Boas histórias — e de verdade | Verônica Mambrini | Digestivo Cultural

busca | avançada
63818 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> “Um pé de biblioteca” estimula imaginação e ajuda a criar novas bibliotecas pelo Brasil
>>> Diálogos na Web FAAP: Na pauta, festivais de cinema e crítica cinematográfica
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Morando sozinha II
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> A Piauí tergiversando sobre o fim dos jornais
>>> Mário Sérgio Cortella #EuMaior
>>> O Gabinete do Dr. Caligari
>>> Ser intelectual dói
>>> Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge
>>> É Julio mesmo, sem acento
Mais Recentes
>>> Yoga, Imortalidade e Liberdade de Mircea Eliade pela Palas Athena (2009)
>>> The Bell - Her wise, witty and compulsive novel de Iris Murdock pela Penguin Books (1962)
>>> Os robôs e o império de Isaac Asimov pela Record (1985)
>>> Wallpaper Magazine May 2020 de Design Directory pela TI Media (2020)
>>> Contato de Carl Sagan pela Guanabara (1986)
>>> Os Três Reos e o Quarto Rei, Lendas Natalinas de Jakob Streit pela Edições Waldorf (1991)
>>> Neuromancer de William Gibson pela Aleph (1991)
>>> O Gênio do Crime de J.C. Marinho Silva pela Edijovem (1999)
>>> O incrível congresso de futurologia de Stanislaw Lem pela Nova Fronteira (1977)
>>> O cair da noite de Isaac Asimov pela Hemus (1981)
>>> Solaris de Stanislaw Lem pela Círculo do livro (1987)
>>> O Livro da Filosofia de Diversos pela Globo (2016)
>>> O homem bicentenário de Isaac Asimov pela Hemus (1976)
>>> Os robôs do amanhecer de Isaac Asimov pela Record (1983)
>>> Cartas de Um Executivo a Seu Filho de G. Kingsley Ward pela Record (1985)
>>> Desenho de Perspectiva (Português) Capa dura , Livro Novo de David Sanmiguel pela Ambientes (2020)
>>> Os anéis de Saturno de Isaac Asimov pela Hemus
>>> Inimigo Rumor 17 de Carlito Azevedo e Outros Editores pela Naify (1993)
>>> Anjos e Demônios de Dan Brown pela Sextante (2004)
>>> Fundação de Isaac Asimov pela Hemus (1982)
>>> Pureza de Jonathan Franzen pela Companhia das Letras (2016)
>>> Os Anos 40 de Rachel Jardim pela José Olympio (1973)
>>> A maçã no escuro de Clarice Lispector pela Círculo do livro
>>> Prontuário de Yoga Antigo (SVÁSTHYA YOGA de Professor de Rose pela Ground (1986)
>>> De corpo inteiro de Clarice Lispector pela Artenova (1975)
>>> A cidade sitiada de Clarice Lispector pela José Olympio (1975)
>>> A paixão segundo GH de Clarice Lispector pela José Olympio (1977)
>>> A Queda para o Alto de Herzer pela Círculo do Livro (1982)
>>> Química e física de Daniel Cruz pela Ática (2002)
>>> Arnaldo Janssen de Alberto Kuyle pela Verbo divino
>>> Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres de Clarice Lispector pela Nova Fronteira (1982)
>>> Homo Deus de Yuval Noah Harari pela Companhia das Letras (2016)
>>> Eternidade por um Fio de Ken Follett pela Arqueiro (2014)
>>> Para não esquecer de Clarice Lispector pela Ática (1978)
>>> Em busca do Príncipe Encantado de Bradley Trevor Greive pela Sextante (2002)
>>> Um sopro de vida de Clarice Lispector pela Círculo do livro (1978)
>>> A hora da estrela de Clarice Lispector pela José Olympio (1977)
>>> Os sapatos de Orfeu - Biografia de Carlos Drummond de Andrade de José Maria Cançado pela Scritta (1993)
>>> Sinfonia patética - A vida de Tchaikóvski de Klaus Mann pela Brasiliense (1989)
>>> Merendeiro (A) SGA-DF – Auxiliar de Educação. Especialidade: Copa/Cozinha de Pimentel. et al pela Vesticon (2005)
>>> O caminho dos tormentos Vol. 3 - Manhã sombria de Alexei Tolstoi pela Civilização Brasileira (1966)
>>> O caminho dos tormentos Vol. 2 - O ano dezoito de Alexei Tolstoi pela Civilização Brasileira (1966)
>>> O caminho dos tormentos Vol. 1 - Duas irmãs de Alexei Tolstoi pela Civilização Brasileira (1966)
>>> A Ordem Negra de James Rollins pela Ediouro (2007)
>>> As mentiras que os homens contam de Luiz Fernando Veríssimo pela Objetiva (2002)
>>> Dieta Low Carb de Eliana Rinaldi e Daniela Mesquita pela Ediouro/Duetto (2019)
>>> Estatística fácil de Antônio Arnot Crespo pela Saraiva (1994)
>>> Simpatias de Antonio Carlos pela Pallas (1997)
>>> A idade da Razão de Sartre pela Cia das letras (2020)
>>> O pai minuto de Spencer Johnson pela Record (1996)
COLUNAS

