Zuenir Ventura e a aventura da reportagem | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
71522 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 30/3/2004
Zuenir Ventura e a aventura da reportagem
Fabio Silvestre Cardoso

+ de 7200 Acessos
+ 1 Comentário(s)

No ano de 1989, o jornalista Zuenir Ventura foi designado pelo Jornal do Brasil para cobrir o desenlace de uma das investigações de maior repercussão nacional e internacional dos últimos anos: o assassinato do seringueiro e líder comunitário Chico Mendes, que havia morrido em dezembro de 1988, vítima de um complô de fazendeiros que faziam oposição às suas idéias. Em 1990, o jornalista voltou ao Acre para reportar aquele que seria chamado de "julgamento do século" da família (no caso, Darly Alves e Darci Alves, pai e filho) acusada de premeditar e cometer o assassinato de Chico Mendes. A reunião desses textos, além do relato da viagem feita ao local em 2003, está agora compilada no livro Chico Mendes: crime e castigo (Companhia das Letras, 241 págs.). Outro detalhe deve ser acrescentado: o livro é parte da coleção Jornalismo Literário, em que já foi publicado Hiroshima, de John Hersey, e A Sangue-Frio, de Truman Capote.

Apesar de boa parte ter sido escrita há quinze anos, as reportagens de Zuenir Ventura dão impressão de não terem envelhecido. O livro se inicia com o texto que descreve os momentos que antecedem a morte de Chico Mendes, e o parágrafo inicial lembra o início do romance Crônica de uma morte anunciada, de Gabriel Garcia Márquez, como segue: "No dia em que Chico Mendes ia morrer, dia 22 de dezembro de 1988, Ilzamar Mendes queria assistir à morte de Odette Roittman. Durante aqueles últimos oito meses, o Brasil parava às 8h30 da noite - 6h30 no Acre - para se revoltar com a megera sem escrúpulos e sem caráter que se transformara no símbolo de um país que terminava o ano com 900% de inflação, o naufrágio do Bateau Mouche e uma sensação de impunidade generalizada - um país do Vale Tudo, como sugeria o título da novela da TV Globo de que Odete era vilã."

Dessa maneira, logo no primeiro parágrafo, o leitor é trazido para dentro da história, sem recursos apelativos, como palavrões ou descrições "naturalistas", mas pela ambientação realizada pelo repórter. Nesse sentido, os exemplos e as ilustrações de Zuenir Ventura ultrapassam a narrativa jornalística cotidiana, tornando o texto passível de ser lido outras vezes. É importante frisar, aliás, que o autor conta a história utilizando os personagens centrais como condutores. Com isso, a cada perfil, o leitor tem a possibilidade de conhecer toda a história aos poucos, num ritmo envolvente e estimulante.

É assim que ele conta a história de três personagens fundamentais: Chico Mendes, o garoto Genésio e o juiz Adair Longuini. Do seringueiro, o leitor conhece a história e seus ideais, aproveitando sempre o que era contado pelos amigos e pelos desafetos - que tornar-se-iam seus assassinos. Sobre Genésio, principal testemunha do assassinato, descobre a coragem, que contrasta com o medo, ao denunciar as pessoas que ora o ameaçavam de morte. E quanto ao juiz Adair Longuini, as palavras de Zuenir Ventura não poderiam ser mais enfáticas: "Quatro dias depois de começado, o julgamento que atraíra a atenção do país e do mundo chegava ao final de maneira impecável graças a Longuini, a única unanimidade a unir acusação e defesa." Ao final deste capítulo ("Um juiz de direito"), Zuenir completa: "Depois do julgamento em Xapuri - que, talvez pela primeira vez, condenou um mandante - outra justiça precisa ser feita: um país que é capaz de juntar numa mesma história Chico Mendes, o garoto Genésio e o juiz Adair Longuini é um país que pode ter conserto."

A apuração da reportagem não fica devendo em nada ao estilo do texto. Pelo contrário. Os elementos do bom jornalismo são respeitados em todos os momentos. Isto é, o leitor não percebe, ao longo da reportagem, qualquer tipo de contaminação ideológica na obra de Zuenir Ventura. Tampouco há qualquer imprecisão nos relatos: tanto os aliados de Chico Mendes quanto os que se defendiam das acusações tiveram suas versões apresentadas nos textos. Afora isso, pelo fato de se tratar de uma reportagem de um assassinato a sangue-frio de um líder popular, existe uma tendência a crer que o texto será enviesado, privilegiando, neste caso, o perfil de um Chico Mendes imaculado. Entretanto, o livro surpreende por traçar um retrato sóbrio do seringueiro.

