Feliz escolha do tema | Silvio T Corrêa

busca | avançada
74501 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> SESC 24 DE MAIO RECEBE EVENTO DE LANÇAMENTO DA COLEÇÃO ARQUITETOS DA CIDADE
>>> Encomenda De Livro On-Line É Disparo Para Novo Espetáculo Do Grupo Pano
>>> Senac São Paulo abre as portas para atividades voltadas ao protagonismo juvenil
>>> Ribeirão Preto recebe o Teatro Portátil no Dia das Crianças
>>> SHOPPING GRANJA VIANNA INCENTIVA A ARTE NA REGIÃO COM O GRANJA CULTURAL
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
Colunistas
Últimos Posts
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
Últimos Posts
>>> Universos paralelos
>>> Deseduquei
>>> Cuidado com a mentira!
>>> E agora? Vai ter pesquisa novamente?
>>> Cabelos brancos
>>> Liberdade
>>> Idênticos
>>> Bizarro ou sem noção
>>> Sete Belo
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> A fragilidade dos laços humanos
>>> Anomailas, por Gauguin
>>> Felicidade
>>> Ano novo, vida nova.
>>> 31 de Maio #digestivo10anos
>>> Parangolé: anti-obra de Hélio Oiticica
>>> Como ler mais livros
>>> Apoio: Digestivo Cultural
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
Mais Recentes
>>> Histórias de tia Nastácia de Monteiro Lobato pela Globinho (2017)
>>> Drogas Hegemonia Do Cinismo de Sergio Dario Sibel ; Maurides De Melo Ribeiro pela Memorial (1997)
>>> Família de Alta Performance: Conceitos Contemporâneos na Educaçã de Içami Tiba pela Integrare (2009)
>>> Verdade tropical de Caetano Veloso pela Companhia das Letras (1997)
>>> Licoes De Private Equity Que Qualquer Empresa Pode Implementar de Hugh Macarthur Orit Gadiesh pela Elsevier (2009)
>>> Dalai Lama. Sobre O Budismo E A Paz De Espirito de Dalai Lama pela Record (2002)
>>> Voar de João Penteado pela Senac São Paulo (2013)
>>> Memórias De Ramses O Grande de Claire Lalouette pela Ediouro (1999)
>>> Ano da Avaliação Psicologia - Textos geradores - Brasília de Conselho Federal de Psicologia. pela Conselhos Regionais de Psicologia (2011)
>>> MICHAELIS: dicionário escolar espanhol. de Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil. pela Melhoramentos (2008)
>>> O Caminho do Samurai de Inazo Nitobe pela Pé da Letra (2019)
>>> Laroiê Exu Veludo de Ademir Barbosa Júnior pela Anubis Editores (2014)
>>> Laroiê Exu Tiriri de Ademir Barbosa Júnior pela Anubis Editores (2014)
>>> A Missão de Allan Kardec de Carlos Imbassahy pela Feb (1988)
>>> Death Note - Black Edition 2 de Tsugumi Ohba & Takeshi Obata pela Jbc (2022)
>>> Death Note - Black Edition I de Tsugumi Ohba & Takeshi Obata pela Jbc (2022)
>>> Batman - A Slight Case of Poison Ivy! de Doug Moench / outros pela Dc Comics (1983)
>>> Compêndio de O Capital de Carlo Cafiero pela Prime (2014)
>>> Mundo Invernal de Chuck Dixon - Jorge Zaffino pela Mythos (2017)
>>> Ela & o Monstro de Mary Shelley & Frankenstein pela Darkside (2020)
>>> Contos de Terror, de Mistério e de Morte de Edgar Allan Poe pela Nova Fronteira (2017)
>>> Bruxa Natural: Guia Completo de Arin Murphy - Hiscock pela Darkside (2021)
>>> Noticias do Planeta Azul de Celso Martins pela Associação Francisco Cândido Xavier (2011)
>>> Naturalmente Bruxa: Desperte a magia que existe em você! de Gabi Violeta pela Planeta (2019)
>>> Bruxas, Bruxos: e o feitiços mais cruéis que se podem imaginar de Joseph Jacobs pela Martin Claret (2011)
COMENTÁRIOS

Sexta-feira, 10/9/2010
Comentários
Leitores


Feliz escolha do tema
Caro Rafael, maravilha de texto! Lá no EAE (Escritores, Autores e Editores) temos conversado sobre isso. Surgiram até ideias de eventos abertos em locais públicos, como o Metrô, com palestras ou debates com o autor. Você foi muito feliz na escolha do tema. Abraços.

[Sobre "Escrevemos para nós mesmos (?)"]

por Silvio T Corrêa
http://www.encontro.silviocorrea.com.br
10/9/2010 às
15h47 187.3.184.249
(+) Silvio T Corrêa no Digestivo...
 
