Brochadas, romance inquietante de Jacques Fux | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
39165 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> O Sertão na Canção rememora Guimarães Rosa
>>> Atrações de sertanejo e música eletrônica participam de Carnaval no Maracanã
>>> Alexandre Grooves comemora Troféu Cata-vento, pré-indicação ao Grammy e lançamento no Japão
>>> Estreia de Pelas Ordens do Rei Que Pede Socorro comemora 20 anos do grupo O Buraco d'Oráculo
>>> Espetáculo 'As Filhas da Mãe' completa 35 anos.
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 9. Um Cacho de Banana
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 8.Heroes of the World
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 7. Um Senador
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 6. Nas Asas da Panair
>>> Como se me fumasse: Mirisola e a literatura do mal
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 5. Um Certo Batitsky
>>> A vida dos pardais e outros esquisitos pássaros
>>> Blockchain Revolution, o livro - ou: blockchain(s)
>>> Bates Motel, o fim do princípio
>>> Bruta manutenção urbana
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Sens(ações)
>>> Diamonds
>>> Anotações
>>> Nei Lopes e Mirian de Carvalho: poesia e samba
>>> Feliz 2018
>>> Boa Vista
>>> O preço
>>> Você já atualizou sua história hoje?
>>> Sorvedouro
>>> Reter ou não reter
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Novos autores na poesia brasileira
>>> Alguém para correr comigo, de David Grossman
>>> O centenário de Contos Gauchescos
>>> O que fiz com Tom Jobim
>>> Hugo Cabret exuma Georges Méliès
>>> Dois palmos de céu
>>> Dois palmos de céu
>>> Dois palmos de céu
>>> ¿que buscas con esto?
>>> O mago
Mais Recentes
>>> Tartarugas Até Lá Embaixo
>>> Diferentes Somos Todos
>>> Estudo-Vida de João Vol Um
>>> A Hora do Desconto - Fábulas Recontadas Em Versos e Comentadas
>>> Duna
>>> História da civilização vol. 2
>>> A única coisa que importa
>>> Vademecum de Clínica Médica
>>> Manual de direito penal 1
>>> Através da Barreira do Tempo- Um Estudo sobre a Precognição e a Física Moderna
>>> O Circo da Lua
>>> A Menina Que Roubava Livros
>>> Existe Sexo Após À Morte?
>>> O Réu Dos Sonhos
>>> 177 Maneiras De Enlouquecer Uma Muher Na Cama
>>> 1001 Discos para ouvir antes de morrer
>>> 1001 Discos para ouvir antes de morrer
>>> O Coelho Quincas e o Pote de Ouro
>>> Quer uma mãozinha?
>>> Vale dos Dragões
>>> Fundamentos Matemáticos Para a Ciência da Computação
>>> Introdução à organização de computadores
>>> Modelagem conceitual e projeto de banco de dados
>>> Hardware. O Guia Definitivo - Volume 2
>>> A Garota Silenciosa
>>> Kit de Treinamento MCTS. Exame 70-680. Configuração do Windows 7
>>> A Coleira do Cão
>>> UML Essencial. Um Breve Guia Para a Linguagem-Padrão de Modelagem Para Objetos
>>> SQL. O Guia Essencial. Manual De Referência Profissional
>>> O Poder dos Cristais
>>> Estruturas de dados e seus algoritmos
>>> Game over
>>> No Vai e Vem da Vida
>>> Curso de Direito Processual Civil Volume II
>>> Curso de Direito Processual Civil Volume III
>>> Vade Mecum Acadêmico de Direiro
>>> Scooby Doo O Chalé Mal Assombrado
>>> Os Fantasminhas Backyardigans
>>> Resgate no Trem Backyardigans
>>> O Pequeno Príncipe Pidão
>>> Encontro e Desencontros na Clínica da Psicose Uma Reflexão Psicanalítica LACRADO
>>> Ter ou Não Ter, eis a Questão!
>>> Atuação Parlamentar Principais Discursos 1999 a 2006
>>> Como Administrar com a Sabedoria do Amor
>>> Vicente de Carvalho Vivo
>>> Santos Dumont Genial Brasileiro sua Personalidade e seus Feito
>>> Você está Louco!
>>> Pense rápido Crise
>>> Como Prevenir e Controloar o Estresse Síndrome do Século XXI
>>> Rotinas Trabalhistas e Previdenciárias
COLUNAS

Terça-feira, 29/9/2015
Brochadas, romance inquietante de Jacques Fux
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 2000 Acessos


"Brochadas", segundo romance do escritor Jacques Fux, editado pela Rocco, é uma divertida e inteligente epopéia do homem que fracassa na hora H. Mas não é só isso, também é uma grande discussão sobre o sentido dos afetos, da sexualidade e da própria escrita literária. O escritor ainda se propõe um debate crítico sobre as raízes judaicas do personagem. Este último tópico já se encontrava presente no primeiro romance de Fux, "Antiterapias", publicado pela editora Scriptum, de Belo horizonte.

