Notas confessionais de um angustiado (IV) | Cassionei Niches Petry | Digestivo Cultural

busca | avançada
20983 visitas/dia
829 mil/mês
Mais Recentes
>>> COMPETIÇÃO TÍPICA DO SERRADOR DE TORA, DANÇAS HISTÓRICAS GERMÂNICAS, EXPOSIÇÕES... TUDO ISSO E MUITO
>>> Embaixador do Samba Paulista - Carlinhos do Cavaco
>>> O NOVO CZAR: ASCENSÃO E REINADO DE VLADIMIR PUTIN
>>> Juiz federal estreia na literatura com contos sobre heróis históricos
>>> Luiz Iria mostra como criar e editar infográficos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Nobel, novo romance de Jacques Fux
>>> De Middangeard à Terra Média
>>> Dos sentidos secretos de cada coisa
>>> O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro
>>> Joan Brossa, inéditos em tradução
>>> Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia
>>> 40 anos sem Carpeaux
>>> Minha plantinha de estimação
>>> Corot em exposição
>>> Existem vários modos de vencer
Colunistas
Últimos Posts
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
>>> Psiu Poético em BH esta semana
>>> Existem vários modos de vencer
>>> Lauro Machado Coelho
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
Últimos Posts
>>> Escriturar=costurar
>>> Pierrô
>>> Lugar comum
>>> Os galos
>>> Cenas do bar - Wilsinho, o feio.
>>> Desenhos a lápis na poesia de Oleg Almeida
>>> Eloquência
>>> Cenas do bar - Vladimir, o solteiro.
>>> Deu na primeira página...
>>> Palavra vício
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Para tudo existe uma palavra
>>> A maldição da internet no celular
>>> Dilbert
>>> Apesar da democracia
>>> Entrevista com Milton Hatoum
>>> Entre a simulação e a brincadeira
>>> Transformação de Lúcifer, obra de Egas Francisco
>>> Seleção, que sufoco
>>> Internet e Microblogs
>>> Discurso de formatura do Ensino Médio
Mais Recentes
>>> Se Arrependimento Matasse
>>> Temporada de Caça
>>> As Palavras de Gandhi
>>> Natação: Guia Passo a Passo
>>> O Corredor da vida
>>> Do-in Para Crianças
>>> Larousse da Terceira Idade
>>> Caderno de Literatura e Cultura Russa
>>> Descuidos, Anacronismos e Equívocos
>>> Padre Antônio Vieira - 400 Anos Depois
>>> Tipos e Aspectos do Brasil
>>> Modos de Governar
>>> Onde o Esporte Se Reinventa: Histórias e Bastidores dos 40 Anos de Placar
>>> Manual de Lazer e Recreação: O Mundo Lúdico ao Alcance de Todos
>>> High Voltage Tattoo
>>> Tattoo Mystique
>>> História do Novo Mundo: As Mestiçagens - Volume 2
>>> Ergonomia Cognitiva e Mente Incorporada
>>> A Instituição da Religião Cristã - Volume 1
>>> História do Futuro
>>> Democracia ou Bonapartismo
>>> Peregrinação - Volume 2
>>> Em Busca da Excelência: Como Vencer no Esporte e na Vida Treinando Sua Mente
>>> Celebrity Tattoos: An A-Z of A-List Body Art: 16 Temporary Tattoos to Wear
>>> O Primeiro Ano de Vida
>>> Literatura Infantojuvenil Africana e Afro-Brasileira
>>> Batizados no Espírito- A Experiência do Espírito Santo nos Padres da Igreja
>>> A Conquista do Reino de Deus
>>> Travessuras da minha menina má - volumes I, II e III
>>> O vício do amor
>>> Vinte anos. duas pessoas. Um dia
>>> À beira da sepultura
>>> Cinderela - Disney - Princess - Idioma: Inglês
>>> Destinada a sepultura
>>> O livro das coisas perdidas
>>> Os homens que não amavam as mulheres
>>> Lira dos vinte anos
>>> A menina que brincava com fogo
>>> A rainha do castelo de ar
>>> A garota na teia de aranha -
>>> Desejo:ate onde ele pode te levar?
>>> Che Guevara - personagens que maracram época
>>> Getúlio Vargas - personagens que marcaram época
>>> Ayrton Senna, personagens que marcaram época
>>> John Lennon, personagens que marcaram época
>>> Machado de Assis - personagens que marcaram época
>>> O Fim das Dietas
>>> O Que É Marxismo?
>>> Dieta das Emoções
>>> Serial Killers
COLUNAS

Quarta-feira, 20/7/2016
Notas confessionais de um angustiado (IV)
Cassionei Niches Petry

+ de 1600 Acessos

(...)

