O Paciente Steve, de Sam Lipsyte | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
37883 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Impressões sobre São Paulo
>>> Lobato e os amigos do Brasil
>>> A Promessa da Política, de Hannah Arendt
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Luciano do Valle (1947-2014)
>>> Por que as velhas redações se tornaram insustentáveis on-line
>>> Ação Social
>>> Dá-lhe, Villa!
>>> forças infernais
>>> 20 de Abril #digestivo10anos
Mais Recentes
>>> Dicionário de termos ambientais de Antonio Leal pela Letras & Magia (2007)
>>> Casa de Praia com Piscina de Herman Koch pela Intrínseca (2015)
>>> Natureza Humana, Justiça vs. Poder de Michel Foucault e Noam Chomsky pela Martins Fontes (2014)
>>> A Arvore dos Anjos de Lucinda Riley pela Arqueiro (2017)
>>> A Herdeira da Morte de Melinda Salisbury pela Fantastica Rocco (2016)
>>> Uma Gentileza por Dia de Orly Wahba pela Benvira (2017)
>>> Eu sou as Escolhas que Faço de Elle Luna pela Sextante (2016)
>>> Coroa Cruel - Série a Rainha Vermelha de Victoria Aveyard pela Seguinte (2016)
>>> Sade em Sodoma de Flávio Braga pela BestSeller (2008)
>>> Curso de Filosofia em Seis Horas e Quinze Minutos de Witold Gombrowicz pela José Olympio (2011)
>>> O pequeno Principe de Antoine de Saint Exupery pela Agir (2009)
>>> Zoloé e Suas Duas Amantes de Marquês de Sade pela Record (1968)
>>> Expressões Diante do Trono de Ministério de Louvor Diante do Trono pela Diante do Trono (2003)
>>> A separação dos amantes - uma fenomenologia da morte de Igor Caruso pela Cortez (1989)
>>> Os Titãs / A Saga da Família Kent (Volume V) de John Jakes pela Record/ RJ.
>>> A Universidade em Ritmo de Barbárie de José Arthur Giannotti pela Brasiliense (1986)
>>> A Mulher Só de Harold Robbins/ (Tradução) Nelson Rodrigues pela Record/ RJ.
>>> Dependência e desenvolvimento na América Latina - ensaio de interpretação sociológica de Fernando Henrique Cardoso e Enzo Faletto pela Zahar (1970)
>>> Tubarão de Peter Benchley pela Nova Cultural (1987)
>>> O Titã de Fred Mustard Stewart pela Record
>>> O Beijo da Mulher Aranha de Manuel Puig pela Codecri/ RJ. (1981)
>>> A Traição de Rita Hayworth/ Capa Dura de Manuel Puig pela Circulo do Livro/ SP. (1993)
>>> Boquitas Pintadas/ Capa Dura de Manuel Puig pela Circulo do Livro/ SP. (1988)
>>> Kit De Estudo Para Concursos: Só concursos (3 CDs + Folheto) + Guia do Concurseiro + Redação para Concursos de Equipe Mundial Editorial pela DCL - difusão cultural do livro (2016)
>>> Numa Terra Estranha de James Baldwin pela Rio Gráfica (1986)
>>> 1934 de Alberto Moravia pela Rio Gráfica (1986)
>>> Mil Platôs Vol. 1 de Gilles Deleuze e Félix Guattari pela 34 (2011)
>>> A Menina que Roubava Livros de Markus Zusak pela Intrínseca/RJ. (2007)
>>> Mil Platôs Vol. 2 de Gilles Deleuze e Félix Guattari pela 34 (2011)
>>> Mil Platôs Vol. 3 de Gilles Deleuze e Félix Guattari pela 34 (2012)
>>> Ajin - Demi-Human #01 de Gamon Sakurai pela Panini (2016)
>>> Ajin - Demi-Human #02 de Gamon Sakurai pela Panini (2016)
>>> Ajin - Demi-Human #03 de Gamon Sakurai pela Panini (2016)
>>> Incendio de Troia (capa dura couro) de Marion ZimmerBradley pela Circulo do Livro/ SP. (1994)
>>> Ajin - Demi-Human #04 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #05 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #06 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #07 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #08 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #09 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Nova Cultural (1987)
>>> Ajin - Demi-Human #10 de Gamon Sakurai pela Panini (2018)
>>> Ajin - Demi-Human #11 de Gamon Sakurai pela Panini (2018)
>>> Estratégia da Decepção de Paul Virilio pela Estação Liberdade (2000)
>>> Ajin - Demi-Human #12 de Gamon Sakurai pela Panini (2019)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Circulo do Livro/ SP. (1989)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Codecri (1981)
>>> Fort of Apocalypse #10 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Codecri (1981)
>>> Fort of Apocalypse #09 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
COLUNAS

