Devaneios sobre Copa do Mundo | Rafael Fernandes | Digestivo Cultural

busca | avançada
81512 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
>>> Exposição coletiva 'Encorpadas - Grandes, largos, políticos: corpos gordos'
>>> Clássicos da Literatura Unesp ganha mais cinco títulos
>>> Bertolt Brecht inspira ÉPICO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
>>> Doutor Eugênio (1949-2020)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Mais jornais morrendo
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Ficção e previsões para um futuro qualquer
>>> Maná, de Rodrigo Amarante
>>> Lecturis Salutem
>>> Palavras impressas
>>> Teoria da Conspiração
>>> Movimento Literatura Urgente
>>> O fim das mídias físicas
>>> Ayn Rand ou o primado da razão
Mais Recentes
>>> Coleção Grandes Impérios e Civilizações - 17 Volumes de Del Prado pela Del Prado
>>> Coleção História em Revista - 25 Volumes (COMPLETA) de Time Life e Abril Livros pela Time Life
>>> Álgebra Linear de Alfredo Steinbruch - Paulo Winterle pela Makron (1987)
>>> Um Curso de Cálculo 1 de Hamilton Luiz Guidorizzi pela Ltc (1995)
>>> Marketing Ambiental de Reinaldo Dias pela Atlas (2007)
>>> Projeto Presente - História 3º Ano de Ricardo Dreguer & Cássia Marconi pela Moderna (2012)
>>> Projeto Presente - Geografia 3º Ano de Neuza Sanchez Guelli & Allyson Lino pela Moderna (2012)
>>> A Troca de Paulo Novaes pela Agir (1984)
>>> O Linguado de Günter Grass pela Nova Fronteira (1983)
>>> A dieta do tipo sanguíneo: A, B, O e AB de Peter Dadamo pela Elsevier / Alta Books (2005)
>>> Projeto Presente - Matemática 3º Ano de Luiz Márcio Imenes, Marcelo Lellis & Estela Milani pela Moderna (2012)
>>> Dicionário Ilustrado Verbo da Língua Portuguesa 4 vols. de Francisco Fernandes pela Verbo-Globo (1972)
>>> Matemática 2ª Série - Coleção Conhecer e Crescer de Jacqueline Garcia & Márcio Dantas pela Escala Educacional (2005)
>>> Rio de Assis - Imagens Machadianas do Rio de Janeiro de Aline Carrer - John Gledson - Pedro da Cunha e Menezes pela Casa da Palavra (1999)
>>> Missão Investigar Entre o Ideal e a Realidade de Ser Policial de Maria Cecília de S. Minayo-Edinilsa R. de Souza pela Garamond (2003)
>>> A Estranha Nação de Rafael Mendes de Moacyr Scliar pela L&pm (1983)
>>> Deixa Tuas Lágrimas Em Moscou de Barbara Armonas pela Ipanema (1963)
>>> Declarando-se Culpado de Scott Turow pela Best Bolso (2012)
>>> O Medo à Liberdade de Erich Fromm pela Zahar (1977)
>>> Cadastro-geral dos Suspeitos de Ódio ao Presidente de Luiz Gutemberg pela Alhambra (1991)
>>> Então foi Assim? Os Bastidores da Criação Musical Brasileira 4 vols. de Ruy Godinho pela Abravideo (2017)
>>> Conformismo - Tópico de Psicologia Social de Kiesler e Kiesler - Tradução Dante Moreira Leite pela Edgard Blucher Usp (1973)
>>> O Direito a Ter Direitos de Jose Vaidergorn pela Autores Assossiados (2000)
>>> Amor é Só uma Palavra de Johannes Mario Simmel pela Círculo do Livro
>>> Vida sem Morte? de Dr. Nils Jacobson pela Círculo do Livro (1976)
>>> A Lenda do Violeiro Invejoso de Fábio Sombra pela Rocco (2005)
>>> Ombusdsman - O relógio de Pascal de Caio Túlio Costa pela Geração Editorial (2006)
>>> Águas do Brasil de Araquém Alcântara pela ´Terrabrasil (2007)
>>> O tigre de Sharpe de Bernard Cornwell pela Record (2013)
>>> Os Doze Trabalhos de Hércules 1/2/4 volumes de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1944)
>>> Morte dos reis de Bernard cornwell pela Record (2016)
>>> Bom Apetite vol II de Diversos pela Abril Cultural (1972)
>>> A menina que semeava de Lou Aronica; Maria ângela Amorim De Paschoal pela Novo Conceito (2021)
>>> Curso de Desenho e Pintura 9 volumes de Equipe Globo pela Globo (1985)
>>> 1889 Juvenil ilustrada de Laurentino Gomes; Rita Brugger pela Globo Livros (2014)
>>> Quem me roubou de mim? de fabio de Melo pela Canção Nova (2010)
>>> Se conto ninguem acredita- autografado de Rafael pedrosa pela pandogA (2018)
>>> The Young Riders of Mongolia de Rob Waring pela Footprint (2011)
>>> Let’s Do It Together de Luiz H. Rose, Maiza Fatureto & Tereza Sekiya pela Cambridge University (2008)
>>> A Matter of Prejudice de Luiz H. Rose, Maiza Fatureto & Tereza Sekiya pela Cambridge University (2007)
>>> Depois do Funeral de Agatha Christie pela Círculo do Livro
>>> Strange Noises de Luiz H. Rose, Maiza Fatureto & Tereza Sekiya pela Cambridge University (2007)
>>> A Casa Vazia de Rosamunde Pilcher pela Bertrand Brasill (2006)
>>> Lost in the Woods de Luiz H. Rose, Maiza Fatureto & Tereza Sekiya pela Cambridge University (2007)
>>> Devastação Ou a Volta à Natureza de Rene Barjavel pela Círculo do Livro (1976)
>>> Os segredos da mente milionária de T harv eker pela Sextante (2010)
>>> A Day on the Farm de Luiz H. Rose, Maiza Fatureto & Tereza Sekiya pela Cambridge University (2007)
>>> Economia Solar Global de Hermann Scheer pela Cresesb (2002)
>>> Alguém Que já Não Fui de Artur da Távola pela Nova Fronteira (1986)
>>> Enquanto Eu Estivesse Fora... de Sue Miller pela Bertrand Brasill (2000)
COLUNAS >>> Especial Copa 2006

