Hells Angels | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
31563 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Dinah Perry e Jorge Garcia realizam ensaio aberto do espetáculo D'arc - Dark
>>> Porto das Monções, filme de Vicentini Gomez, tem exibição grátis no Cine Olido dia 21/8
>>> DOCTOR PHEABES CONVIDA SUPLA NO ROCK IN RIO 2017
>>> Teatro Fase recebe Dedé Santana no drama 'A última vida de um gato'
>>> Galeria Bolsa de Arte apresenta Espelho (El Mensajero), de André Severo, a partir de 22 de agosto
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Da varanda, este mundo
>>> Estevão Azevedo e os homens em seus limites
>>> Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá?
>>> A fotografia é um produto ou um serviço?
>>> A noite iluminada da literatura de Pedro Maciel
>>> Apontamentos de inverno
>>> Literatura, quatro de julho e pertencimento
>>> O Abismo e a Riqueza da Coadjuvância
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 4. Museu Paleológico
>>> Um caso de manipulação
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Elas por elas
>>> Ritmo binário
>>> A imagem de Haroldo Maranhão
>>> Rimas geométricas
>>> Por um cisco
>>> Em relação a ti
>>> Sobre os papéis
>>> Universo ardente
>>> Gramática geral
>>> O CIRCO ESOTÉRICO
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Eu só quero chocolate
>>> Conceição: enfim, nos cinemas
>>> O romance espinhoso de Marco Lacerda
>>> Tipos brasileiros
>>> Tipos brasileiros
>>> Tipos brasileiros
>>> O fim da revista Bravo!
>>> Mais pressão na caldeira
>>> Prenda-me se for capaz
>>> Os narradores de Eliane Caffé
Mais Recentes
>>> Filosofia do Direito (14) - Coleção OAB Nacional - Saraiva (2014) - Seminovo
>>> Logística Verde: Uma Abordagem Sócio-Ambiental
>>> O rei das fraudes
>>> Filipe da Espanha
>>> A Imagem Proibida + Uma História Intelectual da Iconoclastia
>>> Temas da Prática do Direito
>>> Juventude,cultura e cidadania- Edição Especial
>>> As teses de satanas
>>> Herobrine a lenda
>>> No tempo em que a televisão mandava no Carlinhos
>>> O templo interior
>>> Um amor de verdade
>>> Fundamentos de Física - Volume 1
>>> Felpo Filva
>>> Cálculo - Volume 1
>>> O Homem de Gelo - Confissões de um matador da máfia
>>> Vida espiritual
>>> O reino
>>> Cultura Organizacional
>>> Felizes para Sempre
>>> Logística Ambiental de Resíduos Sólidos
>>> Bem-Casados
>>> Mar de Rosas
>>> Álbum de Casamento
>>> Eu Sou o Mensageiro
>>> Shopping Mall
>>> Will&Will
>>> Belo Desastre
>>> Desastre Iminente
>>> Belo Casamento
>>> Um amor de cinema: Uma lista, dois caras, dez filmes
>>> A Formatura
>>> Estudo Independente
>>> O Teste
>>> Veneno
>>> Feitiço
>>> Poder
>>> Logística Reversa Meio Ambiente e Competitividade
>>> Quem é você, Alasca?
>>> A mitologia grega escrita por eles
>>> As Luzes de Setembro
>>> Extras
>>> Um Milagre Chamado Grace
>>> Ladrão De Almas
>>> Uma Longa Jornada
>>> O que está acontecenco com as nossas garotas
>>> O Que Me Faz Pular
>>> Never Sky - Sob o Céu do Nunca
>>> Extraordinário
>>> Desejo à Meia-Noite
COLUNAS

Segunda-feira, 20/6/2011
Hells Angels
Gian Danton

+ de 5900 Acessos

Em 1965 a cidade de Monterey, nos EUA, foi tomada por centenas de motoqueiros cabeludos, a maioria deles pertencente à gangue Hells Angels. A razão da reunião era angariar fundos para enviar a uma mãe o corpo de um amigo atropelado por um caminhão. O encontro teve um tom solene que ganhou o respeito até mesmo da polícia da cidade. Os motoqueiros haviam sido recebidos com certa hospitalidade, mas essa seria a última vez em que isso aconteceria. Em 24 horas a gangue estaria no meio de uma denúncia de estupro que provocaria um verdadeiro surto de paranoia. Em seis meses, todas as pequenas cidades norte-americanas estariam armadas até os dentes esperando a invasão dos motoqueiros.

