Medí­ocres e medíocres | Ravel

busca | avançada
54240 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Zé Miguel Wisnik lança VÃO, seu novo álbum de músicas inéditas no Sesc 24 de Maio nos dias 20 e 21/8
>>> Cia. Palhadiaço abre inscrições grátis para Oficina de Máscaras Utilitárias
>>> Realização do IV LEM Gastronomia - Luís Eduardo Magalhães Ba
>>> Prefeitura de SP institui gratificação de até R$ 1.500 reais para diminuir rotatividade de docentes
>>> Queen Immortal faz show em homenagem ao aniversário de Freddie Mercury
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
Colunistas
Últimos Posts
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
Últimos Posts
>>> Direitos e Deveres, a torto e a direita
>>> Os chinelos do Dr. Basílio
>>> Ecléticos e eficazes
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Descartável
>>> Sorria
>>> O amor, sempre amor
>>> The Boys: entre o kitsch, a violência e o sexo
>>> Dura lex, só Gumex
>>> Ponto de fuga
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Serge Daney: o cinema como espelho
>>> Cada dia mais jovem - um retrato de minha mãe
>>> Orkut, um sonho impossível?
>>> A política de uma bunda
>>> Sociedade dos Poetas Mortos
>>> Davi, de Michelangelo: o corpo como Ideia
>>> Um aborrecimento e uma surpresa
>>> Chaves do Inferno
>>> Legado para minha filha
>>> Discurso de Obama no Nobel
Mais Recentes
>>> Como Pintar Com Aerógrafo de Miquel Ferron pela Desenhar e Pintar (1997)
>>> Os Três Incríveis de Stella Carr pela Moderna
>>> A Matemática na Escola Primária: uma Observação do Cotidiano de Maria Lucia Fraga pela Epu (1988)
>>> Ganz Leicht Ist Es Nicht de Aron Breuckner Mayer pela Epu (1977)
>>> Biologia para um Planeta Sustentável de Armênio Uzunian pela Harbra (2016)
>>> Introdução Ilustrada à Genética Com Muito Humor de L. Gonick pela Harbra (1995)
>>> Os Meninos da Biblioteca de Rômolo Dhipólito; João Luiz Marques pela Biruta (2015)
>>> Segredos de Minha Vida Em Hollywood de Jen Calonita pela Galera (2007)
>>> Xangô, O Trovão de Reginaldo Prandi & Pedro Rafael pela Comp (2003)
>>> Quem matou Nola Payne? de Walter Mosley pela Landscape (2005)
>>> Os 50 + Importantes Livros Em Sustentabilidade de Da Editora pela Fundação Peiropolis (2012)
>>> Principles of Economics de Richard W. Tresch pela Desconhecida
>>> Isabella de Medici/A vida gloriosa e o trágico fim de uma princesa da renascença de Caroline P. Murphy pela Record (2011)
>>> A casa dos Blessings/um relato magistral uma história de amor e redenção de Anna Quindlen pela Objetiva (2003)
>>> A Volta de Tarzan de Edgar Rice Burroughs pela Companhia Nacional
>>> Lições de Medicina Legal de A Almeida Jr e J B de o e Costa Jr pela Companhia Nacional (1996)
>>> Romeo e Giulietta de Shakespeare pela i Unita
>>> Play Dirty de Sara Brow pela Pocket Books
>>> Explosão de estrelas de Robin Pilcher pela Bertrand Brasil (2009)
>>> Comakership - a Nova Estratégia para os Suprimentos de Giorgio Merli pela Qualitymark (1994)
>>> O mistério da cripta amaldiçoada de Eduardo Mendoza pela Planeta Literário (2011)
>>> Para Gostar de Ler Vol 1 de Carlos Drummond de Andrade e Outros pela Atica
>>> Menino Drummond de Carlos Drummond de Andrade; Angela Lago pela Cia das Letrinhas (2012)
>>> 52 Mitos pop/mentiras e verdades nos boatos do mundo do entretenimento de Pablo Miyazawa pela Paralela (2016)
>>> Um Mais Um de Jojo Moyes; Adalgisa Campos da Silva pela Intrinseca (2015)
COMENTÁRIOS

Sábado, 7/8/2010
Comentários
Leitores


Medí­ocres e medíocres
Há medí­ocres e medíocres, inclusive os "ironistas".

