Mitofagia: Machado ao molho pardo | Verônica Mambrini | Digestivo Cultural

busca | avançada
34463 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Machado de Assis

Segunda-feira, 16/6/2008
Mitofagia: Machado ao molho pardo
Verônica Mambrini

+ de 3900 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Você gosta de Clarice Lispector? Eu gosto bastante. E tem toneladas de pessoas que simplesmente a idolatram, andam para cima e para baixo com bolsas estampadas com foto de Clarice, agendas de design moderninho com frases pinçadas da literatura de Clarice, livro de retratos da autora com mais frasezinhas pingadas aqui e acolá, em tipografia sutil, oblíqua. E as peças de teatro? Tentei uma vez fazer um levantamento no arquivo do Estadão de todas as obras inspiradas na obra de Clarice: peças, filmes, mostras e exposições diversas. Desisti. É vastíssimo o material, e a criatividade para criar sobre a imagem, mito e obra de Clarice é inesgotável, quase um fetiche. Clarice e seus olhos misteriosos, Clarice como uma bruxa das letras, insondável por trás da fumaça de seu cigarro. Clarice mitificada e absoluta, e ao mesmo tempo falando para a alma do leitor, tocando o visceral com dedos invisíveis.

Menos gente sabe que a mesma Clarice tinha um bizarro sotaque nordestino. Ao abrir a boca, o mito se desmancha numa voz de Macabéa. Fetiche parecido, mas menos imagético, existe com Machado (vamos, pessoas-cabeça: saiam de casa ostentando bolsas e camisetas com os bigodes machadianos. Espero ver o ridículo da cena ansiosamente). É um prazer enorme discutir Machado, a genialidade de Machado, citar Harold Bloom citando Machado. A repetição barroca irrita. A ambigüidade de Capitu, a ironia de Machado. Tem gente que detesta ironia: como esperar que essas pessoas gostem de Machado? Quando os outros são muito obtusos para entender as mensagens nesse grau de sutileza, geralmente quem passa por estúpido é você. Esse é outro clichê freqüente sobre Machado: quem não gosta, não entendeu. E é um prazer enorme saber-se iluminado, iniciado, entendido. Olhar para quem não gosta com um vago ar de desdém: a literatura como status. Ah, que saco isso. Que preguiça.

Talvez as pessoas não estejam nem mais nem menos rasas do que antes, ou talvez estejam. A escola não ensina nem o básico do português, e para se virar na vida, ganhar dinheiro e ser presidente do Brasil, muitas vezes nem faz falta mesmo. O que realmente importa é que a tolerância coletiva com a ignorância e com a falta de cultura estão aumentando. Ler Machado é a cereja no topo do bolo: é o supra-sumo de quem já domina as ferramentas básicas para entender o mundo e reagir criticamente a ele ― algo como viver em oposição a sobreviver. O autor em questão, aliás, é um só, de um cânone extenso, todo ele recomendado. Não para que se goste de tudo, mas que se possa permitir gostar de mais coisas. Se ler Machado é tão complicado, tão difícil, esqueçam Proust, e as milhares de pesadas páginas de Em busca do tempo perdido. Esqueçam uma porção de obras relevantes e cansativas.

Mas, por trás do mito, o que fica? Depois de descascar a importância de Machado na cultura literária brasileira, na renovação da língua portuguesa, a prosa toda enfim desfiada pelos fãs de Machado, sobra prazer na leitura? Sobra motivação pessoal? Porque todos os outros motivos, para quem não é crítico, acadêmico, ou coisa que o valha, me parecem irrelevantes. Nos dias contemporâneos de competição com o conteúdo praticamente infinito da internet, TV, mil meios de entretenimento e de aperfeiçoamento pessoal, qual é a motivação mais autêntica para se ler esse autor?

Leio Machado porque gosto dos jogos semânticos, porque me divirto com as críticas sociais, porque as narrativas são extremamente fluentes. Há quase nada causando a sensação de "desnecessário" que barra a leitura e levanta diques no pensamento. Releio porque acontece de às vezes estar entediada e sem paciência para assuntos ordinários ― se pelo menos as pessoas olhassem para o dia-a-dia com um olhar um pouco mais ferino... Mas a verdade é que, mesmo gostando, faz um bom tempo que não leio Machado. Alguém aí vai me recriminar por isso? Que fique à vontade. A quantidade de interesses competindo pela minha atenção, de vez em quando, vai fazer com que eu perca alguns dos que poderiam ser os lances mais interessantes na minha vida cultural. As pérolas estão aí; não vale a pena discutir com os porcos.