Quarta-feira, 21/6/2006
Devaneios sobre Copa do Mundo
Rafael Fernandes

+ de 4000 Acessos

Fanatismo
Sou um fanático por futebol. Acontece. Há quem seja aficionado por sapatos, bolsas, revistas em quadrinhos, voyeurismo, selos, chantili. Eu sou por futebol. Não sou daqueles "almanaques" que sabem todos os nomes e datas. Mas basta passar qualquer joguinho na TV que eu assisto, pode ser "Desafio ao Galo" (alguém lembra disso?), o que for. Por isso, pra mim Copa é uma alegria, assisto tudo o que posso. Vejo também pelo Brasil, mas mais pelo futebol - pelo prazer de ver - e, sim, pelo escapismo (quem não precisa de um?).

E vai rolar a festa
Um ex-professor meu um dia matou a charada: "Brasileiro não é tão fanático por futebol, brasileiro gosta é de festa!". Está certo. Depois do Natal a Copa é talvez a maior desculpa para juntar família e amigos, decorar as ruas e falar besteira: são os torcedores de ocasião. Como os que só se interessam por livros em época de Bienal ou por artes plásticas quando ocorrem as "mega-exposições". Tudo pelo "evento". São também os torcedores de "melhores momentos", acostumados a ver só os grandes lances das partidas e quando vêem um jogo mais lento e truncado odeiam e só avaliam o placar. O interessante para quem gosta de futebol não é só gol, mas também procurar observar as alternativas táticas, lances brilhantes, sutilezas, dribles, lançamentos, defesas, mudanças psicológicas durante a partida; é curioso por ser o futebol capaz de provocar situações das mais geniais às mais banais e chulas; é divertido para xingar o narrador, o jogador, ficar desconfortável quando a câmera filma um jogador no exato momento em que está cuspindo no chão, rir de trapalhadas e lances bizarros.

Arte x Business?
Apesar de grande apreciador de futebol não o vejo como algo "sagrado" que estaria sendo "corrompido" pelo dinheiro, fama e "entretenimento". Acho que, afinal de contas, esporte - de alto nível - é para isso mesmo: diversão, um escapismo sadio que proporciona (quando bem jogado) interessantes desafios ao ser humano - necessidade de alta capacidade física, psicológica, técnica. Claro que há excesso de dinheiro e um "complexo de celebridade", mas isso é um fenômeno geral no entretenimento - e o futebol caminha cada vez mais pra isso. Se bem que o que pagam para gente como Tom Cruise e Britney Spears para suas interpretações ridículas, Ronaldinho realmente merece o que ganha... Aliás, futebol como negócio não significa perda de qualidade, pelo contrário. Não à toa a Europa - e seu poderio financeiro - apresenta os melhores espetáculos do mundo. Nós da América Latina - dona da melhor mão-de-obra bruta, lapidada fora daqui - não temos o "negócio" futebol e o nosso está essa lástima (falo dos campeonatos domésticos e toda infra-estrutura que os envolvem). Não acham que os craques de 70 não gostariam de ter feito um pé de meia pra gerações inteiras de herdeiros? Grande parte dos craques dos últimos anos uniu vigor futebolístico e lucratividade; Ronaldinho e Kaká são os mais recentes exemplos: o período de maior exposição e fama coincidiu com suas ascensões no campo. Ou será que é melhor morrer pobre e esquecido como Garrincha? (Antes que me perguntem, comparações entre gerações são desnecessárias e infrutíferas).

