Tempo vida poesia 2/5 | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
38611 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 19/8/2010
Tempo vida poesia 2/5
Elisa Andrade Buzzo

+ de 5500 Acessos
+ 3 Comentário(s)


foto: Alberto Krone-Martins

Nos queda una aventura:
viajar
para desaprender. (Abraham Ortiz Nahón)

Os dias de asteca em Puebla terminaram para Javier: a orelha pintada não era sangue, mas tinta vermelha de sua caneta que vazara enquanto autografava ― o livro apoiado na parede ― meu exemplar de Humedales. Após a leitura no pátio interno da Casa do Escritor, ele me mostra com ar divertido não só a orelha, como também as folhas do livro e as próprias mãos manchadas. E assim, imaculado, ficaria até a volta à Cidade do México. No entanto, o radialista do programa Operación Periodística, da rádio Diez diez, perdera este furo e ainda a chance de deturpar a notícia ― "Poeta é ferido na orelha" não foi a manchete da suposta gravação, que bem poderia ter sido "Poetas esperam por uma hora para serem entrevistados por rádio mexicana". Está claro que não era de raiva que a orelha estava vermelha. Mas o radialista sequer perguntou: o que se passa em suas entranhas?

Um Navigator dourado nos recebe como reis de países distantes. Saímos do centro velho e alcançamos uma área periférica, viadutos e vulcões à vista no céu serrilhado de nuvens. Na entrada do moderno prédio passamos por um forte esquema de segurança. Nem sequestradores, nem terroristas, não queremos briga, somos todos de uma ingenuidade alva como o creme de rosas Sanborns. Há cheiro de limpeza no ar, uma mosca jaz no parapeito da janela. Javier me dá uma sugestão de apresentação aos ouvintes, "soy Elisa, soy blanca y no sambo". A luzinha vermelha "no ar" intimida e dá a dimensão do nervosismo de uma rádio funcionando, mas estão todos à vontade no aquário:

― Queria perguntar à poeta brasileira: qual o estado de saúde da poesia brasileira hoje em dia? Depois de... em México já não sabemos o que acontece no Brasil, paramos em figuras como Murilo Mendes, Haroldo de Campos, como em Drummond de Andrade, que era mais narrador, não?
― Poeta também, poeta e cronista.
― Como que paramos nesta época, não? O que mais aconteceu?
― Muita coisa... aconteceu muita coisa. [risos]
― Um século!
― Todos estão todos mortos, estes.
― Sim, eu sei, sim, mas não temos mais notícias de poetas brasileiros...

Quizá porque desde la primera gota, en el perfume fermentado, un dios terrestre imaginó libación y doncella en un mismo odre. (Mónica Nepote)

Mas a mancha vermelha na mão de Héctor Hernández Montesinos era, de fato, sangue, ferida recém-aberta. A marca nas páginas brancas de NGC224 só poderia ser o carimbo da própria incisão. Fôramos recebidos em mais uma roda de leitura, desta vez em Cuernavaca, no Museu Casona Spencer, com a hospitalidade de Rocato, Nayeli, Armando e o público presente. Ele está ao meu lado na mesa de leitura, cabelos desgrenhados, olhos em bruma, um fino cachecol pendendo do pescoço com displicência. Há pintas grandes em seu rosto branco como estrelas aleatórias. Quando nos levantamos reparo que ele parece mais baixo do que é, não se sabe a origem de tal altura inédita. A coqueluche de Santiago, Héctor, está morando no México e empolgado com seu novo projeto de caravana poética. Quando é tempo de as revistas literárias fecharem as portas, os festivais perderem um pouco o ânimo pela sucessão dos anos e os apoios rarearem, surgem novas ideias, como essa que ambiciona percorrer toda a América. E, por que não reavivar a chama, trazer a nós mesmos a noção de que continuamos vivos?

Deixamos a Casona e nossos anfitriões nos conduzem pelas ruas de Cuernavaca, uma cidade pequena e alegre conhecida por sua movimentação artística. Mal chegamos e o espetáculo da vida domingueira começava como se nos aguardasse: na profusão de cores da praça principal, ondulações de bolhas de sabão, a banda e o coreto são o centro de seu sistema, cuja música poderia ser qualquer uma, mas era e tinha que ser dançante. Me aproximo de uma das bancadas de comidas típicas e, entre doces de leite e pêssegos cobertos de pimenta, chamam minha atenção finas circunferências empilhadas, algumas grandes, outras pequenas, beges ou de cores variadas, todas à base de farinha. Pois os mexicanos são tão bem resolvidos com sua religiosidade que, além de festejar os mortos, comem hóstias coloridas. Provarei da minha, entretanto, na volta para casa. Tudo aquilo merecia um resumo, um registro, então, deixamos mais uma vez nos levar pela euforia de estar num país desconhecido e posamos defronte um cenário decrépito de México pré-independente, com chapéu e cavalos brancos; a praça toda olhando os forasteiros fantasiados de mexicanos. "Mira, um grupo chino", o fotógrafo me mostra a imagem de um grupo tão risível quanto o nosso deveria estar, enquanto a impressora nos regurgitava a intervalos de camadas de tinta colorida, devolvendo-nos aos poucos em cores ao mundo.

