O Paciente Steve, de Sam Lipsyte | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
44867 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 23/9/2004
O Paciente Steve, de Sam Lipsyte
Ricardo de Mattos

+ de 4500 Acessos

"Nunca acontece de a literatura e o espírito de raciocínio se tornarem o patrimônio de toda uma nação sem que imediatamente se faça notar, na filosofia e nas belas-artes, o que se observa nos governos populares, nos quais não há puerilidade ou fantasia que não apareçam e não encontrem seguidores" (Marquês de Vauvenargues, Reflexões e Máximas, CCLXXI)

O Paciente Steve, escrito pelo nova-iorquino Sam Lipsyke, é mais um livro de crítica à superficial e consumista sociedade contemporânea. Não é uma obra grandiosa e talvez nem tenha vida muito longa. Contudo, além de rechear algumas horas com hilaridade histriônica, pode-se afirmar ser ele o que Fúria, de Salman Rushdie, poderia ter sido se fosse bem escrito.

Steve é um publicitário divorciado de 37 anos, pai da adolescente Fiona e autor de slogans famosos. Duas linhas definem-no e mesmo assim, no livro inteiro, ele é o único melhor apresentado. É o único a não deixar impressão de que escapou algum dado sobre sua personalidade. Se era intenção do autor prestigiar o vago, ele foi bem sucedido, pois os outros são obscuros, incertos, mal definidos. Ainda que variável o grau de indefinição, começa aqui a crítica a uma sociedade na qual se imagina conhecer as pessoas a partir de algumas poucas características exteriores, outras interiores mal inferidas e muitos dados fornecidos por terceiros de idoneidade questionável. Predomina o critério do "ouvi dizer", sempre aliado ao sigilo da fonte: Quem disse? É simplesmente incompreensível como as pessoas continuam com tanta superficialidade no conhecer e julgar as demais. Não percebem que isso apenas dissemina a desconfiança e aumenta a solidão, uma iguaria refinada que poucos têm paladar apurado o suficiente para apreciar.

O azar de Steve consistiu em cair sob os cuidados de dois charlatões ansiosos por notoriedade. Após alguns exames de rotina, os médicos - referidos no início somente como Mecânico e Filósofo - anunciaram a presença de certa doença desconhecida. Steve, pontificaram, um dia morrerá. Não se sabe quando, mas morrerá. Se um evidente embuste receber uma camada de seriedade e se tratado com o devido escândalo pela mídia, suas chances de adquirir credibilidade aumentam. Os dois requisitos são presentes no texto de Lipsyte. Primeiro o da seriedade: a doença é nomeada e descrita, bem como a imprensa solenemente convocada para uma entrevista coletiva. A "Síndrome Goldfarb-Blackstone Preparatória para a Extinção" - ou simplesmente PREXIS - caracteriza-se por ainda não possuir "causa identificável, o que não atenua sua fatalidade inquestionável. (...) Mas aqui está o complicador: ele vai morrer sem nenhuma razão conhecida. Talvez não hoje, talvez não amanhã, mas algum dia, irrevogavelmente. Ele pode não mostrar nenhum sinal disso ainda, mas mostrará, podem ter certeza". O segundo requisito, o do agitamento, tem lugar quando os médicos apresentam Steve como o único doente na cidade em estado terminal da PREXIS e permitem que repórteres mercenários divulguem as poucas e confusas informações.

"Doente em estado terminal" é uma expressão causadora de pânico. N'este mundo repleto de doenças gravíssimas, salta aos olhos a insensatez em se divulgar sem maior cuidado tal informação. Tanta irresponsabilidade, que em poucos anos a cidade foi assaltada por uma epidemia de PREXIS. Se o campo for fértil, a estupidez pode ter longo alcance e disseminar-se velozmente. Todo o calvário do personagem seria evitado se houvesse a honestidade inicial dos profissionais em dizê-lo apenas entediado. Aliás, já seria suficiente, pois o tédio é algo destrutivo. Na antiguidade mencionava-se o taedium vitae como resultado da existência ociosa e sem propósitos. É tarde quando, na entrevista coletiva, uma repórter conclui: "O senhor quer dizer que esse homem na verdade vai morrer de tédio?".

