A Palavra Mágica | Marilia Mota Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
56607 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> FAAP discute Semana de Arte Moderna de 22
>>> Toda Quinta retoma 1ª edição no Teatro Vivo com menção a Dominguinhos
>>> ENSINAR A FAZER - MARCENARIA
>>> O Peso do Pássaro Morto faz duas sessões online dias 30 e 31/10
>>> Exposição recupera a memória da ditadura brasileira
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
Últimos Posts
>>> Mundo Brasil
>>> Anônimos
>>> Eu tu eles
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Meu primeiro computador pessoal
>>> Um homem de Oz
>>> 12 de Junho #digestivo10anos
>>> crônica - ou ensaio - à la hatoum
>>> Prenda-me se for capaz
>>> Sobre futebol e hinos nacionais
>>> Zeitgeist
>>> Capacidade de expressão X capacidade linguística
>>> Silêncio e grito
>>> Sejam Bem-Vindos
Mais Recentes
>>> Os fundamentos Históricos da Pedagogia Espírita de Pinheiro Martins pela Léon Denis (1967)
>>> Esculpindo o próprio destino de André Luiz Ruiz pela Ide (2008)
>>> Seara Vermelha de Jorge Amado pela Martins (1968)
>>> Espiritualismo cientifico a vida fora da matéria de Espiritualismo cientifico a vida fora da matéria pela Sem
>>> Manual de Direito dos Homossexuais de Cláudia Thomé Toni pela Srs (2008)
>>> Os Segredos da Grande Pirâmide de João Medeiros pela Ediouro (1986)
>>> Os Segredos da Grande Pirâmide de João Medeiros pela Ediouro (1986)
>>> Heróis de verdade de Roberto T. Shinyashiki pela Gente (2005)
>>> Almas gêmeas reecarnação de Luanda kaly pela Madras
>>> Espiritismo básico de Pedro Franco Barbosa pela Feb (1987)
>>> Em busca do mestre de Vinícius pela Feesp
>>> O Sistema de Pietro Ubaldi pela Fundapu (1984)
>>> Exilados por amor de Sandra Carneiro pela VivaLuz (2010)
>>> Os homens sempre voltam de Penélope parker pela L&Pm Editores (2008)
>>> A pessoa certa de Kathy Freston pela Fontanar (2010)
>>> Malungos na Escola Questões Sobre Culturas Afrodescendentes e Educação de Edmilson de Almeida Pereira pela Paulinas (2007)
>>> Desenvolvimento e crise no brasil 1930 1983 de Luiz carlos bresser pereira pela Brasiliense (1968)
>>> Observações sobre Édipo e observações sobre Antígona de Hölderkin & Beaufret pela Zahar (2008)
>>> Quem tem medo de envelhecer de Magdalena léa pela Record (1983)
>>> A coragem de mudar de José augusto de morais pela Record (1996)
>>> de Lynette Lucas pela Record (1989)
>>> Um só coração de Oneida terra pela Boa Nova (1999)
>>> Reflexões de Conversando com Deus de Neale Donald Walsch pela Ediouro (2006)
>>> A lei da atração para a vida o amor e a felicidade de Debbie frank pela Larousse (2008)
>>> Auto da barca do inferno de Gil Vicente pela Ateliê Editorial (2014)
COLUNAS

Quarta-feira, 4/12/2013
A Palavra Mágica
Marilia Mota Silva

+ de 3400 Acessos

Existe uma palavra mágica que nos une a todos os brasileiros. Podemos divergir sobre muitos assuntos, mas somos unânimes na fé e reverência a esse ícone.

Em conversas no trabalho, ou nas filas onde costumamos gastar horas perdidas, há sempre um momento em que as pessoas extravazam sua indignação e reclamam de tudo, de todos os abusos que tornam a vida do cidadão comum, em nosso país, tão sofrida. Depois do desabafo, vem a procura dos culpados, da causa desse mal crônico que parece ter se alastrado por todas as células do nosso organismo. São os políticos, são as elites , são as leis, somos nós mesmos, é nossa história, nossa cultura? É tudo junto? E chega-se à conclusão aterradora: Não tem jeito, não temos cura. Mas é difícil aceitar isso! Nesse momento de amargura, alguém desfralda a palavra mágica, a bandeira da salvação, que brilha como o sinal luminoso de Saída, em labirinto escuro: Educação!

