7 destaques do cinema brasileiro em 2005 | Marcelo Miranda | Digestivo Cultural

busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O apanhador no campo de centeio
>>> Curriculum vitae
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar
>>> Entrevista com Jacques Fux, escritor e acadêmico
>>> Nuno Ramos, poesia... pois é
>>> Literatura e interatividade: os ciberpoemas
Mais Recentes
>>> Amor de Perdição / Eurico, o Presbítero de Camilo Castelo Branco / Alexandre Herculano pela Círculo do livro (1978)
>>> Carajás de Paulo Pinheiro pela Casa Publicadora Brasileira (2007)
>>> Menopausa de Diversos pela Nova Cultural (2003)
>>> Guia de Dietas de Diversos pela Nova Cultural (2001)
>>> Seguros: Uma Questão Atual de Coordenado pela EPM/ IBDS pela Max Limonard (2001)
>>> O Significado dos Sonhos de Diversos pela Nova Cultural (2002)
>>> A Dieta do Tipo Sanguíneo - A B O AB de Peter J. D'Adamo pela Campus (2005)
>>> Cem Noites - Tapuias de Ofélia e Narbal Fontes pela Ática (1982)
>>> Direito do Trabalho ao Alcance de Todos de José Alberto Couto Maciel pela Ltr (1980)
>>> Manon Lescaut de Abade Prévost pela Ediouro (1980)
>>> A Reta e a Curva: Reflexões Sobre o Nosso Tempo de Riccardo Campa (com) O. Niemeyer (...) pela Max Limonard (1986)
>>> Introdução às Dificuldades de Aprendizagem de Vítor da Fonseca pela Artes Médicas (1995)
>>> Dos Crimes Contra a Propriedade Intelectual: Violação... de Eduardo S. Pimenta/ Autografado pela Revista dos Tribunais (1994)
>>> O Cortiço de Aluísio Azevedo pela Ática (1988)
>>> A Voz do Mestre de Kahlil Gibran pela Círculo do livro (1973)
>>> O Jovem e seus Assuntos de David Wilkerson pela Betânia (1979)
>>> Emília no País da Gramática de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1978)
>>> The Art Direction Handbook for Film de Michael Rizzo pela Focal Press (2005)
>>> A Escrava Isaura de Bernardo Guimarães pela Melhoramentos (1963)
>>> O Grande Conflito de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (1983)
>>> Filosofia do Espírito de Jerome A. Shaffer pela Zahar (1980)
>>> Muito Além das Estrelas de Álvaro Cardoso Gomes pela Moderna (1997)
>>> A Grande Esperança de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (2011)
>>> É Fácil Jogar Xadrez de Cássio de Luna Freire pela Ediouro (1972)
>>> O Espião que saiu do Frio de John Le Carré pela Abril cultural (1980)
>>> A Primeira Reportagem de Sylvio Pereira pela Ática (1988)
>>> Distúrbios Psicossomáticos da Criança de Haim Grunspun pela Atheneu
>>> Aprenda Xadrez com Garry Kasparov de G. Kasparov pela Ediouro (2003)
>>> Poemas para Viver de P. C. Vasconcelos Jr. pela Salesiana Dom Bosco (1982)
>>> A Casa dos Bronzes de Ellery Queen pela Círculo do livro (1976)
>>> Warcraft Roleplaying Game de Christopher Aylott e outros pela Blizzard / Arthaus / wizards (2004)
>>> A Dama do Lago de Raymond Chandler pela Abril cultural (1984)
>>> ABC do Vôo Seguro de Manoel J. C. de Albquerque Filho pela O Popular (1981)
>>> A Relíquia de Eça de Queirós pela Klick (1999)
>>> Manual Completo de Aberturas de Xadrez de Fred Reinfeld pela Ibrasa (1991)
>>> Para Sempre - Os Imortais - volume 1 de Alyson Noel pela Intrínseca (2009)
>>> A Máscara de Dimítrios de Eric Ambler pela Abril cultural (1984)
>>> Rômulo e Júlia - Os Caras-Pintadas de Rogério Andrade Barbosa pela Ftd (1993)
>>> O Nariz do Vladimir de José Arrabal pela Ftd (1989)
>>> Perigosa e Fascinante de Merline Lovelace pela Nova Cultural (2002)
>>> Brincar de Viver de Maggie Shayne pela Nova Cultural (2001)
>>> O Grande Conquistador de Rita Sofia Mohler pela Escala (1978)
>>> Comédias para se Ler na Escola de Luis Fernando Veríssimo pela Objetiva (2001)
>>> As 21 Irrefutáveis Leis da Liderança de John C. Maxwell pela Agir (2007)
>>> Dungeon master guide de Jonathan Tweet / Skip Williams pela Core Rulebook II (2000)
>>> Disfunção Cerebral Mínima de Antonio Branco Lefévre - Beatriz Helena Lefevre pela Sarvier (1983)
>>> Viagem Fantástica II - Rumo ao Cérebro de Isaac Asimov pela Best Seller (1987)
>>> Tpm Número 57 Maio 2009 de Caetano Veloso pela Trip (2009)
>>> Incorporações Imobiliárias de J. Nascimento Franco/ Nisske Gondo pela Revista dos Tribunais (1984)
>>> Cavalo-Marinho no Céu de Edmund Cooper pela Hemus
COLUNAS >>> Especial Melhores de 2005