Quinta-feira, 23/9/2004
O Paciente Steve, de Sam Lipsyte
Ricardo de Mattos

+ de 4400 Acessos

"Nunca acontece de a literatura e o espírito de raciocínio se tornarem o patrimônio de toda uma nação sem que imediatamente se faça notar, na filosofia e nas belas-artes, o que se observa nos governos populares, nos quais não há puerilidade ou fantasia que não apareçam e não encontrem seguidores" (Marquês de Vauvenargues, Reflexões e Máximas, CCLXXI)

O Paciente Steve, escrito pelo nova-iorquino Sam Lipsyke, é mais um livro de crítica à superficial e consumista sociedade contemporânea. Não é uma obra grandiosa e talvez nem tenha vida muito longa. Contudo, além de rechear algumas horas com hilaridade histriônica, pode-se afirmar ser ele o que Fúria, de Salman Rushdie, poderia ter sido se fosse bem escrito.

Steve é um publicitário divorciado de 37 anos, pai da adolescente Fiona e autor de slogans famosos. Duas linhas definem-no e mesmo assim, no livro inteiro, ele é o único melhor apresentado. É o único a não deixar impressão de que escapou algum dado sobre sua personalidade. Se era intenção do autor prestigiar o vago, ele foi bem sucedido, pois os outros são obscuros, incertos, mal definidos. Ainda que variável o grau de indefinição, começa aqui a crítica a uma sociedade na qual se imagina conhecer as pessoas a partir de algumas poucas características exteriores, outras interiores mal inferidas e muitos dados fornecidos por terceiros de idoneidade questionável. Predomina o critério do "ouvi dizer", sempre aliado ao sigilo da fonte: Quem disse? É simplesmente incompreensível como as pessoas continuam com tanta superficialidade no conhecer e julgar as demais. Não percebem que isso apenas dissemina a desconfiança e aumenta a solidão, uma iguaria refinada que poucos têm paladar apurado o suficiente para apreciar.

O azar de Steve consistiu em cair sob os cuidados de dois charlatões ansiosos por notoriedade. Após alguns exames de rotina, os médicos - referidos no início somente como Mecânico e Filósofo - anunciaram a presença de certa doença desconhecida. Steve, pontificaram, um dia morrerá. Não se sabe quando, mas morrerá. Se um evidente embuste receber uma camada de seriedade e se tratado com o devido escândalo pela mídia, suas chances de adquirir credibilidade aumentam. Os dois requisitos são presentes no texto de Lipsyte. Primeiro o da seriedade: a doença é nomeada e descrita, bem como a imprensa solenemente convocada para uma entrevista coletiva. A "Síndrome Goldfarb-Blackstone Preparatória para a Extinção" - ou simplesmente PREXIS - caracteriza-se por ainda não possuir "causa identificável, o que não atenua sua fatalidade inquestionável. (...) Mas aqui está o complicador: ele vai morrer sem nenhuma razão conhecida. Talvez não hoje, talvez não amanhã, mas algum dia, irrevogavelmente. Ele pode não mostrar nenhum sinal disso ainda, mas mostrará, podem ter certeza". O segundo requisito, o do agitamento, tem lugar quando os médicos apresentam Steve como o único doente na cidade em estado terminal da PREXIS e permitem que repórteres mercenários divulguem as poucas e confusas informações.

"Doente em estado terminal" é uma expressão causadora de pânico. N'este mundo repleto de doenças gravíssimas, salta aos olhos a insensatez em se divulgar sem maior cuidado tal informação. Tanta irresponsabilidade, que em poucos anos a cidade foi assaltada por uma epidemia de PREXIS. Se o campo for fértil, a estupidez pode ter longo alcance e disseminar-se velozmente. Todo o calvário do personagem seria evitado se houvesse a honestidade inicial dos profissionais em dizê-lo apenas entediado. Aliás, já seria suficiente, pois o tédio é algo destrutivo. Na antiguidade mencionava-se o taedium vitae como resultado da existência ociosa e sem propósitos. É tarde quando, na entrevista coletiva, uma repórter conclui: "O senhor quer dizer que esse homem na verdade vai morrer de tédio?".

