Onde os fracos têm vez | Luiz Rebinski Junior | Digestivo Cultural

busca | avançada
14031 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 3/4/2008
Onde os fracos têm vez
Luiz Rebinski Junior

+ de 2500 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Ao refletir sobre o fazer literário em O escritor e seus fantasmas, o argentino Ernesto Sabato diz que "a literatura não é um passatempo nem uma evasão, mas uma maneira ― talvez a mais completa e profunda ― de examinar a condição humana". Seja em maior ou menor grau, todo escritor está sempre questionando os valores que aparentemente dão sentido à vida e tentando entender o absurdo da existência.

Na seleta lista de escritores que dedicaram a vida a entender a complexidade humana, com certeza Samuel Beckett (1906-1989) é um nome de destaque. Conhecido por sua obra teatral, principalmente pelo clássico Esperando Godot, Beckett acaba de ganhar uma nova e caprichada edição de seu romance Molloy (Editora Globo, 2008, 264 págs). O livro faz parte da chamada "trilogia do pós-guerra", que inclui ainda Malone Morre e O Inominável, e traz o mesmo pessimismo sombrio de seus escritos dramáticos.

Publicado em 1951 ― um ano antes de Esperando Godot, peça que ofuscaria sua produção romanesca ―, Molloy vai fundo na idéia de que a linguagem é incapaz de dar conta da realidade. Tal conceito permeará toda a obra de Beckett e se tornará uma espécie de marca de sua literatura, seja no romance ou no teatro. A essa anti-linguagem, cheia de cortes abruptos, parágrafos intermináveis e elipses, Beckett adiciona personagens desgraçados, sem destino e que vagam em torno de suas próprias elucubrações e sonhos.

A incerteza crônica que arrebata os personagens sustentará a negação de uma linguagem real e minimamente linear, o que fica logo evidente no primeiro parágrafo do livro, quando Molloy, o narrador-personagem, encontra-se na cama de sua mãe, mas não sabe exatamente como e quando chegou ali ― o mote inicial remete de imediato ao outro título da trilogia, Malone Morre, também publicado em 1951, em que o personagem principal, um velho decrépito da mesma linhagem de Molloy, agoniza em uma cama entre pensamentos oníricos e devaneios.

"Estou no quarto de minha mãe. Sou eu que moro lá agora. Não sei como cheguei lá. Numa ambulância talvez, num veículo qualquer certamente. Me ajudaram. Sozinho não teria chegado. Esse homem que vem toda semana, é talvez graças a ele que estou aqui. Ele diz que não."

Esse é o ponto de partida para que, em uma narrativa desconexa e cheia de idas e vindas, Molloy tente entender a sua própria condição. No romance não há definição de tempo/espaço: Molloy está enfermo no quarto de sua mãe, em seguida vaga com sua bicicleta, é preso, desacata uma assistente social que tenta lhe amparar e manca sem destino com suas inseparáveis muletas.

Os cortes narrativos são abruptos e inesperados, mas atuam, sempre, como parte da anti-linguagem empreendida por Beckett. As pequenas histórias que entrecortam a narrativa desaparecem com a mesma facilidade que começam a serem contadas. Dono de uma prosa incomum, cheia de ruídos, Beckett aparentemente é um escritor hermético e sombrio, o que em grande parte é verdadeiro. Mas é também um autor atraente, que convida o leitor a fazer parte dos delírios de seus personagens, mais ou menos como Cortázar faz em seus contos.

Ler Beckett é, antes de tudo, fazer escolhas: pode-se desistir da narrativa dura e tortuosa aos primeiros percalços ou abraçá-la, entrando de cabeça no espiral de acontecimentos que os monólogos "beckettianos" sugerem. A quem decidir encarar o texto há uma recompensa intelectual imensurável que, assim como na narrativa de Beckett, a linguagem pura e simples não dá conta de explicar.

Assim como em Esperando Godot, em que dois homens esperam (sem saber o porquê) pelo personagem do título da peça, em Molloy o caráter enigmático do texto também atrai. E a segunda parte do livro aguça ainda mais a dúvida do leitor. Narrado agora por um homem chamado Moran, que tem a incumbência de achar e vigiar Molloy, o livro adquire um tom bem mais ameno do ponto de vista da linearidade dos fatos. Mas é algo que não perdura. Logo a narrativa ganha contornos inusitados e o aparentemente sóbrio Moran perde-se na tentativa de encontrar (ainda que não saiba como) Molloy.

Em um dos trechos da segunda seção, ao descrever um visitante que chega a seu acampamento, Moran diz: "Vou ser obrigado a descrevê-lo sucintamente, embora isso seja contra os meus princípios". Aí não é Moran quem fala, mas sim um Beckett satírico que desdenha as formas de linguagem tradicionais.

