Clássicos Personnalité: Erudito, Jazz e Choro | Rafael Fernandes | Digestivo Cultural

busca | avançada
92061 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
>>> Zé Guilherme canta Orlando Silva em show no YouTube no dia 26 de setembro
>>> Setembro Amarelo é tema de EntreMeios especial com Zé Guilherme e Leliane Moreira
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
>>> Rodrigo Gurgel entrevista Yuri Vieira
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Concisão e sensibilidade
>>> Blog do Reinaldo Azevedo
>>> Alerta aos que vão chegar
>>> Cultura e Patrocínio
>>> Deus, um delírio, de Richard Dawkins
>>> O delfim, de José Cardoso Pires
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Thor
>>> Das Kunstwerk der Zukunft
>>> É Julio mesmo, sem acento
Mais Recentes
>>> Fortaleza digital - 5D de Dan Brown pela Arqueiro (2015)
>>> Arquivologia e Ciência da Informação - 5D de Maria Odila Kahl Fonseca pela Fgv (2008)
>>> Aristofanes Las Nubes Lisistrata Dinero de Elsa García Novo pela Alianza Editorial (1987)
>>> Fisiologia do exercício - 8C de Marília dos Santos Andrade pela Manole (2016)
>>> Musculação Funcional. Ampliando os Limites da Prescrição Tradicional - 8C de Cauê Vazquez la Scala Teixeira pela Phorte (2016)
>>> Personal Trainer. Uma Abordagem Prática do Treinamento Personalizado - 8C de Fabiano Pinheiro Peres pela Phorte (2013)
>>> Temas Fundamentais De Criminalistica - 3D de Jose Lopez Zarzuela pela Sagra luzzatto (1995)
>>> As sete leis espirituais do sucesso - 3D de Deepak Chopra pela Best Seller (2009)
>>> A Escolha - 3D de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2015)
>>> Ser Elegante É… - 3D de Candace Simpson-Giles pela Sextante (2014)
>>> Seu Sexto Sentido. Ativando Seu - 3D de Belleruth Naparstek pela Rocco (1999)
>>> História geral das Civilizações Volume 1 - O oriente e a Grécia Antiga de Maurice Crouzet pela Bertrand Brasil (1993)
>>> O Diário de Anne Frank de Ane Frank pela Pé da Letra (2019)
>>> A sombra do poder: Martinho de Melo e Castro e a administração da Capitania De Minas Gerais (1770-1795) de Virgínia Maria Trindade Valadares pela Hucitec
>>> A Revolta da Vacina de Sevcenko, Nicolau pela UNESP
>>> A quebra da mola real das sociedades: A crise política do antigo regime Português na província do Grão-Pará (1821-1825) de André Roberto Arruda Machado pela Hucitec
>>> A paz das senzalas: Famílias Escravas e Tráfico Atlântico C.1790- C.1850 de Florentino, Manolo pela UNESP
>>> A outra Independência: O Federalismo Pernambucano de 1817 a 1824 de Mello, Evaldo Cabral de pela 34
>>> A História do Brazil de Frei Vicente do Salvador. História e Política no Império Português do Século XVII de Maria Lêda Oliveira pela Versal
>>> A experiência do tempo: Conceitos e narrativas na formação nacional brasileira (1831-1845) de Araújo, Valdei Lopes de pela Hucitec
>>> A Educação Pela Noite de Antônio Candido pela Ouro sobre Azul
>>> A Diplomacia na Construção do Brasil. 1750-2016 de Rubens Ricupero pela Versal
>>> A Corte na Aldeia de Vários Autores pela Verbo
>>> A Companhia de Jesus na América por Seus Colégios e Fazendas de Márcia Amantino and Carlos Engemann pela Garamond Universitaria
>>> A carne e o sangue: A Imperatriz D. Leopoldina, D. Pedro I e Domitila, a Marquesa de Santos de Priore, Mary de pela Rocco
>>> 1889: Como um imperador cansado, um marechal vaidoso e um professor injustiçado contribuíram para o fim da Monarquia e a de Laurentino Gomes pela Globo Livros
>>> 1822: Como um homem sábio, uma princesa triste e um escocês louco por dinheiro ajudaram dom Pedro a criar o Brasil - um de Laurentino Gomes pela Globo Livros
>>> 1808: Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal de Laurentino Gomes pela Globo Livros
>>> 130 Anos: Em Busca Da República de Lessa, Renato; Wehling, Arno; Franco, Gustavo; Tavares Guerreiro, José Alexa pela Editora Intrínseca
>>> Arte de Gramática da Língua Mais Usada na Costa do Brasil de José de Anchieta pela EdUFBA (2014)
>>> Inglorious Revolution de William R. Summerhill pela Yale University Press (2015)
>>> O governo das conquistas do Norte de Fabiano Vilaça dos Santos pela Annablume (2011)
>>> O sol e a sombra de Laura de Mello e Souza pela Companhia das Letras (2006)
>>> Amazon Frontier - the defeat of the Brazilian Indians de John Hemming pela Papermac (1995)
>>> International Law de Malcolm Evans (edited by) pela Oxford University Press (2014)
>>> Complete International Law: Text, Cases, and Materials de Ademola Abass pela Oxford University Press (2014)
>>> Salvador de Sá and the struggle for Brazil and Angola, 1602 - 1686 de C. R. Boxer pela University of London (1952)
>>> Instituições Políticas Brasileiras de Oliveira Vianna pela Senado Federal (2019)
>>> O populismo e sua história - debate e crítica de Jorge Ferreira (Org.) pela Civilização Brasileira (2001)
>>> Marxismo e Judaísmo - história de uma relação difícil de Arlene Clemesha pela Boitempo (1998)
>>> Trópico dos pecados de Ronaldo Vainfas pela Civilização Brasileira (2014)
>>> Brasil: formação do Estado e da Nação de István Jancsó (Org.) pela Hucitec (2011)
>>> História da Vida Privada em Portugal - 4º Volume (Os nossos dias) de José Mattoso pela Temas e Debates (2011)
>>> História de Angola - da Pré-História ao Início do Século XXI de Alberto Oliveira Pinto pela Mercado de Letras (2016)
>>> Visconde do Uruguai de José Murilo de Carvalho (Org.) pela 34 (2002)
>>> A ilusão americana de Eduardo Prado pela Alfa Omega (2001)
>>> Postmodernism or, the cultural logic of late capitalism de Fredric Jameson pela Duke University Press (1992)
>>> The Established and the Outsiders de Norbert Elias and John L. Scotson pela Sage Publications (2017)
>>> The Satanic Verses de Salman Rushdie pela Randon House (2019)
>>> Los detectives salvajes de Roberto Bolaño pela Vintage Español (2010)
COLUNAS

