Sexo, álcool e desilusão | Pedro Maciel

busca | avançada
37685 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
ENSAIOS

Segunda-feira, 8/8/2005
Sexo, álcool e desilusão
Pedro Maciel

+ de 7600 Acessos
+ 4 Comentário(s)

Estar sendo. Ter sido é o livro mais surpreendente de Hilda Hilst (1930-2004), poeta que foi musa de Carlos Drummond e Vinícius de Moraes. Hilst nunca foi reconhecida pela crítica impressionista ou pela crítica de influência psicanalítica. Há certos críticos que sustentam que as teorias explicam as obras e não o contrário. O leitor de jornal não está interessado em teoria articulada pelos críticos acadêmicos, não quer saber de um texto hermético que tem sentido na sala de aula, mas não nas páginas de um jornal.

O público leitor de jornal prefere o texto inteligível, claro, objetivo. O leitor espera do resenhista "a descrição do livro e uma apreciação de sua qualidade", e não uma crítica dirigida ao escritor. E são esses adoráveis críticos que assaltaram os cadernos de cultura dos jornais que não reconheceram Hilda Hilst como um dos melhores poetas vivos do país.

Estar sendo. Ter sido é um livro que trata das aflições eróticas de um senhor de 65 anos, Vittorio, meio desesperado, tentando entender o sentido da vida e da morte. Vittorio é um "personagem-máscara" de Hilda, atormentado com a possibilidade da loucura. Vive entre receitas de drinques e suicídios. Mora na praia com seu filho Júnior, nadador e fodedor, "jumento como o pai" e com Matias, seu outro irmão. E ainda com cães, gansos e livros.

O romance é norteado pela sexualidade e pelo desejo. A história é certamente verdadeira. A narrativa passa do lirismo ao escracho. As histórias picantes, contadas por Vittorio, "são um oásis necessário entre os textos de enorme intensidade lírico-trágica", textos escritos sob uma perspectiva metalinguística.

Estar sendo... é mais inovador no trato da língua do que na trama do enredo. Hilst intercala prosa poética, teatro e poesia. A autora apresenta uma forma singular de pontuação. A sintaxe é meio telegráfica. O estilo é totalmente livre. Hilst recorre às suas lembranças ficcionais e faz referências a autores como Ovídio, Shakespeare, Jorge de Lima, Mishima, Francis Bacon, Vieira, Oscar Wilde, o pai-poeta Apolonio Hilst e o sempre-amigo Mora Fuentes.

Mas o universo ficcional de Hilst aponta afinidades principalmente com o de James Joyce. Essa aproximação não é só em relação aos aspectos formais, como a narrativa centrada na consciência da personagem. Ela pode ser constatada também no senso cômico dos personagens, que beira o grotesco, a ironia, a sátira. Ulisses, de Joyce, apresenta um número infindável de personagens cômicos. É um livro que nos faz rir às gargalhadas, como o Finnegans Wake, com sua linguagem fundada nas possibilidades cômicas do inglês.

"Enquanto o cômico é a percepção do oposto", observou Pirandello, "o humorismo é o sentimento do oposto (...) Nesse movimento eu já não me sinto superior e distante em relação à personagem animalesca que age contra as boas regras, mas começo a identificar-me com ela, sofro seu drama e minha risada se transforma em sorriso."

Hilst, através desse recurso, segundo Clara Silveira e Edson Costa, na apresentação do livro, cria uma "catarse anticatártica", pois prende o leitor numa teia narrativa que gera repulsa e identificação ao mesmo tempo. Vittorio nos apresenta um mundo às avessas, instável e contraditório. Perigoso e fundo como o Lago Averno, a entrada do inferno. "Perdi o caminho de dentro de mim mesmo. vou esmaecendo. girassóis e sombras, ouro e luto, contrastes. (...) entrei no lago Averno. lá não há pássaros. é a estrada do sem fim o lago Averno. aí uns grandalhões me sorriram: vai entrar no lago sim. escureceu. vi uma trilha de fogo, e anjos dourados sobre negros cavalos."

Vittorio, escritor e bebedor contumaz, é um personagem demoníaco, reencontra nas memórias da juventude o rosto sedutor de seus fantasmas: "É sempre uma névoa que vem vindo como se fosse o perfil esquálido de uma aranha."