[Sobre "O dia em que Paulo Coelho chorou"]

por Ravel
7/8/2010 às
22h10 200.193.202.218
(+) Ravel no Digestivo...
 
A falta de liberdade continua
Durante o regime militar o direito dos que desejavam votar não era respeitado. Os militares argumentavam que o povo não estava preparado para exercer o voto. Hoje, no regime "democrático", o direito dos que não desejam votar não é respeitado. Os políticos argumentam que o povo não está preparado para abster-se do voto. O que mudou? Apenas o público alvo. O desrespeito é o mesmo. A falta de liberdade continua.

[Sobre "A favor do voto obrigatório"]

por Marcelo Andriolo
7/8/2010 às
17h01 200.141.104.189
(+) Marcelo Andriolo no Digestivo...
 
Dom Casmurro não é chato
Ao comentar "Dom Casmurro" mais de cem anos depois da sua publicação, e provocar outros comentários dos leitores, Domingos testemunha a força da obra. Um livro absolutamente chato como ele quer fazer ver não resistiria tanto tempo. Acabaria como as obras de Paulo Setúbal, conforme lembra o próprio Pellegrini no texto "O dia em que Paulo Coelho chorou", que ninguém lê mais. Acredito que se lesse "Dom Casmurro" hoje, em condições adequadas (a trilha de Machu Pichu não é exatamente o lugar ideal para desfrutar do livro), teria impressão melhor do romance. Na verdade, ele não simpatizou com o personagem, psicologicamente muito distante dele, transladando a sua antipatia para o livro e seu escritor. Aconteceu comigo ao ler "Adrienne Mesurat", que achei abominável, obra premiada do acadêmico francês Julien Greeen. Considerei o comportamento da personagem principal totalmente absurdo e o livro o pior que eu li. Será que a Academia Francesa de Letras estaria totalmente equivocada?

[Sobre "Machado e Érico: um chato e um amigo"]

por José Frid
http://blogdofrid.blogspot.com
7/8/2010 às
13h13 189.47.212.193
(+) José Frid no Digestivo...
 
Distante dos e-readers
Decerto que as as editoras, assim como livrarias e livreiros, não gostam muito da ideia, porém há um outro lado que deve ser temido, o distanciamento ainda maior de pessoas da leitura. Assim como os livros possuem preços, às vezes elevados para muitos, imagine essa nova tecnologia... Ok, crianças podem ler na escola através desse suporte tecnológico, mas será que só a leitura de escola basta? E nas férias? Diante da nossa realidade, estamos bem distantes do avanço tecnológico).

[Sobre "Alfa, o leitor eletrônico da Positivo"]

por Lilian Gonçalves
http://liliangoncalves.blogspot.com
6/8/2010 às
17h50 187.43.42.87
(+) Lilian Gonçalves no Digestivo...
 
Falta ética na obra de Coelho
Nos livros de Paulo Coelho falta ética, pois fazem apologia a bebedeiras, sexo desenfreado, tortura a animais - touradas, matadouros. Hábitos carnívoros, o que não combina com alta espiritualidade, compaixão, amor ao próximo nem ecologia, nem a saúde, pois milhões morrem com colesterol e ácidos das carnes no mundo todo... A vaidade, a ânsia de ser famoso, atraiu trevosos que influenciaram seu trabalho e ajudaram na expansão da sua obra. Não adianta, somos médiuns. O bem atrai forças do bem, o mal atrai as forças de baixo, ou magnéticas inferiores...

[Sobre "O dia em que Paulo Coelho chorou"]

por Ivone Vebber
http://blog.clickgratis.com.br/bigrendaextra
6/8/2010 às
10h46 187.23.188.113
(+) Ivone Vebber no Digestivo...
 
Escrever para a posteridade?
Excelente crônica. Ou ensaio, como queiram. Também sou artista plástica como a Maria Anna acima. E escritora também, sem me preocupar com vendas e ganhos. Cheguei à conclusão óbvia de que a morte é definitiva, mesmo para Paulo Setúbal (já li livros dele) ou para o Coelho (também já li). De que me vale deixar isto ou aquilo, estes ou aqueles se vou morrer? De que valeu para Machado, Drummond, João Cabral, Picasso etc.? Vale, isto sim, para nos lembrar de que já morreram. Para eles mesmos não faz a menor difereça se gostamos ou não do trabalho deles.

