20 anos de Trapo | Daniel Lopes | Digestivo Cultural

busca | avançada
23968 visitas/dia
829 mil/mês
Mais Recentes
>>> TV Brasil exibe especial 'Sonho Meu' em homenagem a Dona Ivone Lara nesta sexta (20)
>>> Escritor Alexandre Hallais fecha parceria com a Soul Editora
>>> Juiz federal estreia na literatura com contos sobre heróis históricos
>>> Alessandro Ferrari Jacinto e Marisa Folgato lançam 'Alzheimer' na Livraria Martins Fontes
>>> Programa de Edição de Textos de Docentes da Unesp 2018
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Nobel, novo romance de Jacques Fux
>>> De Middangeard à Terra Média
>>> Dos sentidos secretos de cada coisa
>>> O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro
>>> Joan Brossa, inéditos em tradução
>>> Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia
>>> 40 anos sem Carpeaux
>>> Minha plantinha de estimação
>>> Corot em exposição
>>> Existem vários modos de vencer
Colunistas
Últimos Posts
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
>>> Psiu Poético em BH esta semana
>>> Existem vários modos de vencer
>>> Lauro Machado Coelho
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
Últimos Posts
>>> Os galos
>>> Cenas do bar - Wilsinho, o feio.
>>> Desenhos a lápis na poesia de Oleg Almeida
>>> Eloquência
>>> Cenas do bar - Vladimir, o solteiro.
>>> Deu na primeira página...
>>> Palavra vício
>>> Premissas para reflexão
>>> Sem troco
>>> Libertarias
Blogueiros
Mais Recentes
>>> As 48 Leis do Poder, por Robert Greene
>>> Gramado e a ausência de favoritismo
>>> Na Campus Party 2009 II
>>> Mecanismos Internos: Ensaios sobre Literatura, de J.M. Coetzee
>>> A verdadeira resistência
>>> Dicas para a criação de personagens na ficção
>>> Joan Brossa, inéditos em tradução
>>> crônica - ou ensaio - à la hatoum
>>> E a lei cedeu diante dos costumes
>>> E a lei cedeu diante dos costumes
Mais Recentes
>>> João Ternura
>>> Fauna de Venezuela
>>> El Libro De La Salsa
>>> Criando filhos ( o modo de Deus )
>>> Uma sustentável revolução na floresta
>>> il Riso in Tasca
>>> Trilogia Deutsch Perfekt- cidades da Alemanha- Hamburg-Koln, Dusseldorf ( 28 Seiten Spezial Nordrhein-Westfalen
>>> Ele viu os Céus abertos
>>> Curso de Estradas
>>> Mecânica dos Solos e suas Aplicações
>>> Construções de Concreto - Vol. 4
>>> Construções de Concreto - Vol. 3
>>> Construções de Concreto - Vol. 1
>>> Construções de Concreto - Vol. 5
>>> El Engaño Populista
>>> Los Brujos de Chávez
>>> Venezuela Energética
>>> Bumerán Chavez
>>> Estado Delincuente
>>> Boves El Urogallo
>>> Cuco
>>> A Bolsa e a Vida - 1ª Edição
>>> Função ceo a descoberta do prazer
>>> Função ceo a descoberta do amor
>>> As cores do amor
>>> Pecaminoso
>>> Coleção Beltranianas - Comunicação e Problemas Luiz Beltrão Parte III
>>> Silicone XXI
>>> Casas Junto Al Mar
>>> Minha Experiência em Brasília
>>> Meu pé de laranja lima
>>> Desenho de Paisagem Urbana
>>> Canaa
>>> Curso de Propriedade Intelectual Para Designers
>>> O Brasil Não Existe!
>>> Apartamentos Urbanos
>>> Arquitetura e Design. Sergio Rodrigues
>>> A Hora Futurista que Passou e Outros Escritos
>>> Uma História da Pintura Moderna
>>> Olhar Sobre o Passado - Volume 1
>>> Quase Vegetariano
>>> Macário
>>> A Dieta de Sonoma
>>> Electra(s)
>>> Anos 70
>>> Édipo Rei de Sófocles
>>> Design e Comunicação Visual
>>> Cézanne: Miniguia de Arte
>>> O Último Godot
>>> Pós Modernismo: Repensando a Arquitetura
COLUNAS

Quinta-feira, 25/9/2008
20 anos de Trapo
Daniel Lopes

+ de 5000 Acessos
+ 1 Comentário(s)


Tezza com a primeira edição de seu Trapo

Aparecido em 1988, Trapo (Record, 2007, 256 págs.) é o quinto romance na bibliografia de Cristovão Tezza, catarinense radicado em Curitiba, e ganhou ano passado uma nova edição pela Record. É a história do jovem poeta e suicida Trapo e do professor aposentado Manuel. A rotina deste é literalmente invadida por Izolda, uma dona de pensão que irrompe em sua casa certa noite, saída do nada, com um calhamaço dos escritos do suicida, que nos últimos tempos saíra da casa dos pais e morava em um quarto de seu estabelecimento, onde pôs fim à vida. A coisa toda se passa no final dos anos 70.

