A Palavra Mágica | Marilia Mota Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
83267 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Zeca Camargo participa de webserie sobre produção sustentável de alimentos
>>> Valéria Chociai é uma das coautoras do novo livro Metamorfoses da Maturidade
>>> Edital seleciona 30 participantes do país para produção de vídeos sobre a infância
>>> Joca Andreazza dirige leitura de Auto da Barca de Camiri na série 8X HILDA
>>> Concerto Sinos da Primavera
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Janelário
>>> A vida é
>>> (...!)
>>> Notívagos
>>> Sou rosa do deserto
>>> Os Doidivanas: temporada começa com “O Protesto”
>>> Zé ninguém
>>> Também no Rio - Ao Pe. Júlio Lancellotti
>>> Sementinas
>>> Lima nova da velha fome
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Pesquisa e blog discutem "Marca Amazônia"
>>> Vida e morte do Correio da Manhã
>>> O site de Dorival Caymmi
>>> Entrevista à revista Capitu
>>> Figuras de linguagem e a escrita criativa
>>> Arte e Poupança
>>> Entrevista com Paulo Polzonoff Jr.
>>> A Marcha da Família: hoje e em 1964
>>> A escola está acabando
Mais Recentes
>>> Civilização e Doença de Henry Sigetist pela Hucitec (2011)
>>> Amor de Perdição de Camilo Castelo Branco pela Atica
>>> Grandes Histórias de Halloween de Walt Disney pela Abril (2014)
>>> Transmissão do Calor de Renato Salmoni pela Mestre Jou (1966)
>>> A Estetica da Morte de Salomão Jorgf pela Saraiva (1964)
>>> O Pato Donald Xxiv Nº 1. 150 de Abril pela Abril (1973)
>>> Glossário de Dificuldades de Zelio Jota pela Fundo de Cultura (1962)
>>> Valsa Negra de Patricia Melo pela Companhia das Letras (1998)
>>> Principios de Gerencia por objetivos de Paul Mali pela Pallas (1976)
>>> Amanhecer de Stephenie Meyer; Ryta Vinagre pela Intrinseca (2009)
>>> O papel do trabalho na transformação do macaco em homem de F. Engels pela Global (1986)
>>> O Socialismo Pré-marxista de Babeuf Blanqui Fourier Saint-Simon pela Global (1980)
>>> 6º Alvo de James Patterson e Maxine Paetro pela Arqueiro (2012)
>>> Uncharted o Quarto Labirinto de Christopher Golden pela Benvirá (2012)
>>> Alice no País dos Enigmas Vol 1- 60 Jogos e Desafios de R. W. Galland pela Coquetel
>>> 551 atividades: Diversão que não acaba de Waldomiro Neto pela Culturama (2016)
>>> Os Anjos Também Choram de Elzira Ribeiro de Almeida pela São Cristóvão (2005)
>>> Quarup de Antônio Callado pela Circulo do Livro
>>> As Vantagens de Ser Otimista de Allan Percy pela Sextante (2014)
>>> A Turma do Arrepio Nº 22 de Globo pela Globo (1991)
>>> Mundo do Terror Nº 12- Monstro Humano de Press Editorial pela Press Editorial (1987)
>>> Elogio da Mentria de Patricia Melo pela Companhia das Letras (1998)
>>> O Chefão - a Verdade Sobre a Máfia de Mário Puzo pela Expressão e Cultura (1970)
>>> Vigiar e Punir de Michel Foucault pela Vozes (1999)
>>> Uma Constelação de Fenômenos Vitais de Anthony Marra pela Intrinseca (2014)
COLUNAS

Quarta-feira, 4/12/2013
A Palavra Mágica
Marilia Mota Silva

+ de 3200 Acessos

Existe uma palavra mágica que nos une a todos os brasileiros. Podemos divergir sobre muitos assuntos, mas somos unânimes na fé e reverência a esse ícone.

Em conversas no trabalho, ou nas filas onde costumamos gastar horas perdidas, há sempre um momento em que as pessoas extravazam sua indignação e reclamam de tudo, de todos os abusos que tornam a vida do cidadão comum, em nosso país, tão sofrida. Depois do desabafo, vem a procura dos culpados, da causa desse mal crônico que parece ter se alastrado por todas as células do nosso organismo. São os políticos, são as elites , são as leis, somos nós mesmos, é nossa história, nossa cultura? É tudo junto? E chega-se à conclusão aterradora: Não tem jeito, não temos cura. Mas é difícil aceitar isso! Nesse momento de amargura, alguém desfralda a palavra mágica, a bandeira da salvação, que brilha como o sinal luminoso de Saída, em labirinto escuro: Educação!

Educados, saberemos escolher deputados e senadores que nos representem, de fato. Saberemos eleger Presidentes, Governadores e Prefeitos idôneos e competentes. Seremos uma nação sem miséria, sem crueldade, sem diferenças sociais agudas, com pessoas capazes e de boa-vontade nos cargos para os quais os elegemos. Seremos respeitados como gente e cidadãos.

Dito isso, a conversa se esvazia. Se vamos alcançar esse patamar, como e quando, são decisões que vem "de cima". Sendo assim, nem sequer nos perguntamos, por exemplo, que educação seria essa capaz desses milagres. Que educação nos levaria a esse salto de qualidade tão sonhado? A formação de crianças com capacidade de pensar, de resolver problemas? Ou o foco estaria no desenvolvimento emocional, da empatia, da civilidade, da vida em comunidade? Ou seria uma educação pragmática, adaptada à vida em cada região, que preparasse os jovens para o mercado de trabalho? Mas, antes de tudo, seria preciso pensar na parte essencial da equação: o professor, suas condições de trabalho, salário, treinamento e valorização.

A lista dos "seria preciso" é desanimadora, a tarefa parece impossível, ainda mais num país tão grande como o nosso. E assim deixamos o assunto para um futuro incerto: Quem sabe, um dia?

A não ser que um fato novo nos permitisse cuidar do funcionamento e da qualidade das escolas, com recursos e parâmetros impensáveis até há poucos anos; que nos permitisse levar o ensino de alta qualidade não apenas aos centros urbanos, mas a todo o país, às pequenas comunidades, às vilas remotas; e não apenas às crianças, mas a qualquer pessoa que quisesse aprender sobre qualquer assunto. É possível, esse recurso existe.

Os cursos online, especialmente os MOOCs dão uma ideia do que é possível fazer pela educação com a tecnologia acessível a todos os países.

MOOC é a sigla para Massive Open Online Course. Carla Ceres já escreveu sobre eles aqui no Digestivo. Vale conferir. São cursos de alta qualidade abertos para todo mundo. Não há pré-requisito nem burocracia. É de graça e fácil de acessar. São bem planejados, com aulas em videos e material de leitura.

No curso que fiz agora, em um dos fóruns, um aluno perguntou qual a língua nativa dos participantes. As respostas começaram a surgir na tela: russo, farsi, sueco, chinês, tibetano, português, (havia um bom número de brasileiros) idiomas cujos nomes nos são familiares entre outros que me soaram exóticos porque eu ignorava sua existência: igbo, ojibway, gujarati, tamil, telugo, marathi, youruba. Éramos mais de nove mil alunos em uma sala de aula do tamanho do mundo; acima de todas as diferenças, religiões, fronteiras, de tudo o que nos impede e separa.

Não por acaso, esses cursos estão se alastrando. O cardápio oferecido cobre todas as áreas, todos os sonhos. Quem pode medir o impacto que isso terá, a médio prazo?

A educação é a chave para uma vida melhor, parece que há um consenso sobre isso. Temos visto o salto em desenvolvimento e bem-estar social que países que investiram seriamente em educação deram, em poucos anos.

Os MOOCs nos mostram como se tornou fácil, hoje, com um investimento pequeno, em capital e tempo, proporcionar uma educacao de alta qualidade, para o mundo inteiro. Nos MOOCs existentes até agora, o único problema é que é preciso saber bem o inglês. Mas nada impede que outros países façam o mesmo: desenvolvam sistemas parecidos, em seu idioma.

É provável que as universidades federais e estaduais no Brasil, assim como as particulares, já estejam nessa trilha, se reunindo para criar um site como o Coursera, que congrega dezenas de faculdades de países de língua inglesa e continua ganhando a adesão de novas universidades. Em nosso caso, seria uma boa forma de unir a comunidade de países de língua portuguesa e fortalecer a presença do idioma e do País. À medida que o Brasil abre-se para o mundo, aumenta o interesse em aprender o português, como acontece na China, atualmente.