A situação que chocou o país foi o estupro de duas garotas, de 14 e 15 anos, uma delas grávida. De acordo com os jornais, elas foram arrancadas dos braços de seus namorados e levadas para as dunas, onde seriam violentadas diversas vezes. O senador Fred Farr exigiu uma investigação e o procurador-geral Thomas C. Lynch produziu um relatório a partir de um questionário enviado a mais de 100 delegacias. A procura por esse relatório foi tão grande que tiveram que imprimir uma segunda tiragem. O jornal New York Times produziu um extenso e tempestuoso comentário sobre o relatório. A Time trouxe na capa: "Os mais selvagens". A Newsweek contra-atacou com a capa "Os selvagens".

A maioria da imprensa simplesmente pulou as primeiras partes do relatório, em que se dizia que os motoqueiros acusados do estupro foram soltos por falta de provas e se concentraram nos aspectos mais sensacionalistas. Quase todos se limitaram a repassar as informações fornecidas pelas fontes oficiais e ninguém se preocupou em ouvir a versão dos motoqueiros. A revista Time chegou a inventar um caso para dramatizar a notícia.

A missão de entender o outro lado da história coube ao jornalista Hunter Thompson, que ficaria famoso ao criar o gonzo jornalismo. Hells Angels não é uma reportagem gonzo, mas é um belo ensaio para o que viria a ser o gonzo, inclusive com um dos elementos importantes dessa variação jornalística: para cobrir o assunto, Thompson passou um ano convivendo com os motoqueiros e chegou até a comprar uma moto (como resultado acumulou uma grande quantidade de multas e foi expulso de sua casa).

A crítica à maneira como a imprensa cobriu o caso é um dos melhores momentos do livro e serviu de base para a prática posterior de Thompson, na qual ele colocou a ideia de objetividade jornalística de cabeça para baixo.

Já no primeiro capítulo, o autor pergunta-se o que as meninas faziam numa praia deserta lotada de motoqueiros e descobre que as garotas haviam passado a tarde no bar, conversando e bebendo com os motoqueiros e depois ido para a praia com eles. "Droga, aquelas garotas não foram para lá cantar uma música", disse um dos Hells. "Elas estavam a fim de agito e queriam uma sacanagenzinha, mas o problema foi que eram muitos caras. No começo estava legal para elas. Depois foram chegando cada vez mais caras, se empilhando sobre as dunas". Nesse ponto, as garotas devem ter se arrependido da aventura, mas já era tarde demais.

A versão de que garotas inocentes haviam sido arrancadas dos braços de seus namorados e violentadas por bárbaros selvagens logo desmoronou.

Ao mostrar o outro lado da história, Thompson não pretendeu pintar os motoqueiros como santos. Ao contrário: os Hells Angels são vistos como foras da lei violentos, ressentidos com a sociedade: "Em um mundo cada vez mais adaptado aos especialistas, técnicos e máquinas fantásticas e complicadas, os Hells Angels são perdedores óbvios e isso os chateia".

Um dos princípios básicos da gangue, inscrito no estatuto do clube, é a crença na retaliação total: "Quando pedem para você não voltar mais a um bar, você não apenas bate no dono ― você volta com o seu exército e destrói o lugar, quebra a casa inteira e tudo que ela representa. Sem acordo. Se um homem se meter com você, quebre a cara dele. Se uma mulher não quiser nada com você, estupre-a". O próprio Thompson sentiu esse princípio na prática ao levar uma surra de um grupo de motoqueiros.

Rejeitados pela sociedade e sem ter nada a mais além do companheirismo, os Hells Angels se agarram a isso: "A maioria dos outros são foras da lei em meio período, ao passo que os Angels cumprem o papel sete dias por semana: usam o emblema em casa, na rua, e às vezes até no trabalho. Eles vão de moto comprar um litro de leite no mercadinho do bairro. Um Angel sem o seu emblema se sente nu e vulnerável, como um cavaleiro sem armadura".