[Sobre "O dia em que Paulo Coelho chorou"]

por Jane Chiesse
6/8/2010 às
09h53 189.24.48.82
(+) Jane Chiesse no Digestivo...
 
Paulo Coelho é um místico
Há uma diferença significativa entre o Augusto Cury e o Paulo Coelho. O Cury é um imitador, que finge conhecer de todo tema comercial (educação, psicologia, psiquiatria, religião). Mas no fundo ele é o pior exemplo de autor que a literatura merece. Porque tudo o que ele deseja é arrancar alguns míseros trocados do bolso do leitor, nem que para isso tenha que penhorar a própria alma. Já o Paulo Coelho tem uma cara só. É um místico, que percorreu diversos caminhos e em todos eles foi garimpando outras novas do misticismo. Portanto, o leitor que aprecia essa espécie de literatura irá se esbaldar. O Paulo não está empenhando a sua alma. Há pouco tempo até lhe propus uma novidade que poderia fazê-lo retornar ao topo da literatura. Mas a sua secretária gentilmente me despistou. É porque ela nem sabia do que eu estava falando. Era assunto de mestres. Pena que não tenha chegado aos ouvidos do Paulo.

[Sobre "O dia em que Paulo Coelho chorou"]

por ROBERTO ESCRITOR
6/8/2010 às
06h52 187.114.226.87
(+) ROBERTO ESCRITOR no Digestivo...
 
Texto maravilhoso
Texto maravilhoso!!! "Que poeta?" Ai como eu queria ouvir merda...

[Sobre "O dia em que Paulo Coelho chorou"]

por Enzo Potel
6/8/2010 às
02h39 200.193.41.129
(+) Enzo Potel no Digestivo...
 
Estilo literário universal
P.S.: Quando falei universal, mas (Hatouniano), percebi, esqueci-me de falar mais claramente. O que eu quero dizer com Joyceano, Hemingwayano, Hatouniano é um estilo de personagem próprio do autor, mas que cabe perfeitamente em qualquer pessoa do mundo.

[Sobre "Paulo Coelho para o Nobel"]

por Lucas Grosso
http://asharpias.blogspot.com/
6/8/2010 à
01h19 189.100.226.252
(+) Lucas Grosso no Digestivo...
 
Nobel para o Hatoum
O que acontece com nossa literatura, em minha opinião, é que nossos autores são muito complexos para uma leitura fora do país. Mesmo a Salvador de Amado, ou o Sul de Verissimo pai, são lugares com características bem próprias - são exóticos até pra nós. Seria algo como Doutor Jivago - é um russo, e só poderia acontecer na Rússia. Paulo Coelho não tem o peso de um Eliot, mas tem a eloquência de um Deepak Chopra, "hot shoot" da autoajuda gringa. Porém, o indiano não é um forte concorrente para o Nobel. O escritor mais próximo de criar um estilo universal (como fez Hemingway ou Joyce) é Milton Hatoum. Seus livros são cada vez mais "Hatounianos". Se eu tivesse de colocar minhas fichas em alguém, seria ele.

[Sobre "Paulo Coelho para o Nobel"]

por Lucas Grosso
http://asharpias.blogspot.com
6/8/2010 à
01h05 189.100.226.252
(+) Lucas Grosso no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Sermão da Montanha
Huberto Rohden
Alvorada



Rompendo o Silêncio - Gênero e Literatura na América Latina
Macia Hoppe Navarro, Org
Ufrgs
(1995)



Wireless Java With J2me - Sams Teach Yourself - in 21 Days.
Michael Morrison
Sams



Zé Carioca Nº 1415
Walt Disney
Abril
(1978)



Cyrano de Bergerac
Edmond Rostand
Nova Cultural
(2002)



Realidade Brasileira - Visão Universitária
Sebastião Amoêdo
Eco
(2004)



Projeto Multiplo - Literatura - Revisão 1
José de Nicola
Scipione Didaticos
(2014)



A Criminal History of Mankind
Colin Wilson
Grafton
(1986)



Policarpo o Inseto Desclassificado
Ana Cecilia Carvalho
Formato
(1993)



Você é o Líder da Sua Vida
César Souza
Sextante
(2007)





busca | avançada
54240 visitas/dia
2,0 milhão/mês