Para "Brochadas" vale partir dos versos de Fernando Pessoa: "o poeta é um fingidor, finge tão completamente, que chega a fingir que é dor, a dor que deveras sente". Pois é disso que se trata, ficcionalizar a própria vida, os retalhos das experiências sexuais, afetivas, literárias, filosóficas e de cultura (o judaísmo).

O romance é uma espécie de psicanálise literária, onde o personagem Jacques (também nome do autor) tem uma conversa consigo mesmo e com suas parceiras da vida a respeito do grande tabu que é a brochada. Além disso, o romance faz um relato histórico sobre grandes personagens que brocharam ou como a tradição ocidental se relacionou com o tema.

Através dos relatos (verídicos ou ficcionais, não se sabe) sobre as razões que levaram Jacques a brochar em algumas de suas relações sexuais - relatos esses enviados às suas parceiras, que depois de lerem as observações do personagem (autor) respondem dizendo se brocharam com ele ou como vêem as explicações dadas pelo escritor - através desses relatos acabamos conhecendo os elementos que levam o homem e a mulher a brochar.

As variadas razões femininas e masculinas para a brochada são elencadas já nas páginas iniciais do livro: "Tentativas de esgotamento do motivo das brochadas masculinas e femininas". São algumas delas que vão determinar a causa das brochadas. No caso masculino, há de mau hálito, chulé, fedor na xoxota, seios murchos, ansiedades, pensar na mãe, mulher que não quer chupar, dor de barriga, até mulher mandona demais, dentre outros elementos. No caso feminino, há de mau hálito, pinto fedido, pinto pequeno, pinto meia-bomba, não ligar no dia seguinte, erros de português, falar da mãe, soltar pum na hora, até homem que chama de putinha, vadia, que goza na cara, que levanta e vai embora, dentre outros motivos para a mulher brochar.

Se, como diz o autor, "tudo aqui é verdade, exceto o que não invento", estamos no meio de uma mistureba entre realidade e ficção, ou seja, daquilo que Fernando Pessoa anuncia como fingir a dor que deveras sente (como citado anteriormente). Então, vamos crer que o relato de Jacques (personagem), pode ser o relato de Jacques (escritor), brilhantemente construído pela sua literatura. A sensação é de que é necessário esse álibe literário para a verdade vir à tona. O autor no confessionário psicanalítico-literário, justificando o despudorado relato de sua "fraqueza", do tabu dos fracassos sexuais, via literatura, que o redime ou o encoraja a tal.

Estamos, então, numa espécie de "Recherche das brochadas perdidas", como o próprio autor denomina um dos capítulos do livro. Indo além, procurando no espelho da cultura judaica, que parece abominar, as razões dos seus pés na bunda e impulsos literários, que resulta na sopa de sentimentos amorosos frustrados, desdém por uma cultura religiosa que não o agrada e a busca pela "salvação" na literatura.

Tudo bem construído no livro "Brochadas". A leitura é divertidíssima, mas também inteligentíssima. Aquilo que é a vida ordinária do personagem, seu drama incessante com as mulheres que amou ou odiou, é circundado (ôpa! quase disse circuncidado) por reflexões que vão desde o pensamento da Grécia antiga e a época medieval, passando por Poe, Joyce, Hemingway, Borges (todos brochas), até o Talmude, dentre outras referências. No fundo de tudo isso, o fracasso sexual, alimentando (e sublimando a vida) a criação da cultura e a verve criativa dos escritores. Assunto tabu.