Segunda-feira, 28/1/2008
Boas histórias — e de verdade
Verônica Mambrini

+ de 9100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Você gosta de uma boa história? Paco Sanchez, jornalista galego que volta e meia aparece aqui pelas terras tupiniquins para dar seminários, vive contando o causo de um matuto espanhol que foi atropelado por um avião. Isso mesmo: o avião teve que fazer um pouso forçado por ali, em um pueblecito muy hermoso no meio do nada, na Espanha, e arrebentou com a propriedade. A companhia aérea fez uma generosa proposta, cobrindo o custo das vaquinhas e benfeitorias detonadas pelo avião, mais uma quantia em dinheiro, e apenas uma contrapartida: o sujeito tinha que silenciar sobre o incidente. "Pero no voy a poder contar la historia a la gente? Gracias, entonces. No me interesa."

Ouvir e contar boas histórias. É por aí que segue a proposta do jornalismo literário, polêmico desde sua nomenclatura. Nasceu como New Journalism, pelas mãos de talentosos escritores como Truman Capote, Norman Mailer e Gay Talese, alguns dos nomes mais famosos, disponíveis em livros. A proposta era quebrar novamente um ciclo do jornalismo. Depois da modernização americana, lá pela década de 1950, que transformou artigos longos e cheios de opinião em textos informativos curtos e ágeis, o New Journalism trouxe técnicas da literatura para as páginas de revista, nas décadas de 1960 e 1970.

No Brasil, o nome pegou como Jornalismo Literário. Inspirada nessa onda, em 1966, a editora Abril criou a revista Realidade, que fez escola com grandes reportagens. Pautas grandiosas, textos ambiciosos, fotos impressionantes, tudo inspirado na cartilha do New Journalism. Até hoje, a revista deixa um rastro de nostalgia nos bancos de faculdades. Recentemente, ressurgiu a aposta de que há um mercado de leitores ávidos por histórias bem contadas. As revistas Brasileiros e piauí tentam resgatar o formato de grandes reportagens, textos longos, autorais (se conseguem, é outra história). E há, claro, pitadas aqui e ali nas páginas de jornais e revistas tradicionais.

O livro Jornalistas Literários ― Narrativas da vida real por novos autores brasileiros (Summus, 2007, 320 págs.) traz dezesseis histórias contadas em outro ritmo. Com mais calma, olho nos detalhes, clima. O apaixonante perfil que abre a coletânea é o do jornalista Marcos Faerman, escrito por Isabel Vieira. Faerman começou a carreira no extinto jornal gaúcho Última Hora e foi repórter especial no Jornal da Tarde, numa época em que havia muito mais tempo e dinheiro para reportagens de fôlego. Muita apuração, e um equilíbrio delicado entre a personalidade agitada e humanista de Faerman, a carreira cheia de projetos idealistas e marcantes e o contexto da época dão vida ao perfil.