Condenado à morte pela Medicina, agonizando sem saber direito do que, Steve entrega-se àqueles que podem ser seus últimos prazeres. Alcançados todos os limites do seu cartão de crédito, gastas todas as suas reservas financeiras e abandonado por sua seguradora após realizar montes de exames, decide dar atenção ao folheto recebido de alguém, uma propaganda do "Centro de Recuperação e Redenção Leigas". Trata-se d'uma antiga simulação de acampamento de guerra para executivos, transformada em fossa para os dejetos humanos da sociedade. "Drogados, bêbados, malucos, doentes terminais, melancólicos, paranóicos, onanistas crônicos, estupradores de porcos, maus poetas, etc.: este é seu lar". A mistificação é explícita, e mesmo o personagem não sendo nenhum gênio consegue logo perceber que, ou as pessoas estão desesperadas e aceitam qualquer alternativa, ou a decadência é tal que não percebem o ridículo em que se envolvem. Não tendo nada mais a fazer ou perder, decide demorar-se para ver até onde segue toda a asneira. Isso, sim, é tédio e ausência de propósito. Os diretores são insanos de passado trevoso, atiçados em seus desvarios pelos "pacientes" reunidos. O louco progride em sua demência quando encontra adeptos. Atualmente, anda pelo Brasil um cretino dizendo-se a reencarnação de Jesus Cristo. Usa trajes semelhantes aos quais Êle é representado na iconografia. A patologia é protegida e mantida por seguidores trajados à judaica. Parece haver um ponto no Desespero em que o Homem perde sua lucidez e torna-se presa fácil de todo tipo de enganação. Um instante no desvario leva-o a agarrar-se à primeira coisa que surge com alguma promessa de alívio.

Não é ileso que Steve foge do Centro de Recuperação. Segundo o poeta e crítico francês Boileau-Despréaux (1.636/1.711), um estúpido encontra sempre outro mais estúpido que o admira. Após passar um período de recuperação na casa da ex-mulher, descobre que seu antigo cativeiro obteve um programa na televisão custeado pela venda de produtos via Internet e com audiência garantida pela interatividade do público. Os internos transformaram-se em produtores e diretores e novos espécimes foram acrescidos. Hoje, toda infâmia é comercializada. Este tema específico do reality-show macabro recebeu também um tratamento muito bom na novela A Exposição das Rosas, do húngaro István Örkény (1.912/1.979).

Para ir além






Ricardo de Mattos
Taubaté, 23/9/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Abdominal terceirizado - a fronteira de Marta Barcellos
02. O que em silêncio sabemos de Marilia Mota Silva
03. Não era pra ser assim de Carina Destempero
04. A História de Alice no País das Maravilhas de Marcelo Spalding
05. Publique, mas não seja estúpido de Verônica Mambrini


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2004
01. A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón - 9/9/2004
02. Equador, de Miguel Sousa Tavares - 29/7/2004
03. O Livro das Cortesãs, de Susan Griffin - 4/3/2004
04. História e Lenda dos Templários - 1/4/2004
05. O Livro Impresso e O Livro Virtual - 26/8/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PEROLAS OU PORCOS
IZABEL KIRIE
CASA DE AGUA
(2012)
R$ 28,00



CINESIOLOGIA A SINTESE MODERNA DOS METODOS DE CURA TRADICIONAIS
KATHARINA B GATTIKER
CULTRIX
(2012)
R$ 25,00



CROSSCURRENTS STUDENT BOOK 1
MARCIA /KATHLEEN/DONALD
LONGMAN
R$ 7,00



MY JOB DOCE ILUSÃO - AUTOGRAFADO
JOSÉ AUGUSTO FIGUEIREDO
ÉVORA
(2013)
R$ 39,00
+ frete grátis



A BRUXA DE NEAR
VICTORIA SCHWAB
PLANETA
(2013)
R$ 20,00



PSICOTERAPIA EN PRISIÓN
ANDRÉ-GILLES MATHÉ
EV
(1976)
R$ 30,00



AVANTE VINGADORES Nº 2 - ASSUNTOS DE FAMÍLIA - PARTE UM
MARVEL
PANINI COMICS
(2007)
R$ 8,00



POUR UNE AUTRE CROISSANCE
ROBERT LATTES
SEUIL (PARIS)
(1972)
R$ 17,82



BENITO PÉREZ GALDÓS - ANTOLOGIA
AMANDO DE MIGUEL
DONCEL
(1967)
R$ 80,00



ELEMENTOS DO DIREITO, V. 6 - PROCESSO CIVIL
FABIO DE VASCONCELOS MENNA
RT
(2009)
R$ 10,00





busca | avançada
37883 visitas/dia
1,3 milhão/mês