O que é marcante no livro de Fux é seu humor. O melhor filósofo é o que ri de si mesmo, já dizia Nietzsche. Com essa "estratégia", o rir de si mesmo (ou o humor judaico encarnado), o escritor pode colocar na ordem do dia a discussão tabu que é a brochada. E não é sem diversão e sem amargor que o debate aparece. Mulheres revoltadas com a criação de Jacques (personagem) nos seus relatos, não deixando de acusá-lo também de ser a razão de suas brochadas. Ah! Sim, as mulheres brocham, apesar de ser mais fácil para elas fingir. Brocham ora por causa de si mesmas, ora por causa do comportamento masculino. E o personagem brocha sem parar, por causa delas e também por si mesmo, pelos embrulhos de culpa, impaciência, incompreensão que se colocam nesse saco de ressentimentos que aflora a cada página do livro de Fux.

Mas o que é ainda maior no livro "Brochadas" é a discussão - que o autor acaba fazendo no final de cada relato - sobre o sentido da ficção e sua correspondência com a realidade.

A insuportável plenitude seria o que move a cultura, os avanços da ciência e da literatura. "A dor e a dificuldade de mudar, transformar, metamorfosear e aceitar o outro". É aquilo que sempre nos faltará, é a mulher que não nos fez ficar de pau duro ou gozar, é o vazio que advém da falta, que nos fará dar o passo em direção à criação.

Cito o trecho: "Acho que a plenitude é um sentimento que o ser humano não pode suportar. Só os deuses. Nós, incompletos, não conseguimos aguentar momentos de alegria e prazer intensos. Precisamos sentir a falta. Pulsão. Temos que viver em meio à carência e ao espaço vazio que nutre a pulsão por viver e por morrer."

É nesse espaço que vive o escritor, o artista. É da ferida narcísica, do fracasso da vida, que surgirá a flor do mal, a flor da beleza, a arte, uma promessa de felicidade. Fux escreve sobre o tabu da brochada porque quer falar do tabu que é a vida fracassada: sua incompletude. Porque quer falar da busca pela completude na arte. O autor faz tudo muito bem... nos deixando inquietos.

Alberto Mussa resumiu bem "Brochadas", dizendo que é obra "de um autor culto, extremamente original e inquietante".


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 29/9/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A vida dos pardais e outros esquisitos pássaros de Elisa Andrade Buzzo
02. Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto de Jardel Dias Cavalcanti
03. Fake news, passado e futuro de Luís Fernando Amâncio
04. A fotografia é um produto ou um serviço? de Fabio Gomes
05. Apontamentos de inverno de Elisa Andrade Buzzo


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2015
01. Daumier, um caricaturista contra o poder - 24/2/2015
02. Eu matei Marina Abramovic (Conto) - 17/3/2015
03. Gerald Thomas: cidadão do mundo (parte final) - 28/7/2015
04. Gerald Thomas: cidadão do mundo (parte I) - 2/6/2015
05. Livro das Semelhanças, de Ana Martins Marques - 24/11/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TRANSGRESSÃO E MUDANÇA NA EDUCAÇÃO
FERNANDO HERNANDEZ
ARTMED
(1998)
R$ 25,00



UM ASSASSINO PARA O PAPA
TAD SZULC
RECORD
(2001)
R$ 15,00



NOVELAS EXEMPLARES
MIGUEL DE CERVANTES
ABRIL CULTURAL
(1971)
R$ 7,20



HISTÓRIA DA MAGIA II
KURT SELIGMANN
SETENTA
(1974)
R$ 49,99



LA CURACIÓN NATURAL
MAHATMA GANDHI
EDITORIAL CENTRAL - BUENOS AIRES
(1976)
R$ 8,90



PLEXUS - A CRUCIFICAÇÃO ENCARNADA 2 - HENRY MILLER (LITERATURA NORTE-AMERICANA)
HENRY MILLER
CIRCULO DO LIVRO
R$ 12,00



DISSERTAÇÃO SOBRE O DIREITO DE CAÇOAR & CARTA A SALVADOR RODRIGUES DO COUTO
FILIPE ALBERTO PATRONI MARTINS MACIEL PARENTE
LOYOLA
(1992)
R$ 10,00



MORTE E ASSUNÇÃO DE MARIA. TRÂNSITO DE MARIA. LIVRO DO DESCANSO
LINCOLN RAMOS
VOZES
(1991)
R$ 12,00



LUKE THE HISTORIAN IN RECENT STUDY
C.K.BARRETT
FB
(1969)
R$ 17,10



O NARIZ & A TERRÍVEL VINGANÇA/A MAGIA DAS MÁSCARAS (LITERATURA RUSSA)
ARLETRE CAVALIERE
EDUSP
(1990)
R$ 10,00





busca | avançada
39165 visitas/dia
1,0 milhão/mês