Segunda-feira, 9/1/2006
7 destaques do cinema brasileiro em 2005
Marcelo Miranda

+ de 10100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Na coluna passada, comentei alguns filmes estrangeiros exibidos no Brasil que foram dignos de atenção ao longo de 2005 e merecem ser conhecidos ou revistos por todos os espectadores interessados em bom cinema. Agora, como prometido, destaco aqui exclusivamente o cinema brasileiro. Foi um ano estranho, nesse sentido. Começou morno, com estréias curiosas mas não muito estimulantes - sendo a mais interessante delas (e olhe lá!) Meu Tio Matou um Cara. O primeiro semestre, aliás, foi de lamentar. Só a partir de agosto que o circuito nacional esquentou, com a chegada de trabalhos, enfim, significativos e demonstrativos da qualidade de nossos profissionais.

Um relato mais detalhado e informativo de como se deu a cinematografia do país este ano pode ser conferido pelo colega Lucas Rodrigues Pires, craque no assunto que fez ótima coluna sobre os filmes brazucas exibidos em 2005. A minha proposta, aqui, é seguir a linha de antes: breves reflexões sobre alguns desses títulos. O cinema brasileiro parece continuar buscando um rosto próprio. Enquanto isso não acontece, recebemos os mais variados estilos, idéias, conceitos; uns vão atrás do que já é garantia de sucesso; outros arriscam em experimentos formais ou estéticos. O importante, a princípio, é fazer a roda rodar: só com muitos e muitos filmes em cartaz é que teremos uma perfeita noção de como está funcionando a engrenagem do cinema brasileiro. Pensamentos sobre essas tendências já pipocam por aí, em diversos livros e ensaios - algo que será tema deste espaço muito em breve.

Enquanto isso, ficamos com os tais destaques. Não deixe de vê-los:

* Casa de Areia - terceiro longa-metragem de Andrucha Waddington e, frente aos anteriores Gêmeas e Eu Tu Eles, seu filme de maior elaboração e ousadia. Mostra a saga de uma mulher que, por décadas, vive isolada num areial perdido no mundo e eternamente à espera de voltar para casa. Fernanda Montenegro e Fernanda Torres se revezam nos papéis de mãe e filha a cada geração, em interpretações diferenciadas por detalhes típicos de grandes damas da tela - olhares, tons de voz, trejeitos, movimentação em cena. No elenco também merece destaque a presença imponente do músico Seu Jorge. Filme lento, mas longe do monótono, transmissor da agonia de se estar sozinho e à espera - do quê ou de quem, pouco importa. O que conta é estar à espera de algo, como estão as personagens encravadas num deslumbrante mar de areia.

* Bens Confiscados - o mestre Carlos Reichenbach continua em boa fase. Apareceu no ano passado com o complexo Garotas do ABC e toda a discussão madura sobre violência, preconceito e trabalho. Agora, surge com este melodrama político sobre um jovem obrigado a se esconder por conta das falcatruas do pai senador. Cuidando dele, está a enfermeira interpretada por Betty Faria, atriz e também produtora do longa. Há em cena elementos de chanchada (a esposa do senador na TV, o amigo estrangeiro), drama (os desentendimentos do capataz vivido por Werner Schünnemann com a esposa, e as tentativas do garoto de interceder) e romance (o envolvimento crescente do menino com a enfermeira). É um filme que começa por caminhos fáceis de descrever e culmina em sensações e conclusões impossíveis de serem explicadas. As imagens de Reichenbach enchem a tela de melancolia e tristeza típicas dos cineastas que ele explicitamente homenageia, como Douglas Sirk e Valério Zurlini. Mas é a Roberto Rosselini, pai do neo-realismo, a quem o diretor mais presta tributo, com planos e composições de cena que remetem ao cineasta europeu. Como sempre, Carlão é poço de cultura e de referência. Sua genialidade está em juntar tudo isso num trabalho de autoralidade plena, que respira pura e estritamente cinema.

Bens Confiscados
Bens Confiscados

* Cabra-Cega - filmes sobre a ditadura militar já são um subgênero no cinema brasileiro. Desde Pra Frente, Brasil, dirigido por Roberto Farias e lançado em 1985, trabalhos nessa linha são comuns, sendo O Que é Isso, Companheiro? talvez o mais conhecido deles. Mas diferente da produção de Bruno Barreto, em que guerrilheiros urbanos seqüestravam o embaixador americano num filme estilo thriller policial americano, o Cabra-Cega de Toni Venturi vai além, ao tentar se inserir na paranóia e nos anseios dessas pessoas que apostaram a própria vida em nome da liberdade no país - mas nem sempre se utilizaram de métodos nobres para tal. O filme não tem narrativa pontuada por acúmulo de acontecimentos. Vemos um revolucionário trancado num apartamento, foragido e derrotado, tentando retomar as atividades contra os militares e acompanhando pela televisão a derrocada do movimento formado nas ruas. Cheio de simbolismos a respeito de liberdade, cenas líricas e momentos de real tensão sem apelar para recursos típicos do cinema de ação, o trabalho de Venturi possui delicadeza e respeito ao tratar de um tema ainda espinhoso na história contemporânea do Brasil.

* Jogo Subterrâneo - filme pequeno, discreto e pouco visto em circuito. Aposta num estilo também reflexivo para falar da obsessão de um homem em achar a mulher perfeita. Ele crê, ao montar caminhos tortuosos pelas linhas de metrô de São Paulo, que vai se deparar com sua deusa. A primeira metade instiga o espectador, primeiro a entender o esquema do protagonista, e depois a acompanhá-lo e até torcer por ele. Mas quando o personagem finalmente parece achar o seu par, o filme, dirigido por Roberto Gervitz (do drama de 1987, Feliz Ano Velho), perde boa parte do impacto. A aposta num romance misterioso, porém intenso, apenas joga o trabalho numa vala comum - e a tentativa de dar motivações para a angústia da mulher interpretada pela linda e talentosa Maria Luísa Mendonça soma apenas mais pontos contrários. De qualquer forma, um projeto "estranho" entre tantos, que não fala de nada realmente brasileiro, mas universal até - não à toa, é inspirado em conto do escritor argentino Julio Cortázar.

* Cinema, Aspirinas e Urubus - do pouco para o muito, do discreto para o intenso, do particular para o coletivo. Falar deste longa de estréia de Marcelo Gomes é cair em relações assim, que tornam tudo ali presente em algo mais, que catalisa o existente e transforma-o em quase sobrenatural - no sentido de ir além da naturalidade. A simples história de um alemão e um sertanejo peregrinando pelo nordeste brasileiro dos anos 40 num caminhão de aspirinas ganha força e impacto pelas lentes e sensibilidade de Gomes. De um lado, o europeu que busca se distanciar da guerra e encontra nos confins do Brasil a solução para os seus medos vendendo ao povo a solução para todos os males em forma de comprimido; do outro lado, o "nativo" que tenta fugir da miséria, da pobreza, da derrota, do fim da esperança. Ambos vão interagir, se conhecer, se acompanhar. Dividir a atração pelas mulheres, a casa dos amigos, os perigos das estradas, a perseguição da guerra e da seca. A fotografia de Mauro Pinheiro dá ainda mais intensidade ao drama dessa dupla, desde a cena inicial (com um fade-in indo do puramente branco para o tom apagado que predomina por todo o filme) até o último plano (que desaparece em fade-out num processo semelhante ao começo). Não é exagero afirmar que não se via um sertão tão bem retratado e tão de acordo com o que se conta em cena desde o Cinema Novo. É um cinema novíssimo, em que forma e conteúdo se conjugam na simplicidade e despretensão de simplesmente falar de seres humanos inseridos no mundo, regidos pela vida que os leva adiante. Nada de tentar entender os processos pelos quais o homem passa. Importa é apenas acompanhá-los e senti-los.

Cinema, Aspirinas e Urubus
Cinema, Aspirinas e Urubus

* Cidade Baixa - filme de toque, de ardor, de pele. Sexo, paixão, desejo dividem espaço na atração entre dois amigos de infância por uma prostituta, numa Bahia desglamourizada e pouco receptiva. Lázaro Ramos, Wagner Moura, Alice Braga: corpos na tela, corpos no chão, corpos na cama. A vontade de um se entranhar no outro, o suor alucinante que pinga de seus rostos, a raiva ensandecida surgida da vontade de cada um amar o outro ainda mais, todo esse emaranhado de sensações move o drama. Outro filme sem enredo contínuo. Importa é a satisfação do tesão, a conquista do prazer, o triunfo de ser o "escolhido" e a luta para isso acontecer. A amizade eterna parece ser suspensa pelo ruído representado pela prostituta. Só a irracionalidade pode oferecer racionalidade a esses desgarrados. Sérgio Machado, o diretor, faz um trabalho de secura que emana vibrações corporais.

Cidade Baixa
Cidade Baixa

* 2 Filhos de Francisco - é inevitável falar de cinema brasileiro em 2005 sem comentar uma linha que seja do fenômeno dirigido por Breno Silveira. Maior triunfo das telas este ano, sendo o filme mais visto entre todos os lançados no país (foram quase 6 milhões de espectadores), conta a trajetória pessoal dos cantores Zezé di Camargo e Luciano. Descrever como Silveira retrata a família Camargo com respeito e dignidade, dando ao filme tom otimista de quem nutre esperança nos rumos do país, é cair no clichê. Vale registrar novamente apenas que é, sim, um projeto de qualidade, realizado com competência por uma equipe de grande talento - do diretor aos produtores, do elenco aos técnicos. E já entra para a história como a salvação da lavoura num ano em que tudo parecia perdido - para o país e, especialmente, para o nosso cinema: o filme chegou num momento-ápice da crise petista e encheu corações com a fé na vitória contra as adversidades que nos afligem. E ainda deu fôlego para que as bilheterias não fechassem o ano tão no vermelho como aparentavam. Ainda há muito o que falar de 2 Filhos..., e bem além de seu significado como obra artística.


Marcelo Miranda
Juiz de Fora, 9/1/2006


Mais Marcelo Miranda
Mais Acessadas de Marcelo Miranda em 2006
01. Tabus do Orkut - 6/2/2006
02. Filmes extremos e filmes extremistas - 6/3/2006
03. Vida ou arte em Zuzu Angel - 14/8/2006
04. Caso Richthofen: uma história de amor - 31/7/2006
05. Eu vejo gente morta - 11/9/2006


Mais Especial Melhores de 2005
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
13/1/2006
13h21min
Muito boa seleção, também selecionaria exatamente esses filmes como destaque.
[Leia outros Comentários de DaniCast]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PROSPECÇÃO DE JAZIDAS LÍTICAS EM ARQUEOLOGIA: PROPOSTA METODOLÓGICA
ULISSES CYRINO PENHA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 321,00



ASSISTENTES VIRTUAIS INTELIGENTES E CHATBOTS
LEÔNCIO TEIXEIRA CRUZ, ANTONIO JUAREZ ALENCAR, EBER ASSIS SCHMITZ
BRASPORT
R$ 80,00



O EVANGELHO SEGUNDO O FILHO
NORMAN MAILER
RECORD
(1998)
R$ 13,39



ATUALIDADES VESTIBULAR GUIA DO ESTUDANTE
GUIA DO ESTUDANTE - VÁRIOS AUTORES
ABRIL
(2009)
R$ 5,00



A QUESTÃO AMBIENTAL E AS CIÊNCIAS SOCIAIS
IDÉIAS ANO 8 (2) DE 2001
UNICAMP (CAMPINAS SP)
(2001)
R$ 26,82



MÁRIO DE ANDRADE - LITERATURA COMENTADA
JOÃO LUIZ LAFETA
NOVA CULTURAL
(1990)
R$ 5,00



CADERNO DE APOIO ESTATÍSTICA APLICADA À GESTÃO
CRISTINA VILHENA DE MENDONÇA J. CALDEIRA
UNIVERSIDADE ABERTA
(1997)
R$ 73,64



GUIA COMPLETO DO FUNCION DE UMA EMPRESA : MICRO MÉDIA E GRANDE 7239
ROGR BARKI JOSY ALZOGARAY
VOZES
(1985)
R$ 11,00



SEM TEMPO PARA CHORAR
MARILUSA MOREIRA VASCONCELLOS
RADHU
R$ 28,00



RAIO X DO LIVRO ESPIRITA
EURÍPEDES KUHL
ALIANÇA
(2003)
R$ 5,00





busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês