções outras entre ser liberal ou não. Mas quem coloca as duas opções em forma de dilema é o próprio artigo que supostamente discutimos. E os comentários seguintes afirmaram que “apenas um liberal” distingue responsabilidades, “apenas um liberal” não pode se expor claramente na campanha eleitoral. Que Delfim “nunca foi liberal”. E sou eu que raciocino “de forma binária”. Como dizem também que quem vota em Lula ou é inocente útil ou quer ser inspetor do quarteirão. Então eu, que não me considero inocente, muito menos útil, e que jamais pretendi comandar meu quarteirão (se você visse a ladeira que é, entenderia), sou obrigado a clamar por menos simplificação. Se não fizesse isso, seria chamado de stalinista, castrista e belzebu, não? Bem, deixa eu voltar às minhas lições de lógica.

[Sobre "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse"]

por Helion
6/10/2002 às
11h37 200.154.218.17
(+) Helion no Digestivo...
 
Comentario ao Marcilio Lima
Eu entendo bem, e respeito o seu ponto, Marcilio, mas sera que e preciso passar pelo "sofrimento" que voce menciona? Neste ultimo Fevereiro eu levei um grupo dos meus alunos de pos-graduacao em administracao de empresas ai para o Brasil em uma atividade de Residencia Internacional com a FGV e a Universidade de Brasilia. Ao voltar, um comentario comum de TODOS os participantes foi quao impressionados eles ficaram com a habilidade dos Brasileiros em evitar erros e armadilhas encontrados pelos pioneiros em varias areas do conhecimento, e consequentemente atingir niveis de competencia avancados e ineditos em tempo bastante reduzido. Eu me pergunto se nao seria possivel usar essa habilidade real e tao Brasileira tambem no ambito politico, e "pular sela" na fase do "sofrimento"... rumo a uma melhor condicao para o povo Brasileiro em geral, de educacao, de distribuicao de renda, de saude, enfim, de vida...? Isto pode parecer utopico, mas sera que nao valeria a pena tentar, desde que nos ja desenvolvemos a habilidade...? Eu acho que valeria...

[Sobre "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse"]

por Claudio Spiguel
6/10/2002 às
11h03 68.82.189.27
(+) Claudio Spiguel no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Twentieth Century History the World Since 1900
Tony Howarth
Longman
(1987)



Quem Conta um Conto Aumenta um Ponto
Paulo Afonso Caruso Ronca
Edesplan
(1996)



Dicionário Crítico de Sociologia
R doudon & F Bourricaud
Ática
(2001)



O Que é Ideologia - Coleção Primeiros Passos
Marilena Chaui
Brasiliense
(1989)



A Riqueza de Todos
Jefferey Sachs
Nova Fronteira
(2008)



La Psychologie de Intelligence
J. Piaget
Armando Colin (paris)
(1967)



Rezando Com Jesus
George Martin
Pensamento
(2006)



Os Homens do Mundaú
Valter Pedrosa
Rotero Editorial
(1984)



Os TextÍculos de Ary Toledo
Ary Toledo
Novo Século
(2010)



A Moscou on Rit Jusqu Aux Larmes
Armand Miff
La Table Ronde (paris)
(1970)





busca | avançada
100 mil/dia
2,5 milhões/mês