Blog, o último furo jornalístico | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar
>>> Entrevista com Jacques Fux, escritor e acadêmico
>>> Nuno Ramos, poesia... pois é
>>> Literatura e interatividade: os ciberpoemas
>>> O Valhalla em São Paulo
>>> Por dentro do Joost: o suco da internet com a TV
Mais Recentes
>>> Direito Romano - Vol. II de José Carlos Moreira Alves pela Forense (2003)
>>> Divinas Desventuras: Outras Histórias da Mitologia Grega de Heloisa Prieto pela Companhia das Letrinhas (2011)
>>> Le Nouveau Sans Frontières 1 - Méthode de Français de Philippe Dominique e Jacky Girardet e Michele Verdelhan e Michel Verdelhan pela Clé International (1988)
>>> Sobrevivência de Gordon Korman pela Arx Jovem (2001)
>>> Ética Geral e Profissional de José Renato Nalini pela Revista dos Tribunais (2001)
>>> Mas Não se Mata Cavalos ? de Horace McCoy pela Abril (1982)
>>> O Menino no Espelho de Fernando Sabino pela Record (2016)
>>> Labirintos do Incesto: O Relato de uma Sobrevivente de Fabiana Peereira de Andrade pela Escrituras-Lacri (2004)
>>> Mas Não se Mata Cavalos ? de Horace McCoy pela Círculo do Livro (1975)
>>> Ponte para Terabítia de Katherine Patersin pela Salamandra (2006)
>>> O Desafio da Nova Era de José M. Vegas pela Ave-Maria (1997)
>>> Casa sem Dono Encadernado de Heinrich Boll pela Círculo do Livro (1970)
>>> Trabalho a Serviço da Humanidade de Escola Internacional da Rosa Cruz Áurea pela Rosacruz (2000)
>>> Casa sem Dono Encadernado de Heinrich Boll pela Círculo do Livro (1976)
>>> Ensinando a Cuidar da Criança de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Ensinando a Cuidar da Mulher, do Homem e do Recém-nascido de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Luxúria Encadernado de Judith Krantz pela Círculo do Livro (1978)
>>> Fundamentos, Conceitos, Situações e Exercícios de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Personality: How to Unleash your Hidden Strengths de Dr. Rob Yeung pela Pearson (2009)
>>> Um Mês Só de Domingos de John Updike pela Record (1975)
>>> Um Mês Só de Domingos Encadernado de John Updike pela Círculo do Livro (1980)
>>> Um Mês Só de Domingos Encadernado de John Updike pela Círculo do Livro (1980)
>>> Caravanas de James Michener pela Record (1976)
>>> A Terra Ainda é Jovem de J.M. Simmel pela Nova Fronteira (1981)
>>> A Terra Ainda é Jovem de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1981)
>>> Deus Protege os Que Amam de J.M. Simmel pela Nova Fronteira (1977)
>>> Um Ônibus do Tamanho do Mundo de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1976)
>>> Um Ônibus do Tamanho do Mundo de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1976)
>>> O Quarto das Senhoras de Jeanne Bourin pela Difel (1980)
>>> Beco sem Saída de John Wainwright pela José Olympio (1984)
>>> Casais Trocados de John Updike pela Abril (1982)
>>> O Hotel New Hampshire Encadernado de John Irving pela Círculo do Livro (1981)
>>> As Moças de Azul de Janet Dailey pela Record (1985)
>>> Amante Indócil Encadernado de Janet Dailey pela Círculo do Livro (1987)
>>> A Rebelde Apaixonada de Frank G. Slaughter pela Nova Cultural (1986)
>>> Escândalo de Médicos de Charles Knickerbocker pela Record (1970)
>>> A Turma do Meet de Annie Piagetti Muller pela Target Preview (2005)
>>> O Roteiro da Morte de Marc Avril pela Abril (1973)
>>> Luz de Esperança de Lloyd Douglas pela José Olympio (1956)
>>> Confissões de Duas Garotas de Aluguel de Linda Tracey e Julie Nelson pela Golfinho (1973)
>>> Propósitos do Acaso de Ronaldo Wrobel pela Nova Fronteira (1998)
>>> Olho Vermelho de Richard Aellen pela Record (1988)
>>> A Comédia da Paixão de Jerzy Kosinski pela Nova Fronteira (1983)
>>> Casa sem Dono Encadernado de Heinrich Böll pela Círculo do Livro (1976)
>>> Ventos sem Rumo de Belva Plain pela Record (1981)
>>> Ventos sem Rumo de Belva Plain pela Record (1981)
>>> O Caminho das Estrêlas de Christian Signol pela Círculo do Livro (1987)
>>> Longo Amanhecer de Joe Gores pela Best-seller (1988)
>>> As Damas do Crime de B. M. Gill pela Círculo do Livro (1986)
>>> Os Melhores Contos de Alexandre Herculano de Alexandre Herculano pela Círculo do Livro (1982)
COLUNAS >>> Especial Blogs

Terça-feira, 31/5/2005
Blog, o último furo jornalístico
Fabio Silvestre Cardoso

+ de 3500 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Ao longo do ano de 2005, a grande mídia (o termo não é dito aqui em caráter pejorativo) tem, finalmente, aceitado o fato de que, sim, a Internet está vencendo a guerra pela atenção do leitor. O que era antes uma querela da academia, de repente - embora não tão de repente assim -, passou a ser questão de ordem nos principais veículos de imprensa do mundo. E, aqui, eu não me refiro apenas aos suplementos de informática, ou às revistas especializadas em jornalismo ou em novas tecnologias, como a Revista Imprensa e a Wired, respectivamente. Talvez no início fosse dessa forma. Hoje, a constatação é mais geral e menos simplista do que antes. Tanto é assim que, em abril deste ano, o semanário The Economist publicou um artigo grande a propósito dos jornais do passado. O texto da revista debate a polêmica entrevista de Rupert Murdoch (um novo Citzen Kane?), dono de um dos maiores impérios de comunicação do mundo, que, para a surpresa de muitos, escreve sobre o possível fim do jornalismo tal qual conhecemos hoje. Por aqui, também os jornalistas mais tarimbados se curvam, aos poucos, ao inevitável. Ruy Mesquita, diretor editorial de O Estado de S.Paulo, em entrevista ao Observatório da Imprensa, afirmou, entre outras coisas, que a integração entre o jornalismo e a Internet será cada vez maior. Tomado a frase do diretor do Estadão como ponto de partida, não é surpresa observar que os blogs têm um papel para lá de relevante nessa integração, balançando até mesmo a estrutura dos grandes veículos.

O caso das eleições norte-americanas foi amplamente comentado e é significativo no que concerne essa participação. Para quem não sabe ou não se lembra, os blogs foram os primeiros - e, em certa escala, os únicos - a indicar que George W. Bush seria - como foi - o vencedor da corrida pela cadeira na Casa Branca. O curioso é que durante a campanha os jornais eram unânimes na vitória de John Kerry (aliás, alguém se lembra dele?). O epitáfio dessa história é conhecido de muitos. Bush venceu e a mídia tenta, até hoje, explicar a derrota (fraude, valores morais, a luta contra o terror...). Mais equivocado (ou mal-intencionado) do que isso, só mesmo o papel de Dan Rather, o âncora da CBS que teve de pedir demissão após ter sido provado que uma reportagem (apresentada por ele) contra o presidente norte-americano era baseada em documentos falsos. Quem descobriu? Um blogueiro americano, pois sim.

É evidente que, a partir desses exemplos, os blogs seriam órgãos mais isentos do que os jornais impressos no que se refere à informação. Contudo, é também inegável que eles fornecem um outro lado que, até então, não existia ou, por outra, era considerado apenas teoria da conspiração. Nos Estados Unidos e na Europa, já existem alguns diários pessoais que se propõem a reportar os fatos a partir de uma perspectiva isenta, sem necessariamente opinar sobre os assuntos "postados". Em contrapartida, não é mais tão novidade assim a presença de grandes jornais, ou jornalistas renomados, no universo blogueiro - e não apenas com os sites pessoais (algo elementar, hoje). Jornais sérios como o The Guardian e a revista eletrônica americana Slate mantêm blogs, que dão vida às burocráticas edições diárias. Recentemente, foi a vez do The New York Times inaugurar o seu blog, ao que tudo indica em caráter experimental, durante o Festival de Cannes, na França. Talvez pela importância da versão impressa ninguém tenha comentado a respeito do conteúdo, o que fez da novidade notícia em si mesma.

No Brasil, o grande entusiasta na seara dos blogs é Pedro Doria , da Nominimo. Doria foi o primeiro, sem dúvida, a levar o assunto a sério e inclusive a comentar acerca de outros blogs numa coluna específica que existia na Nominimo há uns dois anos (Blogs Favoritos). De uns tempos para cá, para o bem e para o mal, especializou-se em encontrar novas tendências na rede. Ainda assim, permanece como o pioneiro na análise cruzada de veículos (comparar a edição eletrônica de vários jornais do mundo) por meio de suas edições eletrônicas. Outro que mantém uma coluna fixa na Internet é Ricardo Noblat, cujo nome tem sido mais comentado do que suas últimas participações (não menos importantes, diga-se) nos jornais Correio Braziliense (DF) e A Tarde (BA). Nas eleições municipais de 2004, estabeleceu um ritmo de cobertura 24 horas, que contou com a participação dos seus leitores. Resultado: sucesso absoluto, tendo sido muito mais ágil e interativo do que os flashes ao vivo das emissoras de TV.

Outros jornalistas, se não possuem seus próprios blogs, fazem questão de manifestar sua adesão pela nova ferramenta. Na Folha de S.Paulo, por exemplo, o jornalista Nelson de Sá (que assina a coluna Toda Mídia) compõe boa parte de suas notas com base nos blogs que costuma referendar, seja de partidos, de jornalistas, de políticos e até mesmo de personalidades (quando estas dizem algo de relevante). Já na revista Primeira Leitura, o diretor de redação, Reinaldo Azevedo, já afirmou usar os diários on-line como fontes de contraponto ao que escreve na sua coluna "A parte e o todo", de segunda a sexta no site da revista. Sinal dos tempos ou final deles, os principais veículos impressos do Brasil têm se posicionado nesse segmento. Nos já citados Folha e Estado, dossiês especiais foram feitos a propósito dos blogs. Enquanto isso, n'O Globo, cada colunista possui seu próprio diário on-line. E, coincidência ou não, a revista Veja desta semana anuncia na capa que os blogs se tornaram coisa séria.

Para além de simples diários sentimentais, os blogs têm se mostrado como verdadeiros instrumentos de aproximação das novas gerações com as notícias, com os fatos, muito embora sejam publicados apenas suas "versões". De todo modo, isso é um verdadeiro alento para o jornalismo, que finalmente consegue reagir em tempo real com mais essa mudança.


Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 31/5/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Expectativas e apostas na Copa de 2010 de Humberto Pereira da Silva
02. Onde os fracos têm vez de Luiz Rebinski Junior
03. Chomsky ontem e hoje de Ram Rajagopal
04. Nem Godzilla faria melhor de Marcelo Miranda
05. Últimas Notas Sobre A FLIP de Ricardo de Mattos


Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso em 2005
01. Brasil e Argentina: uma História Comparada - 3/5/2005
02. Os Clássicos e a Educação Sentimental - 8/2/2005
03. O século da canção - 5/4/2005
04. Estudo das Teclas Pretas, de Luiz Faccioli - 22/2/2005
05. O Afeto Autoritário de Renato Janine Ribeiro - 22/11/2005


Mais Especial Blogs
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
31/5/2005
01h26min
Eu discordo um pouco da sua perspectiva. Morando aqui nos EUA, e tendo acompanhado de perto o processo eleitoral, acho que as principais publicações foram todas muito cuidadosas em prever um "empate" entre Kerry e Bush. O NYT até apoiou Kerry, assim como o Washington Post. Mas da mesma forma, o New York Post (de Murdoch), além de Fox News, e CNN apoiaram Bush. Eu mesmo não tinha fé alguma na eleição de Kerry, dada suas péssimas apresentações de campanha (exceto no debate). Quanto ao que Murdoch diz, tem mais a ver com a política dele para seus meios de comunicação, utilizando mídia e propaganda da Casa Branca como sendo noticiários. São poucos os canais que investem em repórteres e reportagens e fogem da linha oficial. Há uma campanha para desacreditar a forma tradicional de jornalismo, baseados na atual desconfiança do americano médio com a imprensa. Os próprios organismos de governo desacreditam a imprensa, escolhendo repórteres para representá-los, e dando lugar a falcatruas como o tal repórter michê que andou frequentando as press talks. Que os blogues são força importante, não há duvida. Mas o são porque proveêm uma base partisã para discussão de idéias. Republicanos leêm bloggers republicanos, e democratas leêm bloggers democratas. Não há muita tentativa de diálogo, e até agora as notícias são em sua maioria em torno de discussões coletadas via Google News (ou seja de fontes jornalísticas tradicionais). Quanto ao caso Rather, é sempre aquele história do dizer a coisa certa na hora certa... Tem sempre alguém que prevê um acidente do Schumacher na corrida e registra em cartório... Acho que o blogue tem mérito, mas não substitui ainda o noticiário original, até porque blogueiro investiga pelo Google. Quem vai correr atrás da verdade? Só para complementar, gosto muito das perguntas propostas por Thomas Friedmman e Maureen Dowd sobre o assunto: num "flat world" como podemos saber qual a informação é verdadeira? E qual o verdadeiro poder da informação? Será que informação ainda promove transformação ou existem fatores mais fundamentais? Vivemos e veremos. Os blogues tem seu mérito, mas no jornalismo, sua evidência se deve mais porque a mídia impressa/tevê está amarrada aos seus anunciantes e ao governo do que por alguma qualidade maior do blogue-jornal, com algumas raras exceções...
[Leia outros Comentários de Ram]
31/5/2005
10h05min
Caro Ram: citando Thomas Friedmman e Maureen Dowd, você apela à busca pela informação verdadeira. Ok. A pergunta que me faço é: de onde virá essa informação verdadeira? Dos jornais, soi disant, sérios? Não acredito. Explico o motivo a partir de dois exemplos. 1) O "The New York Times", modelo de jornalismo sério e verdadeiro, até agora está chamuscado pelo repórter que fraudava reportagens, Jason Blair. 2) E a BBC, modelo de jornalismo sério e verdadeiro, este ano convidou o finado cantor Bob Marley (morto em 1981) para passar "um ou dois dias com os responsáveis por um documentário sobre uma de suas principais canções" ("No Woman no cry"). Novamente, pergunto: onde está essa informação verdadeira? Sobre as Eleições dos EUA, creio, vimos processos diferentes então. Nos debates, por exemplo, todos os jornais e emissoras de TV davam a vitória de Kerry como certa (os comentaristas da CNN e da BBC analisaram assim). A propósito, Dan Rather, um âncora célebre da TV americana (você sabe melhor do que eu, pois mora aí), jamais perderia o cargo se o ocorrido não fosse grave demais, ou seja, mostrar documentos falsos para ganhar os corações e mentes é tão torpe que retira a legitimidade dele como jornalista. Nada disso tem a ver com previsão, mas com bom jornalismo. Portanto, tamanha evidência dos blogs se justifica pela ausência de bom jornalismo na mídia tradicional.
[Leia outros Comentários de Fabio S. Cardoso]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




I CHING (ESPANHOL)
JOHN TAMPION E OUTROS
SIRIO
(1987)
R$ 10,00



FISIOLOGIA MÉDICA
WILLIAM F. GANONG
ATHENEU
(1977)
R$ 64,00



CARTAS A FREUD
FLÁVIO FORTES D ANDREA
BERTRAND BRASIL
(1990)
R$ 22,82



TEX EDIÇÃO HISTÓRICA Nº 02
BONELLI E GALLEPPINI
MYTHOS
(1993)
R$ 20,00



VIAGEM AOS SEIOS DE DUÍLIA
ANÍBAL MACHADO
O DIA
(1998)
R$ 25,00
+ frete grátis



LENIN, TROTSKY E O FIM DO SOCIALISMO REAL; POR QUE PARLAMENTARISM
REVISTA ARCHÈ, ANO 2 - Nº 4
FACULDADE CÂNDIDO MENDES
(1993)
R$ 18,28



COZINHA MARAVILHOSA DE OFÉLIA PEIXES & FRUTOS DO MAR
VARIOS AUTORES
ED. KLICK
R$ 4,90



ETERNAMENTE FEMININA
ROBERT A. WILSON
EDAMERIS
(1966)
R$ 10,00



O VALOR DOS RECURSOS HUMANOS NA ERA DO CONHECIMENTO
VICENTE FALCONI CAMPOS
INDG
(2004)
R$ 29,90
+ frete grátis



COMPRAS EM BUENOS AIRES - COLEÇÃO VIAGEM DE BOLSO
EDITORA ABRIL
ABRIL
(2011)
R$ 10,00





busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês