Mitofagia: Machado ao molho pardo | Verônica Mambrini | Digestivo Cultural

busca | avançada
45137 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Circomuns Com Circo Teatro Palombar
>>> Prêmio AF de Arte Contemporânea abre inscrições para a edição comemorativa de 10 anos
>>> Inscrições abertas para o Prêmio LOBA Festival: objetivo é fomentar o protagonismo de escritoras
>>> 7ª edição do Fest Rio Judaico acontece no domingo (16 de junho)
>>> Instituto SYN realiza 4ª edição da campanha de arrecadação de agasalhos no RJ
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Micronarrativa e pornografia
>>> Os dois lados da cerca
>>> A primeira vez de uma leitora
>>> Se eu fosse você 2
>>> Banana Republic
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Construção de um sonho
>>> Quem é mesmo massa de manobra?
>>> A crise dos 28
Mais Recentes
>>> Coleção Enciclopédia Disney - 8 Volumes de Disney pela Planeta (2001)
>>> Fórum dos Coordenadores de Joaquim Barbosa / Bárbara Sicardi pela Metodista (2003)
>>> O Último Portal de Eliana Martins / Rosana Rios pela Seguinte (2003)
>>> Batman Planetary - Edição de Luxo de Warren Ellis - John Cassaday - Dc Comics pela Panini (2014)
>>> Mentes Tranquilas, Almas Felizes de Joyce Meyer pela Thomas Nelson (2001)
>>> Democracia Francesa de V Giscard D Estaing pela Difel (1977)
>>> Esperança Viva - Uma Escolha Inteligente de Ivan Saraiva pela Casa Publicadora (2016)
>>> Manual Merck de Veterinaria de Merck pela Roca (2001)
>>> Conjugar Es Fácil En Español De España Y De América (spanish Edition) de González Hermoso, Alfredo pela Edelsa Grupo Didascalia (1997)
>>> Amy, Minha Filha - Amy, My Daughter de Micht Winehouse pela Record (2012)
>>> Avaliação da Inteligência de Marília Ancona-Lopez pela E.p.u (1987)
>>> O Menino do Dedo Verde de Maurice Druon pela Jose Olympio (1973)
>>> Contos E Lendas - Os Doze Trabalhos De Hércules de Christian Grenier - Carlos Fonseca ilustrador pela Cia Das Letrinhas (2013)
>>> Educação do Olhar Vol2 de Vários Autores pela Mec (1998)
>>> Tres Sombras de Cyril Pedrosa pela Quadrinhos Na Cia (2019)
>>> Federico Garcia Lorca - Obra Poetica Completa de Federico Garcia Lorca pela Unb - Martins Fontes (1990)
>>> Postura Profissional do Educador de Ana Maria Santana Martins pela Jcr (1999)
>>> Fale Tudo Em Inglês! - Inclui Cd Audio de José Roberto A. Igreja pela Disal (2007)
>>> Prazeres da Docência de Magalli B. Picchi pela Arte & Ciência (2003)
>>> Pequeno Dicionário Ilustrado Palavras Inventadas de Marcelo Godoi pela Sagui (2007)
>>> O que é Música de J. Jota de Moraes pela Brasiliense (1983)
>>> Para os Filhos dos Filhos dos Nossos Filhos de José Pacheco pela Papirus (2008)
>>> Liderando Crianças com Excelêcia de Márcia S.Ribeiro pela Videira (2008)
>>> Linguagem e Escola: Uma Perspectiva Social de Magda Soares pela Atica (1986)
>>> Regras Oficiais De Voleibol de Vários Autores pela Nd-sprint (1998)
COLUNAS >>> Especial Machado de Assis