XXVI.
“Admitir, desde o início, que a essência desse projeto é o fracasso”. Paul Auster, em A invenção da solidão.
(...)

XXIX.
Assisto a um vídeo de Rubem Fonseca, gravado durante a entrega de um prêmio que ele recebeu em Portugal. O autor, antes recluso, surpreende falando sobre as características de um escritor. Para ele, quem escreve literatura deve ser louco, ter inteligência (apesar de conhecer muitos escritores não muito inteligentes), estar motivado, ter paciência e, principalmente, imaginação.

Só um louco para propor, como dissertação de mestrado, um romance e um caderno de anotações sobre o seu processo de criação. Quanto à motivação para escrever o romance, encontro-a na própria dissertação e no prazo de entrega. A paciência, por sua vez, deve dar lugar à pressa, devido ao prazo para entregar o resultado da pesquisa, o que talvez prejudique o resultado final do processo romanesco. Depois, porém, haverá tempo para reescrever, se necessário.

Tenho imaginação? É o que veremos no decorrer da produção do romance.

XXX.
Romances metaliterários são uma constante nas minhas escolhas de leitura, tendo em vista meu próprio romance e as reflexões que faço em torno dele. Acima de tudo, porém, sou aficionado por esse tipo de leitura. Termino de ler Zuckerman acorrentado, volume com quatro narrativas longas do escritor norte-americano Philip Roth, do qual faz parte o romance Lição de anatomia, anteriormente citado. Retirei dois trechos sobre a criação literária: “Inventar pessoas. Uma atividade benigna quando você está datilografando no aconchego do seu escritório.” (p.279). “Isso é igual a escrever. É você sozinho com uma montanha e uma picareta. É você consigo mesmo, no maior isolamento, com uma empreitada quase irrealizável pela frente. Isso é escrever.” (grifo do autor).

XXXI.
O reinício das aulas traz o escritor, que também é professor, de volta à realidade e ao problema do tempo para escrever. Somam-se a isso as incertezas quanto à fixação dos horários, que se modificam todo o dia, até que se possa estabelecer um cronograma para o desenvolvimento do projeto de mestrado e a escrita do romance. Há ainda reuniões, elaboração de planos de aula, etc., que desviam o caminho já anteriormente traçado. Stephen Koch, no entanto, lembra que é “um erro fatal permitir que o ofício de escrever e o trabalho diurno se tornem inimigos”.

XXXII.
Escrevendo mais alguns parágrafos do romance, penso se ele tem algo de autobiográfico. Se tem, qual personagem tem mais a ver comigo? Ou quais as personagens? É necessário também questionar se uma boa obra literária deva se valer de elementos da vida do autor.

Silvia Adela Kohan, em Como narrar uma história, afirma: “Ao narrar uma história, partimos de experiências pessoais ou recontamos histórias que outros viveram. Estas experiências são retomadas pelo escritor de modo parcial ou total, de modo consciente ou inconsciente.”. É inevitável a inspiração em fatos pessoais, o que reforça o lugar-comum de que quanto mais velho o escritor, melhor ele é, devido às suas experiências de vida. Se comparo os meus textos adolescentes com os de agora, são notórias as diferenças.

(...)

XXXV.
A escolha do narrador em 3ª pessoa, com o foco em Paula, e não em 1ª, foi feita no sentido de acompanhar as reflexões da personagem, mas ainda assim quis deixar certo distanciamento. Como as ideias de Fred são essenciais, optei não por criar outro narrador, mas reproduzir o que seriam falas e textos da personagem num blogue.

Para David Lodge, em A arte da ficção, "a escolha do ponto de vista a partir do qual se conta a história pode ser considerada a decisão mais importante que o romancista pode tomar, pois tem um impacto profundo no modo como os leitores vão reagir, na esfera emotiva e moral, aos personagens e às suas ações".

Afirma que qualquer história de adultério, dependendo de que ponto de vista é contada, pode causar impressões diferentes no leitor. Cita Madame Bovary, porém, nos lembramos de Capitu, que Lodge provavelmente não leu.

