Um lugar para o tempo | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
60133 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 29/9/2011
Um lugar para o tempo
Elisa Andrade Buzzo

+ de 4400 Acessos
+ 3 Comentário(s)


Ilustra: Tartaruga Feliz

Não houve tempo para me despedir de Preta. Estive trabalhando e não pude viajar para vê-la. É preciso dizer que bateu uma indefinição, um sentimento estranho e triste, pois perdi a chance de algo que afinal seria a última vez. Poderia muito bem ter passado a noite em claro, inventado qualquer estratégia, pois somos treinados para dançar conforme a música, mas pular alguma faixa se necessário. Foi quando ela mais precisava que eu pegasse na sua mão, no seu rosto alongado e gentil, ela que estava sempre pronta a receber, carinho era a sua moeda de troca - o que todos desejam, ainda que muitas vezes com um egoísmo desmedido.

O tempo de Preta acabou. Tanto faz que se passem um, dois minutos, uma hora, dias, anos, séculos - a partir do momento em que o término foi selado o tempo deixa de ser matéria, o corpo abandona a relevância. A natureza transitória do instante passa, mais do que nunca, a ser compreendida e a ser o alvo de nossa insatisfação por nos deixar... sem tempo. É difícil conceber que isso iria acontecer, sem piedade o corte ainda havia de ser profundo, e de vez o retorno seria impossível. Deve ser como uma estrada, em que o auto estaca e o asfalto de chofre acaba. Qualquer que seja seu estado, a concretude do corpo físico e os laços emocionais são tão presentes, que a ideia do desaparecimento, da falta repentina, é difícil de ser concebida.

Frente ao meu mísero tempo me vem a questão: por que insistimos e nos vangloriamos de não ter tempo para nada, de ter uma jornada maluca, apertada, como se isso fosse um símbolo de status social? Muito dinheiro entrando, muito reconhecimento, muitos amigos e convites, pouco dinheiro entrando, mas muito qualquer coisa que compense uma falta. É um privilégio não ter tempo para algumas essencialidades? Quem tem muito tempo está, inversamente, perdendo tempo?

Se os motivos e as resoluções são cobrados indistintamente, se o tempo do repouso, da reflexão não é incentivado, tendo até mesmo ares de proibição, se não há espaços adequados na cidade para curti-los em paz, em que momento estaremos consigo próprios, depois, com os outros? Esses fragmentos de tempos, duramente adquiridos, estamos direcionando-os para um falar que nada diz, a frenética procura da tela do celular, a insistência em apertar botões que também demandam seu tempo para funcionar, a resposta instantânea e a falta de voz e mão? Creio na pertinência do momento de rever os acontecimentos, seu impacto, a projeção futura, depois, como disse Drummond, esquecer para lembrar.

O editor de livros, por exemplo, não tem tempo para ler em profundidade, nem para ir nas livrarias, muito menos bibliotecas. O médico não tem tempo de conversar com os pacientes. Às duras penas, alguns tentam não cair no espírito de rotatividade que nos ronda. Não temos tempo de ir ao teatro, visitar esquifes, o patrimônio histórico e cultural nas nossas imediações, no entanto, partimos para a Europa com sede de ver velharias. E, caso fôssemos dar o devido tempo às coisas, não haveria maneira de organizar o dia. Assim, passamos ao largo da existência num equílibrio delicado, nos desvencilhando das amarras de post-its e check-lists.

Por que cada vez mais parece que se tem menos tempo exatamente para as pessoas que mais amamos? Mesmo para o contato humano, direto, íntimo e caloroso? E mais, às vezes trata-se com disfarçado menosprezo aquilo de que já temos a segurança da posse, enquanto o que ainda é desafio, desejo de conquista e nos dirije certa indiferença vai render esforços desmedidos. Temos o ímpeto meio que incorrigível de correr atrás do que brilha e se mexe com uma suposta maior vitalidade. Eu não tive tempo para o essencial, o serenar de olhos abertos, para a despedida definitiva de alguém; eu o gastei com amenidades, deveres insensíveis.