As duas partes do livro, aparentemente sem muita conexão lógica, deram margem para que surgissem várias hipóteses sobre a relação entre Molloy e Moran. No entanto, no ótimo prefácio que acompanha a edição, a tradutora Ana Helena Souza, citando Wolfgang Iser, adverte que "querer que citações mais ou menos claras de Homero e Dante, Descartes e seu discípulo belga Geulincx, entre outros, possam indicar um caminho único ou privilegiado para a leitura do livro, é incorrer em erro equivalente ao de querer ver em Moran e Molloy o mesmo personagem".

Assim como Kafka, um judeu nascido na República Tcheca que escrevia em alemão, Beckett foi um homem sem lugar no mundo. Irlandês, escreveu seus primeiros trabalhos em inglês para depois adotar o francês como língua preferencial. Como a literatura de Franz Kafka, os escritos de Beckett estão impregnados por esse sentimento de estranheza. Escritor inserido no contexto do pós-guerra, Beckett fala sobre um mundo destroçado, em que não há mais ilusões e onde a arte talvez seja o único caminho a trilhar em meio ao caos e a escuridão. Daí Beckett ser uma fonte inesgotável de personagens solitários, imersos em crises que arrebatam a alma e o corpo. Beckett não é importante por ser um escritor que "escreve bem" ― pelo menos não no sentido mais raso que a expressão pode sugerir. O que atrai em Beckett é a incomunicabilidade de seus diálogos, a angústia de seus personagens e o niilismo crônico que, por mais contraditório que pareça, sugere um fio de esperança ao leitor. Molloy revela um pouco de tudo o que Beckett escreveu, um escritor polifônico que trafegou pelo romance, teatro, ensaio, poesia e até pela improvável televisão.

Para ir além






Luiz Rebinski Junior
Curitiba, 3/4/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Super-heróis ou vilões? de Cassionei Niches Petry
02. Srta Peregrine e suas crianças peculiares de Ricardo de Mattos
03. Diálogos no Escuro de Heloisa Pait
04. A escrita boxeur de Marcelo Mirisola de Jardel Dias Cavalcanti
05. Viagem através da estepe de Celso A. Uequed Pitol


Mais Luiz Rebinski Junior
Mais Acessadas de Luiz Rebinski Junior em 2008
01. O jornalismo cultural no Brasil - 2/1/2008
02. Bukowski e as boas histórias - 15/10/2008
03. Despindo o Sargento Pimenta - 16/7/2008
04. O óbvio ululante da crônica esportiva - 27/8/2008
05. Dobradinha pernambucana - 23/1/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
10/4/2008
12h14min
Magnífica a sua descrição. Parabéns! Quando observamos a frase dita por Ernesto Sabato ("a literatura não é um passatempo nem uma evasão, mas uma maneira - talvez a mais completa e profunda - de examinar a condição humana"), ele está totalmente certo; e cabe lembrar que a contribuição da mulher, e também das minorias, para a literatura já pode ser observada. Escrever sobre uma coisa é mais fácil do que aplicá-la, e a aplicação de um princípio literário é particularmente difícil quando o corpo da literatura está constante e rapidamente engrandecendo.
[Leia outros Comentários de Milton Laene Araujo]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COMO ENFRENTAR A ASMA E OUTRAS ALERGIAS
LAIN PONTES DE CARVALHO
JOSÉ OLYMPIO
(1971)
R$ 7,90



ARTE-EDUCAÇÃO NO BRASIL - 7ª EDIÇÃO
ANA MAE BARBOSA
PERSPECTIVA
(2012)
R$ 30,95



SHANGRILÁ 2 - MULHER IMORTAL - CAPA DURA
IRVING STONE
EDART
(1962)
R$ 7,00



REDE DE SABERES DIFERENTES PRÁTICAS E NOVOS SABERES NA FORMAÇÃO DOCENTE
CARLA MARIA KIRILOS MATTAR DE OLIVEIRA (ORG)
NEW HAMPTON PRESS
(2006)
R$ 50,00



OS SENSOS INCOMUNS, CONTOS
MARIA ISABEL BARRENO
CAMINHO
(1993)
R$ 31,26



ROMEU E JULIETA
WILLIAM SHAKESPEARE
MARTIN CLARET
(2007)
R$ 7,90



LA REINA EN EL PALACIO DE LAS CORRINTES DE AIRE
STIEG LARSSON
DESTINO
(2009)
R$ 60,00



PROCESSO DE EXECUÇÃO E CAUTELAR 12
MARCUS VINICIUS RIOS GONÇALVES
SARAIVA
(2003)
R$ 7,00



COMENTÁRIOS À CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DAS LEIS DO TRABALHO
VALENTIN CARRION
ED. SARAIVA
(2002)
R$ 5,00



EDUCAÇÃO FÍSICA MUNDIAL - CAPACIDADE AERÓBICA 2
KENNETH H COOPER
AGIR
R$ 10,00





busca | avançada
14031 visitas/dia
1,2 milhão/mês