Conhecedor do assunto, Lodge analisa um trecho de Pelos olhos de Maise, de Henry James. Aliás, o título do romance já nos revela o ponto de vista em que vai ser contada a história. (O título do meu romance também poderia revelar isso, mas lembro que os óculos podem não se referir às extensões dos nossos olhos.) São vários adultérios revelados “através do olhar de uma garotinha que sofre todas as consequências dos acontecimentos, ainda que mal os compreenda”. O ponto de vista é da pequena personagem, porém o narrador é em terceira pessoa, como se percebe nesse trecho do romance: “Nem mesmo nos velhos tempos das senhoras risonhas ela vira mamãe rir com tanto desprendimento.” A escolha desse ponto de vista foi importante para retratar a ingenuidade infantil e após passar para o olhar desconfiado do adolescente, depois que Maise cresce.

De acordo com Raimundo, o papel do narrador contemporâneo é trabalhar com muitas vozes, diversos narradores, tornando o texto uma experiência mais complexa e, dessa forma, as personagens ganham força. Para ilustrar essa ideia, cita um estudo de Laura Goulart Fonseca sobre Os sinos da agonia, de Autran Dourado, outro criador que teorizou o narrador:

"Na vertente dramática do romance contemporâneo, que teve sua origem em Gustave Flaubert, o narrador simplesmente desaparece da cena narrada e passa a mostrar os eventos. O que ocorre é uma teatralização, o leitor vê a cena, como se ela fosse representada em um palco. Os eventos deixam de ser narrados e passam a ser refletidos na consciência da personagem, de modo que o leitor visualiza a realidade ficcional do ponto de vista de um personagem de um romance, e não do narrador, como se observa no romance autoral."

Essa ideia norteia a eleição do foco narrativo no romance Os óculos de Paula. Devo, no entanto, tomar certo cuidado, seguindo a orientação de David Lodge, "não há regras nem leis determinando que um romance não possa mudar de ponto de vista quando o autor bem entender; mas se essa decisão não for tomada de acordo com algum plano ou sentido estético, o envolvimento do leitor, o processo em que o sentido do texto se produz, será perturbado."


Cassionei Niches Petry
Santa Cruz do Sul, 20/7/2016


Mais Cassionei Niches Petry
Mais Acessadas de Cassionei Niches Petry em 2016
01. Ler para ficar acordado - 18/5/2016
02. O suicídio na literatura - 13/4/2016
03. Proibir ou não proibir? - 10/2/2016
04. De louco todos temos um pouco - 13/1/2016
05. Notas confessionais de um angustiado (V) - 26/10/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O SENTIDO DE ZEUS. O MITO DO MUNDO E O MODO MÍTICO DE SER NO MUNDO
JAA TORRANO
ILUMINURAS
(1996)
R$ 88,00



BRAGUINHA - SONGBOOK
ALMIR CHEDIAK
LUMIAR
(2002)
R$ 45,00



A SABEDORA DE SIDARTA - O BUDA
ANTONIO CARLOS ROCHA
EDIOURO
(1985)
R$ 7,50



DEMOCRATIZAÇÃO EM FLORIANÓPOLIS: RESGATANDO A MEMÓRIA DOS MOV. SOC.
ILSE SCHERER-WARREN
UNIVALI
(1998)
R$ 3,00



A VOLTA DE SHERLOCK HOLMES
CONAN DOYLE
FRANCISCO ALVES
(1983)
R$ 6,00



A CHINA ANTIGA - GRANDES CIVILIZAÇÕES DO PASSADO
MAURIZIO SCARPARI
FOLIO
(2006)
R$ 20,00



MICROONDAS COM CAPRICHO
INGE SCHIERMANN
MELHORAMENTOS
(1990)
R$ 8,60



LIDANDO COM PESSOAS DIFÍCEIS
HARVARD BUSINESS SCHOOL
CAMPUS
R$ 14,90



DESENVOLVIMENTO INTERPESSOAL
FELA MOSCOVICI
LIVROS TECNICOS E CIENTÍFICOS EDITORA LTDA
(1985)
R$ 14,90



SADE UM ANJO NEGRO DA MODERNIDADE
GABRIEL GIANNATTASIO
IMAGINÁRIO
(2000)
R$ 10,00





busca | avançada
20983 visitas/dia
829 mil/mês