Atentemos para Manuel. Viúvo, mora sozinho nos arredores do centro curitibano. Não é tão velho assim ― tem "cinqüenta e tantos anos" ―, e sua mãe ainda vive, no interior. Já não tem nenhum cabelo, e a careca fica vermelha sob o menor constrangimento. É um homem muito tímido. Recatado, é o retrato do intelectual conformista de classe média. Logo na primeira página do romance, quando sua vida sairá da órbita ― para, ao final, entrar em uma outra ― com a aparição de Izolda (e a palavra aparição cai muito bem aqui, porque, de início, Izolda realmente lembra um fantasma), lemos: "Não é comum que batam à porta depois do Jornal Nacional, quando desligo a televisão e volto para meus livros, para as sutilezas da literatura e da lingüística, com um prazer que nunca tive nos meus trinta anos de magistério."

Mais adiante, quando já está mergulhado nas investigações sobre a vida e a obra de Trapo, deslocado em uma casa noturna repleta de adolescentes: "Estou no lugar errado, esbarrando minha velhice ― e minha Folha de S. Paulo, adrede comprada para enfrentar a solidão desta pesquisa idiota."

À noite, o Jornal Nacional. Sob os braços, a Folha. Nenhuma menção sequer à ditadura militar, que não tem a mínima chance de disputar sua atenção com os prazeres da literatura e da lingüística. Manuel.

Começa sua "pesquisa" sobre Trapo de muita má vontade, tendo que pôr os pés para fora da casa-refúgio, e revoltado com a postura que o jovem arrota em suas páginas:

"É espantosa a arrogância do garoto, de se meter a revolucionar a poesia com tanto mau gosto, métrica coxa, vocabulário limitado e humor escatológico. (...) Esses estúpidos poetas modernosos de quinze anos de idade, sujos, cabeludos, pensam que com uma régua quebrada, raiva de adolescente, meia dúzia de metáforas, erros de ortografia, regência verbal e concordância de feira são capazes de voar aos píncaros da glória."

Mas vai-se deixando levar pela insistência de Izolda, que se relacionava com Trapo como uma mãe com um filho, e pelo seu próprio e inato apego à inércia, à falta de resistência, de escolha própria. Mas não só. Também atraem o nosso professor a forte personalidade do garoto suicida e, não menos decisivo, a oportunidade de escrever um livro, um romance, sobre a sua (Trapo) vida, ou pelo menos sobre a sua (Manuel) investigação:

"Não tive filhos, não plantei árvores, não escrevi um livro, como exige o ditado. Agora tinha a chance de eliminar dois itens: o filho ― Trapo ― e o livro. (...) Trapo exige um mergulho que é também um mergulho na minha própria realidade, à tristeza bem comportada da minha própria solidão."

E Trapo, qual era a dele? Filho arredio de família privilegiada. O pai foi pedreiro e coisas do tipo, até subir na vida e se transformar num empresário de sucesso; seu outro filho, irmão e contrário de Trapo, se engaja nos negócios da família. A mãe é uma mulher lida, culta, mas dócil, e sempre fez a vontade do marido, inclusive conformando-se com uma educação menos "afrescalhada" e mais prática para os filhos.

O livro de Cristovão Tezza é formado pelos movimentos físicos e mentais de Manuel e por cartas e poesias de Trapo, principalmente cartas para sua amada Rosana, menina de dezesseis anos, filha de pais conservadores e ricos, que não aceitam de jeito nenhum ter o jovem poeta por perto. O menino era heterogêneo e prolífico ("Cinco ou seis Trapos se misturam, sem cronologia", conclui Manuel à medida que vasculha o entulho de escritos. "Não será fácil classificá-los. Talvez por assunto ― o poeta, o metido a filósofo, o memorialista ― mas todos se somam."), mas as missivas endereçadas a Rosana, segundo Manuel, são a única parte aproveitável.

Ironia: Trapo, o poeta revolucionário que prega o assassínio da poesia (!), a derrubada da instituição Família, o pensador destemido em sua análise do e luta contra o Sistema (que se confunde com Deus), esse projeto de Maiakóvski não passa de um incorrigível romântico em suas mensagens à menina Rosana. Nas correspondências, planejam casamento e fuga. Mas, como concluímos junto com Manuel, a investigação (e a leitura) vale a pena prosseguir por conta do suicídio aparentemente inexplicável. Como um menino tão cheio de energia, apesar de tão magrinho, repleto de amor e projetos para o futuro de repente resolve meter um tiro na cabeça? Apenas sua revolta contra o pai não explica tudo.

Para reviver Trapo, o professor Manuel freqüenta alguns poucos lugares da fria noite curitibana. É quando se depara com a juventude e, por conseqüência, com sua velhice, com o fosso que separa as duas gerações, em todos os campos, inclusive no lingüístico ― "A profusão de porras e caralhos começou a me dar náusea. Que geração infernal é essa que não sabe falar? Regredimos, estamos no limbo de Lúcifer, no paraíso da escatologia. Um palavrão resume e sustenta o mundo." Apesar disso, ele consegue manter contato e arrancar algumas informações de Hélio, um feio e jovem aspirante a desenhista que foi o maior amigo do suicida.

As cartas de Trapo vão progressivamente revelando as dificuldades e uma tragédia decorrentes de seu amor proibido. Quer dizer, a "tragédia" é informada por Manuel, que, no final do romance, a comunica para Izolda, após alegar ter recebido a visita da Isaura, mãe de Rosana, que teria lhe revelado tudo. O que Izolda acha muito improvável. Questiona ela:

"Só tem uma coisa que não me entra na cabeça, Manuel. Você quer mesmo que eu acredite que aquela bruxa da Isaura, que mal e mal atendeu o interfone para você, que eu acredite que ela pessoalmente bateu naquela porta ali, entrou nessa sala, sentou aqui onde estou sentada, e contou pra você toda essa história maluca?"

"E por que não?", quer saber o professor. "Mas é absurdo!", diz Izolda. "Pode ser absurdo. Mas faz sentido. É o que me basta". Com base ou não no real, Manuel já tinha um final para sua ficção.

Para ir além






Daniel Lopes
Teresina, 25/9/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Corpo é matéria, corpo é sociedade, corpo é ideia de Duanne Ribeiro
02. Mp3: da pirataria ao Bolsa-Download? de Paulo de Resende
03. Lambidinha de Ana Elisa Ribeiro
04. Se somos seres voadores em busca de luz de Elisa Andrade Buzzo
05. A bunda do Gerald Thomas de Alessandro Silva


Mais Daniel Lopes
Mais Acessadas de Daniel Lopes em 2008
01. Não gostar de Machado - 3/6/2008
02. Chris Hedges não acredita nos ateus - 1/7/2008
03. Neruda, oportunista fantasiado de santo - 18/3/2008
04. Cenas de um país machista - 17/6/2008
05. 20 anos de Trapo - 25/9/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/9/2008
12h56min
Uma boa resenha de uma história interessante, de uma efervescente cidade, no momento certo, no veículo adequado. Trapo, Rosana, Manuel e Cristovão Tezza certamente merecem, e agradecem. Abraço.
[Leia outros Comentários de Guto Maia]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




16 LIGHTHOUSE ROAD
DEBBIE MACOMBER
MIRA
(2001)
R$ 17,30



O SEGREDO - THE SECRET
RHONDA BYRNE
EDIOURO
(2007)
R$ 27,00



EDUCAÇÃO E FECUNDIDADE: IDEOLOGIA, TEORIA E MÉTODO NA SOC. REP. HUM.
MARIA IRENE DE Q. F. SZMRECSANYI
HUCITEC
(1988)
R$ 3,00



PÁTRIA MINHA
SIDÓNIO MURALHA
LÍTERO TÉCNICA - PARANÁ
(1980)
R$ 30,00



A CAMINHO DO SUL
ODETTE DE BARROS MOTT
BRASILIENSE
(1985)
R$ 10,00



VOCÊ É TÃO JOVEM QUANTO A SUA ESPINHA
EDITHA L. HEARN
PIONEIRA
(1979)
R$ 8,75



A GRANDE ESPERANÇA
ELLEN G.WHITE
CEDIC
(2010)
R$ 5,00



MESTRE DOS MARES
PATRICK O'BRIAN
RECORD
(2004)
R$ 25,00



A MENSAGEM DO MESTRE
BHAGAVAD GITA
PENSAMENTO
(1978)
R$ 20,00



THE RACE IS ON - EXERCISE YOUR FAITH - A YOUTH MUSICAL
NAN GURLEY, JIM WEBER & BILLY SPRAGUE
WORD/MEADOWGREEN MUSIC CO.
(1984)
R$ 30,00
+ frete grátis





busca | avançada
23968 visitas/dia
829 mil/mês