Segunda-feira, 16/6/2008
Mitofagia: Machado ao molho pardo
Verônica Mambrini
+ de 5300 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Você gosta de Clarice Lispector? Eu gosto bastante. E tem toneladas de pessoas que simplesmente a idolatram, andam para cima e para baixo com bolsas estampadas com foto de Clarice, agendas de design moderninho com frases pinçadas da literatura de Clarice, livro de retratos da autora com mais frasezinhas pingadas aqui e acolá, em tipografia sutil, oblíqua. E as peças de teatro? Tentei uma vez fazer um levantamento no arquivo do Estadão de todas as obras inspiradas na obra de Clarice: peças, filmes, mostras e exposições diversas. Desisti. É vastíssimo o material, e a criatividade para criar sobre a imagem, mito e obra de Clarice é inesgotável, quase um fetiche. Clarice e seus olhos misteriosos, Clarice como uma bruxa das letras, insondável por trás da fumaça de seu cigarro. Clarice mitificada e absoluta, e ao mesmo tempo falando para a alma do leitor, tocando o visceral com dedos invisíveis.

Menos gente sabe que a mesma Clarice tinha um bizarro sotaque nordestino. Ao abrir a boca, o mito se desmancha numa voz de Macabéa. Fetiche parecido, mas menos imagético, existe com Machado (vamos, pessoas-cabeça: saiam de casa ostentando bolsas e camisetas com os bigodes machadianos. Espero ver o ridículo da cena ansiosamente). É um prazer enorme discutir Machado, a genialidade de Machado, citar Harold Bloom citando Machado. A repetição barroca irrita. A ambigüidade de Capitu, a ironia de Machado. Tem gente que detesta ironia: como esperar que essas pessoas gostem de Machado? Quando os outros são muito obtusos para entender as mensagens nesse grau de sutileza, geralmente quem passa por estúpido é você. Esse é outro clichê freqüente sobre Machado: quem não gosta, não entendeu. E é um prazer enorme saber-se iluminado, iniciado, entendido. Olhar para quem não gosta com um vago ar de desdém: a literatura como status. Ah, que saco isso. Que preguiça.

Talvez as pessoas não estejam nem mais nem menos rasas do que antes, ou talvez estejam. A escola não ensina nem o básico do português, e para se virar na vida, ganhar dinheiro e ser presidente do Brasil, muitas vezes nem faz falta mesmo. O que realmente importa é que a tolerância coletiva com a ignorância e com a falta de cultura estão aumentando. Ler Machado é a cereja no topo do bolo: é o supra-sumo de quem já domina as ferramentas básicas para entender o mundo e reagir criticamente a ele ― algo como viver em oposição a sobreviver. O autor em questão, aliás, é um só, de um cânone extenso, todo ele recomendado. Não para que se goste de tudo, mas que se possa permitir gostar de mais coisas. Se ler Machado é tão complicado, tão difícil, esqueçam Proust, e as milhares de pesadas páginas de Em busca do tempo perdido. Esqueçam uma porção de obras relevantes e cansativas.

Mas, por trás do mito, o que fica? Depois de descascar a importância de Machado na cultura literária brasileira, na renovação da língua portuguesa, a prosa toda enfim desfiada pelos fãs de Machado, sobra prazer na leitura? Sobra motivação pessoal? Porque todos os outros motivos, para quem não é crítico, acadêmico, ou coisa que o valha, me parecem irrelevantes. Nos dias contemporâneos de competição com o conteúdo praticamente infinito da internet, TV, mil meios de entretenimento e de aperfeiçoamento pessoal, qual é a motivação mais autêntica para se ler esse autor?

Leio Machado porque gosto dos jogos semânticos, porque me divirto com as críticas sociais, porque as narrativas são extremamente fluentes. Há quase nada causando a sensação de "desnecessário" que barra a leitura e levanta diques no pensamento. Releio porque acontece de às vezes estar entediada e sem paciência para assuntos ordinários ― se pelo menos as pessoas olhassem para o dia-a-dia com um olhar um pouco mais ferino... Mas a verdade é que, mesmo gostando, faz um bom tempo que não leio Machado. Alguém aí vai me recriminar por isso? Que fique à vontade. A quantidade de interesses competindo pela minha atenção, de vez em quando, vai fazer com que eu perca alguns dos que poderiam ser os lances mais interessantes na minha vida cultural. As pérolas estão aí; não vale a pena discutir com os porcos.