Os meus estão encalhados
Oi, Rafael. Sempre achei que a humanidade tem muita violência porque "dizem" que o homem comecou "primitivo" e "ignorante". Como não penso assim, escrevi um livro em que descrevo um comeco com homens que viviam em harmonia e usavam a telepatia, comiam pouquíssimo e que foram dispersos por cataclismas inevitáveis, e, por isso, tornaram-se cruéis. Já enviei o livro para o Mel Gibson, para fazer um filme sem violência, mas como nao é "tema atual" ou porque está em português, não deu resultado. Meus 300 livros editados pela Scortecci estão encalhados, debaixo da cama. Acabei dando muitos para amigos. Abracos, M'Anna.

[Sobre "Escrevemos para nós mesmos (?)"]

por Maria Anna Machado
10/9/2010 às
13h43 70.118.124.179
(+) Maria Anna Machado no Digestivo...
 
Ato de pura vaidade
A maior parte das centenas ou milhares de criaturas que se pretendem escritoras sabe, muito bem, que não tem a menor chance de "emplacar" um trabalho qualquer, seja uma coletânea de contos, um ensaio, um romance ou mesmo uma autobiografia. A facilidade de se produzir um objeto-livro, independente do conteúdo, bastando pagar e receber qualquer tiragem que caiba no bolso do pretenso autor, está ajudando aos egos mais afoitos, na grande façanha de tornar-se "escritor". O oportunismo também produz "autores" escondidos na sombra dos "ghost-writers" e, aí, tome "celebridade" contando a própria historia de sucesso, meretrizes descrevendo sua gênese profissional etc. e tal... Escrever para si mesmo é catarse, é purgação, é um prazer ingênuo ou um ato de pura vaidade. Se não for para ser lido, pra que escrever? A outra ponta também precisa ter qualidade. Com 51% de adultos sem o ensino médio completo, a coisa fica difícil. Não dá para comparar os mercados brasileiro e americano.

[Sobre "Escrevemos para nós mesmos (?)"]

por Raul Almeida
10/9/2010 às
12h31 189.25.136.227
(+) Raul Almeida no Digestivo...
 
Só agradam aos críticos
Caro Rafael Rodrigues, andei pensando sobre este assunto hoje pela manhã, e, posteriormente, ao receber o e-mail do Digestivo Cultural, encontrei o seu texto, por pura coincidência. Estive exatamente pensando, e me indagando, por que alguns autores, especialmente poetas e contistas, fazem questão de escrever apenas para si, para críticos literários e para alguns outros escritores que gostam do que eles escrevem. Não pensam em momento algum, pelo que percebo, ou se pensam não fica patente este pensamento, no público leitor. Mas eu me refiro sem demagoria, ao cidadão comum, que em sua maioria acaba se distanciando dos autores por acharem os textos de difícil entendimento. Longe de ser político, mas se um escritor não consegue se comunicar com um leitor comum, é porque seu texto está complexo, prolixo, pedante, enfim, creio que só serve para agradar críticos literários, e outros autores que apreciam o mesmo estilo. Bom, por falta de espaço vou ficando por aqui. Abraços.

[Sobre "Escrevemos para nós mesmos (?)"]

por Sergio Tavares
10/9/2010 às
12h23 201.51.88.240
(+) Sergio Tavares no Digestivo...
 
Movimento literário constante
As imagens que marcaram: autor de quadrinhos tratado como popstar e milhares de pessoas consumindo literatura, concordo, são imagens de Bienal. Mas note, o nome já diz: Bienal, movimento a cada dois anos. A educação que transforma o bruto tem que ser diária, cotidiana. A Bienal, sem desmerecê-la, é elitizada, para poucos. Precisamos que saraus, feiras de livros, movimentos literários periféricos sejam incentivados, precisamos que a literatura não tenha apenas palco para estrelas, estas ficam longe da terra. Há que se trabalhar na comunidade em que se vive, juntando a família e amigos para ler uns aos outros, tal qual fazemos para jogos de futebol e último capítulo de novela. Isto, sim, seria impressionante. A Bienal é maravilhosa, mas também, com as verbas e incentivo que tem, não poderia ser diferente. É um evento livreiro que marca a vida, precisamos de movimento literário que componha a vida.

[Sobre "A Bienal do Livro ― diário de bordo"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
10/9/2010 às
11h48 200.171.248.6
(+) Eliana de Freitas no Digestivo...
 
É preciso pensar nos leitores
Há uma diferença entre escrever para si mesmo e não importar-se com os leitores. Melhor dizendo, escrever para si mesmo é mais "escrever o que quer, sem preocupar-se em agradar", o que é uma atitude correta por parte do escritor, que não se vende a um segmento qualquer, social, político, ou de consumo. Mas preocupar-se com leitores é essencial. No entanto, a dificuldade principal continua sendo a distribuição: eu publiquei um romance às minhas custas, tenho distribuído gratuitamente, pois essa era a finalidade: divulgação. Mas mesmo uma distribuição gratuita é problemática, e, por incrível que pareça, há veículos de divulgação cultural que se recusam a ajudar um empreendimento assim, e mesmo o livro sendo gratuito cobram para divulgá-lo!

[Sobre "Escrevemos para nós mesmos (?)"]

por Gil Cleber
http://www.gilcleber.com.br
10/9/2010 às
11h41 189.25.91.207
(+) Gil Cleber no Digestivo...
 
