Páginas do Diário de Um Leitor | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
77507 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Premiado espetáculo ‘Flores Astrais’ pela primeira vez em Petrópolis no Teatro Imperial para homenag
>>> VerDe Perto, o Musical Ecológico tem sessões grátis em Santo Antônio do Pinhal e em São Paulo
>>> Projeto Sinos volta a Teresópolis para oferecer aulas gratuitas
>>> Filó Machado encerra circulação do concerto 60 Anos de Música com apresentação no MIS
>>> Mundo Suassuna, no Sesc Bom Retiro, apresenta o universo da cultura popular na obra do autor paraiba
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Fórum das Letras 2007
>>> Um conto-resenha anacrônico
>>> Andaime, de Sérgio Roveri
>>> Um lugar para o tempo
>>> A nova queda da Bastilha
>>> Ainda quer prestar jornalismo?
>>> Bendito Nelson Rodrigues
>>> Tell me all about it
>>> Os enciclopedistas franceses rolam nos túmulos
>>> Prólogo, com um Prólogo dos Prólogos, de Jorge Luis Borges
Mais Recentes
>>> Pop Art de Timan Osterwold pela Taschen (1994)
>>> La Gestion Del Proyecto En Arquitectura de Edward D. Mills pela Gg (1985)
>>> Dalton Paula: O Sequestrador De Almas de Dalton Paula pela Obogo (2022)
>>> Gravura de Itajahy Martins pela Fundaçao Nestlé de Cultura (1987)
>>> Livro Ilustrado De Lingua Brasileira De Sinais de Márcia Honora pela Ciranda Cultural (2009)
>>> O Cronista da América de Francis Ford Coppola pela Minesterio da Cultura (2015)
>>> Heróis de Areia de Noelly Russo pela Fabbrica (2022)
>>> National Parks Of Latin America de Luciana Napchan pela Ministério Da Cultura (2005)
>>> Vontade Construtiva Na Coleco Fadel de Paulo Harkenhoff pela Mam (2014)
>>> Tatuagens Urbanas E O Imaginario Carioca de Eduardo Paes pela Nau Das Letras (2015)
>>> Apoema Português - 7 Ano de Lucia Teixeira pela Do Brasil (2018)
>>> Teláris - Arte - 6º Ano de Eliana Pougy pela Ática (2019)
>>> Araribá Plus - História - 8º Ano de Maria Raquel Apolinário pela Moderna (2018)
>>> Teláris - Matemática - 6º Ano de Luiz Roberto Dante pela Ática (2019)
>>> Conexões Com A Física 2º Ano de Blaidi Sant´anna pela Moderna (2010)
>>> Alice Brill de Reinhard Andress, Alice Brill, Carla Ogawa pela Fundacao Armando Alvares Penteado (2007)
>>> Um Guia Do Conhecimento Em Gerenciamento De Projetos (guia Pmbok) de Project Management Institute pela Global Standard (2008)
>>> Gmat Official Guide 2019 de Gmac pela Wiley (2018)
>>> Abz Do Ziraldo de Ziraldo Alves Pinto pela Melhoramentos (2003)
>>> La Casa D´epoca de Quaderni Di Restauro pela DeAgostini (1996)
>>> Descobrindo A Historia Da Arte de Graça Proença pela Ática (2005)
>>> The Economics Book de Dk pela Dk Publishing (2012)
>>> Arturo Di Stefano de Jonh Berger pela Merrel (2001)
>>> Parques São paulo de Cassiano José Pimentel pela Prosperidade (2013)
>>> SãopauloSeculoXXI de Fausto Chermont pela Terra Virgem (2011)
COLUNAS

Quarta-feira, 22/6/2005
Páginas do Diário de Um Leitor
Ricardo de Mattos
+ de 3900 Acessos
+ 1 Comentário(s)

O leitor que perdoe minhas maneiras folgadas, mas eu não esperava esta pausa. Desde abril envolvido num projeto profissional, com dedicação praticamente exclusiva, descubro na semana passada que não há previsão de prazo para entrega dos trabalhos. É certo que o tempo mais largo permite-me concluir sem pressa o que falta e aperfeiçoar o que já aprontei. Se eu soubesse antes da demora, não teria largado leituras e textos. Nem posso retomar o que parei, pois logo adiante precisaria interromper novamente. Agora, contudo, quero aproveitar para trocar as botinas pelos chinelos que eu pensei que a faxineira houvesse jogado fora, folgar o cinto e acender o cachimbo com meu tabaco favorito, que já está no fim e não encontro mais para comprar. Sans Souci. Pronuncio à francesa: "san sucí". Vendedores diversos pronunciam de modos diversos: "tchan tchouci", "saint tchouçai", etc.

Vendedores deixam a desejar. Fugi uma noite para a única livraria de porte momentaneamente restante em Taubaté. Escolhi o recente Os Livros e Os Dias, do excelente Alberto Manguel, e distraía-me olhando sem pressa as lombadas. Folheava o Homem Chavão para ver do que se tratava quando fui abordado pelo vendedor. Queria saber se eu havia lido o novo livro do Jô Soares. Se eu conhecia algum. O que eu achava. Começou a desfiar comentários e comparações. Num primeiro momento, por educação, comentei entre dentes que já tinha visto uma resenha. Não adiantou. Antes que ele enveredasse pelo livro do Jean Willis, cortei: levo este aqui, você confirma o preço para mim?