Em tempos pós-indústria cultural, a quantidade de informação sobre a produção artística é quase infinita. É tanto conteúdo que o problema não é ter informação disponível, mas encontrar filtros confiáveis. Quem me dera entrar numa biblioteca e, surpresa, ver os livros enfileirados, com suas lombadas de grossuras variadas, todos no mesmo papel (um couché creme, não gosto do branco agressivo que grita com a retina), a mesma fonte, uma elegante e leve, nada de serifas barrocas, e capas claras e puras. Nada de nomes de autores. Eu teria que escolher lê-los ou não sem ajuda de ninguém, na base de tentativa e erro, sem referências para poder escolher. O mito e o cânone salvam ou enterram obras com valor totalmente desproporcional à sua popularidade. É o esperado achar que o filtro do tempo e o senso crítico acadêmico, que escrevem a história literária, tenham feito o favor de nos guardar e recomendar apenas o que houvesse sido produzido de melhor nos últimos séculos. Mas é impossível saber; ao nascer em um mundo no qual já existem obras grandes, todo parâmetro de valor de grandeza do leitor já nasce contaminado de passado.


Verônica Mambrini
São Paulo, 16/6/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição de Ana Elisa Ribeiro
02. De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho de Renato Alessandro dos Santos
03. Era uma casa nada engraçada de Cassionei Niches Petry
04. Minimundos, exposição de Ronald Polito de Jardel Dias Cavalcanti
05. T.É.D.I.O. (com um T bem grande pra você) de Renato Alessandro dos Santos


Mais Verônica Mambrini
Mais Acessadas de Verônica Mambrini em 2008
01. Boas histórias — e de verdade - 28/1/2008
02. Religião prêt-à-porter - 10/3/2008
03. Ao vivo do Roda Viva, pelo Twitter - 6/10/2008
04. Noite branca no cinema - 18/12/2008
05. Mitofagia: Machado ao molho pardo - 16/6/2008


Mais Especial Machado de Assis
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/8/2008
11h53min
Acho que eu estava na quinta ou sexta série. Lembro-me de uma aula de português e redação (na época era assim, estudava-se literatura junto com português) em que a professora nos disse que não estávamos preparados para ler Machado de Assis. Incrível como aquilo me deixou curiosa. Fui procurar os livros por conta própria. Algumas coisa entendi, outras não. Lia sempre com o dicionário nas mãos. Voltei a ler tempos depois, já mais velha. Caí em O Alienista e Dom Casmurro, e desde então eles fazem parte das minhas leituras memoráveis.
[Leia outros Comentários de Cris Simon]
25/8/2008
09h49min
Bravo, Verônica Manbrini! Você está cheia de razão! No Brasil busca-se o "Salvador da Pátria" até mesmo na Literatura! Na verdade, trata-se de uma insana e inútil busca de identidade nacional (isso existe?) em todas as áreas: na música, na fórmula 1, no futebol etc. etc., gerando os mais medonhos fanatismos. Abraços do Sílvio Medeiros.
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




THE ECONOMIST GUIDE TO ORGANISATION DESIGN
NAOMI STANFORD
ECONOMIST BOOKS
(2007)
R$ 40,00



O MÉDICO E O JORNALISTA - AFINAL, A IMPRENSA NÃO É NENHUM MONSTRO
JOSÉ ROBERTO LUCHETTI; CACÁ AMADEI
DOC CONTENT
(2016)
R$ 35,00



O GUARANI
JOSÉ DE ALENCAR
KLICK
R$ 10,00



SOCIEDADES ANONIMAS DEPORTIVAS DERECHO COMPARADO
ANTONIO MANUEL MORAIS
HUGIN
(2001)
R$ 74,70



A VELOCIDADE DA CONFIANÇA
STEPHEN R. COVEY; REBECCA MERRIL
ELSEVIER
(2007)
R$ 50,00



HORA DO ESPANTO O DOUTOR MORTE
EDGAR J. HYDE
CIRANDA CULTURAL
(2009)
R$ 7,00



SOCIALISMO IMPASSES E PERSPECTIVAS
RUBENS PINTO LYRA (ORG.)
SCRITTA
(1992)
R$ 25,82



TIGRE DE PAPEL
OLIVIER ROLIN
COSAC NAIFY
(2006)
R$ 10,71



GAROTAS APAIXONADAS
JOSÉ ALCIDES FORTES DE CAMARGO
ÔMEGA
(1999)
R$ 23,00
+ frete grátis



O GUIA GERENCIAL PARA A ISO 9000
KENNETH L. ARNOLD
CAMPUS
(1994)
R$ 20,00





busca | avançada
34463 visitas/dia
1,3 milhão/mês