Digestivo nº 315 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
71132 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 9/2/2007
Digestivo nº 315
Julio Daio Borges

+ de 3300 Acessos
+ 2 Comentário(s)




Literatura >>> Rumor de Facas
Num tempo em que é tão debatida a função do editor, com toda a “virtualização” e a possibilidade de autopublicação, poucas coisas são mais oportunas que um curso – ou, uma conversa – com o lendário Pedro Paulo de Sena Madureira, na Casa do Saber. Depois de uma palestra aberta, em 2006, que extrapolou o horário da Casa em quase duas horas, arrastando a platéia até quase a meia-noite, Pedro Paulo concordou resignadamente em estruturar um mês de bate-papos sobre suas quatro décadas como editor de livros. Desde seu primeiro trabalho como editor da Nova Fronteira, contratado pelo “Doutor Carlos” (Lacerda) em pessoa, até suas últimas investidas na editora Girafa e mesmo sua participação nos polêmicos eventos da Brasil Connects, Pedro Paulo passa pela descoberta de Lya Luft (hoje, best-seller), pela antecipação de Umberto Eco como romancista (antes aqui do que na Itália), pela consagração de Danusa em matéria de etiqueta (uma Glorinha Kalil avant la lettre) – entre outros sucessos. Sem contar sua vivência, literária em muitos sentidos, sempre cercado por escritores (alguns dos maiores do Brasil de sua época), em meio a uma ascendência francesa (e baiana), o que lhe conferiu uma memória proustiana e um verdadeiro dom para a conversação. Pedro Paulo de Sena Madureira, com sua bengala e sua gravata borboleta, parece saído de uma máquina do tempo (no bom sentido), alheio ainda à velocidade da vida moderna, à padronização do gosto e, corajosamente, a um mundo onde a literatura continua como última prioridade. A Casa do Saber, mais uma vez, oferece contato com uma lenda viva na sua área de atuação – justo num momento em que o livro, coincidente, experimenta novos formatos (eletrônicos), e sofre leituras diversas (diagonais, fragmentárias, hipertextuais). A ponte entre Gutenberg e a internet, no Brasil, passa por Pedro Paulo de Sena Madureira. [Comente esta Nota]
>>> Casa do Saber
 

Catarina Falcão


Música >>> Doce presença
Uma das constatações predominantes nas homenagens aos 80 anos do nascimento de Tom Jobim tem sido, justamente, a falta de novidades desde 1994, ano de sua morte. Jobim definiu uma espécie de cânone da música popular brasileira, desde a bossa nova, que, como os standards de jazz, às vezes funciona à maneira de uma camisa de força, paralisando a inventividade, a interpretação, e provocando apenas a repetição monotônica, de seu legado, como um mantra. Tanto é verdade que a primeira maior “novidade” em termos de interpretação do autor de “Tereza da Praia” acontece por obra e graça de João Gilberto (na contramão dos cantores de fossa); e a segunda mais marcante, em 1974, no álbum Elis & Tom (com a ajuda do próprio compositor). De lá pra cá – e de 1994 pra cá, ainda mais intensamente –, perpetua-se um karaoke de versões, iguais à primeira (João) ou à segunda (Elis), que nada ou pouco acrescentam ao cancioneiro jobiniano. Rosa Passos, para o nosso alívio, parece sinalizar com uma terceira vertente, esperamos, igualmente inovadora. Passos – que, apesar de baiana, circula alto, entre Ron Carter e Yo-Yo Ma – quer dedicar este seu ano ao Brasil e deu uma mostra do que isso significa, no final de janeiro, em São Paulo, no novo Teatro Fecap. Com um repertório entre os 25 anos da morte de Elis (19/1) e os 80 do Tom (25/1), Rosa Passos virou do avesso peças do “maestro e soberano” de Chico Buarque de Holanda. Descolando a melodia do ritmo, mais ainda que João Gilberto em “Águas de Março”, Passos tornou quase irreconhecíveis (por isso, não agradou todo mundo) “Só danço samba”, “Fotografia” e a própria “Águas de Março”, ao violão. Desfez também, de outros compositores, “Samurai” (Djavan), “Desenho de giz” (João Bosco e Abel Silva) e “Só Deus é quem sabe” (Guilherme Arantes). Rosa Passos é efetivamente estrela internacional, de repente tão desconhecida quanto longe de seus patrícios; mas, por causa da mesma distância (e do alcance que ela proporciona) talvez seja a única que possa, atualmente, recriar o Antônio Brasileiro. João Gilberto, via Embratel, e Elis Regina, via Maria Rita, aprovam. [1 Comentário(s)]
>>> Rosa Passos
 



Artes >>> No Largo do Paço
Das homenagens prestadas aos 100 anos do vôo do 14-bis, uma das melhores, e mais criativas, foi a de Spacca, também endereçada a Santos Dumont, no álbum Santô, lançamento da Cia. das Letras em 2005. Parece que na esteira do sucesso dessa realização, fruto de anos de pesquisa histórica do próprio Spacca – embora seja uma “simples” HQ –, a editora lançou, em 2006, Debret em Viagem Histórica e Quadrinesca ao Brasil. Debret, como todo mundo sabe (ou deveria saber), produziu uma das mais ricas iconografias sobre o Brasil do século XIX. Primo e discípulo de Jean-Louis David, o célebre pintor neoclássico, Debret se viu desamparado, com a queda de Napoleão III, e a mudança de ventos políticos na França, quando recebeu um convite para fundar uma Escola de Belas Artes no Rio. Mudou o rumo das artes brasileiras e mudou, inclusive, a maneira como o próprio Brasil era visto no Europa (e se via a si próprio). (Para quem tiver ainda dúvida, a editora Capivara registra isso muito bem num catálogo portentoso...) Spacca, em seu Debret atual, conta um pouco dessa saga, de 15 anos no Brasil, mesmo que de forma mais breve, e menos profunda, se compararmos com o seu quase perfil de Santos Dumont. Ainda que tenha produzido incansavelmente, como um Balzac dos pincéis, Debret não teve seu caminho facilitado no Rio e, como parte da chamada missão francesa, teve muitos dos seus desejos frustrados ou postergados, como a Escola de Belas Artes (que permanece até hoje mas que demorou a se concretizar). O álbum de Spacca, de certa forma, evoca uma seção de seu próprio site em que ele, como cartunista, homenageava mestres do traço. Para a geração conectada da virada do século, que mal conhece a representação de seu País em pintura, Spacca e a Cia. das Letras estariam prestando um enorme serviço se seguissem por essa trilha agora aberta. [Comente esta Nota]
>>> Debret em Viagem Histórica e Quadrinesca ao Brasil
 

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
7/2/2007
17h20min
As homenagens neste ano vão também para o 100 anos de Oscar Niemaier, os 100 anos de Caio Prado Jr., os 90 anos de Revolução Russa e os 85 anos do Partido Comunista brasileiro. Pena que a imprensa vai calar...
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
8/2/2007
11h30min
"Pena que a imprensa vai calar..." Vai calar porque essas coisas estão relativamente mudas. E a imprensa gosta de diálogos, mesmo com quem não está mais presente.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AS MIL E UMA NOITES VOL VI
EDUARDO DIAS
LIVRARIA CLASSICA
(1949)
R$ 6,90



DEIXA QUE EU TE AME
ALCIONE ARAÚJO
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(2011)
R$ 6,99



PHYSICAL ANTHROPOLOGY
PHILIP L. STEIN BRUCE M. ROWE
MCGRAW-HILL
R$ 63,25



PORTLAND - GATEWAY TO THE NORTHWEST
CARL ABBOTT
WINDSOR
(1985)
R$ 60,00



A MORTE DE D J EM PARIS
ROBERTO DRUMMOND
OBJETIVA
(2002)
R$ 5,00



PARANORMAL
GISETI MARQUES
CLARIM
(2015)
R$ 14,90



LIRICA
LUIS DE CAMÕES
CULTRIX
R$ 5,00



SUA SAÚDE NA NOVA ERA
CAMILLO MARASSI LEIJOTO
MADRAS
(2003)
R$ 12,00



BIODIREITO ALIMENTOS TRANSGÊNICOS
MARIA RAFAELA JUNQUEIRA BRUNO RODRIGUES
LEMOS & CRUZ
(2003)
R$ 12,00



FISICA PROJETO MULTIPLO VOLUME 1 BOX COMPLETO
WILSON CARRON
SCIPIONE
(2014)
R$ 99,90





busca | avançada
71132 visitas/dia
2,6 milhões/mês