E Viva a Abolição – a peça | Lisandro Gaertner | Digestivo Cultural

busca | avançada
35344 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
>>> Curso de Formação de Agentes Culturais rola dias 8 e 9 de graça e online
>>> Ciclo de leitura online e gratuito debate renomados escritores
>>> Nano Art Market lança rede social de nicho, focada em arte e cultura
>>> Eric Martin, vocalista do Mr. Big, faz show em Porto Alegre dia 13 de abril
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
>>> Estrada do tempo
>>> A culpa é dele
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Mozart 11 com Barenboim
>>> Para amar Agostinho
>>> Discos de MPB essenciais
>>> Conceitos musicais: blues, fusion, jazz, soul, R&B
>>> O Passado, de Hector Babenco
>>> Curtas e Grossas
>>> Caneando o blog
>>> Arte é entropia
>>> Amor fati
>>> 50 anos da língua de Riobaldo
Mais Recentes
>>> Civilização- Ocidente X Oriente de Niall Ferguson pela Planeta (2012)
>>> Presença do Vinho no Brasil de Carlos Cabral pela Cultura (2007)
>>> Psicossomática e pediatria: novas possibilidades de relacionamentos de Adolpho Menezes de Mello pela Health (1996)
>>> Emagreça & Aparece! de Wilson Rondó Jr. A11B4 2007 pela Gente (2007)
>>> Civilização- Ocidente X Oriente de Niall Ferguson pela Planeta (2023)
>>> Os Segredos de uma Encantadora de Bebês de Tracy Hogg pela Manole (2002)
>>> Grande história universal vol II de Leopoldo Collor Jobim, Dirceu Accioly Lindoso pela Bloch Editores
>>> Mulher de Trinta Anos de Honoré de Balzac pela Clube do Livro (1988)
>>> Limite Zero de Joe Vitale e Ihaleakala B9B1 pela Rocco
>>> Crítica da Razão Pura de Immanuel Kant pela Nova Cultural
>>> Grande história universal vol III de Leopoldo Collor Jobim, Dirceu Accioly Lindoso pela Bloch Editores
>>> Contos de Machado de Assis pela Objetivo / Cered
>>> O Maior Espetáculo da Terra de Richard Dawkins pela Companhia das Letras (2009)
>>> Os Melhores Contos de H. P Lovecraft de Howard Phillips Lovecraft pela Hedra (2015)
>>> Vinagre de Maçã Uma Receita de Vida de G. P. Boutard B10B4 2001 pela Claridade (2001)
>>> Nações do mundo: China de Time-Life Livros pela Cidade Cultural (1987)
>>> Vontade de Potência 1 e 2 de Nietzsche pela Escala
>>> Amor de perdição de Camilo Castelo Branco pela Tres
>>> As máscaras do destino de Florbela Espanca pela Livraria Bertrand (1981)
>>> A prenda a Fazert o Seu Biorritmo de Marco Natali pela Ouro (1978)
>>> A Mulher do Próximo: uma crônica da permissividade americana nas décadas de 1960 e 1970 de Gay Talese - Pedro Maia Soares (Trad.) pela Companhia das Letras (2018)
>>> O Feijão e o Sonho de Orígenes Lessa pela Ática (1996)
>>> Como Pensar e viver melhor de Rolf Dobelli pela Objetiva (2019)
>>> O amante de Marguerite Duras pela Record (1984)
>>> Quando Ele Voltar de Ricky Medeiros pela Vida & Consciência (2004)
COLUNAS

Quinta-feira, 1/6/2006
E Viva a Abolição – a peça
Lisandro Gaertner
+ de 26700 Acessos

(Entram em cena dois senhores de bigode, ao som daquela musiquinha da Escrava Isaura. "Lele-lele-lelele". Cada um carrega uma placa no pescoço dizendo Vilão de Novela)

Leôncio: - Barão de Araruna! Que bom vê-lo por aqui!

Barão: - Olá, doutor Leôncio. Como vai a vida?

- Nada bem, Barão. Nada bem. Esses malditos abolicionistas e as suas idéias de libertar os escravos estão tirando o meu sono. Não sei como poderei manter os negócios se eles tiverem sucesso.

- Ora, doutor, relaxe. Quando a abolição vier, ela trará grandes vantagens para todos nós.

- Como, Barão? Vai dizer que o senhor agora comunga com esses ideais abolicionistas?

- De maneira alguma, doutor Leôncio. Mas, devo dizer: acho que a abolição será uma boa e lucrativa mudança. Preste atenção na minha linha de pensamento. Quanto lhe custa manter um escravo hoje em dia?

- Bom, vejamos. Tem a senzala, a alimentação, o feitor, o capitão do mato, as correntes, os chicotes. Hum, cada escravo deve me custar uns 10 contos por mês.

- 10 contos. Por outro lado, um colono lhe custaria, agora, uns 20 contos. Mas, futuramente, depois da abolição, acredite, meu caro, eles custarão bem menos.

- Como?

- Veja só. Digamos que agora tenhamos 100 colonos. Depois da abolição teremos esses mesmos 100 colonos mais 300 escravos libertos, todos eles competindo por uma vaga na lavoura. Isso sem contar com os imigrantes que estão aparecendo por aí.

- E daí, Barão?

- E daí que serão mais de 400 trabalhadores querendo um trabalho que pode ser muito bem feito por 40. Isso quer dizer que, como existem muitas pessoas interessadas na mesma vaga, poderemos pagar muito menos a um colono. É um simples de caso de oferta versus procura. Assim, ao invés dos 20 contos de hoje, ou dos 10 contos que gastamos com os escravos, pagaremos a cada colono algo por volta de 5 contos ao mês.