Fragmento
“(...) e nenhuma emoção, só essa de estar aqui se dizendo. Cores, calêndulas, anêmonas, espumas sobre um rio leitoso, onde? Onde? Alguém se atirou no Ouse... quem? Não gostaria de morrer afogado não, sei que se vê a vida inteira dizem, não quero ver minha vida inteira, nem um pequeno trecho desta vida, sentir ainda seria alguma coisa, sentir o quê, Vittorio? Um certo brilho uma certa cara, a descoberta de ter escrito: "Deus? Uma superfície de gelo ancorada no riso". Um frio comediante o tal Deus. Gostei quando escrevi isso. Ancorado no riso, isso é bom, a descoberta de ser desprezado, de não ser, de ser apenas um corpo envelhecendo, uma boca vazia agora silenciosa, não neste instante silenciosa, mas uma eternidade silenciosas, e isso também de não ter entendido nada, isso soa penoso e sinistro mas não é...”

Nota do Editor
Ensaio gentilmente cedido pelo autor. Publicado no caderno "Idéias", do Jornal do Brasil, em 12 de julho de 1997.


Pedro Maciel
Belo Horizonte, 8/8/2005

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Só é louco quem não é de Claudia Lage
02. Sermão ao cadáver de Amy de João Pereira Coutinho
03. Amy e a hipocrisia coletiva de André Barcinski
04. Allen Stewart Konigsberg de André Forastieri
05. Manual do Publicitário de André Barcinski


Mais Pedro Maciel
Mais Acessados de Pedro Maciel
01. Italo Calvino: descobridor do fantástico no real - 8/9/2003
02. A arte como destino do ser - 20/5/2002
03. Antônio Cícero: música e poesia - 9/2/2004
04. Imagens do Grande Sertão de Guimarães Rosa - 14/7/2003
05. Nadja, o romance onírico surreal - 10/3/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
28/8/2005
22h07min
Gostei bastante do texto. Identifico-me com este estilo de literatura que você sintetizou. Contradições humanas, pensando, criando e não julgando... Um abraço, Tânia
[Leia outros Comentários de tania]
16/9/2005
09h39min
Curioso notar a mesma preocupação do Gabriel Garcia Marquez em "Memórias de Minhas Putas Tristes". Temas semelhantes, com visões diversas.
[Leia outros Comentários de DaniCast]
17/9/2005
15h18min
Quando soube da morte de Hilda, reli algum conto de Caio Fernando -sendo que já que ele era amigo da escritora e eu não possuía nenhum volume dela- em Morangos Mofados, como forma de resgatá-la. Enquanto isso, alguém que eu conheci na época a homenageou de modo diferente: roubou um volume de Hilda da biblioteca da cidade. De qualquer forma, ninguém pode acusá-lo de não ser original. Sinceramente, Ayron de Melo.
[Leia outros Comentários de ayron de melo]
19/9/2006
16h22min
eu gostei muito de acessar este site, vcs estão de parabéns.
[Leia outros Comentários de elaine teixeira ]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CIÊNCIA E ESPIRITUALIDADE O CAMINHO DA LIBERTAÇÃO
RINALDO RONDINO
INGRAF
(1992)
R$ 6,28



OLD ENGLISH SHEEPDOG
JOAN MACDONALD BREARLEY
TFH PUBLICATIONS
(1989)
R$ 19,90



O EMBAIXADOR
MORRIS WEST
CIRCULO DO LIVRO
(1966)
R$ 10,00



INTRODUÇÃO AO MUNDO DO VINHO ( AUTOGRAFADO )
CIRO LILLA
MARTINS FONTES
(2004)
R$ 20,00



NORTHSTAR 4 READING AND WRITING FOURTH EDITION
ANDREW E LAURA MONAHON ENGLISH
PEARSON EDUCATION ESL
(2015)
R$ 45,00



O IMPÉRIO DO SENTIDO - A HUMANIZAÇÃO DAS CIÊNCIAS HUMANAS
FRANÇOIS DOSSE
EDUSC
(1997)
R$ 80,00



O LIVRO DOS HOMENS
CHARLES KIEFER (ORG)
ARTES E OFICIOS
(2000)
R$ 22,82



CURSO COMPLETO DE TARO
NEI NAIFF
BESTBOLSO
(2011)
R$ 27,00



PROCESSO PENAL
NORBERTO CLÁUDIO PÂNCARO AVENA
MÁTODO
(2005)
R$ 24,82



TIA ZULMIRA E EU
STANISLAW PONTE PRETA
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1975)
R$ 9,00





busca | avançada
37685 visitas/dia
1,3 milhão/mês