Em tempos pós-indústria cultural, a quantidade de informação sobre a produção artística é quase infinita. É tanto conteúdo que o problema não é ter informação disponível, mas encontrar filtros confiáveis. Quem me dera entrar numa biblioteca e, surpresa, ver os livros enfileirados, com suas lombadas de grossuras variadas, todos no mesmo papel (um couché creme, não gosto do branco agressivo que grita com a retina), a mesma fonte, uma elegante e leve, nada de serifas barrocas, e capas claras e puras. Nada de nomes de autores. Eu teria que escolher lê-los ou não sem ajuda de ninguém, na base de tentativa e erro, sem referências para poder escolher. O mito e o cânone salvam ou enterram obras com valor totalmente desproporcional à sua popularidade. É o esperado achar que o filtro do tempo e o senso crítico acadêmico, que escrevem a história literária, tenham feito o favor de nos guardar e recomendar apenas o que houvesse sido produzido de melhor nos últimos séculos. Mas é impossível saber; ao nascer em um mundo no qual já existem obras grandes, todo parâmetro de valor de grandeza do leitor já nasce contaminado de passado.


Verônica Mambrini
São Paulo, 16/6/2008

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Há vida inteligente fora da internet? de Andréa Trompczynski


Mais Verônica Mambrini
Mais Acessadas de Verônica Mambrini em 2008
01. Boas histórias — e de verdade - 28/1/2008
02. Religião prêt-à-porter - 10/3/2008
03. Noite branca no cinema - 18/12/2008
04. Ao vivo do Roda Viva, pelo Twitter - 6/10/2008
05. Mitofagia: Machado ao molho pardo - 16/6/2008


Mais Especial Machado de Assis
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/8/2008
11h53min
Acho que eu estava na quinta ou sexta série. Lembro-me de uma aula de português e redação (na época era assim, estudava-se literatura junto com português) em que a professora nos disse que não estávamos preparados para ler Machado de Assis. Incrível como aquilo me deixou curiosa. Fui procurar os livros por conta própria. Algumas coisa entendi, outras não. Lia sempre com o dicionário nas mãos. Voltei a ler tempos depois, já mais velha. Caí em O Alienista e Dom Casmurro, e desde então eles fazem parte das minhas leituras memoráveis.
[Leia outros Comentários de Cris Simon]
25/8/2008
09h49min
Bravo, Verônica Manbrini! Você está cheia de razão! No Brasil busca-se o "Salvador da Pátria" até mesmo na Literatura! Na verdade, trata-se de uma insana e inútil busca de identidade nacional (isso existe?) em todas as áreas: na música, na fórmula 1, no futebol etc. etc., gerando os mais medonhos fanatismos. Abraços do Sílvio Medeiros.
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Caçador De Pipas
Khaled Hosseini
Globo
(2013)



Brasil: Anos 60
José Geraldo Couto
Ática
(1999)



Boca do Lixo - Sexo Suspense e Tragédia no Submundo Paulista
Silvio de Abreu
Panda Books
(2003)



Ben Hur - Clássicos da Literatura Juvenil
Lewis Wallace; Carlos Heitor Cony (adap.)
Abril Cultural
(1972)



Coleção 24 Livros Sigmund Freud Edição Standard Brasileira Completa A Interpretação dos Sonhos + Gradiva de Jensen + O Caso de Schreber + Além do Princípio do Prazer
Sigmund Freud; Anna Freud; James Strachey
Imago
(1990)



A alma é imortal
Gabriel Delanne
Feb
(1978)



Livro Psicologia Um Olhar Sobre a Família Trajetória e Desafios de uma ONG
Celia Valente
Agora
(2004)



O Corretor
John Grisham
Rocco
(2005)



Os Donos do Poder Vol. 1
Raymundo Faoro
Abril



Brinque-book conta fabulas - O conselho do leão e outras historias
Bob Hartman
Brinque Book
(2006)





busca | avançada
45137 visitas/dia
2,3 milhões/mês