Quarta-feira, 7/11/2007
Clássicos Personnalité: Erudito, Jazz e Choro
Rafael Fernandes

+ de 3600 Acessos

O projeto Clássicos Personnalité consiste em uma série de concertos de câmara aliados à música popular mundial. A Taís foi ver a abertura, o tango e o primeiro sobre MPB. Eu vi o jazz e o choro. A idéia é realmente interessante: unir o que se costuma chamar de música clássica ao que se chama de música popular - conceitos repletos de preconceitos de ambos os lados. No dia 04 de outubro foi celebrada uma união já conhecida: o clássico e o jazz. Para tanto, foram escalados talentos de diversas gerações e culturas: da pianista croata Sanja Bizjak, de 19 anos a uma figura importante do jazz norte-americano, Lee Konitz, de 80 anos, passando por um de seus grandes parceiros, Ohad Talmor (saxofonista, clarinetista e compositor), 37, francês, filho de israelenses, radicado na Suíça e EUA.

Sanja, uma bela garota, elegante num vestido rosa brilhante, começou o concerto com Jeux d'eau de Maurice Ravel. Aos primeiros segundos a beleza e colorido da peça e execução foram capazes de trazer algo de sublime ao teatro. A partir dali, todo e qualquer problema do dia foi deixado de lado para uma profunda imersão no mar da música: a Arte cumprindo um de seus papéis. Em seguida a pianista executou os Estudos para Piano 8 e 9 do livro II de Claude Debussy, um grande teste para a técnica dos pianistas, incluindo inversões das mãos - a jovem croata saiu-se muito bem. Os Solistas Personnalité (Pablo de Leon, violino; Horácio Schaefer, viola e Roberto Ring, violoncelo) mais Luiz Amato (violinista) se juntaram a Sanja Bizjak para o encerramento da primeira parte da apresentação com uma peça de Gabriel Fauré, o Quarteto no. 1 para Piano e Cordas em Dó maior op. 15, com destaque para os dois movimentos finais: o Adagio e o Allegro Molto.


Lee Konitz em foto de Bruno Bollaert




Ouça um trecho de "Jeux d'eau" interpretada por André Laplante no disco Miroirs, Jeux D' Eau, Pavane Pour Une Infante Défunte

Após o intervalo, o quarteto de cordas voltou ao palco para acompanhar Ohad Talmor e Lee Konitz, que roubou a cena. Além de uma lenda do jazz, ótimo compositor e grande improvisador, tem extremo bom humor e conquistou a platéia logo de cara, quando tocou um clássico do jazz - "Body and soul". Em seguida, o grupo executou duas peças de Claude Debussy: Rêverie e Valse Romantique. Ambas podem ser encontradas no disco Play French Impressionist Music From The 20th Century, gravado por Konitz com o Axis String Quartet no ano de 2000. Após uma livre interpretação de outro clássico do jazz, "All the things you are", com um "duelo" de Konitz no sax alto e Talmor no tenor, que evidenciou não apenas o domínio de ambos em seus instrumentos como seu entrosamento, voltaram a tocar com o grupo, agora uma peça de Gabriel Fauré (professor de Ravel), L'absent - de uma melancolia retumbante, também presente no disco citado.


Ohad Talmor em foto de Roberto Cifarelli



Ouça um trecho de "L'absent", tocada por Konitz no disco Play French Impressionist Music From The 20th Century

Em seguida, foi convidado ao palco o violonista Daniel Ring para a música "Struttin with some barbeque", um jazz maroto. No bis retornaram apenas Lee Konitz e Ohad Talmor para um clássico do próprio Konitz, "Subconcious-Lee", em que novamente os músicos duelaram brilhantemente, trocando provocações melódicas. Ao final do concerto, percebemos que a separação entre erudito e popular realmente não passa de rótulo que nós, pobres seres humanos, criamos para nossa própria organização, afinal tudo é Música. Como já disseram, só existem dois tipos de música: a boa e a ruim. Neste concerto Personnalité, prevaleceu a boa.


Ouça um trecho de "Subconcious-Lee" numa gravação de 1949

E a seguir, um trecho (de vários) de um curta-metragem sobre Lee Konitz:


Já no dia 18 de outubro foi a vez da união do erudito com o choro - um "clássico" brasileiro. Para participar, além dos Solistas Personnalité, estiveram presentes o violinista israelense Hagai Shaham, a belga Christine Springuel (viola) e o brasileiro Watson Clis (violoncelo). Para a parte do choro foram convidados o excelente flautista Toninho Carrasqueira, filho de João Dias Carrasqueira (figura de extrema importância para o desenvolvimento da flauta no Brasil) e Maurício Carrilho, que, além de exímio violonista, se destaca como compositor e arranjador - é um dos grandes nomes do violão nacional.


Ouça um trecho de "Lux Aeterna", do Réquiem de Mozart na versão para quarteto de cordas de Peter Lichtenthal com o Kuijken Kwartet

Como de praxe, o programa de abertura foi erudito, com o Réquiem em Ré menor de Mozart, em versão resumida (apenas quatro movimentos) e num arranjo para quarteto de cordas escrito por Peter Lichtenthal (1780-1853). Antes da performance, Roberto Ring explicou que tal arranjo só veio à tona em 2006, ano de sua publicação; portanto, a apresentação da peça em quarteto era provavelmente a primeira em solo brasileiro. Para tanto estiveram no palco os Solistas Personnalité acompanhados de Hagai Saham - todos tiveram segurança ao tocar, mostrando como o Réquiem fica bem também em quarteto. A seguir, Christine Springuel e Watson Clis subiram ao palco para formar um sexteto e tocar uma obra de Brahms, o Sexteto no 2, op. 36 para cordas em Sol maior.


Ouça um trecho de "Poco Adagio", do Sexteto de Cordas no. 2 de Brahms numa gravação do The Nash Ensemble

É interessante colocar lado a lado o choro e o erudito. Exceções à parte, este estilo é conhecido pela rigidez, por seguir partituras, regentes, por ter uma série de procedimentos e regras a serem seguidos, enquanto no choro o que conta é a liberdade, a criação de momento, a descontração; uma rua ou um fundo de quintal já servem para uma boa roda de choro. E por isso, a segunda parte do Clássicos Personnalité foi interessantíssima para mostrar como em seu início o choro teve grande influência do erudito e em como pode se encaixar em seu contexto. A primeira peça foi "Ameno Resedá" (em arranjo de Maurício Carrilho), uma polca do maestro Ernesto Nazareth, incontestavelmente um dos pilares da música brasileira. Ele, como muitos outros compositores nacionais, transitou entre a dita música popular e a clássica, tanto no campo da composição quanto na "sociedade", digamos assim. Sua obra é essencial para o que vem depois na música popular brasileira. Mas ele não escondia certo ressentimento por não se firmar na seara erudita. O arranjo de Maurício Carrilho para violão, flauta e cordas reforça a tinta erudita, sem deixar de lado o popular do que o próprio Nazareth gostava de chamar de "tango brasileiro". Depois, veio a quadrilha "Flores do coração" (em arranjo de Paulo Aragão, do quarteto de violões Maogani) do chamado "pai dos chorões" Joaquim Callado, filho de escravos, morto em 1880, com apenas 31 anos; sua obra também é vital para o choro moderno, tendo chamado a atenção inclusive de Chiquinha Gonzaga. São dele os primeiros registros de partituras do choro. Em seguida veio "Implorando" (também em arranjo de Paulo Aragão), de Anacleto de Medeiros, filho de escrava liberta, compositor, instrumentista, orquestrador e regente.


Ouça um trecho de "Ameno Resedá", por Maria José Carrasqueira

Outro dos pilares da música moderna brasileira foi apresentado com o choro "Cochichando": Pixinguinha, de obra rica, vasta e visionária, pois colocou elementos jazzísticos em sua música, o que irritou muita gente lá pelos anos 20. Mas essas inserções não só influenciaram a bossa nova como fizeram com que muito de sua obra permaneça tão atual, não perde o frescor. A execução foi feita apenas por Carrilho e Carrasqueira, sem arranjo prévio, numa performance típica de rodas de choro, com trocas de idéias e andamentos e diálogos rítmicos e melódicos. Com as cordas de volta ao palco foram executadas duas belas peças de Maurício Carrilho: "Maricotinha chegando" e "Choro cubano", que fez jus ao nome, com grande influência da música da terra de Fidel. No bis, foi tocada "Corta jaca", de outra peça chave não só na música, mas também do comportamento feminino: Chiquinha Gonzaga. Toninho Carrasqueira resumiu bem o que é o choro e, afinal, do que é muito da música em si: a transformação da tristeza em alegria.


Rafael Fernandes
Sorocaba, 7/11/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Redes e protestos: paradoxos e incertezas de Guilherme Mendes Pereira
02. O Guia Prático do Português Correto da L&PM de Marcelo Spalding
03. Querem acabar com as livrarias de Noah Mera
04. New Hollywood de David Donato
05. Romance quebrado de uma era fraturada de Daniel Lopes


Mais Rafael Fernandes
Mais Acessadas de Rafael Fernandes em 2007
01. Guinga e sua Casa de Villa - 1/8/2007
02. White Stripes, Icky Thump e a unanimidade burra - 26/12/2007
03. Scott Henderson, guitarrista fora-de-série - 21/3/2007
04. Ofício x Formato - 15/8/2007
05. Vale ouvir - 23/5/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




REVISTA PAULISTA DE MEDICINA VOL. 35 Nª 4
ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE MEDICINA
ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE MEDI
(1949)
R$ 10,89



MARTIN FIERRO
JOSÉ HERNANDEZ
BRUGUERA
(1984)
R$ 18,00



THE CHIBRET INTERNATIONAL AWARD
MERCK
MERCK
(1986)
R$ 5,00



PHYSICA MÉDICA 1ª VOL.
NEY CABRAL
GLOBO
(1935)
R$ 11,76



DEAD AS A DOORNAIL
CHARLAINE HARRIS
ACE BOOKS
(2006)
R$ 5,00



FOLGUEDOS POPULARES DO BRASIL
ROSSINI TAVARES DE LIMA
RICORDI
R$ 24,00



PAULINA AO PIANO
ALICE VIEIRA
EDITORIAL CAMINHO
(2005)
R$ 34,70



LIÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL VOLUME I
ALEXANDRE FREITAS CAMARA
LUMEN JURIS
(2007)
R$ 5,00



ON TRACK 2
ANGELA LLANAS LIBBY MARCELO
MACMILLAN
(2012)
R$ 9,90



AN INCONVENIENT TRUTH
AL GORE
RODALE
(2006)
R$ 22,82





busca | avançada
92061 visitas/dia
2,2 milhões/mês