- Mas isso é genial! Como não pensei nisso antes? Vou lhe dizer: nunca imaginei que o fim da escravidão seria tão proveitoso.

- Você ainda não viu nada, meu caro Leôncio. Os nossos lucros não param por aí. Quando todos forem "livres", ainda precisarão de um lugar para morar. Como não teremos mais as senzalas, planejo oferecer às pessoas moradias um tanto parecidas com as casas dos escravos, mas menos seguras e limpas. Algo que chamarei de conjuntos habitacionais.

- De graça?!

- Claro que não, doutor. O senhor está me estranhando? Como somos donos de todas as terras, eles precisarão pagar a nós uma taxa pela moradia. Algo que eu penso em chamar de aluguel. Para isso eles precisarão nos dar algo por volta de 2 contos.

- Hum, pagaremos a eles 5 contos, ganharemos 2 do tal aluguel. Ainda estaremos lhes pagando 3 contos. Será possível baixar esse valor ainda mais?

- Claro. O senhor esqueceu de algo fundamental: a alimentação. Como qualquer pessoa livre, eles precisarão comprar a sua própria comida. E quem produz comida por aqui?

- Nós mesmos!

- Exatamente. Com a alimentação da família eles acabarão gastando mais 2 contos que irão direto para os nossos bolsos.

- Dois mais dois, quatro. Pagamos cinco, eles ainda terão 1 conto para guardar.

- Para guardar, não. Para gastar.

- Com o quê? Eles já têm moradia e alimentação!

- Eu sei, mas a liberdade vai enlouquecer as pessoas. Todos vão querer parecer melhores do que são. Ter mais coisas do que podem ter. Afinal, eles adoram se sentir ricos, mesmo sendo pobres. Por isso vamos passar a vender besteiras que pareçam conceder status a esses pobres de espírito. Esses produtos serão chamados de supérfluos e com eles, as pessoas gastarão mais 2 contos por mês.

- Espere um pouco. Há algo errado com essa conta. Eles ganham 5. Gastam 2 com aluguel, 2 com comida, 2 com supérfluos. Eles ficarão devendo 1 conto. De onde eles tirarão esse dinheiro?

- Nós lhes daremos esse dinheiro.

- A troco de quê?

- Para cobrar juros. Somos ou não somos os donos dos bancos da região?

- Meu Deus, se eu soubesse disso teria apoiado a abolição antes. Se antes nós gastávamos 10 contos com um escravo, agora ganharemos 1 conto pelo mesmo trabalho.

- 1 conto mais os juros, meu caro Leôncio. Antes nós gastávamos, agora eles pagarão e caro para trabalhar! E não serão apenas os negros. Os brancos, os asiáticos, homens de todas as raças e credos pagarão para trabalhar para nós. Abolir a escravidão será o mesmo que expandi-la. E o melhor de tudo é que, ao contrário desses escravos ingratos, eles pagarão para trabalhar e ainda se sentirão felizes.

- Como isso é possível?

Barão. Simples. Eles pensarão que são livres. E existe algo melhor que a liberdade? Então, meu caro amigo, você ainda acha que a abolição é um mau negócio?

- Pelo contrário, Barão. É um ótimo negócio. Mas algo me passou pela mente. Até agora só tratamos dos homens. Afinal as mulheres ficam em casa para cuidar dos afazeres domésticos. Será possível inclui-las nesse negócio? Os nossos lucros duplicariam.

- Calma, Leôncio. Uma coisa de cada vez. Depois da abolição, daremos um jeito de incluir as mulheres nesse esquema também.

- E como faremos isso?

- Com um novo movimento, meu caro amigo. Um novo movimento para libertar as mulheres. Algo que eu estou pensando em chamar de Feminismo.

Leôncio: - Barão, o senhor é um gênio.

Barão: - Obrigado pelo elogio, doutor Leôncio, mas não sou nenhum gênio. As pessoas é que são ingênuas demais.


Lisandro Gaertner
Rio de Janeiro, 1/6/2006

Mais Lisandro Gaertner
Mais Acessadas de Lisandro Gaertner em 2006
01. E Viva a Abolição – a peça - 1/6/2006
02. Cuidado: Texto de Humor - 28/7/2006
03. Orkut: fim de caso - 10/2/2006
04. Escritora de Bom Censo - 4/8/2006
05. Um presidente relutante - 18/8/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Crescimento do Jovem na Comunidade Crista: Livro do Catequista
Geraldo Lopes
Salesiana
(2002)



Inteligência Expressiva
Dulce Krock
Summus
(1995)



Praias Capitais. um Relato de Viagem
Marcio Luiz de Campos Marques
Scortecci
(2016)



Os Três Porquinhos
Ciranda Cultural
Ciranda Cultural
(2010)



Beauty and the Beast
Disney
Twin Books
(1992)



Deixe os Homens aos Seus Pes
Marie Forleo
Universo dos Livros
(2011)



Um Passado Bem Presente: uma História de Amizade, Amor e Ambição
Ricardo Magalhães
Nova Luz
(2000)



Oito Minutos Dentro de uma Fotografia
Kimberly Bulcken Root
Moderna
(1999)



Livro - A Gossip Girl - All i Want is Everything
Cecily Von Ziegesar
Poppy
(2003)



Herois Vencidos
Paulo Martinez
Contexto
(1996)





busca | avançada
35344 visitas/dia
1,6 milhão/mês