Condenado à morte pela Medicina, agonizando sem saber direito do que, Steve entrega-se àqueles que podem ser seus últimos prazeres. Alcançados todos os limites do seu cartão de crédito, gastas todas as suas reservas financeiras e abandonado por sua seguradora após realizar montes de exames, decide dar atenção ao folheto recebido de alguém, uma propaganda do "Centro de Recuperação e Redenção Leigas". Trata-se d'uma antiga simulação de acampamento de guerra para executivos, transformada em fossa para os dejetos humanos da sociedade. "Drogados, bêbados, malucos, doentes terminais, melancólicos, paranóicos, onanistas crônicos, estupradores de porcos, maus poetas, etc.: este é seu lar". A mistificação é explícita, e mesmo o personagem não sendo nenhum gênio consegue logo perceber que, ou as pessoas estão desesperadas e aceitam qualquer alternativa, ou a decadência é tal que não percebem o ridículo em que se envolvem. Não tendo nada mais a fazer ou perder, decide demorar-se para ver até onde segue toda a asneira. Isso, sim, é tédio e ausência de propósito. Os diretores são insanos de passado trevoso, atiçados em seus desvarios pelos "pacientes" reunidos. O louco progride em sua demência quando encontra adeptos. Atualmente, anda pelo Brasil um cretino dizendo-se a reencarnação de Jesus Cristo. Usa trajes semelhantes aos quais Êle é representado na iconografia. A patologia é protegida e mantida por seguidores trajados à judaica. Parece haver um ponto no Desespero em que o Homem perde sua lucidez e torna-se presa fácil de todo tipo de enganação. Um instante no desvario leva-o a agarrar-se à primeira coisa que surge com alguma promessa de alívio.

Não é ileso que Steve foge do Centro de Recuperação. Segundo o poeta e crítico francês Boileau-Despréaux (1.636/1.711), um estúpido encontra sempre outro mais estúpido que o admira. Após passar um período de recuperação na casa da ex-mulher, descobre que seu antigo cativeiro obteve um programa na televisão custeado pela venda de produtos via Internet e com audiência garantida pela interatividade do público. Os internos transformaram-se em produtores e diretores e novos espécimes foram acrescidos. Hoje, toda infâmia é comercializada. Este tema específico do reality-show macabro recebeu também um tratamento muito bom na novela A Exposição das Rosas, do húngaro István Örkény (1.912/1.979).

Para ir além






Ricardo de Mattos
Taubaté, 23/9/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Dilapidare de Elisa Andrade Buzzo
02. 10 coisas que a Mamãe me ensinou de Julio Daio Borges
03. Antes que o amor seja apenas uma trégua de Ana Elisa Ribeiro
04. Game of Thrones, Brasil e Ativismo Social de Guilherme Mendes Pereira
05. Os EEUU e o golpe de 64 de Humberto Pereira da Silva


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2004
01. A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón - 9/9/2004
02. Equador, de Miguel Sousa Tavares - 29/7/2004
03. O Livro das Cortesãs, de Susan Griffin - 4/3/2004
04. História e Lenda dos Templários - 1/4/2004
05. O Livro Impresso e O Livro Virtual - 26/8/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




NOVOS ESTUDOS CEBRAP 88
VARIOS
EDIÇÕES CEBRAP
(2010)
R$ 14,90



DEMOLIDOR: FIM DOS DIAS - VOLUME 1
BRIAN MICHAEL BENDIS & DAVID MACK
PANINI COMICS / MARVEL
(2015)
R$ 20,00



C++ PARA UNIVERSITÁRIOS (AUTOGRAFADO)
LINCOLN CÉSAR ZAMBONI E SERGIO VICENTE PAMBOUKIAN
PÁGINAS E LETRAS
(2006)
R$ 35,00



MATEMÁTICA APLICADA À GESTÃO CADERNO DE APOIO
JOSÉ MANUEL ZORRO MENDES
UNIVERSIDADE ABERTA
(1997)
R$ 24,97



PESQUISAS SOBRE O SENTIDO DA VIDA
PAULO FINOTTI
DO AUTOR
R$ 6,90



A HISTÓRIA DE DORA VOADORA LACRADO
TONI BRANDÃO
STUDIO NOBEL
(2003)
R$ 14,00



SIGNO SOLAR SIGNO LUNAR
CHARLES HARVEY E SUZI HARVEY
NOVA ERA
(1998)
R$ 12,00



DISCOURSES VOL 2
MEHER BABA
SUFISM REORIENTED
(1971)
R$ 29,82



A VERDADE DE CADA UM
AMIR LABAKI (ORG.)
COSAC NAIFY
(2015)
R$ 149,90



A ROMANA
ALBERTO MORAVIA
ABRIL
(1972)
R$ 15,00





busca | avançada
44867 visitas/dia
1,2 milhão/mês