Exemplo disso aparece na última parte do livro, quando o repórter retorna ao Acre quinze anos depois da morte de Chico Mendes: "Com todas as pessoas que entrevistei ou com quem conversei, levantei a questão. Queria saber até que ponto permanecia viva a memória de Chico quinze anos depois de sua morte. Como nesse terreno só se pode trabalhar com impressões, a minha é que sua presença na vida e no imaginário dos acreanos não seria tão forte quanto é se ele ainda estivesse vivo. Faz bem à imagem dos heróis morrer cedo. Que o diga Che Guevara, que provavelmente acabaria como Fidel se não tivesse ido embora antes." Adiante, o autor ainda acrescenta: "Vê-lo com seus possíveis defeitos faz menos mal do que reverenciá-lo como mito. Ele não precisa ser endeusado para se descobrir que foi extraordinário líder."

Além disso, Zuenir revela as diferenças encontradas nas cidades de Rio Branco e de Xapuri depois de tantos anos. Sobre a primeira, interpreta as palavras de um cronista acreano:"Rio Branco já tem direito até a nostalgia bucólica. Há quem reclame do progresso, 'dos carrinhos de supermercado em detrimento de carregar sacolas pelo velho mercado central'. O lamento é de um cronista local: 'O acreano de hoje faz rodinha em nossos arremedos de shopping, freqüenta com prazer as pizzarias, boates e outros bunkers da moda, com a mesma desenvoltura que paulistas e cariocas trafegam por sua selva de pedra, tão contrária à nossa'". Em Xapuri, é o próprio autor que assinala as mudanças: O mais inesperado ocorreu na chegada. Antes de ir para o hotel, resolvemos dar um pulo ao centro para assistir a um anunciado comício ou festa, não sabíamos bem. Na realidade, era uma passeata. Sim, uma passeata, ou melhor, um: 'Manifesto pela paz'. Em pequena escala, parecia repetição do que eu vivera semanas antes em Copacabana". Com efeito, este último trecho do livro apresenta trechos que vão além das descrições geográficas.

No posfácio, o também jornalista Marcos Sá Correa escreve contando o "making of" da reportagem. Confirma, entre outras coisas, o que o leitor que chegar ao cabo do livro já saberá: somente um dos melhores jornalistas de nosso tempo poderia ser capaz de reportar comme il faut uma história dessa importância e com tanta profundidade, uma verdadeira aventura da reportagem.

Para ir além






Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 30/3/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Para entender os protestos e o momento histórico de Julio Daio Borges
02. Dois Escritores Húngaros de Ricardo de Mattos
03. Recortes da paisagem: a fotografia de Rei Santos de Jardel Dias Cavalcanti
04. Quentin Tarantino: violência e humor de Maurício Dias
05. Talvez... de André Pires


Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso em 2004
01. Desonra, por J.M. Coetzee - 21/12/2004
02. Teoria da Conspiração - 10/2/2004
03. Cem anos de música do cinema - 8/6/2004
04. Eleições Americanas – fatos e versões - 9/11/2004
05. Música instrumental brasileira - 12/10/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/4/2004
19h50min
Fábio - a qualidade do seu texto está excelente. Gosto do seue estilo. Uma curiosidade: a fazendo em que Chico Mendes nasceu, em Xapuri, era - ainda é, se não me engano - de um tio meu. Ele era lá um líder muito pouco expressivo - não conseguiu nem se eleger vereador da currutela. A importância do seu assassinato foi exgerada, por motivos discretos de jornalistas internacionais. Abração - Eduardo
[Leia outros Comentários de Eduardo]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




LOS ANGELES
MARIAN KEYES; RENATO MOTTA
BERTRAND BRASIL
(2007)
R$ 8,00



HISTÓRIA DO BRASIL
FRANCISCO DE A. SILVA / PEDRO IVO DE ASSIS BASTOS
MODERNA
(1979)
R$ 9,00



O AZULEJO EM PORTUGAL NO SÉCULO XX
ANA MARIA RODRIGUES/COMISSÃO NACIONAL
INAPA
(2000)
R$ 165,00
+ frete grátis



THE FOREIGNER
MEG CASTALDO
POCKET BOOKS
(2001)
R$ 36,28



FIVE ONE HUNDRED STAR AMERICAN FOLK MASTERPIECES ART
JEAN LIPMAN & ROBERT BISHOP & ELIZABETH WAR
HARRY N ABRAMS
(1990)
R$ 60,00
+ frete grátis



A REVISTA - EDIÇÃO ESPECIAL Nº 3 - CUT - 1983-2003 - VINTE ANOS
CUT
TAKANO
(2003)
R$ 49,90



O VOCABULARIO DA POLITICA
CARLOS LARANJEIRA
C3 ARTE IMPRENSA E PROPAGANDA
R$ 6,82



IRACEMA UBIRAJARA
JOSÉ DE ALENCAR
EDIGRAF
R$ 5,00



O POVO O PODER
MANUEL CORREIA DE ANDRADE
OFICINA DE LIVROS
(1991)
R$ 6,90



ROBOCOP. ADAPTAÇÃO OFICIAL DO FILME
EDWARD NEUMEIER & MICHAEL MINER
ABRIL JOVEM
(1991)
R$ 10,00





busca | avançada
71522 visitas/dia
1,4 milhão/mês