Parecia que Preta e eu tínhamos todo o tempo do mundo para conversar, envelhecer, comungar com o mundo, cada instante mais um instante, existir, cada dia mais um dia e desse amontoado impreciso tirar o nome "vida". De repente o tempo esgotou-se, o último grão de areia pousou no gomo de baixo da ampulheta, meio que sem aviso, nem um a mais, nem um a menos, apenas a medida rigorosa. Foi-se e agora cá estou eu com meus tempos de marcar consultas, treinar, entregar trabalhos, ir a lançamentos, e quando eu finalmente chegar, vou levar comigo um momento retardatário (o mesmo que nada?). A conta é exata e a vida é desprotegida demais para andarmos num meio tempo.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 29/9/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Caminhos para a esquerda de Celso A. Uequed Pitol
02. O Oeste Selvagem de Marilia Mota Silva
03. A viagem e a experiência de Marta Barcellos
04. A natureza selvagem da terra de Elisa Andrade Buzzo
05. Margarida e Antônio, Sueli e Israel de Duanne Ribeiro


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2011
01. No tempo da ficha telefônica - 12/5/2011
02. Triste fim de meu cupcake - 17/2/2011
03. Adeus, Belas Artes - 20/1/2011
04. Doces bárbaros - 23/6/2011
05. Um mundo além do óbvio - 28/4/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
2/10/2011
03h11min
Preenchemos nossos dias... gastando nosso tempo. Pode ser que, se pararmos para pensar na importância do que fazemos, percebamos que nossos afazeres não têm importância alguma. Há necessidades e exigências que não podem ser postas de lado. Até os pássaros da floresta precisam ir atrás de seu alimento. Há desejos que, verdadeiros ou não, merecem algum esforço. Todo desejo é válido já que só nos certificaremos de sua veracidade ao realizá-lo. Não podemos viver apenas no necessário. Não somos cadeiras num salão de festas. O tempo existe para ser gasto, e a consciência diária de nossa morte pode se tornar nossa morte. Mas, e a pergunta? Aquela, a essencial, a primária? A que deveria definir cada ação nossa? A pergunta adiada, calada, alijada? "Sou eu mesmo gastando este meu próprio tempo?" Se a enfrentarmos, mesmo se não seguirmos a resposta que encontrarmos no momento, descobriremos, no segundo seguinte, que o mundo continua girando. E, talvez, girando um pouquinho mais feliz.
[Leia outros Comentários de Adriano Cândido]
2/10/2011
13h17min
Falou tudo !
[Leia outros Comentários de Denise]
9/10/2011
11h06min
Bom dia, Elisa! Tudo bem? Desejo que sim! Você, além de escrever muito bem, é filosofa vocacionada e, cada vez mais, me torno seu fã. Quando li "Um lugar para o tempo" logo lembrei-me de um poema que fiz tempos atrás: O Tempo no Espelho. Embora não tenha a qualidade que você impõe aos seus textos, serve de exemplo também. Se o espaço permitisse eu o inseriria aqui, porém, se você quiser recebê-lo em pergaminho para parede é só enviar o endereço por e-mail. Parabéns! Abraços! João Lopes (Jota Ipiranga)
[Leia outros Comentários de João Lopes]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




BEM- VINDOS AO RIO (VAGA- LUME)
MARCOS REY
ÁTICA/ SP.
(1988)
R$ 25,90



MEDICINA BASEADA EM EVIDÊNCIAS -1045
DANIEL J. FRIEDLAND
DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA
(1998)
R$ 15,00



CRISTIANISMO
BRIAN WILSON
EDIÇÕES 70
(2000)
R$ 14,77



MAIGRET E A JOVEM MORTA
GEORGES SIMENON
NOVA FRONTEIRA
(1987)
R$ 15,00



EDUCAÇÃO, MEIO AMBIENTE E CIDADANIA REFLEXÕES E EXPERIÊNCIAS
FABIO CASCINO; PEDRO JACOBI; JOSÉ FLÁVIO (ORG)
SMA / CEAM
(1998)
R$ 10,00



NAMORADO DE ALUGUEL
KASIE WEST; DEBORA ISIDORO
VERUS
(2016)
R$ 20,00



GLOSSARIO DA MODERNIZAÇÃO INDUSTRIAL 1
FRANCO VIDOSSICH
FUTURIVEL
(1999)
R$ 14,00



PLASTIC DESIGN
L. J. MORRIS
CONSTRADO
(1975)
R$ 50,00



CONVERSAS COM JOÃO CARLOS MARTINS.
DAVID DUBAL
GREEN FOREST DO BRASIL
(1999)
R$ 400,00



AVENTURAS DE XISTO
LÚCIA MACHADO DE ALMEIDA
ÁTICA
(1983)
R$ 29,00
+ frete grátis





busca | avançada
60133 visitas/dia
1,1 milhão/mês