Quanto à conexão da internet, os dados, se confiáveis, indicam que estamos em boa situação. Segundo o Ibope Media, o Brasil é o quinto país mais conectado; 92 milhões tem acesso à rede. Esses dados são de dezembro de 2012. O Plano Nacional da Banda Larga, do governo federal, prometia cem mil novos telecentros, até 2014. Já devem estar funcionando. E há iniciativas privadas como a ONG Gemas da Terra que, desde 1998, tem levado a internet às comunidades afastadas dos grandes centros.

Mas é na educação das crianças e jovens que o emprego desse recurso pode ser mais eficaz e transformador . Uma escola nos Estados Unidos começou a fazer essa experiência, e os resultados tem sido muito bons. A proposta é inverter o que se tem praticado até hoje.

Os alunos assistem às aulas em casa, no computador. No dia seguinte, na escola, eles fazem o dever de casa, trabalham em grupos, fazem projetos, assistidos pelo professor.

Os videos, o material de leitura, os testes e exercícios são preparados uma vez só, pelos professores mais qualificados do país (ou de cada Estado, para aulas de interesse local). Essas aulas servirão de base para o treinamento dos professores, já que eles deverão estar aptos a esclarecer as dúvidas dos alunos, ajudando-os com os exercícios e projetos de escola.

A tecnologia, usada dessa forma, poupa os professores do desgaste de repetir aulas, em várias classes, ano após ano. Não tira seus empregos nem afasta as crianças do convívio com os colegas.

A interação individualizada entre professor e aluno atenderia melhor os mais tímidos e os que tivessem mais dificuldades.

No artigo lincado acima, um professor comenta que fez um vídeo, postado no Youtube, sobre concordância entre sujeito e verbo, que foi visto 54 mil vezes. Ele nunca poderia ter atingido tantas pessoas em uma vida inteira dando aulas. E os alunos preferem as aulas em vídeo porque podem assisti-las mais de uma vez se for preciso.

Se esses MOOCs, sem alarde nem grandes investimentos, e sem esperar por decisões de governo, estão dando educação de graça e de alta qualidade, em todas as áreas do conhecimento, para o mundo inteiro, deve haver um jeito de nós, brasileiros, usarmos essa tecnologia para enfrentar o problema da educação em nosso país, que ainda se encontra entre as piores do mundo.



Marilia Mota Silva
Washington, 4/12/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Senhor Amadeu de Ana Elisa Ribeiro
02. Apresentação - Luís Fernando Amâncio de Luís Fernando Amâncio
03. Guilherme Carvalhal de Guilherme Carvalhal
04. Paixões e baratas de Elisa Andrade Buzzo
05. Tebow é Fé de Daniel Bushatsky


Mais Marilia Mota Silva
Mais Acessadas de Marilia Mota Silva em 2013
01. Amor (in)Condicional - 5/6/2013
02. Quatro autores e um sentimento do mundo - 10/4/2013
03. O Precioso Livro da Miriam - 20/2/2013
04. De olho em você - 1/5/2013
05. O Nome Dele - 7/8/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Eragon
Christopher Paolini
Rocco
(2003)
R$ 12,00



A Pintura Flamenga e Holandesa da Fundação Medeiros Almeida
Realidade e Capricho Novembro 2008
Fundação Medeiros e Almeida
(2008)
R$ 19,28



A Pré História
Teófilo Torronteguy
Ftd
(1995)
R$ 5,00



Wish Vol I
Clamp
Jbc
(2009)
R$ 5,00



Nas Fronteiras Celestiais
Stanley Stewart
Publicações Europa América
(2000)
R$ 84,78



Eles eram muitos cavalos
Luiz Ruffato
Record
(2007)
R$ 21,90



Memórias Póstumas de Brás Cubas
Machado de Assis
Martin Claret
(2001)
R$ 24,30



O Campeão de Audiência
Walter Clark Com Gabriel Priolli
Best Seller
(1991)
R$ 19,90



Canadian Country Furniture 1675-1950
Michael S. Bird
Stoddart
(1994)
R$ 40,00



A história de Carmen Rodrigues
Ana Luiza Libânio
Literare Books International
(2012)
R$ 29,90





busca | avançada
83267 visitas/dia
2,3 milhões/mês