Nota do Editor
Leia também "Tempo vida poesia 1/5".


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 19/8/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. 40 anos sem Carpeaux de Celso A. Uequed Pitol
02. Apontamentos de inverno de Elisa Andrade Buzzo
03. Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso de Cassionei Niches Petry
04. Fragmentos de Leituras e Sentido de Ricardo de Mattos
05. A Imagem do Som de Fabio Gomes


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2010
01. Tempo vida poesia 2/5 - 19/8/2010
02. A arqueologia secreta das coisas - 4/2/2010
03. Como se enfim flutuasse - 3/6/2010
04. Sobre jabutis, o amor, a entrega - 2/12/2010
05. A natureza se reveste de ti - 25/2/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
20/8/2010
10h28min
Pensar na poesia brasileira, hoje, é ver a desvalorização do poeta, que virou uma farinha, desvalorizado no contexto acadêmico, ou seja, ninguém conhece um autor brasileiro vivo, nos meios culturais, nas editoras, e na internet todo o poeta é igual areia, num universo que precisa de encantamento. Não há programa pra isto. Há público em desorientação, necessitando da boa poesia.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
20/8/2010
13h22min
"A poesia que eu quero, ora se quero!"
(Celito Medeiros)

Quero uma boa poesia como eu quero
Assim o quero-quero um arpão lhe cai
Peregrino das palavras como um ferro
Em doces rimas que tanto sonho atrai

Não quero mudar meu amor de outrora
Mesmo alimentando um pássaro voraz
Quero doce melodia que a palavra traz
Para encantar-me da noite até a aurora

Quero rebuscar o canto destas manhãs
Comer o doce mel das melhores maçãs
Embalado pelas sentenças mais nobres

Não quero apenas pensamentos pobres
Nem mesmo aplaudir só meros acordes
Quero contemplar as escritas de avelãs!

Quero, ora se quero... E tantas coisas que não quero.
[Leia outros Comentários de Celito Medeiros]
20/8/2010
13h48min
Poesia brasileira atual nem o Brasil sabe, quanto mais os outros países latinos americanos. Existem pessoas como Floriano Martins fazendo um esforço hercúleo para aproximar as Américas hermanas, mas diante do poder de obliteração da grande mídia fica muito complicado. Além dos confrades que falam só de si, e de seu grupelho, não lendo nada que só repita o que já fazem. A poesia respira a despeito de nós.
[Leia outros Comentários de Edson B de Camargo]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A TÉCNICA DO DIREITO VOL 3 - A TÉCNICA DA DEFESA CRIMINAL
GILBERTO CALDAS
BRASILIENSE
R$ 10,00



CERIMONIAL DO CASAMENTO - 4930
MARIA DE LOURDES DE FARIA MARCONDES WOLFF
WB EDITORES
R$ 10,00



COTIDIANO E ROTINA NA SALA DE AULA
MARLEI GOMES DA SILVA MALINOSKI
APPRIS
(2016)
R$ 34,00



NAU DOS DESEJOS
CREMILDA MEDINA
CJE / ECA / USP
(1994)
R$ 4,70



SEU FUTURO SEGUNDO OS TARÔS
GIOVANNI SCIUTO
NORDICA
(1992)
R$ 15,00



MANOEL JULIO VERA DEL CARPIO
MANOEL JULIO VERA DEL CARPIO
DIALETO
(2012)
R$ 55,00



ENSINO RÉGIO NA CAPITANIA DE MINAS GERAIS ,1772 - 1814
THAIS NIVIA DE LIMA E FONSECA
AUTÊNTICA
(2010)
R$ 40,00



A IMPORTÂNCIA DO RELACIONAMENTO COMERCIAL E CULTURAL...
VÁRIOS
SENADO FEDERAL
(1995)
R$ 8,58



O PRIMEIRO GUERREIRO - 2ª EDIÇÃO
ORLANDO PAES FILHO
ARX JOVEM
(2002)
R$ 10,00



ALICE DO 5O DIEDRO
LAURITA MOURAO
NORDICA
R$ 6,00





busca | avançada
38611 visitas/dia
1,4 milhão/mês