Astrologia
Muitos - e até mesmo pessoas inteligentes - fazem dezenas de exercícios forçados de adivinhação quando o assunto é Copa. Uma dessas "visões" é que o Brasil não será campeão porque há muito "oba-oba" e excesso de confiança, que é uma das argumentações mais superficiais e arrogantes, parece que dizem que "o Brasil é o melhor, mas, como está uma festa, vai perder". Como se a competição não fosse apenas um esporte, permeado por diversas dinâmicas táticas, técnicas e emocionais - futebol é intensamente imprevisível. Por aí também é raciocínio "só perdemos para nós mesmos". Não tem outro time do outro lado? E há também os que cravam os craques do campeonato ou verdades "absolutas" antes mesmo do início da Copa.

Excessos
Já a cobertura da mídia da Copa da Alemanha é marcada mais ainda do que em outras Copas pelo excesso de informações, martelando Copa 24 horas por dia. Internet, blogs, rádio, TV aberta, TV a cabo, tudo gira em torno do futebol. E dessa vez as TVs a cabo cobrem até treinos. Para um fanático como eu é uma maravilha acompanhá-los. Mas narração e comentários de brincadeira de "bobinho" e treino de dois toques é um pouco além da conta. E há muito barulho por nada. Só faltaram armar uma "CPI das bolhas" ou a "CPI do percentual de gordura". Aliás, sobre o episódio Lula x Ronaldo foi interessante ver como cobraram de Ronaldo postura de presidente da República e relevaram a Lula a postura de jogador de futebol. E como em toda Copa, em todo jogo do Brasil a Globo mostra a festa o Pelourinho, a casa da prima-da-vizinha-da-irmã do Adriano, a Fátima Bernardes "madrinha" da seleção (nada como ser "amiguinha" da CBF...); há o Galvão errando nomes, falando besteira e instigando nacionalismo torto. Já as mesas-redondas beiram o insuportável, com sua união de mesmice e superficialidades, algumas apelando para o sensacionalismo. Retrato do jornalismo esportivo, que beira o medíocre (obviamente com exceções como Tostão, quem melhor enxerga futebol no Brasil), sempre preocupado com "bombas", "crises" e imediatismo. E pra que existem entrevistas de jogadores? As perguntas são sempre as mesmas e respostas, idem. Será que é pior ouvir as respostas ou as perguntas? É incrível, mas os jogadores parecem mais cientes disso e reclamam do excesso de entrevistas, enquanto os jornalistas reclamam quando elas não ocorrem. Até para um fanático como eu o excesso de ênfase na Copa incomoda - e muito.

Figuraças
Figuraças existem em todo o lugar, mas a Copa é um ambiente propício para suas atuações. Tem o chato (geralmente homem), que não larga da corneta e toca nos piores momentos possíveis (senão "não tem graça"). Tem o pessimista, também conhecido por "Eu não falei!?!?": acha que tudo está um lixo, o técnico é sempre burro, os jogadores "pipocam" e tudo pode desmoronar a qualquer momento. Quando acontece a "catástrofe", solta sua frase clássica. Tem o "fora de hora", que sempre comenta errado (desculpem mulheres, mas vocês são campeãs nesse quesito): erra nome de jogadores, faz comentários absurdos (recentemente um amigo me contou de uma senhora que perguntou se o jogo tinha 2 ou 3 tempos). Há o otimista: o Brasil pode estar perdendo por 4 a 0 no final do segundo tempo, mas ele "acha que dá". E o/a "mãezona", que sempre esta lá pra consolar, falar que "pelo menos eles lutaram", "daqui a quatro anos tem mais", ou o pior "calma, é só um jogo". O que tem síndrome de perseguição: "foi roubado, tudo armado". E os bêbados. Bom, esse são os mesmos em qualquer lugar.

Enfim...
Não sei o que haverá acontecido com o time brasileiro quando esse texto sair. Se for desclassificado, uma pena. Mas eu vou continuar até o final, assistindo todos os jogos. Loucura é isso mesmo.

Eu, boleiro: Memórias de Copas passadas

1986 - Me lembro de estar brincando de carrinho num jogo do Brasil e ouvia as pessoas berrando para eu sair da frente da TV. Dali alguns anos entenderia o porquê.

1990 - Minha única lembrança é a imagem de Cláudio Caniggia driblando Tafarel e matando o Brasil. Preciso dizer mais?