Educados, saberemos escolher deputados e senadores que nos representem, de fato. Saberemos eleger Presidentes, Governadores e Prefeitos idôneos e competentes. Seremos uma nação sem miséria, sem crueldade, sem diferenças sociais agudas, com pessoas capazes e de boa-vontade nos cargos para os quais os elegemos. Seremos respeitados como gente e cidadãos.

Dito isso, a conversa se esvazia. Se vamos alcançar esse patamar, como e quando, são decisões que vem "de cima". Sendo assim, nem sequer nos perguntamos, por exemplo, que educação seria essa capaz desses milagres. Que educação nos levaria a esse salto de qualidade tão sonhado? A formação de crianças com capacidade de pensar, de resolver problemas? Ou o foco estaria no desenvolvimento emocional, da empatia, da civilidade, da vida em comunidade? Ou seria uma educação pragmática, adaptada à vida em cada região, que preparasse os jovens para o mercado de trabalho? Mas, antes de tudo, seria preciso pensar na parte essencial da equação: o professor, suas condições de trabalho, salário, treinamento e valorização.

A lista dos "seria preciso" é desanimadora, a tarefa parece impossível, ainda mais num país tão grande como o nosso. E assim deixamos o assunto para um futuro incerto: Quem sabe, um dia?

A não ser que um fato novo nos permitisse cuidar do funcionamento e da qualidade das escolas, com recursos e parâmetros impensáveis até há poucos anos; que nos permitisse levar o ensino de alta qualidade não apenas aos centros urbanos, mas a todo o país, às pequenas comunidades, às vilas remotas; e não apenas às crianças, mas a qualquer pessoa que quisesse aprender sobre qualquer assunto. É possível, esse recurso existe.

Os cursos online, especialmente os MOOCs dão uma ideia do que é possível fazer pela educação com a tecnologia acessível a todos os países.

MOOC é a sigla para Massive Open Online Course. Carla Ceres já escreveu sobre eles aqui no Digestivo. Vale conferir. São cursos de alta qualidade abertos para todo mundo. Não há pré-requisito nem burocracia. É de graça e fácil de acessar. São bem planejados, com aulas em videos e material de leitura.

No curso que fiz agora, em um dos fóruns, um aluno perguntou qual a língua nativa dos participantes. As respostas começaram a surgir na tela: russo, farsi, sueco, chinês, tibetano, português, (havia um bom número de brasileiros) idiomas cujos nomes nos são familiares entre outros que me soaram exóticos porque eu ignorava sua existência: igbo, ojibway, gujarati, tamil, telugo, marathi, youruba. Éramos mais de nove mil alunos em uma sala de aula do tamanho do mundo; acima de todas as diferenças, religiões, fronteiras, de tudo o que nos impede e separa.

Não por acaso, esses cursos estão se alastrando. O cardápio oferecido cobre todas as áreas, todos os sonhos. Quem pode medir o impacto que isso terá, a médio prazo?

A educação é a chave para uma vida melhor, parece que há um consenso sobre isso. Temos visto o salto em desenvolvimento e bem-estar social que países que investiram seriamente em educação deram, em poucos anos.

Os MOOCs nos mostram como se tornou fácil, hoje, com um investimento pequeno, em capital e tempo, proporcionar uma educacao de alta qualidade, para o mundo inteiro. Nos MOOCs existentes até agora, o único problema é que é preciso saber bem o inglês. Mas nada impede que outros países façam o mesmo: desenvolvam sistemas parecidos, em seu idioma.

É provável que as universidades federais e estaduais no Brasil, assim como as particulares, já estejam nessa trilha, se reunindo para criar um site como o Coursera, que congrega dezenas de faculdades de países de língua inglesa e continua ganhando a adesão de novas universidades. Em nosso caso, seria uma boa forma de unir a comunidade de países de língua portuguesa e fortalecer a presença do idioma e do País. À medida que o Brasil abre-se para o mundo, aumenta o interesse em aprender o português, como acontece na China, atualmente.

Quanto à conexão da internet, os dados, se confiáveis, indicam que estamos em boa situação. Segundo o Ibope Media, o Brasil é o quinto país mais conectado; 92 milhões tem acesso à rede. Esses dados são de dezembro de 2012. O Plano Nacional da Banda Larga, do governo federal, prometia cem mil novos telecentros, até 2014. Já devem estar funcionando. E há iniciativas privadas como a ONG Gemas da Terra que, desde 1998, tem levado a internet às comunidades afastadas dos grandes centros.

Mas é na educação das crianças e jovens que o emprego desse recurso pode ser mais eficaz e transformador . Uma escola nos Estados Unidos começou a fazer essa experiência, e os resultados tem sido muito bons. A proposta é inverter o que se tem praticado até hoje.

Os alunos assistem às aulas em casa, no computador. No dia seguinte, na escola, eles fazem o dever de casa, trabalham em grupos, fazem projetos, assistidos pelo professor.

Os videos, o material de leitura, os testes e exercícios são preparados uma vez só, pelos professores mais qualificados do país (ou de cada Estado, para aulas de interesse local). Essas aulas servirão de base para o treinamento dos professores, já que eles deverão estar aptos a esclarecer as dúvidas dos alunos, ajudando-os com os exercícios e projetos de escola.

A tecnologia, usada dessa forma, poupa os professores do desgaste de repetir aulas, em várias classes, ano após ano. Não tira seus empregos nem afasta as crianças do convívio com os colegas.

A interação individualizada entre professor e aluno atenderia melhor os mais tímidos e os que tivessem mais dificuldades.

No artigo lincado acima, um professor comenta que fez um vídeo, postado no Youtube, sobre concordância entre sujeito e verbo, que foi visto 54 mil vezes. Ele nunca poderia ter atingido tantas pessoas em uma vida inteira dando aulas. E os alunos preferem as aulas em vídeo porque podem assisti-las mais de uma vez se for preciso.

Se esses MOOCs, sem alarde nem grandes investimentos, e sem esperar por decisões de governo, estão dando educação de graça e de alta qualidade, em todas as áreas do conhecimento, para o mundo inteiro, deve haver um jeito de nós, brasileiros, usarmos essa tecnologia para enfrentar o problema da educação em nosso país, que ainda se encontra entre as piores do mundo.



Marilia Mota Silva
Washington, 4/12/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Millôr Fernandes, o gênio do caos de Diogo Salles
02. Livros, brinquedos, bichos de estimação e imagens de Marcelo Spalding
03. Um brasileiro no Uzbequistão (VII) de Arcano9


Mais Marilia Mota Silva
Mais Acessadas de Marilia Mota Silva em 2013
01. Amor (in)Condicional - 5/6/2013
02. Quatro autores e um sentimento do mundo - 10/4/2013
03. O Precioso Livro da Miriam - 20/2/2013
04. De olho em você - 1/5/2013
05. O Nome Dele - 7/8/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Gauguin - Col. Gênios da Arte
Mathias de Abreu Lima Fº (trad.)
Girassol
(2007)



O Casamento da Viúva-negra
Manuel Filho
Prumo
(2010)



Toda Sua
Sylvia Day
Paralela
(2012)



Um Certo Capitão Rodrigo
Erico Veríssimo
Edibolso



Neurótica - Autores Judeus escrevem sobre sexo
Melvin Jules Bukiet (org.)
Imago
(2001)



Amor e Cuba-libre
Álvaro Cardoso Gomes
Ftd
(1999)



Deltora Quest 2 - a Ilha da Ilusão
Emily Rodda
Fundamento
(2006)



O homem do furo na mão
Ignácio de Loyola Brandão
Ática
(1987)



Comédia Em Tom Menor
Hans Keilson
Companhia das Letras
(2011)



Guinness World Records 2010 - o Livro da Década
Guinness Publishing
Ediouro
(2009)





busca | avançada
56607 visitas/dia
1,8 milhão/mês