Quando soube do teor d'Os Livros e Os Dias, desejei comprá-lo imediatamente. Durante um ano, Manguel releu doze de seus livros favoritos, um por mês. Com o tal projeto em andamento, preciso fazer o mesmo com a leitura "não profissional". Ler é rezar, e não se tem uma "oração profissional". O que se faz em determinadas situações é concentrar os pedidos a este padroeiro em vez daquele. Contudo, ler um livro de cada vez permite-me aproveitá-lo sem ansiedade e com maior desfrute. Posso estar enganado, mas este é um dos maiores motivos pelos quais lemos. É algo a se observar quando a atual fase passar. O número diminui muito, é certo. Metade do ano já passou e tenho pouco mais de vinte títulos na lista que resolvi fazer. Revendo-a, porém, não fui surpreendido: eu li este livro!?

Permitimo-nos ser vítimas da volúpia geral. Leia-se isto, leia-se aquilo, é imprescindível que o interessado conheça a mais recente descoberta sobre tal assunto, a obra de tal autor é obrigatória. Logo na adolescência aprendi a interromper a leitura duma coluna, escrita por quem quer que fosse, assim que deparasse com a recomendação duma obra como obrigatória. Não se deve tocar neste assunto antes de ler certo título, sua educação é falha se você ainda não leu a totalidade da obra de Nelson Rodrigues e seus exegetas todos. Por que a pressa? Depois que se retirou da vida pública é que Montaigne escreveu Os Ensaios.

Manguel, falando sobre A Invenção de Morel do argentino Bioy Casares, repara na inexistência de uma tradução da obra para o inglês. Diz-se surpreendido com a ignorância do leitor de língua inglesa. Então que ele não se detenha na do leitor de língua portuguesa, sob pena de desânimo e abandono da escrita. O único título aparentemente familiar ao público brasileiro em geral seria Memórias Póstumas de Brás Cubas. Se fiquei impressionado com o que ainda me falta ler, estou convencido da necessidade de manter o ritmo.

Não se trata dum livro de crítica literária. Aproximo-o d'A Louca da Casa, de Rosa Montero: juntos na prateleira, não brigam. Pelo visto, as resenhas que mo indicaram não foram além do primeiro capítulo. Há observações políticas, históricas e pessoais, paralelos com outras leituras, memórias. Há descrição do começo de vida do autor na nova casa numa aldeia ao sul da França. Cicerus disse em algum lugar que quem possui uma biblioteca e um jardim é senhor dum reino, e Manguel mostra conquistar o seu.

Por coincidência, arrumei Os Livros... na estante e dias depois ganhei Contos de Horror do Século XIX, organizado pelo mesmo escritor. Ontem, antes de dormir, eu lia um conto do espanhol Alarcón, cuja obra mais famosa é O Chapéu de Três Bicos. Leitura com efeitos especiais. Perto da meia-noite uma coruja piou no quintal até a cachorrada, começar a latir e uivar. Como se diz por aqui, se fosse planejado não teria dado certo.

Sem ser aficionado, dou atenção ao gênero. Passado o efeito desta leitura, pretendo encerrar um "causo" de assombração quase pronto. Vinculei Allan Poe definitivamente a Vincent Price, cujos filmes assisti com extrema simpatia e ando sentindo falta. Foi curioso notar na antologia nomes nunca associados ao tema: Eça de Queirós, Joseph Conrad, Jack London, Jules Verne e até um primo de Tolstoi. Não faltou A Volta do Parafuso, mas ficará por último. O norte-americano Ambrose Bierce eu já conhecia de outro volume, o Homens Lobos e Lobisomens - As Histórias Mais Fascinantes. Ele não devia gostar muito de panteras, pois nas duas histórias de sua autoria que eu conheço elas são responsáveis por algum mal. Se há contos indiferentes ao horror, há um decepcionante. Trata-se d'A Fera, de Conrad, cujo navio assassino, sinto muito, não convence. Estou de olho em dois outros livros: Clássicos do Sobrenatural - vários autores - e Historias Sobrenaturais, de Rudyard Kipling.

Para ir além









Ricardo de Mattos
Taubaté, 22/6/2005

Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2005
01. O Presépio e o Artesanato Figureiro de Taubaté - 23/12/2005
02. Como E Por Que Ler O Romance Brasileiro - 20/1/2005
03. Cultura e Democracia Na Constituição Federal - 17/3/2005
04. Anotações do Jardineiro - 10/11/2005
05. Anjos Caídos, de Tracy Chevalier - 31/3/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
22/6/2005
19h50min
De fato, é preciso resistir às pressões da moda, assim como às pressões da cultura instituída - ler o que se quer, no tempo que se julga adequado, no próprio rimo enfim - afinal, o principal objetivo não é ler bem?
[Leia outros Comentários de Carla]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




As Irmãs Sloane
Anna Carey
Galera Record
(2011)



Gala
Dominique Bona
Record
(1996)



A Boa Vida 313
Álex Rovira
Sextante
(2013)



Comédias e Tragédias Da Vida Privada De Uma Criança
Silvana De Menezes
Compor
(2019)



Pêcher d`Islande
Pierre Loti
folio classique
(1988)



Livro Filosofia Platão, Rousseau e o Estado Total Biblioteca Básica de Ciências Sociais Volume 9
Gilda Naecia Maciel de Barros
T. A. Queiroz
(1995)



Vida de Droga Série Sinal Aberto
Walcyr Carrasco
Ática
(2007)



Damreme' Uwaimramidzé - Estudos Sistemáticos e Comparativos de Gramática Xavante
Georg Lachnitt
Ucdb
(1999)



O Cristo Recrucificado
Nikos Kazantzakis
Abril Cultural
(1971)



Coleção Folha Fotos Antigas do Brasil - 16 Volumes
Folha de São Paulo
Folha de São Paulo
(2012)





busca | avançada
77507 visitas/dia
2,1 milhões/mês