Esse tudo ou nada se refletiria até mesmo no uniforme usado por eles, pensado para criar o máximo de perigo numa atividade que, por si só, já é perigosa (dirigir motos grandes). Segundo Thompson, os Angels arriscavam a sorte até o limite: não usavam capacete, jaquetas ou calças de couro (que protegem no caso de um tombo). Eles chegavam a usar jaquetas sem manga, para aumentar o perigo: "Os Angels não querem que ninguém pense que eles estão diminuindo os riscos".

A chegada do bando de motoqueiros coloca em pânico os postos de gasolina e, na maioria das vezes, é mais barato fazer vista grossa e deixá-los roubar um litro de óleo do que se arriscar a ver o local destruído.

Mas o grupo também sentia um prazer perverso em ser amigável. O dono de um posto de gasolina entrevistado por Thompson lembra de uma vez em que um grupo pediu para usar o local para consertar umas motos. Amedrontado, ele disse que ficassem à vontade e saiu do lugar o mais rápido que podia. Depois de uma hora, finalmente criou coragem para voltar e descobrir se o local ainda estava de pé. Ficou estarrecido ao descobrir que o local estava impecável, mais limpo que antes. Os motoqueiros haviam chegado ao ponto de varrer o chão e limpar as ferramentas.

Esses dois lados dos Hells Angels só poderiam ser percebidos por alguém que convivesse com eles. A total honestidade de Hunter Thompson, ao revelar seu método de investigação, e ao mostrar até mesmo suas limitações e dificuldades (inclusive os vexames) abriram caminho para o gonzo jornalismo e para uma crítica devastadora do fazer jornalístico. Um conselho: se você gosta de reportagens e não tem preconceitos, leia Hells Angels e depois Medo e Delírio em Las Vegas. Na sequência.

Para ir além






Gian Danton
Macapá, 20/6/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Sinédoque São Paulo de Duanne Ribeiro
02. 4 livros de 4 mulheres para conhecer de Ana Elisa Ribeiro
03. Meio Sol Amarelo de Guilherme Carvalhal
04. É Tabu, Ninguém Quer Saber de Marilia Mota Silva
05. Mamilos de Adriane Pasa


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2011
01. Monteiro Lobato, a eugenia e o preconceito - 28/2/2011
02. Hells Angels - 20/6/2011
03. Medo e Delírio em Las Vegas - 9/5/2011
04. Melhores de 2010 - 3/1/2011
05. Leitura e escola - 31/1/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A MÁSCARA DE APOLO (ROMANCE SOBRE O TEATRO CLÁSSICO E A VIDA NA GRÉCIA ANTIGA)
MARY RENAULT
NOVA FRONTEIRA
(1985)
R$ 10,00



NO CAMINHO DAS COMUNIDADES - ATOS DOS APÓSTOLOS
CENTRO BÍBLICO VERBO
PAULUS
(2001)
R$ 8,00



SANDUÍCHES DE REALIDADE E OUTROS ESCRITOS
ARNALDO JABOR
OBJETIVA
(1997)
R$ 3,00



HIPNOSE PARA INICIANTES -TÉCNICAS PASSO-A PASSO PARA HIPNOTIZAR PESSOAS E REALIZAR A AUTO-HIPNOSE
WILLIAM W. HEWITT
UNIVERSO DOS LIVROS
(2009)
R$ 39,90



EM CASA: UMA BREVE HISTÓRIA DA VIDA DOMÉSTICA
BILL BRYSON
COMPANHIA DAS LETRAS
(2011)
R$ 30,00



JUSTICEIRO MAX - MERCENÁRIO
MARVEL COMICS
PANINI
(2015)
R$ 15,00



A VIDA ACIDENTADA DE UM VAMPIRINHO (LITERATURA INFANTO-JUVENIL)
CARLOS QUEIROZ TELLES E ENEAS CARLOS PEREIRA
FTD
(1994)
R$ 9,00



SOMBRAS DE REIS BARBUDOS - JOSÉ J. VEIGA (LITERATURA BRASILEIRA)
JOSÉ J. VEIGA
DIFEL
(1983)
R$ 5,00



UM SORRISO, POR FAVOR
ROQUE SCHNEIDER
EDIÇÕES LOYOLA
(1980)
R$ 4,00



A IMPORTÂNCIA DE VIVER
LING YUTANG
GLOBO
(1997)
R$ 20,00





busca | avançada
31563 visitas/dia
1,1 milhão/mês