Não é tão simples assim
Caro Rafael, querer ser lido é inerente à maioria dos autores, mas atingir este objetivo não é "simples assim". Se você não é um autor conhecido, vai à Bienal para autografar e fica horas sem vender um único livro. Mesmo que você bata altos papos com leitores, troque ideias incríveis, somente um, outro ou mais provavelmente nenhum, comprará o seu livro. A não ser que, além de escritor, você seja bom vendedor. E note que, para chegar lá, no Anhembi, você teve que ter agenda livre, pagar combustível, estacionamento e, se passar o dia, terá que comer. Sem nenhum livro vendido, a verba terá de ter vindo de outra fonte de renda. Outro ponto: se você não está estabelecido por uma editora, não tem ponto de venda na Bienal, nas livrarias ou na Flip. Em Paraty, autores que vendiam seus livros na rua foram repreendidos por policiais. Esses são os fatos que não nos permitem sermos lidos.

[Sobre "Escrevemos para nós mesmos (?)"]

por Eliana de Freitas
http://www.elianadefreitas.recantodasletras.com.br
10/9/2010 às
11h08 200.171.248.6
(+) Eliana de Freitas no Digestivo...
 
Circo político brasileiro
Parabéns pelo excelente texto, Marcelo! Concordo com grande parte dos comentários, mas percebo, infelizmente, que o quadro traumático vivenciado pela política continuará ainda o mesmo enquanto nós, integrantes de uma "elite escolarizada", segundo o comentário feito por Regina acima, formos minoria. Li uma estatística assustadora que reforça os comentários: apenas um em cada quatro brasileiros é completamente alfabetizado, de acordo com pesquisa da INAF de 2005 sobre os indicadores de analfabetismo funcional (Fonte: "Analfabetismo e a Inviabilidade do Brasil", Gustavo Ioschpe). Enquanto for este o quadro, sinto que teremos diversos palhaços fazendo sucesso no circo político brasileiro.

[Sobre "A quem interessa uma sociedade alienada?"]

por Gabriel Marques
http://www.portalconstitucional.blogspot.com
10/9/2010 às
11h00 189.105.115.254
(+) Gabriel Marques no Digestivo...
 
Luta contra a moda e a mídia
Olá, sou poeta gaúcho e muito apreciei o ritmurbano deste teu texto. Uma viagem de comparações e de possibilidades num universo onde a poesia está em primeiro plano. Foi legal saber que no México a vida cultural acontece e é valorizada. Nestes Brasis continuamos lutando contra a moda e a mídia, na sua (des)função diária de alienação popular. Abraço.

[Sobre "Tempo vida poesia 3/5"]

por Ricardo Mainieri
http://www.mainieri.blogspot.com
10/9/2010 às
10h53 201.7.143.5
(+) Ricardo Mainieri no Digestivo...
 
A posteridade depende do hoje
Muito bom teu artigo, Rafael. Pessoalmente, escrevo por necessidade de dizer alto e a outros o que sinto; criar, contar na ficção coisa possível e mesmo tida como impossível de ocorrer. Venho repetindo que nada imita tão bem a vida, que nos choca, espanta e maravilha diariamente. A concorrência com a realidade é, pois, dificílima. Ainda assim, escrevo. E quero ser lido, sim. Edito eu mesmo até o momento minhas publicações: "O dia do descanso de Deus", 2007, novela de minha estreia, uma tragédia em prosa, e "O Império Bandido", 2010, um drama policial. Ofereço meus livros na rede, a amigos, e também volto a bairros onde atuei promovendo a cultura em espetáculos artísticos e oficinas, na minha cidade. Vou, à convite, a conversas em associações de moradores, escolas, saraus poéticos. Penso que a posteridade do que se escreve dependerá do que fizer o escritor hoje. Como fale do mundo que observa ou o imagine, ou mesmo o releia.

[Sobre "Escrevemos para nós mesmos (?)"]

por Adroaldo Bauer
http://retornoimperfeito.blogspot.com
10/9/2010 às
10h32 201.7.143.6
(+) Adroaldo Bauer no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Evolução em Cadeia
Cláudio Costa
iipc
(1998)



O Despertar
Mabel Collins
pensamento



Rei Édipo
Sófocles
peixoto neto
(2004)



A Era do Acesso
Jeremy Rifkin
makron books
(2001)



Livro - Empresas Feitas para Servir
Dan J. Sanders
Sextante
(2011)



As Lágrimas de Alá - Confira !!!
Patrice de Méritens
Globo
(2008)



Como as Crianças pensam e aprendem
David Wood
Martins Fontes
(1996)



Os Dez Experimentos Mais Belos da Ciência
George Johnson
Lafonte
(2008)



A Vida Pede Passagem
Gerson Simões Monteiro
novo ser
(2012)



As Aranhas na Arca de Noe
Matuszak Sheldon
Vida de Criança
(2004)





busca | avançada
74501 visitas/dia
2,0 milhão/mês