Há textos de vários gêneros: reportagens, narrativas pessoais, ensaios. Sobressaem reportagens como "Pasta & Passione", de Lorena Tovil Schuchman, sobre um pastifício artesanal e a família que o conduz, ou "A Clarividente Neiva", de Isabel Fonseca, sobre como começou e cresceu uma seita espiritualista em Brasília. Histórias que não cabem no noticiário ― muitas vezes, o texto transbordante de informação e interesse não tem nada nem próximo de ser notícia. Muitas vezes, as histórias são de anônimos, de personagens brechitianos como os do poema "Perguntas de um operário que lê": "Quem construiu Tebas, a das sete portas?/ Nos livros vem o nome dos reis,/ Mas foram os reis que transportaram as pedras?". E um olhar sobre os personagens que flerta com a Nova História, que busca sinais do registro de uma época nas casas dos vizinhos, na rua que é caminho da escola em que se estuda, no pescador que é um artesão com o no sangue. Possivelmente a importância do Novo Jornalismo é a mesma da nova história: ignorar a história de governantes, mandatários de guerras e chefes de Estado é um fator que limita a compreensão de mundo. Mas o mundo em que a história é contada apenas pelas decisões de poucos homens, e ignorando os gostos e o trabalho do homem comum, é inútil. E na retomada da narrativa como ponto fundamental, e da oralidade, os dois campos de conhecimento também se cruzam.

As reportagens são o resultado das primeiras turmas da pós-graduação em jornalismo literário da Associação Brasileira de Jornalismo Literário (ABJL). O organizador do livro é Sergio Vilas Boas, um dos fundadores da ABJL e professor do curso de pós-graduação. Ele comenta que o caminho para esse tipo de narrativa no Brasil se consolidar é longo. Não há tradição e poucos profissionais têm fôlego para encarar um texto menos técnico, com mais arte. "Simplesmente Mulata" é quase um conto, uma história de amor que podia ser ficção. Contada no clima de causo que pedem os personagens, se mostra no caminho de um jornalismo mais novo e fresco, em que o compromisso maior é entre leitor e autor. Que não precisa ter a cara sisuda do jornalismo tradicional para ser tão claro e preciso quando uma matéria de jornalão. Pela falta de profissionais que tenham cacife para se enveredar nesse tipo de empreitada, a coletânea tem textos que ainda não acharam o tom.

Mas ainda assim, "Tantas histórias/ Quantas perguntas", como lembra o poema de Brecht.

Para ir além






Verônica Mambrini
São Paulo, 28/1/2008


Mais Verônica Mambrini
Mais Acessadas de Verônica Mambrini em 2008
01. Boas histórias — e de verdade - 28/1/2008
02. Religião prêt-à-porter - 10/3/2008
03. Ao vivo do Roda Viva, pelo Twitter - 6/10/2008
04. Noite branca no cinema - 18/12/2008
05. Mitofagia: Machado ao molho pardo - 16/6/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/1/2008
14h55min
"Boas histórias e de verdade" é um texto agradável para ser lido por internautas mesmo que apressados. Gostei. Vou voltar a esse saite/blog noutra hora, com mais tempo. O que li foi suficiente para me ilustrar, quem sabe, para minha coluna no jornal "O Dia".
[Leia outros Comentários de francisco miguel de ]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SEVEN DAYS IN MAY
FLETCHER KNEBEL
BANTAM BOOKS
(1963)
R$ 8,96



PAVIMENTOS PAREDES E TECTOS COMO ACABAR E REPARAR OS INTERIORES DE ...
GRAHAM BLACKBURN
CETOP
(1991)
R$ 31,26



QUANDO PINTA O AMOR
MARIA CAROLINA GARCIA
MODERNA
(1997)
R$ 6,90



NUNCA LHE APARECI DE BRANCO
JUDITH FARR
ROCCO
(1998)
R$ 5,00



PORTUGUESE AND ENGLISH PRONOUNCING DICTIONARY
J. F. VALDEZ
N I
R$ 36,00



AMOR MAIOR QUE TUDO
NORA ROBERTS
HARLEQUIN
(2014)
R$ 7,00



O BRASIL E OS HOLANDESES
VARIOS
BANCO REAL
(1999)
R$ 6,90



PRÉCIS DE CHIRURGIE INFANTILE
E. KIRMISSON
MASSON ET CIE
(1911)
R$ 65,66



TUDO É LINGUAGEM TRAMAS E TEXTO 6 ANO
ANA TRINCONI BORGATTO-TEREZINHA BERTIN-VERA MARCHE
ÁTICA
R$ 12,00



PSICOLOGIA HOSPITALAR C/ DEDICATÓRIA DA AUTORA 8183
TEREZINHA CALIL PADIS CAMPOS
E P U
(1995)
R$ 18,00





busca | avançada
63818 visitas/dia
2,2 milhões/mês