1994 - Vi recentemente o Pedro Bial usar a palavra "Parreirista" - "Sou um parreirista", dizia ele. Compactuo com sua visão. Particularmente depois do trabalho dele no Corinthians em 2002. Em 1994 foi absurdamente massacrado. Mas o que fazer? Aquele time era composto de jogadores fortes e corretos taticamente, mas não tinha craques (com a exceção, é claro, do 11). Aliás, a idéia de Parreira era utilizar Leonardo e Raí como armadores. Como Branco se recuperava de contusão, Leonardo foi pra lateral, Raí ficou só na promessa e jogou mal - não à toa foi substituído por mais um correto, Mazinho. Acusam a seleção de 94 de herança retranqueira - como a Itália de 1982 - mas a culpa não é de nenhum deles se os boleiros entenderam tudo errado: a mensagem não foi "joguem na retranca" e sim "falta de consistência tática não leva a nada". Tudo isso pra dizer que Parreira fez o que pôde com o que tinha. Afinal, um belo trabalho que resultou no tetra. E havia o 11...

1998 - Não gostava dessa seleção e não tive reação negativa quando perdeu. O time era fraco taticamente, previsível e com Júnior Baiano na zaga não dava pra achar que daria certo. Dunga, Bebeto (sempre achei que Edmundo deveria estar no lugar deste) e Aldair não eram sombra do que foram em 94, Leonardo não conseguiu dar muito brilho ao meio de campo. O Brasil foi à frente carregado nas costas por Rivaldo e Ronaldo (que jogou bem, mas não tudo o que podia - já com tendinite no joelho, que viria a resultar em cirurgias) protagonistas nos principais lances (como 2002, diga-se, mas sendo o time de Felipão melhor).

2002 - Os "idiotas da objetividade" condenavam Rivaldo e Ronaldo antes da Copa, e novamente eles foram os protagonistas. Ronaldinho dava mostras de sua genialidade (jogo contra a Inglaterra) e Felipão conseguiu arrumar o time, superior ao de 1998. O time conseguiu muitos golaços: Ronaldo, nos dois jogos contra a Turquia (sendo o do primeiro jogo quase um replay do lance contra a Holanda em 1998), Ronaldinho e Rivaldo (Inglaterra), Edmílson (Costa Rica), o 2º de Ronaldo na final. Maior destaque para os gols de Rivaldo contra a Inglaterra e o 2º de Ronaldo contra a Alemanha, que uniram aplicação e inteligência tática, desarme, espírito coletivo, malícia, criatividade, precisão e frieza.


Rafael Fernandes
Sorocaba, 21/6/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Pra frente, Brasil, salve a seleção! de Tatiana Cavalcanti


Mais Rafael Fernandes
Mais Acessadas de Rafael Fernandes em 2006
01. 10 vídeos musicais no YouTube - 23/8/2006
02. Quem ainda compra música? - 2/8/2006
03. Ana Luiza e Luis Felipe Gama: bela parceria - 13/9/2006
04. Ney Matogrosso: ótimo intérprete e grande showman - 5/7/2006
05. Uma homenagem a Maysa - 25/4/2006


Mais Especial Copa 2006
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




WAKE - DESPERTAR
LISA MCMANN
NOVO SECULO
(2010)
R$ 10,00



MAIS QUE VENCEDOR
ALEX DIAS RIBEIRO
AUTOR
R$ 10,00



ANJO A FACE DO MAL
NELSON MAGRINI
NOVO SÉCULO
(2004)
R$ 10,00



MANOBRAS E ESTRATAGEMAS DA VIDA SEXUAL - COMPÊNDIO DE CULTURA ATUAL
A. H. CHAPMAN
RECORD
(1968)
R$ 10,00



A VOZ DO DONO - 3643
TAMA STARR
ÁTICA
(1993)
R$ 10,00



NUAS
MARGARIDA DE AGUIAR PATRIOTA
ROSWITHA KEMPF EDITORES
(1986)
R$ 10,00



INSETOS E OUTROS BICHINHOS. CIENCIA DIVERTIDA
ROSIE HARLOW
MELHORAMENTOS
(1999)
R$ 10,00



A EXPERIÊNCIA DE DEUS NA FAMÍLIA. OFMCAP: EDIÇÃO DE TEXTO, ABGAIL LOUREIRO DIÓGENES E LUIS ANTONIO VIOLIN
BERNARDO CANSI
BSB
(2001)
R$ 10,00



DENTES AO SOL
IGNACIO DE LOYOLA BRANDÃO
CIRCULO DO LIVRO
(1974)
R$ 10,00



DESCAMINHAR
PEDRO TOSTES
E EDITORIAL
(2008)
R$ 10,00





busca | avançada
81512 visitas/dia
2,4 milhões/mês